contador gratuito Skip to content

Quais s√£o as teorias de sa√ļde mental? (Inclui lista)

Quais s√£o as teorias de sa√ļde mental?Voc√™ j√° conheceu um conselheiro ou terapeuta e pensou: "Este n√£o √© um bom ajuste?"Pode ter algo a ver com as teorias que eles usam para informar sua pr√°tica.

Conselheiros e terapeutas de todo o mundo recebem treinamento sobre os fundamentos te√≥ricos da sa√ļde mental. Eles aprendem a usar essas teorias para apoiar seu trabalho com os clientes. Esses profissionais utilizam ferramentas de diagn√≥stico baseadas em novas e antigas teorias de bem-estar.

Quais s√£o essas teorias e quem as criou? √Č isso que voc√™ aprender√° √† medida que continua lendo.

Quais s√£o as teorias de sa√ļde mental?

Na ci√™ncia, uma teoria √© mais do que apenas uma suposi√ß√£o. √Č um "grupo coerente de proposi√ß√Ķes formulado para explicar um grupo de fatos ou fen√īmenos no mundo natural e confirmado repetidamente por experimentos ou observa√ß√Ķes" (Dictionary.com, n.d.).

Teorias poderiam ser criadas sobre quase tudo, mas são testes rigorosos que distinguem teorias simples de teorias científicas. Nem todas as teorias sobreviverão a esse tipo de teste. De fato, a aceitação ou rejeição de partes de teorias não é incomum.

As teorias desenvolvidas 50-100 anos atrás se enquadram em seis grandes categorias. Eles ainda nos influenciam hoje. Você pode reconhecê-los como:

  • Anal√≠tico / desenvolvimento (Freud, Jung, Erickson, Kohlberg)
  • Comportamento (Watson, Skinner, Pavlov)
  • Cognitivo (Tolman, Piaget, Chomsky)
  • Social (Bandura, Lewin, Festinger)
  • Humanista (Rogers e Maslow)
  • Personalidade (teoria do desenvolvimento psicossocial de Erickson)

Destas, muitas teorias contempor√Ęneas foram seguidas. Alguns s√£o espec√≠ficos do dom√≠nio, como desenvolvimento. Outros usam neuroimagem para explicar por que fazemos as coisas que fazemos.

As teorias de sa√ļde mental se esfor√ßam para explicar o desenvolvimento humano, comportamental, psicol√≥gico e social. Por muitos anos, os pesquisadores se concentraram em aliviar a dor ou o sofrimento. O foco estava no que havia de errado com uma pessoa e em como corrigi-lo. Uma pessoa n√£o deveria fortalecer seu bem-estar.

Uma olhada nos modelos e métodos

Especialistas em sa√ļde mental e bem-estar recorrem a outras √°reas para informar sua perspectiva. Eles tamb√©m revisam a sa√ļde mental de uma pessoa no contexto. Um ato pode ser psicopatol√≥gico em um contexto cultural, mas n√£o em outro.

As principais √°reas das quais conselheiros, psic√≥logos e psiquiatras adquirem uma compreens√£o da sa√ļde mental s√£o (Dasgupta, 2013):

