contador gratuito Skip to content

Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC)

Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC)

Os pensamentos obsessivos e os comportamentos compulsivos est√£o interferindo no seu dia a dia? Explore os sintomas, tratamento e auto-ajuda para o TOC.

O que é transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)?

√Č normal, ocasionalmente, voltar e verificar se o ferro est√° desconectado ou se preocupar com a possibilidade de estar contaminado por germes ou at√© com um pensamento violento e desagrad√°vel ocasional. Mas se voc√™ sofre de transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), pensamentos obsessivos e comportamentos compulsivos se tornam t√£o consumistas que interferem com sua vida di√°ria. O TOC √© um dist√ļrbio de ansiedade caracterizado por pensamentos indesej√°veis ‚Äč‚Äče incontrol√°veis ‚Äč‚Äče comportamentos repetitivos ritualizados que voc√™ se sente compelido a realizar. Se voc√™ tem TOC, provavelmente reconhece que seus pensamentos obsessivos e comportamentos compulsivos s√£o irracionais, mas, mesmo assim, sente-se incapaz de resistir a eles e se libertar.

Como uma agulha que fica presa em um disco antigo, o TOC faz com que o cérebro fique preso a um determinado pensamento ou desejo. Por exemplo, você pode verificar o fogão 20 vezes para ter certeza de que está realmente desligado, porque tem medo de incendiar sua casa ou lavar as mãos até que sejam esfregadas por medo de germes. Embora você não tenha nenhum senso de prazer ao realizar esses comportamentos repetitivos, eles podem oferecer algum alívio passageiro para a ansiedade gerada pelos pensamentos obsessivos.

Voc√™ pode tentar evitar situa√ß√Ķes que desencadeiam ou pioram seus sintomas ou se automedicam com √°lcool ou drogas. Mas, embora possa parecer que n√£o h√° como escapar de suas obsess√Ķes e compuls√Ķes, h√° muitas coisas que voc√™ pode fazer para se libertar de pensamentos indesejados e impulsos irracionais e recuperar o controle de seus pensamentos e a√ß√Ķes.

Obsess√Ķes e compuls√Ķes do TOC

Obsess√Ķes s√£o pensamentos, imagens ou impulsos involunt√°rios que ocorrem repetidamente em sua mente. Voc√™ n√£o quer ter essas id√©ias, mas n√£o pode det√™-las. Infelizmente, esses pensamentos obsessivos costumam ser perturbadores e perturbadores.

Compuls√Ķes s√£o comportamentos ou rituais que voc√™ sente que deve agir repetidas vezes. Geralmente, as compuls√Ķes s√£o realizadas na tentativa de fazer desaparecer as obsess√Ķes. Por exemplo, se voc√™ tem medo de contamina√ß√£o, pode desenvolver rituais de limpeza elaborados. No entanto, o al√≠vio nunca dura. De fato, os pensamentos obsessivos geralmente voltam mais fortes. E os rituais e comportamentos compulsivos frequentemente acabam causando ansiedade √† medida que se tornam mais exigentes e demorados. Este √© o ciclo vicioso do TOC.

A maioria das pessoas com TOC se enquadra em uma das seguintes categorias:

  • Arruelas t√™m medo de contamina√ß√£o. Eles geralmente t√™m compuls√Ķes de limpeza ou lavagem das m√£os.
  • jogo de damas verifique repetidamente as coisas (forno desligado, porta trancada etc.) que eles associam a danos ou perigos.
  • Duvidadores e pecadores temem que, se tudo n√£o estiver perfeito ou bem feito, algo terr√≠vel acontecer√° ou eles ser√£o punidos.
  • Contadores e arranjadores s√£o obcecados com ordem e simetria. Eles podem ter supersti√ß√Ķes sobre certos n√ļmeros, cores ou arranjos.
  • Acumuladores medo de que algo ruim aconte√ßa se jogarem algo fora. Eles acumulam compulsivamente coisas que n√£o precisam ou usam. Eles tamb√©m podem sofrer de outros dist√ļrbios, como depress√£o, TEPT, compra compulsiva, cleptomania, TDAH, picada de pele ou dist√ļrbios de tique.

