Um terço das meninas com 4.0 GPAs acha que não é inteligente o suficiente

Um terço das meninas com 4.0 GPAs acha que não é inteligente o suficiente

elenaleonova / Getty Images

Como m√£e de duas filhas adolescentes, tento acompanhar o que elas sentem por si mesmas. Como m√£e, me esfor√ßo para mostrar a eles o que significa ser uma mulher confiante e segura de si. Como feminista, anseio que elas saibam o seu valor e n√£o tenham medo de brilhar sua luz √ļnica no mundo.

Alguns dias, eu sinto como se estivesse atingindo todas essas marcas. E outros dias, eu me preocupo que, não importa o que eu faça, as mensagens sutis, porém difundidas da sociedade, sobre meninas e mulheres estão afogando minha influência.

Minha filha deve se formar na faculdade comunitária com seu diploma de AA nos 17 anos de idade. Ela tira boas notas. Ela está na lista de reitores. Por todas as medidas acadêmicas, ela é uma garota inteligente e inteligente.

E, no entanto, ela ainda duvida de si mesma. Quando ela se sente frustrada, shell me pergunta se eu acho que ela é inteligente. Eu estou sempre pasmo com esta pergunta. Como uma garota que está no meio da faculdade aos 17 anos pode se perguntar se é inteligente?

Mas, aparentemente, ela não está sozinha. Uma pesquisa com quase 11.000 meninas americanas entre 10 e 18 anos descobriu que muitas meninas perdem a confiança à medida que envelhecem. De fato, um terço das meninas que têm uma média de 4,0 pontos não se considera suficientemente inteligente para o emprego dos seus sonhos.

Por que os alunos diretos n√£o se sentem inteligentes o suficiente para os empregos dos seus sonhos? As garotas com excelentes notas simplesmente t√™m padr√Ķes super altos? Ou muitos desses empregos dos sonhos ainda s√£o t√£o dominados por homens que as garotas duvidam que conseguir√£o entrar?

Eu me pergunto sobre esse fen√īmeno com minha filha de 17 anos. Os dois campos de carreira est√£o mais interessados ‚Äč‚Äčem buscar a arquitetura e a composi√ß√£o musical dos filmes ainda s√£o campos altamente dominados por homens. Apesar das boas notas e da impressionante capacidade musical, a escassez de modelos femininos nessas carreiras a faz duvidar de si mesma? Ela sente que ela ter√° que ser n√£o apenas inteligente, mas extremamente superextraordinariamente excepcional, a fim de faz√™-lo em um desses campos como mulher?

Ver esse cen√°rio se desenrolar com minha pr√≥pria filha me faz pensar se esse pode ser o caso de outras meninas cujos empregos dos sonhos se enquadram em categorias em que as mulheres est√£o sub-representadas. Programa√ß√£o de computador, engenharia, cirurgia, finan√ßas, pol√≠tica e muito mais ainda s√£o √°reas amplamente dominadas por homens. Se as meninas est√£o pensando em carreiras nesses campos, elas sentem que ter√£o que estar acima e al√©m qualificadas para conseguir os empregos que desejam? √Č poss√≠vel.

A pesquisa tamb√©m apontou quest√Ķes al√©m da percep√ß√£o das meninas sobre sua pr√≥pria intelig√™ncia. Entre as meninas com o maior GPA, 62% disseram que n√£o compartilham sua opini√£o ou discordam dos outros porque querem ser apreciadas. A maioria tamb√©m disse que gosta de estar no comando, mas muitos evitam os pap√©is de lideran√ßa porque n√£o querem ser considerados mand√Ķes.

Estou tentando desesperadamente pensar em uma √ļnica vez em que ouvi um adolescente adolescente ou adolescente se preocupar em ser visto como mand√£o demais se eles assumissem uma posi√ß√£o de lideran√ßa. √Č verdade que nem tudo se resume ao g√™nero, mas tenho um palpite de que poucos homens se preocupam em ser inteligentes o suficiente para faz√™-lo tamb√©m em um campo de carreira dominado por mulheres.

Como pais, podemos fazer muito para ajudar nossas filhas a se verem fortes, inteligentes e capazes. Mas precisamos lembrar que, apesar de termos percorrido um longo caminho, ainda est√°vamos travando uma batalha dif√≠cil com nossas filhas. Alguns deles seguir√£o carreiras que exigir√£o que sejam mulheres pioneiras, e nem toda garota deseja essa press√£o. Mesmo que possuam intelig√™ncia e habilidade, podem n√£o se considerar bons o suficiente para competir em um campo dominado por homens. Seja porque eles n√£o veem mulheres o suficiente em seus empregos dos sonhos, porque pensam que as qualidades que os tornariam bem-sucedidos tamb√©m os tornam antip√°ticos, ou porque simplesmente t√™m padr√Ķes irreais, algo precisa mudar nas mensagens que as meninas est√£o recebendo.

Quando um terço das alunas diretas A acha que não são inteligentes o suficiente para o emprego dos seus sonhos, temos algum trabalho para doar apenas mães de meninas, mas todos nós.