  • Espiritual – Essa abordagem explica quem somos no mundo e como devemos agir. Tamb√©m nos diz o que podemos esperar ap√≥s a morte com base em nossas a√ß√Ķes. A perspectiva espiritual discute o bem e o mal em rela√ß√£o ao sofrimento.
  • Car√°ter moral – Essa perspectiva levanta que existem certas virtudes que uma pessoa precisa aprender. Isso permite que o indiv√≠duo viva uma vida melhor, livre de doen√ßas mentais.
  • Estat√≠stica – Com base na matem√°tica, busca-se definir o que √© "normal" ou "m√©dio" para as popula√ß√Ķes. Quem cai fora da norma √© anormal.
  • Doen√ßa / m√©dica / biol√≥gica (gen√©tica, neuroimagem, neurobiologia) – Essa abordagem explica a sa√ļde mental em rela√ß√£o √†s altera√ß√Ķes no c√©rebro. O conhecido caso de Phineas Gage √© um exemplo. Uma barra perfurou seu lobo frontal esquerdo. Isso afetou sua personalidade e comportamento. Antes do acidente, as pessoas desfrutavam de sua companhia e achavam que ele era confi√°vel. Mais tarde, eles o descreveram como ranzinza, nojento e pouco confi√°vel.
  • Psicol√≥gico (psicodin√Ęmica, comportamental, cognitivo-comportamental, existencial / human√≠stica) – A sa√ļde mental se desenvolve ao longo do caminho esperado. As pessoas tentam se adaptar ao seu ambiente para sobreviver dentro dele. Os problemas surgem quando uma pessoa aprende m√°s estrat√©gias de adapta√ß√£o em resposta a novas situa√ß√Ķes.
  • Social – Biologia, psicologia e sociedade afetam a sa√ļde mental de uma pessoa. A influ√™ncia das normas sociais √© importante para o comportamento adaptativo ou desadaptativo do indiv√≠duo.
  • Psicossocial (Modelo de aprendizado social): pesquisadores dessa √°rea estudam a rela√ß√£o entre os pensamentos (psicol√≥gicos) de uma pessoa e seu comportamento social. Isso inclui o significado que uma pessoa d√° aos seus processos psicol√≥gicos. Segundo Bandura, as pessoas aprendem atrav√©s da observa√ß√£o e modelagem do comportamento de outras pessoas (McLeod, 2016).
  • Biopsicossocial – A intera√ß√£o de fatores biol√≥gicos, psicol√≥gicos e sociais explica a doen√ßa mental. Isso depende da pessoa e do seu ambiente.

Métodos

O diagn√≥stico e o tratamento da doen√ßa mental variam, mas muitos terapeutas usam o Manual Diagn√≥stico e Estat√≠stico de Transtornos Mentais (DSM-5). Essa ferramenta fornece defini√ß√Ķes e crit√©rios claros para mais de 265 dist√ļrbios. O diagn√≥stico geralmente inclui um exame f√≠sico, que inclui exames laboratoriais e uma avalia√ß√£o psicol√≥gica (Mayo Clinic, n.d.).

Existem aproximadamente 20 classes de doen√ßas mentais que abrangem desde dist√ļrbios do desenvolvimento neurol√≥gico at√© dist√ļrbios paraf√≠licos.

Alguns m√©todos de tratamento s√£o medicamentos, psicoterapia, estimula√ß√£o cerebral, programas de tratamento hospitalar e residencial e tratamento de abuso de subst√Ęncias.

Existem três maneiras de experimentar a intervenção terapêutica. Às vezes, os terapeutas usam uma combinação desses. Cada configuração enfatiza a confidencialidade e cria um espaço seguro para as pessoas compartilharem.

  • Aconselhamento individual – Esta √© uma sess√£o individual com um conselheiro treinado. Dependendo do tipo de terapia utilizada, essas sess√Ķes podem continuar por meses ou anos.
  • Aconselhamento em grupo – Pessoas com desafios semelhantes trabalham em conjunto com um conselheiro treinado. Os objetivos s√£o conversar sobre problemas, compartilhar conhecimentos e solu√ß√Ķes.
  • Terapia familiar – Este m√©todo envolve ajudar uma fam√≠lia a melhorar sua comunica√ß√£o. Atrav√©s da orienta√ß√£o de um terapeuta licenciado, eles aprendem t√©cnicas de resolu√ß√£o de conflitos. Nem todos os membros da fam√≠lia necessariamente participam, e geralmente √© de curto prazo.

Teorias de aconselhamento em sa√ļde mental

Existem cinco escolas de pensamento que tentam explicar a sa√ļde mental. Muitos terapeutas e conselheiros operam a partir de um ou dois deles.

As teorias orientam os servi√ßos e intera√ß√Ķes que os terapeutas t√™m com seus clientes. √Č importante saber isso, pois pode afetar o qu√£o bem voc√™ e seu terapeuta "clicam".

