Tratamento de esquizofrenia e auto-ajuda

Tratamento de esquizofrenia e auto-ajuda

A recuperação da esquizofrenia é possível. Essas dicas de tratamento e de auto-ajuda podem ajudá-lo a gerenciar sintomas, viver e trabalhar de forma independente, construir relacionamentos satisfatórios e desfrutar de uma vida gratificante.

Esquizofrenia: Nova esperança de recuperação

Obter um diagnóstico de esquizofrenia pode ser devastador. Você pode estar lutando para pensar com clareza, gerenciar suas emoções, se relacionar com outras pessoas ou até funcionar normalmente. Mas ter esquizofrenia não significa que você não pode viver uma vida plena e significativa. Apesar do equívoco generalizado de que pessoas com esquizofrenia não têm chance de recuperação ou melhora, a realidade é muito mais esperançosa. Embora atualmente não exista cura para a esquizofrenia, você pode tratá-la e gerenciá-la com medicamentos, estratégias de autoajuda e terapias de suporte.

Como a esquizofrenia geralmente é episódica, os períodos de remissão dos sintomas mais graves geralmente oferecem uma boa oportunidade para começar a empregar estratégias de autoajuda que podem ajudar a limitar a duração e a frequência de episódios futuros. Um diagnóstico de esquizofrenia não é uma sentença de prisão perpétua de sintomas e hospitalizações cada vez maiores. De fato, você tem mais controle sobre sua recuperação do que provavelmente imagina.

A maioria das pessoas com esquizofrenia melhora ao longo do tempo, não pior. Para cada cinco pessoas que desenvolvem esquizofrenia:

  • Um vai melhorar dentro de cinco anos após experimentar seus primeiros sintomas.
  • Três melhorarão, mas ainda terão momentos em que seus sintomas pioram.
  • Um continuará a ter sintomas problemáticos.

O que significa recuperação da esquizofrenia?

Lidar com a esquizofrenia é um processo ao longo da vida. A recuperação não significa que você não terá mais desafios da doença ou que estará sempre livre de sintomas. O que isso significa é que você está aprendendo a gerenciar seus sintomas, desenvolvendo o suporte necessário e criando uma vida satisfatória e orientada a objetivos.

Um plano de tratamento para esquizofrenia que combina medicação com autoajuda, serviços de suporte e terapia é a abordagem mais eficaz.

Fatos encorajadores sobre esquizofrenia

  • A esquizofrenia é tratável. Atualmente, não há cura para a esquizofrenia, mas a doença pode ser tratada e gerenciada com sucesso. A chave é ter um forte sistema de apoio e obter o tratamento e a auto-ajuda certos para suas necessidades.
  • Você pode desfrutar de uma vida gratificante e significativa. Com o tratamento certo, a maioria das pessoas com esquizofrenia é capaz de ter relacionamentos satisfatórios, trabalhar ou realizar outras atividades significativas, fazer parte de sua comunidade e aproveitar a vida.
  • Só porque você tem esquizofrenia, não significa que você terá que ser hospitalizado. Se você está recebendo o tratamento certo e se mantém fiel a ele, é muito menos provável que experimente uma situação de crise que exija hospitalização.
  • A maioria das pessoas com esquizofrenia melhora. Muitas pessoas com esquizofrenia recuperam o funcionamento normal e até ficam livres de sintomas. Independentemente dos desafios que você enfrenta atualmente, sempre há esperança.

Dica 1: envolva-se em tratamento e auto-ajuda

Quanto mais cedo você pegar esquizofrenia e começar o tratamento com um profissional de saúde mental experiente, maiores serão suas chances de ficar e ficar bem. Portanto, se você suspeitar que você ou um ente querido esteja apresentando sintomas de esquizofrenia, procure ajuda imediatamente.

O tratamento bem sucedido da esquizofrenia depende de uma combinação de fatores. Medicação sozinha não é suficiente. É importante também educar-se sobre a doença, comunicar-se com seus médicos e terapeutas, criar um forte sistema de apoio, tomar medidas de auto-ajuda e seguir seu plano de tratamento. Buscar estratégias de auto-ajuda, como mudar sua dieta, aliviar o estresse e buscar apoio social, pode não parecer uma ferramenta eficaz para lidar com um distúrbio tão desafiador como a esquizofrenia, mas pode ter um efeito profundo na frequência e na gravidade dos sintomas. como você se sente e aumente sua auto-estima. E quanto mais você se ajudar, menos desesperado e desamparado se sentirá, e mais provável seu médico poderá reduzir sua medicação.

Embora o tratamento da esquizofrenia deva ser individualizado para suas necessidades específicas, você deve sempre ter voz no processo de tratamento e suas necessidades e preocupações devem ser respeitadas. O tratamento funciona melhor quando você, sua família e sua equipe médica trabalham juntos.

