Tenho tricotilomania e minha vida foi consumida pela busca de 'Stop Pulling'

Tenho tricotilomania e minha vida foi consumida pela busca de ‘Stop Pulling’

Tenho tricotilomania e minha vida foi consumida pela busca de 'Stop Pulling'

Cortesia de Sarena Jonah

Nunca esquecerei a primeira vez que percebi que era diferente de muitos dos meus colegas. Talvez tivesse oito anos e mostrei a um amigo essa caixinha branca que eu usava para guardar alguns dos cílios que eu arrancava.

“Isso n√£o √© normal”, disse meu amigo com os olhos arregalados. Eu sabia que meu recente pux√£o de c√≠lios era novo e diferente para mim, mas ainda n√£o tinha percebido que n√£o era necessariamente normal. Eu n√£o descobriria por mais seis anos que o que eu vinha fazendo tinha um nome, tricotilomania, que √© um dist√ļrbio de puxar os cabelos, caracterizado pelo puxar repetitivo dos cabelos.

Embora seja frequentemente referido como um dist√ļrbio obsessivo-compulsivo, a tricotilomania √© classificada como um dist√ļrbio de controle de impulsos. A √°rea da qual uma pessoa com tricotilomania puxa varia de acordo com a pessoa; Venho puxando meus c√≠lios desde os sete ou oito anos de idade e minhas sobrancelhas desde os 11 ou 12 anos. De acordo com a Funda√ß√£o TLC para comportamentos repetitivos com foco no corpo, 1 ou 2 em cada 50 pessoas experimentam tricotilomania durante a vida.

Como eu tenho me exercitado nos √ļltimos 24 anos da minha vida, eu realmente n√£o me lembro da vida antes de Trich. Embora eu tenha me tornado mais receptivo √† doen√ßa √† medida que envelheci, a vida com tricotilomania nem sempre foi f√°cil. Aprendi desde tenra idade como os outros cru√©is, julgadores e antip√°ticos podem ser em rela√ß√£o a coisas que eles n√£o entendem ou os deixam desconfort√°veis. Lidei com xingamentos e bullying de colegas, assim como vergonha e desaprova√ß√£o da fam√≠lia e entes queridos.

Desde que me lembro, ‚Äúparar de puxar‚ÄĚ sempre foi meu objetivo n√ļmero um em qualquer lista de objetivos que eu j√° criei. Sempre medi meu valor inteiro com base nesse objetivo e senti que nunca poderia ser verdadeiramente inteiro, digno ou bem-sucedido sem antes alcan√ßar o objetivo de ser completamente livre de pux√Ķes. Essas id√©ias foram perpetuadas pelos coment√°rios usuais que eu estava acostumado a ouvir desde tenra idade: por que voc√™ n√£o para, voc√™ s√≥ precisa de mais for√ßa de vontade, mas voc√™ seria t√£o bonita com p√™los faciais, √© estranho.

Cortesia de Sarena Jonah

Quando eu e meu marido come√ßamos a tentar nosso primeiro filho, decidi que queria parar de puxar os cabelos pela 2.000¬™ vez. Na √©poca, senti que meu dist√ļrbio atrapalhava minha capacidade de ser uma boa m√£e. Puxar cabelos sempre consumiu muito do meu tempo e energia, tanto f√≠sica quanto emocionalmente, e eu n√£o conseguia imaginar um mundo onde pudesse ser uma m√£e atenta e mentalmente est√°vel eum puxador de cabelo ao mesmo tempo.

Como a vergonha foi uma das minhas primeiras emo√ß√Ķes aprendidas com a tricotilomania, eu tamb√©m disse a mim mesma que meus futuros filhos mereciam uma m√£e normal que n√£o puxava os p√™los faciais (eu ri agora pensando no que eu havia dito a mim mesma que uma m√£e normal deveria ser; eu sei agora n√£o existe tal coisa).Uma m√£e que realmente amava seus filhos parava de puxar, Eu costumava dizer a mim mesma. Uma parte de mim tamb√©m temia que eu transmitisse genes indesej√°veis ‚Äč‚Äčaos meus filhos e, por sua vez, que eles tamb√©m pudessem sofrer o mesmo destino de puxar os cabelos.

Quando engravidei de Maverick, eu tinha sobrancelhas parciais e, embora estivesse puxando ativamente, meu puxão não estava em um estado fora de controle. De puxar completamente e quase não ter pêlos faciais, puxar apenas algumas vezes e ter alguns pêlos faciais durante esta fase, até parar completamente com quase um conjunto completo de sobrancelhas e cílios, a gravidade do meu puxar sempre variou ao longo dos anos. Embora meu puxar não tenha sido o pior, eu tinha um objetivo de me tornar completamente livre de puxar antes do nascimento de nosso filho. Com o estresse regular e os altos e baixos da gravidez, eu rapidamente percebi que parar completamente seria mais difícil do que eu pensava.