Sinais e sintomas de TOC

S√≥ porque voc√™ tem pensamentos obsessivos ou realiza comportamentos compulsivos, N√ÉO significa que voc√™ tem transtorno obsessivo-compulsivo. Com o TOC, esses pensamentos e comportamentos causam tremenda ang√ļstia, demoram muito tempo (pelo menos uma hora por dia) e interferem em sua vida e relacionamentos di√°rios.

A maioria das pessoas com transtorno obsessivo-compulsivo tem obsess√Ķes e compuls√Ķes, mas algumas experimentam apenas uma ou outra.

Pensamentos obsessivos comuns no TOC incluem:

  • Medo de ser contaminado por germes ou sujeira ou contaminar outros
  • Medo de perder o controle e prejudicar a si ou aos outros
  • Pensamentos e imagens sexualmente expl√≠citos ou violentos intrusivos
  • Foco excessivo em id√©ias religiosas ou morais
  • Medo de perder ou n√£o ter coisas que voc√™ pode precisar
  • Ordem e simetria: a id√©ia de que tudo deve se alinhar “exatamente”
  • Supersti√ß√Ķes; aten√ß√£o excessiva a algo considerado sorte ou azar

Os comportamentos compulsivos comuns no TOC incluem:

  • Verifica√ß√£o excessiva de itens, como bloqueios, eletrodom√©sticos e comutadores
  • Verificar repetidamente os entes queridos para garantir que eles estejam seguros
  • Contar, tocar, repetir certas palavras ou fazer outras coisas sem sentido para reduzir a ansiedade
  • Passar muito tempo lavando ou limpando
  • Encomendar ou organizar as coisas “exatamente assim”
  • Orar excessivamente ou participar de rituais desencadeados pelo medo religioso
  • Acumular “lixo”, como jornais velhos ou recipientes vazios de comida

Sintomas de TOC em crianças

Enquanto o aparecimento do transtorno obsessivo-compulsivo geralmente ocorre durante a adolesc√™ncia ou a idade adulta jovem, as crian√ßas mais jovens √†s vezes apresentam sintomas semelhantes ao TOC. No entanto, os sintomas de outros dist√ļrbios, como TDAH, autismo e s√≠ndrome de Tourette, tamb√©m podem parecer transtorno obsessivo-compulsivo; portanto, um exame m√©dico e psicol√≥gico completo √© essencial antes que qualquer diagn√≥stico seja feito.

Dica 1 de auto-ajuda do TOC: identifique seus gatilhos

O primeiro passo para gerenciar os sintomas do TOC √© reconhecer os gatilhos dos pensamentos ou situa√ß√Ķes que provocam suas obsess√Ķes e compuls√Ķes. Registre uma lista dos gatilhos que voc√™ experimenta todos os dias e das obsess√Ķes que eles provocam. Avalie a intensidade do medo ou ansiedade que voc√™ experimentou em cada situa√ß√£o e, em seguida, as compuls√Ķes ou estrat√©gias mentais usadas para aliviar sua ansiedade. Por exemplo, se voc√™ tem medo de ser contaminado por germes, tocar em uma grade no shopping pode gerar uma intensidade de medo de 3, enquanto tocar no piso do banheiro pode gerar 10 e exigir 15 minutos de lavagem das m√£os para facilitar ansiedade.

Manter o controle de seus gatilhos pode ajudá-lo a antecipar seus desejos. E antecipando seus desejos compulsivos antes que eles surjam, você pode ajudar a aliviá-los. Por exemplo, se seu comportamento compulsivo envolver a verificação de portas trancadas, janelas fechadas ou aparelhos desligados, tente trancar a porta ou desligar o aparelho com atenção extra na primeira vez.

  • Crie uma imagem mental s√≥lida e fa√ßa uma anota√ß√£o mental. Diga a si mesmo: ‚ÄúA janela est√° fechada agora‚ÄĚ ou ‚ÄúVejo que o forno est√° desligado‚ÄĚ.
  • Quando o desejo de verificar surgir mais tarde, voc√™ achar√° mais f√°cil rotul√°-lo como “apenas um pensamento obsessivo”.

A identifica√ß√£o e o registro dos gatilhos tamb√©m fornece uma ferramenta importante para aprender a resistir √†s compuls√Ķes do TOC.

