Meus filhos n√£o s√£o o centro do meu mundo

Meus filhos n√£o s√£o o centro do meu mundo

Meus filhos n√£o s√£o o centro do meu mundo

Mam√£e Assustadora e Pixabay / Pexels

Meu mundo. Eu o vejo escrito e falado o tempo todo, geralmente legendando uma foto de família ou uma foto franca de crianças adoravelmente vestidas. Eu amo meus filhos também, é claro. Mas eles não são o centro do meu mundo. Meu mundo é muito mais do que ser mãe deles.

Eu tenho uma carreira que √© importante para mim e nossa fam√≠lia. Meus filhos querem que eu esteja em casa. Seria mais f√°cil se eu estivesse em casa? De certa forma, sim. N√£o h√° custos astron√īmicos de cuidados infantis que acompanham quatro filhos que precisam de algum tipo de cuidado infantil durante o dia de trabalho. Meu marido e eu n√£o ter√≠amos que discutir sobre quem √© a vez de ficar em casa com um beb√™ doente ou quem precisa sair do trabalho mais cedo para levar outro ao ortodontista. As tarefas e tarefas que s√£o espremidas √† noite e nos fins de semana podem ser realizadas durante a semana, para que o nosso tempo livre seja um pouco menos agitado.

Mas ter uma carreira que eu goste e que eu seja muito bom é bom para mim. Eu gosto de sair de casa. Eu gosto dos meus colegas de trabalho. Eu não tenho que limpar seus traseiros ou brigas de árbitros sobre o iPad. Mais importante, gosto de fazer a diferença. Então, posso realmente dizer que meus filhos são o meu mundo, se não estou disposto a desistir do meu trabalho por eles?

Posso dizer que meus filhos s√£o meu mundo se eu n√£o gostar de brincar com eles? Eu amo v√™-los jogar. Adoro interagir com eles em pequenas doses enquanto jogam. Eu n√£o gosto de sentar e brincar com eles. Eu n√£o gosto de me vestir ou fingir brincar. Eu amo quando meus filhos se vestem e se envolvem em brincadeiras criativas. Eu s√≥ n√£o quero brincar.comeles. √Č por isso que tivemos mais de um filho. Para que eles pudessem brincar um com o outro.

Posso dizer que meus filhos são meu mundo se eu colocar meus desejos e vontades à frente deles? Se eu me recusar a esfregar as costas à noite por nenhuma outra razão que eu. Não. Quer. Para. Depois de dormir o bebê, eu terminei. Quero envolver meus meninos, dar-lhes um beijo rápido e sair em paz. Quero alguns minutos de silêncio antes de cair na cama e outro dia começar de novo. Não, não esfregando as costas hoje à noite. Talvez não amanhã à noite também. Não, não, não. Jacarés mais tarde. Mamãe te ama.

Ser√° que √© saud√°vel que eles sejam o centro do meu mundo? N√£o √© bom para eles aprender que, embora sejam importantes e amados, sim, toda a minha exist√™ncia n√£o gira em torno de servi-los, entret√™-los e confortar todo fantasma boo-boo? N√£o √© √ļtil ensinar-lhes que m√£es e pais tamb√©m t√™m desejos e necessidades? Que temos responsabilidades que n√£o as incluem; precisamos de espa√ßo para pensar ou apenas respirar por alguns minutos; e precisamos gastar tempo fazendo coisas que nos trazem alegria.

Eu morreria pelos meus filhos. Eu os aprecio. Mas eu também os enviei para fora para brincar com um copo de plástico e a mangueira para que eu pudesse passar algum tempo sozinha com meu café. Eles me pediram para tocar e eu disse que não, agora não. Por um minuto, sinto-me culpado por não usar esse tempo também para brincar na mangueira. Mas então o som de suas risadas e gritos me tranquiliza, dizendo que eles estão, neste momento, felizes e se divertindo. Mesmo que eu não esteja brincando com eles. Mesmo que, neste exato momento, eles não sejam o centro do meu mundo.