contador gratuito Saltar al contenido

Tome precauções extras, pois o dano placentário do COVID-19 é um risco real para as mulheres grávidas

covid-19

Houve relatos conflitantes sobre o efeito do COVID-19 em mulheres grávidas. Mas, os dados até revelam que há uma baixa taxa de infecção entre as mulheres grávidas. Mas agora um novo estudo da Northwestern Medicine diz que esta doença pode causar lesões na placenta. Isso tem sérias implicações. Este é o maior estudo para examinar a saúde das placentas em mulheres que deram positivo para COVID-19. As placentas de 16 mulheres que apresentaram resultado positivo para COVID-19 durante a gravidez mostraram evidências de lesão, de acordo com exames patológicos concluídos diretamente após o nascimento. Leia também – O papel da inteligência artificial na atual pandemia de COVID-19

O tipo de lesão observada nas placentas mostra fluxo sanguíneo anormal entre as mães e seus bebês no útero, apontando para uma nova complicação do COVID-19. As descobertas, embora precoces, podem ajudar a informar como as mulheres grávidas devem ser monitoradas clinicamente durante a pandemia. O jornal American Journal of Clinical Pathology publicou este estudo. Leia também – Atualizações ao vivo do COVID-19: Casos na Índia aumentam para 2.16919 quando o número de mortos chega a 6.075

Anormalidades descobertas

Os pesquisadores observam duas anormalidades comuns na placenta dos pacientes: fluxo sanguíneo insuficiente da mãe para o feto com vasos sanguíneos anormais chamados de má perfusão vascular materna (MVM) e coágulos sanguíneos na placenta, chamados trombos intervilares. Em casos normais de MVM, a pressão arterial da mãe é mais alta que o normal. Essa condição é normalmente observada em mulheres com pré-eclâmpsia ou hipertensão. Curiosamente, apenas um dos 15 pacientes deste estudo apresentou pré-eclâmpsia ou hipertensão. Leia também – Use máscara facial durante o sexo em meio à pandemia de COVID-19: algumas outras dicas para se manter seguro

Segundo os pesquisadores, “Existe um consenso emergente de que existem problemas com a coagulação e lesão dos vasos sanguíneos em pacientes com COVID-19”. Eles suspeitam que possa haver algo de formação de coágulo no coronavírus, e isso está acontecendo na placenta.

As mulheres grávidas precisam ser monitoradas de perto

De acordo com pesquisadores da Northwestern University Feinberg School of Medicine, “a maioria desses bebês foi entregue a termo após gestações normais, então você não esperaria encontrar nada de errado com as placentas, mas esse vírus parece estar induzindo alguma lesão na placenta. a placenta. ” Acrescentam ainda que não parece induzir resultados negativos em bebês nascidos vivos. Mas valida a ideia de que mulheres com COVID devem ser monitoradas mais de perto.

Esse monitoramento aumentado pode vir na forma de testes não estressantes, que examinam o quão bem a placenta está fornecendo oxigênio ou ultra-sonografias de crescimento, que medem se o bebê está crescendo a uma taxa saudável. Os pesquisadores dizem que os resultados são significativos. Eles concordam que a necessidade da hora é melhor monitorar as mulheres grávidas.

Como o dano placentário pode afetar o resultado da gravidez

A placenta transporta oxigênio e nutrientes da corrente sanguínea da mãe para o feto. É responsável por muitas das alterações hormonais no corpo da mãe também. Segundo os especialistas, ele atua como um ventilador para o feto. Qualquer dano a ele pode levar a resultados negativos.

Precauções para mulheres grávidas

Se você estiver grávida, precisará tomar precauções extras. Lave as mãos com freqüência e pratique o distanciamento social. Evite o contato com outras pessoas, tanto quanto possível. Tire suas vacinas e não ignore nenhum sintoma de doença respiratória. Se você pegar um resfriado, use um lenço de papel quando tossir ou espirrar. Jogue o lenço de papel no lixo e lave as mãos logo depois. Não negligencie as consultas pré-natais.

Publicado: 28 de maio de 2020 13:44