Quando Maverick nasceu, eu consegui aumentar minhas sobrancelhas e c√≠lios para cerca de 3/4 do seu potencial de crescimento (digo potencial de crescimento porque meus p√™los faciais n√£o voltam a crescer completamente ap√≥s o dano causado pelos pux√Ķes de cabelo nos fol√≠culos capilares). os anos). Como sempre puxei mais em per√≠odos de maior estresse na minha vida, n√£o demorou muito tempo depois do nascimento dele que comecei a puxar em tempo integral novamente.

Tudo come√ßou inocentemente, com minhas m√£os vagando pelo meu rosto durante nossas sess√Ķes de amamenta√ß√£o, muitas vezes longas e estressantes. Antes que eu percebesse, eu n√£o tinha sobrancelhas ou c√≠lios e voltei a arrega√ßar as sobrancelhas em tempo integral novamente. Uma noite em particular, solu√ßava para meu marido sobre como meus pux√Ķes haviam ficado fora de controle novamente e como eu tinha vergonha de n√£o poder parar de puxar por causa de Maverick. Durante a minha gravidez, pensei ingenuamente que ele iria, e devemos, seja a motiva√ß√£o que eu precisava para parar de puxar de uma vez por todas. Uma m√£e que realmente amava seus filhos parava de puxar. Era um absurdo para mim que eu pudesse olhar para o rosto de um beb√™ que eu amava mais do que a pr√≥pria vida e pular na frente de um trem, mas eu n√£o conseguia parar de puxar meu cabelo para ele.

Cortesia de Sarena Jonah

Durante nossa conversa, meu marido me perguntou: Quais são os motivos pelos quais você deseja parar de puxar mais agora que é mãe?

Comecei a listar meus motivos: n√£o quero que meus filhos me vejam puxar porque n√£o quero que eles desenvolvam o h√°bito, receio que eles pensem que sou fraco e receio que tenham vergonha e vergonha de mim por isso. Com meu √ļltimo argumento, Adam perguntou: Voc√™ est√° preocupado que os amigos deles os provoquem sobre isso ou algo assim? (Essa pergunta veio de um genu√≠no ponto de confus√£o sobre o que eu quis dizer sobre minha preocupa√ß√£o de que eles ficassem embara√ßados).

Eu pensei muito sobre esta quest√£o. Percebi que n√£o estava nem um pouco preocupada com outras crian√ßas provocando Maverick por sua m√£e n√£o ter sobrancelhas ou c√≠lios. Por um lado, vivemos o tempo de microblading, tatuagem de maquiagem e maquiagem ousada; se foram os dias em que uma mulher que desenha as sobrancelhas √© chocante ou diferente. Segundo, e se eu pudesse usar meu cabelo puxando como um momento de aprendizado para meus filhos e escrever minhas pr√≥prias regras sobre o que isso significa para minha vida? S√≥ porque aprendi a atribuir vergonha e vergonha ao meu dist√ļrbio n√£o significa que tenho que ensinar meus filhos a fazer o mesmo.

Uma l√Ęmpada se acendeu na minha cabe√ßa e minha tristeza se transformou em motiva√ß√£o, mas desta vez n√£o foi motiva√ß√£o para parar de puxar. Em vez disso, fiquei motivado a usar o dist√ļrbio como momentos futuros de aprendizado para meus filhos. Sempre foi importante para mim modelar inclus√£o, aceita√ß√£o, empatia e compaix√£o pelos outros e que, por sua vez, meus filhos fa√ßam o mesmo.

Meu filho ainda √© jovem, com apenas tr√™s anos, ent√£o ainda tenho um tempo antes que ele comece a fazer perguntas sobre por que n√£o tenho sobrancelhas ou c√≠lios. Quando ele pergunta, quero dizer a ele que cada pessoa neste mundo √© diferente e tem algo sobre elas que as torna √ļnicas √† sua maneira. Quero que ele saiba que n√£o importa se algu√©m n√£o tem sobrancelhas, uma sobrancelha espessa ou sobrancelhas roxas, porque somos todos muito mais do que aparentamos do lado de fora. Quero que ele saiba que a mam√£e n√£o √© perfeita e tem coisas que ela quer aprender e melhorar tamb√©m. Ele ouvir√° que eu me amo, mesmo que haja coisas que gostaria de mudar sobre mim. Acima de tudo, quero que ele saiba que sempre ser√° amado e aceito por exatamente quem ele tamb√©m √©.