Dica 2: Aprenda a resistir √†s compuls√Ķes do TOC

Pode parecer inteligente evitar as situa√ß√Ķes que acionam seus pensamentos obsessivos, mas quanto mais voc√™ os evita, mais assustadores eles se sentem. Por outro lado, expondo-se repetidamente aos seus gatilhos do TOC, voc√™ pode aprender a resistir ao desejo de concluir seus rituais compulsivos. Isso √© conhecido como preven√ß√£o de exposi√ß√£o e resposta (ERP) e √© um dos pilares da terapia profissional para o TOC.

O ERP exige que voc√™ se exponha repetidamente √† fonte de sua obsess√£o e depois se abstenha do comportamento compulsivo que costuma realizar para reduzir sua ansiedade. Se voc√™ √© um lavador de m√£os compulsivo, por exemplo, isso pode significar tocar a ma√ßaneta da porta em um banheiro p√ļblico e depois n√£o se permitir lavar as m√£os. Ao se sentar com a ansiedade, o desejo de lavar as m√£os gradualmente come√ßar√° a desaparecer por conta pr√≥pria. Dessa forma, voc√™ aprender√° que n√£o precisa do ritual para se livrar da ansiedade e que tem algum controle sobre seus pensamentos obsessivos e comportamentos compulsivos.

Lidar com seus maiores medos imediatamente pode ser muito extremo, ent√£o os exerc√≠cios de ERP come√ßam com voc√™ enfrentando medos menores e depois subindo na escada do medo. Confronte as situa√ß√Ķes que geram uma baixa intensidade de medo e, quando voc√™ √© capaz de tolerar a ansiedade, pode passar para o pr√≥ximo desafio de exposi√ß√£o mais dif√≠cil.

Construindo sua escada do medo. Pense em seu objetivo final (poder usar um banheiro p√ļblico sem medo de contamina√ß√£o, por exemplo, ou dirigir para o trabalho sem parar para verificar se atingiu alguma coisa) e, em seguida, desmonte as etapas necess√°rias para alcan√ßar esse objetivo. Usando as informa√ß√Ķes que voc√™ registrou ao identificar seus gatilhos, fa√ßa uma lista de situa√ß√Ķes, das menos assustadoras √†s mais assustadoras. O primeiro passo deve deix√°-lo um pouco ansioso, mas n√£o t√£o assustado que voc√™ fique muito intimidado para tentar.

Exemplo de escada do medo

Objetivo: Dirigir para o trabalho sem parar para verificar se você atingiu algo
Intensidade do medo Situação
10 Dirija até o trabalho sem parar para verificar se atingiu alguma coisa
8 N√£o ligue para o seu c√īnjuge para verificar se ele conseguiu trabalhar com seguran√ßa
6 Saia de casa, tranque a porta da frente e v√° embora sem verificar
4 Desligue o fog√£o e saia da sala sem verificar
2 Coloque o leite na geladeira sem verificar se o topo est√° seguro

Usando sua escada do medo

Suba a escada de trabalho. Comece com o primeiro passo e n√£o siga em frente at√© come√ßar a se sentir mais confort√°vel com isso. Se poss√≠vel, permane√ßa na situa√ß√£o por tempo suficiente para diminuir sua ansiedade. Quanto mais tempo voc√™ se exp√Ķe ao seu gatilho do TOC, mais se acostuma a ele e menos ansioso se sente ao enfrent√°-lo na pr√≥xima vez. Depois de dar um passo em v√°rias ocasi√Ķes separadas sem sentir muita ansiedade, voc√™ pode passar para o pr√≥ximo passo. Se um passo for muito dif√≠cil, divida-o em passos menores ou v√° mais devagar.

Enquanto voc√™ est√° resistindo √†s suas compuls√Ķes, concentre-se nos sentimentos de ansiedade. Em vez de tentar se distrair, sinta-se ansioso ao resistir ao desejo de se envolver em seu comportamento compulsivo. Voc√™ pode acreditar que o desconforto que est√° sentindo continuar√° at√© voc√™ se envolver na compuls√£o. Mas se voc√™ continuar com isso, a ansiedade desaparecer√°. E voc√™ perceber√° que n√£o perder√° o controle ou sofrer√° algum tipo de colapso se n√£o realizar o ritual.

