Jogos competitivos ajudam a aprimorar as habilidades de mentir para crianças

Jogos competitivos ajudam a aprimorar as habilidades de mentir para crianças

Jogos competitivos ajudam a aprimorar as habilidades de mentir para crianças

A Fada dos Dentes √© real. Seu binky viajou para uma fazenda no sul para desfrutar de climas mais quentes. A foto dessa flor (que √© uma flor, certo?) √Č o desenho mais bonito que eu j√° vi!

Como pais, você conta aos seus filhos todo tipo de mentira, alguns para facilitar a sua vida e outros para proteger os sentimentos do pequenino. Então, as crianças mudam o roteiro e começam a mentir para você.

Mas suas mentiras nem sempre são ruins, de acordo com um novo estudo. A capacidade de uma criança mentir pode ser um sinal de desenvolvimento cognitivo e a exposição a jogos competitivos pode ajudar a acelerar a capacidade de enganar uma criança.

“Est√°vamos realmente interessados ‚Äč‚Äčem saber se as crian√ßas tinham muito mais pr√°tica, se isso √© algo que elas podem aprender com o tempo”, diz a autora do estudo Gail Heyman, professora de psicologia da Universidade da Calif√≥rnia, em San Diego. “N√≥s pensamos que seria fascinante se pud√©ssemos assistir ao desenvolvimento como aconteceu”.

Foi o que fizeram durante um período de 10 dias, jogando o mesmo jogo com crianças de 3 anos. No dia 10, a maioria conseguiu enganar seu oponente.

Mas n√£o seja t√£o r√°pido em cham√°-los de mentirosos, diz Eric Herman, psic√≥logo cl√≠nico do Children’s’s Hospital of Michigan em Detroit.

“Nessa idade, n√£o h√° processo de pensamento moral, por isso n√£o podemos cham√°-lo de mentir ou enganar”, diz Herman. “Eles meio que descobrem como jogar o jogo para ganhar.”

Teoria da mente

Antes dos 3 anos de idade, as crianças normalmente não sabem como enganar, então Heyman e seus colegas analisaram crianças de 3 anos para determinar se crianças com essa idade poderiam aprender a arte do engano para ganhar um jogo simples.

Por 10 dias consecutivos, as crianças jogaram o mesmo jogo com os pesquisadores. Durante o jogo, as crianças foram solicitadas a esconder um deleite em um dos dois copos enquanto o pesquisador fechava os olhos. Quando o experimentador abriu os olhos, pediu à criança que lhe dissesse em que copo estava o deleite. Se a criança escolhesse contar a verdade ao experimentador, o experimentador recebeu o deleite. Se a criança mentisse, ela venceria.

Viu o que eles fizeram l√°?

A princípio, muitas crianças não fizeram nenhum esforço para enganar seu oponente.

“Alguns deles n√£o ficaram muito empolgados com a perda repetida”, diz Heyman. “Mas quando descobriram que podiam enganar e vencer, esse era um momento muito emocionante para eles”.

E as crian√ßas n√£o precisavam ser ensinadas diretamente. De fato, uma vez que eles fizeram isso, eles fizeram isso de forma consistente. “√Č mais como um momento aha”, diz Heyman.

Há uma razão pela qual algumas crianças foram capazes de decifrar a maneira de enganar seus oponentes e outras não foram desenvolvidas.

“Mentir √© realmente um processo cognitivamente dif√≠cil”, diz Heyman. Essas crian√ßas exerceram controle cognitivo, impedindo-as de deixar escapar a verdade ao mentir, bem como a “teoria da mente”, que Heyman escreve no site The Conversation, “√© a capacidade de entender que outras pessoas n√£o necessariamente sabem o que voc√™ sabe. . Essa habilidade √© necess√°ria porque, quando as crian√ßas mentem, elas intencionalmente comunicam informa√ß√Ķes que diferem daquilo em que elas mesmas acreditam. ‚ÄĚ

Concorrência saudável

O Dr. Robert Garcia, psiquiatra infantil e adolescente do Providence Park Hospital em Novi, diz que os pais muitas vezes inconscientemente promovem a mentira.

“Se √© uma bela mentira branca, eles at√© incentivam a crian√ßa”, diz Garcia, com algo t√£o simples quanto o pai dizendo: “N√£o conte √† m√£e”. Se voc√™ deseja desencorajar a mentira, observe seu comportamento, ele diz. ‚ÄúTemos que ensinar as crian√ßas a se tornarem uma pessoa melhor. Queremos que eles sejam inteligentes, n√£o enganosos. ‚ÄĚ

No que diz respeito aos jogos, Herman acrescenta, é natural querer ganhar. Mas as crianças precisam aprender a ser justas.

“Temos que ensinar as crian√ßas a serem bons vencedores e perdedores e manter o foco na id√©ia do jogo”, que √© jogar e se divertir “se voc√™ ganha ou perde”, diz Herman. Se as crian√ßas est√£o tendo dificuldades para perder, talvez elas n√£o sejam maduras o suficiente para jogar esse jogo.

Embora tamb√©m seja natural que uma crian√ßa minta, Herman diz que os pais ainda podem disciplinar seu filho por mentir. “N√£o exagere muito nisso, mas deve haver uma consequ√™ncia com base na idade e no comportamento”.

Por exemplo, guarde o jogo e tente outro dia.

Mantenha a calma ao disciplinar, acrescenta Garcia. ‚ÄúAcalme-se, analise a situa√ß√£o e converse com a crian√ßa sobre isso.‚ÄĚ

E recompense as crian√ßas quando forem honestas. “Mais tarde na vida, quando forem confrontados com situa√ß√Ķes ainda mais dif√≠ceis, far√£o as escolhas certas”, diz Herman.

Arte por Swiss Cottage Designs