contador gratuito Skip to content

Anormalidades cerebrais podem ser mais comuns em casos graves de COVID-19 do que se pensava anteriormente

COVID-19

Os sintomas de COVID-19 s√£o muitos e os mais comuns s√£o dor de garganta, febre e dificuldade respirat√≥ria. Mas √† medida que a pandemia global se instalava em regi√Ķes e pa√≠ses, mais sintomas continuavam aparecendo. Juntamente com muitos outros sintomas do v√≠rus, como erup√ß√Ķes cut√Ęneas e dores musculares, os especialistas viram que muitos pacientes tamb√©m exibiam sintomas neurol√≥gicos. Reconhecendo isso, muitos cientistas em todo o mundo come√ßaram a estudar a tend√™ncia e descobriram que isso √© realmente verdade. Muitos especialistas revelaram recentemente que sintomas do sistema nervoso central, como dor de cabe√ßa, estado mental alterado, doen√ßa cerebrovascular aguda e epilepsia, est√£o se tornando comuns em pacientes com COVID-19 com complica√ß√Ķes graves. Leia tamb√©m – O papel da intelig√™ncia artificial na atual pandemia de COVID-19

Um estudo recente da Universidade de Istambul-Cerrahpasa mostrou que quase 50% de todos os pacientes com COVID-19, que estavam na unidade de terapia intensiva (UTI), tinham anormalidades cerebrais nas resson√Ęncias magn√©ticas. Isto foi publicado em Radiologia. Segundo os pesquisadores deste estudo, 6% dos pacientes em UTI sofrem AVC agudo. Outros 15% desenvolveram um estado mental alterado. Especialistas suspeitam que a tempestade de citocinas possa ter desempenhado um papel nisso. Eles dizem que evid√™ncias recentes ressaltam uma porcentagem relativamente alta de sintomas do sistema nervoso central. Isto √© especialmente verdade para pacientes com sintomas respirat√≥rios mais graves. Leia tamb√©m – Atualiza√ß√Ķes ao vivo do COVID-19: Casos na √ćndia aumentam para 2.16919 quando o n√ļmero de mortos chega a 6.075

O que dizem os especialistas

De um total de 235 pacientes que estavam recebendo atendimento em UTI, 50 ou 21% deles apresentavam sintomas neurol√≥gicos. Destes, 27 tiveram resson√Ęncia magn√©tica cerebral. Os pesquisadores observaram que 12 ou 44% apresentavam sintomas neurol√≥gicos agudos. Dez pacientes tamb√©m exibiram anormalidades do sinal FLAIR cortical, incluindo um sinal ponderado por difus√£o cortical aumentado com valores correspondentes de ADC baixos, desenvolvimento sutil de leptomen√≠ngeo e pontuam artefato de flora√ß√£o cortical. As anormalidades ocorreram em diferentes √°reas do c√©rebro, como o lobo frontal, parietal, lobo occipital, lobo temporal, c√≥rtex insular e giro cingulado. O principal diagn√≥stico diferencial para esse grupo de anormalidades √© a encefalite infecciosa ou autoimune, convuls√£o, hipoglicemia e hip√≥xia, que podem ser acompanhadas por micro-hemorragias corticais e quebra da barreira hematoencef√°lica. Leia tamb√©m – Use m√°scara facial durante o sexo em meio √† pandemia de COVID-19: algumas outras dicas para se manter seguro

Conclus√Ķes do estudo

Segundo os pesquisadores, ‚Äúcertas encefalites virais e autoimunes podem ter um padr√£o espec√≠fico de envolvimento que √© √ļtil para estabelecer uma lista diferencial. No entanto, o padr√£o de imagem inespec√≠fica em nossa s√©rie impede o diagn√≥stico espec√≠fico com base na resson√Ęncia magn√©tica.

Amostras de líquido cefalorraquidiano (LCR) foram coletadas em 5 de 10 pacientes com anormalidades no sinal cortical. Quatro deles apresentaram níveis elevados de proteínas, contagem de células, níveis de glicose, índice de IgG e albumina eram normais; enquanto o RT-PCR para o vírus do herpes simplex e o SARS-CoV-2, foram negativos.

Um total de 15 casos n√£o mostrou nenhum achado intracraniano agudo ou relacionado ao COVID-19 durante o exame de resson√Ęncia magn√©tica. Apesar das imagens negativas de resson√Ęncia magn√©tica, duas amostras de LCR retiradas desse grupo apresentaram n√≠veis elevados de prote√≠nas.

As condi√ß√Ķes de sa√ļde subjacentes tamb√©m podem ser um fator

Segundo os pesquisadores, alguns desses sintomas neurol√≥gicos tamb√©m podem ser causados ‚Äč‚Äčpor condi√ß√Ķes de sa√ļde subjacentes, como diabetes, estadias prolongadas na UTI e dificuldade respirat√≥ria com epis√≥dios de hip√≥xia. Esses sintomas neurol√≥gicos s√£o maiores em pacientes com complica√ß√Ķes respirat√≥rias mais graves.

Publicado em: 12 de maio de 2020 15h48.