Pr√°tica. Quanto mais voc√™ pratica, mais r√°pido ser√° o seu progresso. Mas n√£o se apresse. V√° em um ritmo que voc√™ possa gerenciar sem se sentir sobrecarregado. E lembre-se: voc√™ se sentir√° desconfort√°vel e ansioso ao enfrentar seus medos, mas os sentimentos s√£o apenas tempor√°rios. Cada vez que voc√™ se exp√Ķe ao seu gatilho, sua ansiedade diminui e voc√™ come√ßa a perceber que tem mais controle (e menos medo) do que pensava.

Dica 3: desafie pensamentos obsessivos

Todo mundo tem pensamentos ou preocupa√ß√Ķes preocupantes de tempos em tempos. Mas o transtorno obsessivo-compulsivo faz com que o c√©rebro fique preso a um determinado pensamento que provoca ansiedade, fazendo com que ele se repita v√°rias vezes na sua cabe√ßa. Quanto mais desagrad√°vel ou angustiante for o pensamento, maior a probabilidade de voc√™ tentar reprimi-lo. Mas reprimir pensamentos √© quase imposs√≠vel e tentar normalmente tem o efeito oposto, fazendo com que o pensamento desagrad√°vel ressurja com mais frequ√™ncia e se torne mais inc√īmodo.

Assim como ocorre com a resist√™ncia √†s compuls√Ķes, voc√™ pode superar pensamentos perturbadores e obsessivos aprendendo a toler√°-los por meio de exerc√≠cios de preven√ß√£o de exposi√ß√£o e resposta. Tamb√©m √© importante lembrar a si mesmo que s√≥ porque voc√™ tem um pensamento desagrad√°vel, isso n√£o faz de voc√™ uma pessoa m√°. Seus pensamentos s√£o apenas pensamentos. Mesmo pensamentos indesejados, intrusivos ou violentos s√£o normais, apenas a import√Ęncia que voc√™ atribui a eles que os transforma em obsess√Ķes prejudiciais.

As estratégias a seguir podem ajudá-lo a ver seus pensamentos sobre o que são e recuperar um senso de controle sobre sua mente ansiosa.

Anote seus pensamentos obsessivos. Mantenha um bloco de notas e l√°pis sobre voc√™ ou digite em um smartphone. Quando voc√™ come√ßar a ficar obcecado, anote todos os seus pensamentos ou compuls√Ķes.

  • Continue escrevendo enquanto os impulsos do TOC continuam, com o objetivo de registrar exatamente o que voc√™ est√° pensando, mesmo se estiver repetindo as mesmas frases ou os mesmos impulsos repetidamente.
  • Escrever tudo o ajudar√° a ver o qu√£o repetitivas s√£o suas obsess√Ķes.
  • Escrever a mesma frase ou insistir centenas de vezes ajudar√° a perder seu poder.
  • Anotar pensamentos √© um trabalho muito mais dif√≠cil do que simplesmente pens√°-los, portanto √© prov√°vel que seus pensamentos obsessivos desapare√ßam mais cedo.

Crie um per√≠odo de preocupa√ß√£o com o TOC. Em vez de tentar suprimir obsess√Ķes ou compuls√Ķes, desenvolva o h√°bito de reagend√°-las.

  • Escolha um ou dois per√≠odos de preocupa√ß√£o de 10 minutos por dia, tempo que voc√™ pode dedicar √† obsess√£o.
  • Durante o per√≠odo de preocupa√ß√£o, concentre-se apenas em pensamentos ou impulsos negativos. N√£o tente corrigi-los. No final do per√≠odo de preocupa√ß√£o, respire fundo algumas vezes, deixe os pensamentos obsessivos desaparecerem e retorne √†s suas atividades normais. O resto do dia, no entanto, deve ser designado como livre de obsess√Ķes.
  • Quando pensamentos surgirem em sua cabe√ßa durante o dia, anote-os e adie-os para o per√≠odo de preocupa√ß√£o.

Desafie seus pensamentos obsessivos. Use seu período de preocupação para desafiar pensamentos negativos ou intrusivos, perguntando-se:

  • Qual √© a evid√™ncia de que o pensamento √© verdadeiro? Isso n√£o √© verdade? Confundi um pensamento com um fato?
  • Existe uma maneira mais positiva e realista de encarar a situa√ß√£o?
  • Qual √© a probabilidade de que o que eu tenho medo realmente aconte√ßa? Se a probabilidade for baixa, quais s√£o os resultados mais prov√°veis?
  • O pensamento √© √ļtil? Como a obsess√£o por isso vai me ajudar e como vai me machucar?
  • O que eu diria a um amigo que tivesse esse pensamento?