As cinco escolas de pensamento s√£o:

  1. Behaviorismo – O comportamento √© o resultado de experi√™ncias de vida, n√£o a mente inconsciente. Aprendemos atrav√©s de nossas experi√™ncias com o meio ambiente. Essa abordagem tem a ver com condicionamento. √Č focado no presente.
  2. Biológico РEste é um modelo médico de tratamento para transtornos mentais. A idéia é que algo físico é a causa da doença mental. Os sintomas são "sinais externos de desordem física interna" (McLeod, 2018).
  3. Psicodin√Ęmica – Como o behaviorismo, os terapeutas psicodin√Ęmicos veem o comportamento como resultado de experi√™ncias. No entanto, uma das diferen√ßas √© que eles se concentram em experi√™ncias passadas. Eles afirmam que as for√ßas inconscientes conduzem o comportamento das pessoas. O cliente e o terapeuta revisam o terreno explorado para uma maior compreens√£o. Esse processo terap√™utico pode levar muitos anos.
  4. Cognitivo – A √™nfase dessa teoria est√° no pensamento, n√£o no fazer. Existe um ciclo de feedback entre as suposi√ß√Ķes e atitudes da pessoa, suas percep√ß√Ķes resultantes e as conclus√Ķes tiradas delas (Grace, n.d.). Esses terapeutas trabalham para ajudar uma pessoa a mudar de id√©ia. Fazer isso leva a uma mudan√ßa de sentimentos e comportamento.
  5. Humanista РTrês terapias diferentes podem ajudar as pessoas a alcançar seu potencial máximo. A terapia centrada no cliente, desenvolvida por Carl Rogers, permite que o cliente investigue quem eles são em sua essência. O terapeuta cria uma atmosfera de empatia, aceitação e autenticidade. Isso incentiva o cliente em sua auto-exploração. A Gestalt Therapy, criada por Frederick Perls, concentra-se no presente e envolve dramatização. A terapia existencial é sobre a propriedade da vida, incluindo todos os seus percalços. A responsabilidade da vida é própria.

√Č f√°cil entender como um terapeuta influenciado por uma dessas teorias poderia interagir com um cliente. Profissionais em psicologia positiva, por exemplo, seguem principalmente teorias human√≠sticas. Seria de esperar que esse terapeuta fosse emp√°tico e enfatizasse propriedade e responsabilidade. As sess√Ķes incluiriam uma dose saud√°vel de auto-explora√ß√£o, especialmente relacionada ao desenvolvimento de for√ßas.

Uma lista de teorias populares de sa√ļde mental

Toda a teoria da sa√ļde mental vem de uma das cinco √°reas acima ou de uma combina√ß√£o delas. Aqui est√° uma breve descri√ß√£o das teorias derivadas dessas categorias mais amplas.

A teoria das redes explica que "os transtornos mentais surgem de intera√ß√Ķes diretas entre os sintomas" (Borsboom, 2017). Influ√™ncias biol√≥gicas, psicol√≥gicas e sociais facilitam a conex√£o entre sintomas psicopatol√≥gicos.

A terapia comportamental cognitiva (TCC) concentra-se em ajudar a pessoa a mudar pensamentos e comportamentos destrutivos. √Č um tipo de psicoterapia que ajuda um cliente a identificar e gerenciar rapidamente os problemas. A abordagem √© orientada a objetivos e geralmente envolve tarefas. A li√ß√£o de casa ajuda a refor√ßar as sess√Ķes pessoalmente. √Č o "padr√£o ouro no campo da psicoterapia" (David, Cristea e Hofmann, 2018).

O condicionamento operacional continua sendo uma abordagem popular. Seja usado por terapeutas ou treinadores f√≠sicos, envolve a identifica√ß√£o do padr√£o de sugest√£o-rotina-recompensa. O objetivo √© mudar o comportamento da pessoa, alterando a rotina e, √†s vezes, a recompensa. √Č frequentemente usado no tratamento do TOC atrav√©s da terapia de exposi√ß√£o.

