Uso do questionário de regulação cognitiva emocional (ERQ)
Comportamento

Uso do questionário de regulação cognitiva emocional (ERQ)

Questionário de regulação da emoçãoImagem via Pxhere

Usada para descrever a capacidade de uma pessoa de lidar e responder a experi√™ncias emocionais, a regula√ß√£o emocional √© um conceito que est√° recebendo crescente interesse na pesquisa em sa√ļde mental e psicoterapia.

Independentemente da fonte, emo√ß√Ķes descontroladas t√™m o potencial de sair do controle e evoluir para situa√ß√Ķes e a√ß√Ķes infelizes e, √†s vezes, angustiantes.

Enquanto a maioria de n√≥s aplica uma variedade de estrat√©gias para se adaptar e lidar com situa√ß√Ķes estressantes, algumas dessas abordagens s√£o mais ben√©ficas do que outras.

A capacidade de identificar, entender e modificar a intensidade das emo√ß√Ķes √© essencial no desenvolvimento de respostas adaptativas, principalmente para as emo√ß√Ķes consideradas negativas.

O artigo a seguir examinar√° apenas alguns dos m√©todos pelos quais as estrat√©gias de regula√ß√£o emocional podem ser medidas e avaliadas, vers√Ķes adaptadas para uso em crian√ßas e adolescentes e orienta√ß√Ķes sobre como classificar e interpretar os resultados.

O que é o questionário de regulação emocional?

Embora as emo√ß√Ķes possam ser reguladas de v√°rias maneiras, a pesquisa sugere que algumas formas de regula√ß√£o da emo√ß√£o s√£o muito mais saud√°veis ‚Äč‚Äčdo que outras. O question√°rio de regula√ß√£o emocional (ERQ; Gross e John, 2003) foi desenvolvido para avaliar e medir duas estrat√©gias de regula√ß√£o emocional; A tend√™ncia constante de regular emo√ß√Ķes atrav√©s de reavalia√ß√£o cognitiva ou supress√£o expressiva.

Os entrevistados s√£o convidados a considerar declara√ß√Ķes sobre suas vidas emocionais, em particular sobre como as emo√ß√Ķes s√£o controladas ou reguladas. A reavalia√ß√£o cognitiva √© uma estrat√©gia adaptativa centrada no antecedente que afeta os est√°gios cognitivos iniciais da atividade emocional, de modo que a interpreta√ß√£o original de uma situa√ß√£o √© reavaliada (Ioannidis e Siegling, 2015).

Simplificando, a reavalia√ß√£o cognitiva est√° mudando fundamentalmente a maneira de pensar sobre eventos que podem gerar emo√ß√Ķes. Pesquisas indicam que o uso da reavalia√ß√£o cognitiva para regular emo√ß√Ķes est√° associado a padr√Ķes mais saud√°veis ‚Äč‚Äčde afeto, funcionamento social e bem-estar em compara√ß√£o com a supress√£o expressiva (Cutuli, 2014).

Por outro lado, a supressão expressiva é considerada um plano de ação desadaptativo, focado na resposta, implementado após uma resposta emocional já ter sido totalmente desenvolvida (Ioannidis e Siegling, 2015).

Como isso difere do questionário de regulação da emoção cognitiva?

A regula√ß√£o cognitiva das emo√ß√Ķes refere-se ao manuseio cognitivo e consciente de informa√ß√Ķes emocionalmente emocionantes (Garnefski, Kraaij & Spinhoven, 2001) e ajuda a controlar as emo√ß√Ķes durante ou ap√≥s a experi√™ncia de um evento adverso. Por exemplo, ao enfrentar uma situa√ß√£o estressante, pode-se estar inclinado a refletir e culpar ou aceitar ou reavaliar positivamente a situa√ß√£o (Garnefski & Kraaij, 2007).

O Question√°rio de Regula√ß√£o da Emo√ß√£o Cognitiva (CERQ; Garnefski et al., 2002) √© um question√°rio de 36 itens desenvolvido para capturar estrat√©gias para regular emo√ß√Ķes cognitivas de disposi√ß√£o est√°vel quando as pessoas experimentam experi√™ncias estressantes da vida (Feliu-Soler et al. , 2017).