Crie uma fita com suas obsess√Ķes ou pensamentos intrusivos no TOC. Concentre-se em um pensamento ou obsess√£o espec√≠fica e grave-o em um gravador ou smartphone.

  • Recorde a frase, frase ou hist√≥ria obsessiva exatamente como ela vem √† sua mente.
  • Reproduza a fita para si mesmo, repetidamente, por um per√≠odo de 45 minutos todos os dias, at√© que ouvir a obsess√£o n√£o fa√ßa com que voc√™ se sinta altamente angustiado.
  • Ao enfrentar continuamente sua preocupa√ß√£o ou obsess√£o, voc√™ gradualmente ficar√° menos ansioso. Voc√™ pode repetir o exerc√≠cio para uma obsess√£o diferente.

Dica 4: entre em contato com o suporte

O TOC pode piorar quando voc√™ se sente impotente e sozinho, por isso √© importante construir um sistema de suporte forte. Quanto mais conectado voc√™ estiver com outras pessoas, menos vulner√°vel se sentir√°. E apenas conversar com uma pessoa compreensiva sobre suas preocupa√ß√Ķes e impulsos pode faz√™-la parecer menos amea√ßadora.

Mantenha-se conectado √† fam√≠lia e aos amigos. Obsess√Ķes e compuls√Ķes podem consumir sua vida ao ponto de isolamento social. Por sua vez, o isolamento social agravar√° os sintomas do TOC. √Č importante investir em relacionamento com a fam√≠lia e amigos. Conversar cara a cara sobre suas preocupa√ß√Ķes e desejos pode faz√™-los parecer menos reais e menos amea√ßadores.

Participe de um grupo de suporte do TOC. Você não está sozinho em sua luta com o TOC, e participar de um grupo de apoio pode ser um lembrete eficaz disso. Os grupos de apoio do TOC permitem que você compartilhe suas próprias experiências e aprenda com outras pessoas que enfrentam os mesmos problemas.

Dica 5: gerenciar o estresse

Embora o estresse não cause TOC, ele pode desencadear sintomas ou piorá-los. O exercício físico e a conexão com outra pessoa face a face são duas maneiras muito eficazes de acalmar o sistema nervoso. Você também pode:

Acalma-se rapidamente e alivia os sintomas de ansiedade fazendo uso de um ou mais de seus sentidos f√≠sicos: vis√£o, olfato, audi√ß√£o, tato, movimento do paladar ou gosto. Voc√™ pode tentar ouvir uma pe√ßa de m√ļsica favorita, olhar uma foto valiosa, saborear uma x√≠cara de ch√° ou acariciar um animal de estima√ß√£o.

Pratique técnicas de relaxamento. A meditação consciente, o yoga, a respiração profunda e outras técnicas de relaxamento podem ajudar a diminuir o estresse geral e os níveis de tensão, além de ajudar a gerenciar seus impulsos. Para melhores resultados, tente praticar uma técnica de relaxamento regularmente.

Dica 6: faça mudanças no estilo de vida para facilitar o TOC

Um estilo de vida saud√°vel e equilibrado desempenha um papel importante no al√≠vio da ansiedade e na manuten√ß√£o de compuls√Ķes, medos e preocupa√ß√Ķes no TOC.

Pratique exerc√≠cios regularmente. O exerc√≠cio √© um tratamento anti-ansiedade natural e eficaz que ajuda a controlar os sintomas do TOC, reorientando sua mente quando surgem pensamentos obsessivos e compuls√Ķes. Para obter o m√°ximo benef√≠cio, tente obter 30 minutos ou mais de atividade aer√≥bica na maioria dos dias. Dez minutos v√°rias vezes ao dia podem ser t√£o eficazes quanto um per√≠odo mais longo, especialmente se voc√™ prestar aten√ß√£o ao processo de movimenta√ß√£o.

Durma o suficiente. N√£o apenas a ansiedade e a preocupa√ß√£o podem causar ins√īnia, mas a falta de sono tamb√©m pode exacerbar pensamentos e sentimentos de ansiedade. Quando voc√™ est√° bem descansado, √© muito mais f√°cil manter seu equil√≠brio emocional, um fator chave para lidar com dist√ļrbios de ansiedade como o TOC.