Sua atitude em relação ao tratamento da esquizofrenia é importante

Aceite seu diagnóstico. Por mais perturbador que possa ser o diagnóstico de esquizofrenia, a decisão de assumir um papel proativo no tratamento e na auto-ajuda é crucial para sua recuperação. Isso significa fazer mudanças no estilo de vida saudável, tomar medicamentos prescritos e comparecer a consultas médicas e terapêuticas.

Não aceite o estigma da esquizofrenia. Muitos medos sobre a esquizofrenia não são baseados na realidade. Leve sua doença a sério, mas não acredite no mito de que você não pode melhorar. Associe-se a pessoas que veem além do seu diagnóstico, a pessoa que você realmente é.

Comunique-se com seu médico. Ajude seu médico a garantir que você esteja recebendo o tipo e a dose certos de medicamento. Seja honesto e aberto sobre os efeitos colaterais, preocupações e outros problemas de tratamento.

Prosseguir a auto-ajuda e a terapia que ajudam a gerenciar os sintomas. Não dependa apenas de medicamentos. Estratégias de auto-ajuda podem ajudá-lo a gerenciar sintomas e recuperar uma sensação de controle sobre sua saúde e bem-estar. A terapia de suporte pode ensiná-lo a desafiar crenças ilusórias, ignorar vozes em sua cabeça, proteger contra recaídas e motivar-se a perseverar com tratamento e auto-ajuda.

Estabeleça e trabalhe em direção aos objetivos da vida. Ter esquizofrenia não significa que você não pode trabalhar, ter relacionamentos ou viver uma vida gratificante. Defina metas de vida significativas para si mesmo além da doença.

Obtendo um diagnóstico

O primeiro passo para o tratamento da esquizofrenia é obter um diagnóstico correto. Isso nem sempre é fácil, pois os sintomas da esquizofrenia podem se assemelhar aos causados ​​por outros problemas de saúde mental e física. Além disso, pessoas com esquizofrenia podem acreditar que nada está errado e resistir a ir ao médico.

Devido a esses problemas, é melhor consultar um psiquiatra com experiência na identificação e tratamento da esquizofrenia, em vez de um médico de família.

Dica 2: fique ativo

Além de proporcionar todos os benefícios emocionais e físicos, o exercício regular pode até ajudar a controlar os sintomas da esquizofrenia. A menos que você esteja enfrentando um episódio psicótico, ficar fisicamente ativo é algo que você pode fazer agora para melhorar seu foco, aliviar o estresse, fornecer mais energia, ajudar a dormir e fazer você se sentir mais calmo.

Você não precisa se tornar um fanático por fitness ou ingressar em uma academia. Em vez disso, encontre uma atividade física de que goste e faça 30 minutos de movimento na maioria dos dias. Se for mais fácil, três sessões de 10 minutos podem ser igualmente eficazes. O exercício rítmico que envolve os braços e as pernas, como caminhar, correr, nadar ou dançar, pode ser especialmente eficaz para acalmar o sistema nervoso. Em vez de focar em seus pensamentos, tente se concentrar em como seu corpo se sente enquanto você se move, como seus pés atingem o chão, por exemplo, o ritmo da sua respiração ou a sensação do vento em sua pele.

Dica 3: procure o suporte presencial

Conectar-se cara a cara com os outros é a maneira mais eficaz de acalmar o sistema nervoso e aliviar o estresse. Como o estresse pode desencadear a psicose e piorar os sintomas da esquizofrenia, mantê-lo sob controle é extremamente importante. Encontre alguém com quem você possa se conectar cara a cara regularmente, com quem você possa conversar por um período ininterrupto e que o ouvirá sem julgar, criticar ou se distrair continuamente.

Além de ajudar a aliviar o estresse, ter o apoio de outras pessoas pode fazer uma enorme diferença nas perspectivas de esquizofrenia. Quando as pessoas que se preocupam com você estão envolvidas no seu tratamento, é mais provável que você obtenha independência e evite recaídas.

Maneiras de encontrar suporte

Ligue para amigos e familiares confiáveis. Seus entes queridos podem ajudá-lo a obter o tratamento certo, manter seus sintomas sob controle e funcionar bem em sua comunidade. Pergunte aos entes queridos se você pode chamá-los em momentos de necessidade. A maioria das pessoas ficará lisonjeada com o seu pedido de suporte.

Fique envolvido com os outros. Se você puder continuar trabalhando ou estudando, faça-o. Caso contrário, siga uma paixão, cultive um novo hobby ou seja voluntário para ajudar outras pessoas, animais ou causas importantes para você. Além de mantê-lo conectado, ajudar os outros pode lhe dar um senso de propósito e aumentar sua auto-estima.

Conheça novas pessoas. Participar de um grupo de apoio à esquizofrenia pode ajudá-lo a conhecer outras pessoas que lidam com os mesmos desafios e aprender dicas importantes de enfrentamento. Ou envolva-se com uma igreja, clube ou outra organização local.