Quando o ERQ se concentra na reavaliação cognitiva e supressão expressiva, o CERQ aborda os componentes auto-reguladores, conscientes e cognitivos da regulação emocional, distinguindo entre nove estratégias diferentes:

  • Culpar a si mesmo: a atribui√ß√£o causal de eventos negativos a si mesmo.
  • Outros culpados: a atribui√ß√£o causal de eventos adversos a outros.
  • Rumina√ß√£o: Pensar demais em emo√ß√Ķes e pensamentos associados a eventos negativos.
  • Catastrofiza√ß√£o: enfatiza explicitamente as consequ√™ncias de eventos negativos.
  • Coloque em perspectiva: relativize um evento negativo considerando o impacto ao longo do tempo.
  • Reorienta√ß√£o positiva: manter o foco em pensamentos agrad√°veis ‚Äč‚Äčap√≥s a ocorr√™ncia de eventos negativos.
  • Reavalia√ß√£o positiva: encontrar o lado positivo, criando significado positivo para eventos negativos.
  • Aceita√ß√£o: aceitar e n√£o mudar uma situa√ß√£o negativa ou as emo√ß√Ķes causadas.
  • Reorientar: pense em quais etapas a serem tomadas e como lidar com o evento negativo.

O CERQ permite que m√©dicos e pesquisadores medam uma gama mais ampla de estrat√©gias de regula√ß√£o emocional cognitiva com um √ļnico question√°rio.

Sobre o question√°rio de regula√ß√£o interpessoal das emo√ß√Ķes

At√© os √ļltimos anos, a pesquisa na √°rea concentrava-se quase exclusivamente nos pap√©is de regular emo√ß√Ķes intrapessoais e em como as respostas individuais ao estresse, desafios ou sofrimento emocional afetam seu bem-estar (Marroqun, Tennen e Stanton, 2017). Por outro lado, a regula√ß√£o das emo√ß√Ķes interpessoais se concentra em como as emo√ß√Ķes s√£o reguladas por meio de outras pessoas, sem os pr√≥prios esfor√ßos para obter essa regulamenta√ß√£o (Hofmann, 2014).

Como seres sociais, a express√£o e a regula√ß√£o das emo√ß√Ķes geralmente ocorrem interpessoalmente com outras pessoas de confian√ßa; Geralmente, procuramos a companhia de outras pessoas para revelar experi√™ncias emocionais (Barthel, Hay, Doan e Hofmann, 2018). A regula√ß√£o da emo√ß√£o interpessoal pode ser classificada de duas maneiras; intr√≠nseco, se as pessoas o usam para alterar suas pr√≥prias emo√ß√Ķes; e extr√≠nseco, se as pessoas o usam para mudar as emo√ß√Ķes dos outros.

O Questionário de Regulamento da Emoção Interpessoal (IERQ; Hofmann, Carpenter e Curtiss, 2016) é um questionário de auto-relato de 20 itens, composto pelos quatro fatores detalhados abaixo:

  1. Melhorando o efeito positivo Рprocurando outros para aumentar sentimentos de felicidade e alegria Рeu gosto de estar próximo dos outros quando estou animado para compartilhar minha alegria.
  2. Tomando a perspectiva – usar outras pessoas como um lembrete de que outras pessoas pioram – Ter pessoas que me lembram que outras s√£o piores me ajuda quando estou chateada.
  3. Alívio da dor Рprocurando conforto e simpatia nos outros Рprocuro outras pessoas para me oferecer compaixão quando estou chateado.
  4. Modelagem social – olhar para os outros para ver como eles poderiam lidar com uma determinada situa√ß√£o – me faz sentir melhor sabendo como os outros lidam com suas emo√ß√Ķes.

A escala de regulação da emoção

A Escala de Regula√ß√£o Emocional √© projetada para medir a tend√™ncia de regular emo√ß√Ķes atrav√©s da reavalia√ß√£o cognitiva e / ou supress√£o expressiva. Os itens da escala envolvem dois aspectos diferentes da vida emocional, a saber: experi√™ncia emocional e express√£o emocional.