Evite álcool e nicotina. O álcool reduz temporariamente a ansiedade e a preocupação, mas na verdade causa sintomas de ansiedade à medida que desaparece. Da mesma forma, embora possa parecer que os cigarros estão se acalmando, a nicotina é realmente um poderoso estimulante. Fumar leva a níveis mais altos, e não mais baixos, de ansiedade e sintomas de TOC.

Tratamento para TOC

A terapia cognitivo-comportamental é o tratamento mais eficaz para o transtorno obsessivo-compulsivo e geralmente envolve dois componentes:

  1. Prevenção de exposição e resposta, que requer exposição repetida à fonte de sua obsessão, conforme explicado acima.
  2. Terapia cognitiva, que se concentra nos pensamentos catastr√≥ficos e no senso exagerado de responsabilidade que voc√™ sente. Uma grande parte da terapia cognitiva para o TOC √© ensinar maneiras saud√°veis ‚Äč‚Äče eficazes de responder a pensamentos obsessivos, sem recorrer a comportamentos compulsivos.

Outros tratamentos de TOC

Al√©m da terapia cognitivo-comportamental, os seguintes tratamentos tamb√©m s√£o usados ‚Äč‚Äčpara o TOC:

Medicamento. √Äs vezes, os antidepressivos s√£o usados ‚Äč‚Äčem conjunto com a terapia para o tratamento do transtorno obsessivo-compulsivo. No entanto, a medica√ß√£o sozinha raramente √© eficaz no al√≠vio dos sintomas.

Terapia de fam√≠lia. Como o TOC costuma causar problemas na vida familiar e no ajuste social, a terapia familiar pode ajudar a promover a compreens√£o do dist√ļrbio e reduzir os conflitos familiares. Tamb√©m pode motivar os membros da fam√≠lia e ensin√°-los a ajudar a pessoa amada com o TOC.

Terapia de Grupo. Através da interação com colegas que sofrem de TOC, a terapia de grupo fornece apoio e incentivo e diminui os sentimentos de isolamento.

O trauma n√£o resolvido est√° desempenhando um papel no seu TOC?

Em algumas pessoas, sintomas de TOC, como lavagem ou acumulação compulsiva, são formas de lidar com o trauma. Se você tem TOC pós-traumático, as abordagens cognitivas podem não ser eficazes até que os problemas traumáticos subjacentes sejam resolvidos.

Como ajudar alguém com TOC

A maneira como você reage aos sintomas de TOC de seu ente querido pode ter um grande impacto em suas perspectivas e recuperação. Comentários ou críticas negativas podem piorar o TOC, enquanto um ambiente calmo e favorável pode ajudar a melhorar o resultado do tratamento.

Evite fazer críticas pessoais. Lembre-se de que os comportamentos de TOC do seu ente querido são sintomas, não falhas de caráter.

Não repreenda alguém com TOC nem diga a ele para parar de realizar rituais. Eles não podem obedecer, e a pressão para parar só piorará os comportamentos.

Seja o mais gentil e paciente possível. Cada sofredor precisa superar os problemas no seu próprio ritmo. Elogie qualquer tentativa bem-sucedida de resistir ao TOC e concentre a atenção em elementos positivos na vida da pessoa.

N√£o brinque com os rituais de seus entes queridos. Seguir as regras do TOC de seus entes queridos ou ajudar com suas compuls√Ķes ou rituais apenas refor√ßar√° o comportamento. Apoie a pessoa, n√£o suas compuls√Ķes.

Mantenha a comunicação positiva e clara. A comunicação é importante para que você possa encontrar um equilíbrio entre apoiar o seu ente querido e enfrentar os sintomas do TOC e não perturbar ainda mais o seu ente querido.

Encontre o humor. Rir juntos do lado engra√ßado e do absurdo de alguns sintomas do TOC pode ajudar seu ente querido a se desapegar do dist√ļrbio. Apenas certifique-se de que seu ente querido se sinta respeitado e participe da piada.

Não deixe o TOC assumir a vida em família. Sente-se em família e decida como trabalhará em conjunto para combater os sintomas da pessoa amada. Tente manter a vida familiar o mais normal possível e a casa em um ambiente de baixo estresse.

Autores: Melinda Smith, M.A., Lawrence Robinson e Jeanne Segal, Ph.D. Última atualização: outubro de 2019.