Encontre um ambiente de vida favorável. Pessoas com esquizofrenia geralmente funcionam melhor quando conseguem ficar em casa, cercadas por membros da família que apoiam. Se essa não é uma opção viável para você, muitas comunidades oferecem instalações residenciais e de tratamento. Procure um ambiente de vida estável, que faça você se sentir seguro e que permita seguir seus planos de tratamento e de auto-ajuda.

Aproveite os serviços de suporte em sua área. Pergunte ao seu médico ou terapeuta sobre os serviços disponíveis em sua região ou entre em contato com hospitais e clínicas de saúde mental, ou consulte a seção de linhas diretas e suporte abaixo para obter links para serviços de suporte.

Dica 4: gerenciar o estresse

O estresse diário de viver com um distúrbio emocional desafiador como a esquizofrenia pode ser desgastante. Altos níveis de estresse também aumentam a produção do hormônio cortisol, que pode desencadear episódios psicóticos. Além de exercitar-se e manter-se conectado socialmente, existem várias etapas que você pode seguir para reduzir seus níveis de estresse:

Conheça seus limites, em casa e no trabalho ou na escola. Não assuma mais do que você pode aguentar e reserve um tempo para si mesmo se sentir-se oprimido.

Use técnicas de relaxamento para aliviar o estresse. Técnicas como meditação da atenção plena, respiração profunda ou relaxamento muscular progressivo podem freiar o estresse e trazer a mente e o corpo de volta ao estado de equilíbrio.

Gerencie suas emoções. Compreender e aceitar emoções, especialmente aquelas que a maioria de nós tenta ignorar, pode fazer uma enorme diferença em sua capacidade de gerenciar o estresse, equilibrar seu humor e manter o controle de sua vida. Consulte o Kit de ferramentas de inteligência emocional do HelpGuide.

Dica 5: Cuide-se

Fazer mudanças simples no estilo de vida pode ter um enorme impacto na maneira como você se sente e nos sintomas.

Tente dormir bastante. Quando você toma medicação, provavelmente precisa de ainda mais sono do que as 8 horas padrão. Muitas pessoas com esquizofrenia têm problemas com o sono, mas fazer exercícios regularmente, reduzir o açúcar em sua dieta e evitar a cafeína pode ajudar.

Evite álcool e drogas. Pode ser tentador tentar automedicar os sintomas da esquizofrenia com drogas e álcool. Mas o abuso de substâncias complica o tratamento da esquizofrenia e só piora os sintomas. Se você tiver um problema de abuso de substâncias, procure ajuda.

Coma uma dieta saudável e equilibrada. Comer refeições regulares e nutritivas pode ajudar a evitar psicose e outros sintomas de esquizofrenia provocados por mudanças substanciais nos níveis de açúcar no sangue. Minimize o açúcar e os carboidratos refinados, alimentos que rapidamente levam a um colapso no humor e na energia. Aumente a ingestão de ácidos graxos ômega-3 de peixes gordurosos, óleo de peixe, nozes e sementes de linhaça para ajudar a melhorar o foco, banir a fadiga e equilibrar seu humor.

Dica 6: Entenda o papel da medicação

Se você foi diagnosticado com esquizofrenia, certamente receberá remédios antipsicóticos. Os dois principais grupos de medicamentos usados ​​para o tratamento da esquizofrenia são os antipsicóticos mais antigos ou “típicos” e os mais novos medicamentos antipsicóticos “atípicos”. É importante entender que a medicação é apenas um componente do tratamento da esquizofrenia.

A medicação não é uma cura para a esquizofrenia e trata apenas alguns dos sintomas. Medicamentos antipsicóticos reduzem sintomas psicóticos, como alucinações, delírios, paranóia e pensamentos desordenados. Mas é muito menos útil no tratamento de sintomas de esquizofrenia, como retraimento social, falta de motivação e falta de expressividade emocional.

Você não deve ter que tolerar efeitos colaterais desabilitantes. A medicação para esquizofrenia pode ter efeitos muito desagradáveis ​​e até prejudiciais, como sonolência, falta de energia, movimentos incontroláveis, ganho de peso e disfunção sexual. Sua qualidade de vida é importante, então converse com seu médico se você estiver incomodado com efeitos colaterais.

Nunca reduza ou interrompa os medicamentos por conta própria.

Alterações posológicas súbitas ou não supervisionadas são perigosas e podem desencadear uma recaída da esquizofrenia ou outras complicações. Se você estiver tendo problemas com seu medicamento ou sentir que não precisa tomá-lo, converse com seu médico ou outra pessoa em quem confie.

Autores: Melinda Smith, M.A., Lawrence Robinson e Jeanne Segal, Ph.D. Última atualização: novembro de 2019.