Por exemplo, eu mantenho minhas emo√ß√Ķes para mim mesmo relacionadas √† express√£o emocional, enquanto uma afirma√ß√£o do tipo: Quando quero sentir emo√ß√Ķes mais positivas, mudo a maneira como penso sobre a situa√ß√£o que representa a experi√™ncia emocional.

A faceta de reavalia√ß√£o cognitiva consiste em seis declara√ß√Ķes, com quatro outras declara√ß√Ķes inclu√≠das na faceta de supress√£o expressiva.

Itens de reavaliação cognitiva:

  1. Quando quero sentir emo√ß√Ķes mais positivas (como alegria ou divers√£o), mudo o que estou pensando.
  2. Quando quero sentir menos emo√ß√Ķes negativas (como tristeza ou raiva), mudo o que estou pensando.
  3. Quando enfrento uma situação estressante, faço-me pensar sobre isso de uma maneira que me ajuda a manter a calma.
  4. Quando quero sentir emo√ß√Ķes mais positivas, mudo a maneira de pensar sobre a situa√ß√£o.
  5. Eu controlo minhas emo√ß√Ķes, mudando a maneira como penso sobre a situa√ß√£o em que estou.
  6. Quando quero sentir menos emoção negativa, mudo a maneira de pensar sobre a situação.

Artigos de supress√£o expressiva:

  1. Eu mantenho minhas emo√ß√Ķes para mim mesmo.
  2. Quando sinto emo√ß√Ķes positivas, tomo cuidado para n√£o express√°-las.
  3. Eu controlo minhas emo√ß√Ķes, n√£o as expressando.
  4. Quando sinto emo√ß√Ķes negativas, certifico-me de n√£o express√°-las.

Como funciona a pontuação?

O questionário de regulação emocional

As respostas dos entrevistados s√£o classificadas em uma escala Likert de 7 pontos, variando de 1 (discordo totalmente) a 7 (concordo totalmente). A pontua√ß√£o leva a m√©dia de todas as pontua√ß√Ķes em cada subescala de reavalia√ß√£o cognitiva e supress√£o expressiva.

Quanto maior a pontua√ß√£o, maior o uso dessa estrat√©gia de regula√ß√£o emocional espec√≠fica; pelo contr√°rio, as pontua√ß√Ķes mais baixas representam um uso menos frequente.

Questionário de regulação cognitiva da emoção

A pontua√ß√£o do question√°rio CERQ de 36 itens √© novamente simples. As nove estrat√©gias de regula√ß√£o da emo√ß√£o cognitiva s√£o medidas em uma escala Likert de 5 pontos, variando de 1 a 5, e as pontua√ß√Ķes s√£o obtidas calculando as pontua√ß√Ķes m√©dias que pertencem a uma subescala espec√≠fica.

Pontua√ß√Ķes mais altas na subescala indicam maior uso de uma estrat√©gia cognitiva espec√≠fica.

O questionário interpessoal de regulação da emoção

Todos os itens do Question√°rio de regulamento da emo√ß√£o interpessoal s√£o pontuados em uma escala de 5 pontos, de 1 (n√£o √© verdade para mim) a 5 (extremamente verdade para mim), fornecendo pontua√ß√Ķes em subescala para melhorar o efeito positivo, perspectiva, calma e modelagem social

Para descobrir a pontuação para:

Melhoria do efeito positivo: calcule a soma dos elementos 3, 6, 8, 13 e 18 Tomada de perspectiva: calcule a soma dos elementos 2, 7, 10, 14 e 17 Calmante: calcule a soma dos elementos 4, 9 , 12, 16 e 19 Modelagem social – Calcule a soma dos elementos 1, 5, 11, 15, 20.

Assim como na classifica√ß√£o dos outros question√°rios, as pontua√ß√Ķes mais altas nas subescalas indicam o maior uso dessa estrat√©gia espec√≠fica.

