contadores Saltar al contenido

Segredos antigos para criar uma vida feliz

Quando falamos de felicidade na vida moderna, podemos estar nos referindo à sensação que sentimos após a primeira lambida de uma deliciosa casquinha de sorvete ou ao passar uma tarde com bons amigos. Esse modo de pensar a felicidade como prazer sugere que é um estado emocional, subjetivo, suscetível à experiência momento a momento que estamos tendo.

Embora se sentir bem faça parte da felicidade, algumas antigas escolas de pensamento definiram a felicidade de maneira mais ampla. Em particular, Aristóteles acreditava que o objetivo final da vida humana era um conceito de gregos antigos chamado eudaimonia. A palavra é frequentemente traduzida como "felicidade", mas mais provavelmente significa "florescimento humano" ou "uma vida boa". Em vez de uma emoção ou humor temporário, a eudaimonia é melhor avaliada perguntando: "Pelo que quero ser lembrada quando minha vida acabar?"

A receita de Aristóteles para viver uma vida boa era exercer a virtude: Ser gentil, humilde, sábio e honesto em nossas ações, de forma consistente. Ser uma boa pessoa, em outras palavras, é a receita para uma vida feliz.

Virtudes universais

A psicologia moderna adotou a noção de Aristóteles com o desenvolvimento de uma lista abrangente de forças e virtudes dos personagens. Os psicólogos Christopher Peterson e Martin Seligman avaliaram os valores das culturas ao longo da história humana e identificaram as 24 virtudes ou forças de caráter mais universais. Esses pontos fortes representam o que a maioria das pessoas chamaria de bom caráter, incluindo esperança, gratidão, justiça e amor.O que outras pessoas estão dizendoO que outras pessoas estão dizendo

A pesquisa agora apóia a teoria de que o desenvolvimento e o uso dessas forças de caráter levam ao aumento da felicidade.O que outras pessoas estão dizendoPara que a antiga sabedoria da eudaimonia funcione para você, considere as virtudes que Aristóteles incentivou seus alunos a desenvolverem em si mesmos.

Paciência

O desejo de gratificação instantânea pode facilmente transformar pequenos aborrecimentos em raiva. Exercer paciência significa gerenciar seu temperamento de acordo com a situação. Se você se bater no pé e verificar o relógio na fila de uma cafeteria, avalie primeiro se sua raiva está ou não ajudando a situação. Se não, deixe para lá.

Se sua impaciência é dirigida diretamente a outra pessoa, trabalhe para desenvolver empatia e se colocar no lugar dela. Se alguém o interrompe no trânsito, por exemplo, considere o que pode estar acontecendo com eles e quais são suas intenções.

Coragem

Embora a paciência seja uma virtude, muita paciência pode levar você a ser uma tarefa fácil. Ter coragem, particularmente diante da injustiça, também é virtuoso. Coragem não é a ausência de medo, mas um equilíbrio apropriado de medo e confiança.

Você tende a ser excessivamente confiante ou com muito medo? Se você se inclina com muita frequência para o medo, encontre oportunidades para desafiar a si mesmo, como conversando intensamente ou dizendo sim quando convidado a fazer algo que o intimide.

Se você tende a ter excesso de confiança, por outro lado, tome cuidado para não enfrentar desafios grandes demais. Tenha cuidado para evitar conflitos com os outros, porque você não reconhece seus pontos fortes ou perspectivas. Mas, assim como alguém que tem medo, você se beneficia aprendendo coisas novas – e valorizando o esforço que investiu nelas, e não o resultado.

Temperança

Lembra do segundo pedaço de torta que você estava pegando ontem à noite? Você realmente precisava disso? Temperança é sobre moderação. Por todos os meios, devemos comer uma fatia de torta e saboreá-la. Mas muita coisa boa corrói a felicidade, principalmente quando a culpa e o ódio se instalam.

Duas maneiras de exercer autocontrole

  1. Quando você escolher ter prazer em algo, permita-se estar totalmente presente e se divertir.
  2. Defina limites apropriados para si mesmo e cumpra-os. Tenha um plano com antecedência e saiba que você aumentará sua felicidade aderindo ao seu limite do que quebrando-o.

Amizade

Na visão de Aristóteles, a amizade era uma das mais altas virtudes. Ele reconheceu que as amizades geralmente existem por razões puramente práticas. Mas a verdadeira amizade é sobre uma conexão entre duas pessoas que se admiram e se incentivam a alcançar seu pleno potencial.O que outras pessoas estão dizendoO que outras pessoas estão dizendo

Tais amizades são raras. Essas não são as centenas de conexões que você tem no Facebook ou LinkedIn. Essas são as pessoas para quem você liga no meio da noite, quando você precisa que alguém esteja lá para você. Investir e nutrir esses relacionamentos é fundamental para apoiar nossa própria felicidade. Identifique quem são essas pessoas em sua vida e informe-as quanto você as aprecia. Essas conversas são uma felicidade em que todos saem ganhando.