Outras avalia√ß√Ķes e testes de regula√ß√£o emocional

Dificuldades na escala de regula√ß√£o das emo√ß√Ķes (DERS; Gratz e Roemer, 2004)

A Escala de Dificuldade de Regulamenta√ß√£o da Emo√ß√£o cont√©m 36 itens classificados em uma escala de 5 pontos de 1 (quase nunca) a 5 (quase sempre) e foi desenvolvida para medir as dificuldades de regular emo√ß√Ķes em seis dimens√Ķes:

  1. Não aceitação de respostas emocionais
  2. Dificuldade em se envolver em comportamentos direcionados a objetivos
  3. Dificuldades de controle de impulso
  4. Falta de consciência emocional.
  5. Acesso limitado a estratégias eficazes de regulação emocional
  6. Falta de clareza emocional.

No DERS, pontua√ß√Ķes mais altas indicam mais dificuldades na regula√ß√£o das emo√ß√Ķes.

Questionário de habilidades de regulação da emoção (ERSQ; Grant, Salsman & Berking, 2018)

O Question√°rio de Habilidades de Regula√ß√£o Emocional √© uma medida de 27 itens de habilidades de regula√ß√£o emocional. O uso bem-sucedido de habilidades √© avaliado por nove subescalas; consci√™ncia, sentimentos, clareza, compreens√£o, modifica√ß√£o, aceita√ß√£o, toler√Ęncia, vontade de enfrentar situa√ß√Ķes angustiantes e auto-sufici√™ncia.

Regulação da emoção dos outros e do eu (EROS; Niven, Totterdell, Stride e Holman, 2011)

A escala EROS √© uma maneira eficaz de investigar diferen√ßas individuais no uso de uma ampla gama de estrat√©gias de regula√ß√£o emocional, fornecendo um meio melhor de identificar pessoas suscet√≠veis a conseq√ľ√™ncias psicol√≥gicas, fisiol√≥gicas e sociais negativas (Niven et al., 2011).

O EROS é composto de duas subescalas:

  1. Intr√≠nseco: mede os esfor√ßos para melhorar e / ou piorar suas pr√≥prias emo√ß√Ķes.
  2. Extr√≠nseco: mede os esfor√ßos para melhorar ou piorar as emo√ß√Ķes dos outros.

Dificuldades na regulação interpessoal da emoção (DIRE: Dixon-Gordon, Haliczer, Conkey e Whalen, 2018)

O DIRE foi desenvolvido como uma medida de regula√ß√£o de emo√ß√Ķes interpessoais desadaptativa e mostrou consist√™ncia interna, constru√ß√£o e validade preditiva (Dixon-Gordon et al., 2018).

O DIRE √© uma das medidas de autorrelato mais amplamente utilizadas dos d√©ficits de regula√ß√£o emocional e √© usado para avaliar as dificuldades na regula√ß√£o de emo√ß√Ķes relacionadas √† excita√ß√£o emocional, conscientiza√ß√£o, compreens√£o e aceita√ß√£o de emo√ß√Ķes, e a capacidade de agir da maneira desejada, independentemente das emo√ß√Ķes. (Gratz e Roemer, 2008).

Vers√Ķes secund√°rias desses question√°rios

Demonstrou-se que a regula√ß√£o emocional em crian√ßas afeta positivamente os comportamentos da sala de aula e o controle do comportamento. Wyman et al. (2010) descobriram que melhorar a regula√ß√£o das emo√ß√Ķes nas crian√ßas resultou em menos incidentes disciplinares, melhor controle de comportamento, menos problemas agressivos e perturbadores, comportamentos de aprendizagem nos trabalhos de casa e habilidades sociais dos pares e comportamentos mais assertivos.

Al√©m disso, as estrat√©gias de regula√ß√£o da emo√ß√£o est√£o relacionadas ao relato de sintomas de depress√£o, medo e preocupa√ß√£o (Garnefski et al., 2007). √Č claro que a regula√ß√£o das emo√ß√Ķes nas crian√ßas √© uma habilidade importante para avaliar e desenvolver, uma vez que v√°rias medidas de autorrelato foram projetadas para facilitar esse processo.

O questionário de regulação emocional para crianças e adolescentes (ERQCA; Gullone & Taffe, 2011)

O ERQ-CA é um questionário de relatório para crianças com 10 itens, baseado na versão original de Gross e John (2003) para adultos, considerado adequado para uso em crianças e adolescentes de 10 a 18 anos.

As revis√Ķes do ERQ incluem a simplifica√ß√£o do idioma dos itens, por exemplo, controlar minhas emo√ß√Ķes por n√£o express√°-las era considerado muito complicado para crian√ßas pequenas e, portanto, foi reformulado para controlar meus sentimentos por n√£o mostr√°-los.

Além disso, o comprimento da escala de resposta foi reduzido de uma escala Likert de 7 pontos para 5 pontos de 1 (discordo totalmente) a 5 (concordo totalmente).

Questionário de regulação da emoção cognitiva para crianças (CERQ-k; Garnefski, Rieffe, Jellesma, Meerum Terwogt e Kraaij, 2007)

O CERQ-k √© uma vers√£o adaptada de 36 itens do CERQ original, projetada para medir a regula√ß√£o cognitiva das emo√ß√Ķes em crian√ßas e adolescentes. O CERQ-k mede nove estrat√©gias de regula√ß√£o cognitiva emocional que as crian√ßas podem usar depois de experimentar eventos negativos da vida.

Enquanto o CERQ original foi considerado adequado para adultos e adolescentes com 12 anos ou mais, o CERQ-k foi constru√≠do para crian√ßas de 9 a 11 anos para melhor se adaptar √†s habilidades cognitivas das crian√ßas nessa faixa et√°ria (Garnefski et al., 2007) O formato de resposta do CERQ-k √© uma escala Likert de cinco pontos, de 1 (quase nunca) a 5 (quase sempre) e pode ser usado para obter pontua√ß√Ķes estrat√©gicas regulat√≥rias.

Como é a confiabilidade?

Questionário de regulação da emoção

Desde o seu desenvolvimento, o ERQ tem sido amplamente utilizado em estudos de regulação emocional e demonstrou boas propriedades psicométricas. Em particular, a medida demonstrou boa consistência interna e estabilidade temporal, confiabilidade teste-reteste e validade válida convergente e discriminante (Ioannidis & Siegling, 2015).

Al√©m disso, a validade de crit√©rio do ERQ foi examinada, revelando in√ļmeras associa√ß√Ķes com construtos relacionados ao funcionamento adaptativo e n√£o adaptativo. Por exemplo, maior avalia√ß√£o cognitiva est√° relacionada a maior afeto positivo, reparo do humor e satisfa√ß√£o com a vida. Em contraste, a supress√£o emocional est√° positivamente correlacionada com afeto negativo, depress√£o e falta de autenticidade (Gross e John, 2003).

Questionário de regulação cognitiva da emoção

Demonstrou-se que o CERQ possui boa validade de fator, propriedades discriminatórias e validade de construto. Além disso, todas as subescalas mostraram boa consistência interna (Garnefski, Baan e Kraaij, 2005).

As análises de componentes principais forneceram eficácia fatorial e atribuíram itens às subescalas, enquanto a confiabilidade teste-reteste das escalas foi boa com a maioria dos alfas acima de 0,80 (Garnefski & Spinhoven, 2001). O coeficiente alfa mínimo recomendado de Cronbach está entre 0,65 e 0,80.

O questionário interpessoal de regulação da emoção

O IERQ mostra excelentes propriedades psicométricas com coeficientes alfa de Cronbach entre 0,89 e 0,94 para todas as subescalas (Hofmann, Carpenter e Curtiss, 2016). Como nos outros questionários detalhados acima, o IERQ foi traduzido para vários idiomas e mostrou coeficientes de consistência interna entre 0,81 e 0,89 com fortes coeficientes de correlação teste-reteste (Gkda, Sorias, Kran e Ger, 2019) .

Esses achados sugerem que as vers√Ķes traduzidas do IERQ tamb√©m s√£o escalas confi√°veis ‚Äč‚Äče v√°lidas, com propriedades psicom√©tricas semelhantes √†s do original.

An√°lise de resultados.

O questionário de regulação emocional

Quanto maior a pontua√ß√£o, maior o uso de estrat√©gias de regula√ß√£o emocional; por outro lado, as pontua√ß√Ķes mais baixas representam um uso menos frequente de tais estrat√©gias. Gross e John (2003) descobriram que as pontua√ß√Ķes m√©dias para cada estrat√©gia eram as seguintes:

  • Reavalia√ß√£o cognitiva: homens – 4.6, mulheres – 4.61
  • Supress√£o expressiva: homens – 3,64, mulheres – 3,14

Certas suposi√ß√Ķes podem ser feitas a partir dos resultados. Por exemplo, o uso da reavalia√ß√£o cognitiva para regular emo√ß√Ķes resultou em conseq√ľ√™ncias mais afetivas, cognitivas e sociais em compara√ß√£o √† supress√£o expressiva.

Cutuli (2014) constatou que as pessoas que usam a estratégia de reavaliação cognitiva têm maior probabilidade de exibir comportamento interpessoal que é adequadamente focado na interação social. Por outro lado, aqueles com escores mais altos para supressão expressiva modificam o aspecto comportamental das respostas emocionais sem reduzir a experiência subjetiva e fisiológica da emoção negativa.

Questionário de regulação cognitiva da emoção

A partir dos resultados, v√°rias infer√™ncias podem ser feitas quanto √† regula√ß√£o cognitiva das emo√ß√Ķes. Por exemplo, mulheres com altos n√≠veis de auto-culpa t√™m 2,7 vezes mais chances de desenvolver depress√£o do que aquelas que n√£o se culpam (Killian, Cacciatore & Lacasse, 2011).

Uma maior tend√™ncia a ruminar tem sido associada negativamente a certos aspectos das intera√ß√Ķes sociais, elabora√ß√£o excessiva de informa√ß√Ķes negativas e melhoria da mem√≥ria de coleta para eventos negativos (Dias da Silva, Rusz, Postma-Nilsenov, 2018).

Garnefski e Kraaij (2006) descobriram que os maiores escores m√©dios foram encontrados para as estrat√©gias cognitivas de Planejamento Positivo e Reavalia√ß√£o Positiva. Desastres e outras culpas foram relatados para serem usados ‚Äč‚Äčcom menos frequ√™ncia.

Como guia, as pontua√ß√Ķes m√©dias para cada uma das estrat√©gias s√£o as seguintes:

  • Culpe a si mesmo – 2,96
  • Aceita√ß√£o – 3,53
  • Rumina√ß√£o – 3.72
  • Reorienta√ß√£o positiva – 3,53
  • Reorientar o planejamento – 3,89
  • Reavalia√ß√£o Positiva – 4,07
  • Colocando em perspectiva – 3,91
  • Catastrofiza√ß√£o – 2,43
  • Outros culpados – 2,69

Como obter esses question√°rios como arquivos PDF

Uma r√°pida pesquisa online produzir√° v√°rias vers√Ķes em PDF das medidas detalhadas acima; No entanto, se voc√™ deseja acessar os question√°rios e aprender mais sobre o desenvolvimento, valida√ß√£o e confiabilidade, √© uma boa id√©ia ir direto √† fonte, voc√™ pode encontrar uma lista das principais refer√™ncias abaixo.

IERQ РO Questionário de Regulamento da Emoção Interpessoal pode ser encontrado no Apêndice 1 de:

Hofmann, S.G., Carpenter, J.K. e Curtiss, J. (2016). Questionário interpessoal de regulação da emoção (IERQ): desenvolvimento de escala e características psicométricas. Terapia Cognitiva e Pesquisa, 40341356.

ERQ – Gross, J.J. e John, O.P. (2003). Diferen√ßas individuais em dois processos de regula√ß√£o emocional: implica√ß√Ķes para afetividade, relacionamentos e bem-estar. Revista de Personalidade e Psicologia Social, 85348-362.

CERQ e CERQ-k – Os PDFs CERQ e CERQ-k para fins de pesquisa podem ser acessados ‚Äč‚Äčdiretamente pelos autores da Universidade de Leiden, na Holanda. Saiba mais sobre o desenvolvimento do CERQ em:

Garnefski, N., Rieffe, C., Jellesma, F., Meerum Terwogt, M. e Kraaij, V. (2007). Estratégias cognitivas de regulação emocional e problemas emocionais em adolescentes: o desenvolvimento de um instrumento. Psiquiatria Europeia de Crianças e Adolescentes, 161-9.

DERS РO guia de medição e pontuação do DERS pode ser encontrado em:

Bjureberg, J., Ljtsson, B., Tull, M., Hedman, E. e Gratz, K. (2018). DERS-16 Medir e pontuar.

Uma mensagem para levar para casa

Um n√ļmero crescente de pesquisadores e profissionais reconhece a import√Ęncia de entender como as pessoas usam uma ampla gama de estrat√©gias para regular suas emo√ß√Ķes. Mesmo quando as emo√ß√Ķes parecem esmagadoras, √© essencial lembrar que essas emo√ß√Ķes ainda fornecem informa√ß√Ķes importantes.

Espero que, depois de ler este artigo, voc√™ tenha descoberto algumas informa√ß√Ķes e orienta√ß√Ķes √ļteis sobre como a regula√ß√£o emocional pode ser efetivamente mensurada desde a inf√Ęncia, a adolesc√™ncia e a idade adulta.

  • Barthel, A., Hay, A., Doan, S.N. e Hofmann, S. (2018). Regula√ß√£o da emo√ß√£o interpessoal: uma revis√£o dos componentes sociais e do desenvolvimento. Mudan√ßa de comportamento. 1-14.
  • Cutuli D. (2014). O papel da reavalia√ß√£o cognitiva e estrat√©gias de supress√£o expressiva na regula√ß√£o das emo√ß√Ķes: uma vis√£o geral de seus efeitos moduladores e correlatos neurais. Fronteiras em Neuroci√™ncia de Sistemas, 8175
  • Dias da Silva, M.R. Rusz, D., Postma-Nilsenov, M. (2018) Mentes reflexivas, mentes errante: efeitos da rumina√ß√£o e errante mental em associa√ß√Ķes lexicais, imita√ß√£o de tom e comportamento ocular. PLoS ONE 13, e0207578. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0207578
  • Dixon-Gordon, K.L., Haliczer, L. A., Conkey, L. C. e Whalen, D.J. (2018). Dificuldades na regula√ß√£o das emo√ß√Ķes interpessoais: desenvolvimento inicial e valida√ß√£o de uma medida de autorrelato. Jornal de Psicopatologia e Avalia√ß√£o Comportamental, 40528-549.
  • Feliu-Soler, A., Reche-Camba, E., Borrs, X., Prez-Aranda, A., Andrs-Rodrguez, L., Pearrubia-Mara, M. T. e Luciano, J. V. (2017). Propriedades psicom√©tricas do question√°rio de regula√ß√£o da emo√ß√£o cognitiva (CERQ) em pacientes com s√≠ndrome da fibromialgia. Fronteiras em psicologia, 82075
  • Garnefski, N. e Kraaij, V. (2006). Question√°rio de regula√ß√£o cognitiva das emo√ß√Ķes: desenvolvimento de uma vers√£o curta de 18 itens (CERQ-short). Personalidade e diferen√ßas individuais, 411045-1053.
  • Garnefski, N., Rieffe, C., Jellesma, F., Meerum Terwogt, M. e Kraaij, V. (2007). Estrat√©gias cognitivas de regula√ß√£o emocional e problemas emocionais em adolescentes: o desenvolvimento de um instrumento. Psiquiatria Europeia da Crian√ßa e do Adolescente, 16, 1-9.
  • Giromini, L., de Campora, G., Brusadelli, E., D‚ÄôOnofrio, E., Zennaro, A., Zavattini, G. C. e Lang, M. (2016). Validade e confiabilidade do question√°rio de compet√™ncia interpessoal: evid√™ncias emp√≠ricas de um estudo italiano. Jornal de Psicopatologia e Avalia√ß√£o Comportamental, 38113-123.
  • Gkda, C., Sorias, O. Kran, S. e Ger, S. (2019). Adapta√ß√£o do question√°rio de regula√ß√£o emocional interpessoal √† l√≠ngua turca e investiga√ß√£o de suas propriedades psicom√©tricas. Revista Turca de Psiquiatria, 3057-66.
  • Grant, M., Salsman, N.L. e Berking, M. (2018). Avaliando o uso bem-sucedido de habilidades de regula√ß√£o emocional: desenvolvimento e valida√ß√£o de uma vers√£o em ingl√™s do question√°rio de habilidades de regula√ß√£o emocional. PloS one, 13(10), e0205095. doi: 10.1371 / journal.pone.0205095
  • Gratz, K.L. e Roemer, L. (2004). Avalia√ß√£o multidimensional da regula√ß√£o e desregula√ß√£o de emo√ß√Ķes: desenvolvimento, estrutura fatorial e valida√ß√£o inicial de dificuldades na escala de regula√ß√£o de emo√ß√Ķes. Revista de avalia√ß√£o comportamental da psicopatologia, 264154.
  • Gross, J.J. e John, O.P. (2003). Diferen√ßas individuais em dois processos de regula√ß√£o emocional: implica√ß√Ķes para afetividade, relacionamentos e bem-estar. Revista de Personalidade e Psicologia Social, 85348-362.
  • Gross, J.J. (2015). Regula√ß√£o da emo√ß√£o: estado atual e perspectivas futuras. Consulta psicol√≥gica, 26126
  • Gullone, E. e Taffe, J. (2011). Question√°rio de regula√ß√£o emocional para crian√ßas e adolescentes (ERQCA): uma avalia√ß√£o psicom√©trica. Avalia√ß√£o psicol√≥gica. Publica√ß√£o antecipada online. doi: 10.1037 / a0025777.
  • Hofmann, S.G. (2014). Modelo de regula√ß√£o da emo√ß√£o interpessoal de transtornos de humor e ansiedade. Terapia cognitiva e pesquisa, 38483492.
  • Hofmann, S.G., Carpenter, J.K. e Curtiss, J. (2016). Question√°rio interpessoal de regula√ß√£o da emo√ß√£o (IERQ): desenvolvimento de escala e caracter√≠sticas psicom√©tricas. Terapia Cognitiva e Pesquisa, 40, 341356. doi: 10.1007 / s10608-016-9756-2.
  • Ioannidis, C. A. e Siegling, A. B. (2015). Crit√©rio e validade incremental do question√°rio de regula√ß√£o emocional. Fronteras en psycholog√≠a, 6, 247. doi: 10.3389 / fpsyg.2015.00247
  • Killian, M., Cacciatore, J. e Lacasse, J. (2011). Os efeitos da auto-culpa na ansiedade e depress√£o entre as mulheres que tiveram um natimorto. (Confer√™ncia). A 15¬™ Confer√™ncia Anual da Sociedade de Servi√ßo Social e Pesquisa: Novos horizontes para a pesquisa em servi√ßo social.
  • Marroqun, B., Tennen, H. e Stanton, L.A. (2017). Coping, regula√ß√£o da emo√ß√£o e bem-estar: processos intrapessoais e interpessoais. Em M. Robinson e M. Eid (Eds). A mente feliz: contribui√ß√Ķes cognitivas para o bem-estar. Springer International Publishing.
  • Niven, Karen e Totterdell, Peter e Stride, Chris e Holman, David. (2011) Regula√ß√£o da emo√ß√£o dos outros e de si mesmo (EROS): o desenvolvimento e a valida√ß√£o de uma nova medida da diferen√ßa individual. Psicologia atual. 30. 53-73.
  • Wyman, P. A., Cross, W., Hendricks Brown, C., Yu, Q., Tu, X. e Eberly, S. (2010). Interven√ß√£o para fortalecer a auto-regula√ß√£o emocional em crian√ßas com problemas emergentes de sa√ļde mental. Revista Anormal de Psicologia Infantil, 38707720.

Table of Contents