A terapia de exposi√ß√£o permite que uma pessoa se envolva com a fonte de sua ansiedade em um espa√ßo seguro. O objetivo √© aumentar lenta e gradualmente a exposi√ß√£o de uma pessoa ao medo. Existem v√°rias varia√ß√Ķes da terapia de exposi√ß√£o (APA, n.d.).

√Č √ļtil no tratamento de:

  • Fobias
  • S√≠ndrome do p√Ęnico
  • Transtorno de ansiedade social
  • Transtorno obsessivo-compulsivo
  • Transtorno de estresse p√≥s-traum√°tico
  • Dist√ļrbio de ansiedade generalizada

O condicionamento clássico também ainda é um tratamento popular para fobias através do uso de dessensibilização sistemática. Essa é uma variante da terapia de exposição (Grace College, 2016).

Teorias populares de sa√ļde mental sobre bem-estar

A Teoria da Autodeterminação da Motivação (SDT) e, mais especificamente, a Teoria das Necessidades Psicológicas Básicas (BPNT) postulam que autonomia, competência e relacionamento são os principais suportes para o bem-estar e o funcionamento ideal (SDT, n / D). estes são defeituosos, portanto o bem-estar da pessoa diminui. A motivação intrínseca aumenta com a satisfação de atender a essas necessidades (leia mais sobre treinamento intrínseco aqui).

A teoria de expandir e construir emo√ß√Ķes positivas (Fredrickson, 1998, 2000) mudou a discuss√£o sobre emo√ß√Ķes. Muitas das teorias psicol√≥gicas e pesquisas anteriores tratavam de afetos negativos. S√£o emo√ß√Ķes como raiva, medo, tristeza, culpa e vergonha (Stringer, 2013).

Fredrickson argumentou que emo√ß√Ķes negativas criam um tipo de vis√£o de t√ļnel. O afeto positivo expande a perspectiva de algu√©m. Emo√ß√Ķes positivas, como rever√™ncia, alegria e gratid√£o, expandem a experi√™ncia no ambiente. A teoria n√£o defende ignorar emo√ß√Ķes negativas. Em vez disso, ele discute as implica√ß√Ķes de continuar ignorando os aspectos positivos.

O foco da teoria do bem-estar da PERMA (Seligman, 2011) √© ajudar as pessoas a prosperar. Promove a cria√ß√£o de habilidades que lhe permitem prosperar (Centro de Psicologia Positiva, sem data). Muitas teorias contempor√Ęneas tentam ajudar uma pessoa a reduzir o sofrimento. A teoria do bem-estar da PERMA afirma que o bem-estar consiste em cinco elementos:

  1. Emo√ß√£o positiva: Essas emo√ß√Ķes aumentam nossa felicidade hed√īnica.
  2. Compromisso: Esse é o fluxo que Mihaly Csikszentmihalyi analisa. Estar envolvido na busca de um é a recompensa.
  3. Relacionamentos: o apoio é essencial para a nossa sobrevivência e bem-estar emocional.
  4. Significado: Servir ou trabalhar em uma capacidade que contribua para algo maior que nós mesmos nos dá um senso de propósito e significado.
  5. Realização: Gostamos de buscar conquistas apenas por fazê-lo.

Cada uma delas contribui em graus variados para a capacidade de uma pessoa prosperar. Terapeutas e treinadores de psicologia positiva costumam usar isso como pano de fundo para suas sess√Ķes.

Uma mensagem para levar para casa

Existem v√°rias teorias da sa√ļde mental, mas todas elas v√™m de uma das cinco escolas de pensamento. Eles s√£o comportamentais, biol√≥gicos, psicodin√Ęmicos, cognitivos e human√≠sticos.

Nos √ļltimos anos, houve um movimento para estudar como as pessoas florescem. Isso √© psicologia positiva. Ao contr√°rio dos anos anteriores, este campo de pesquisa explora o que os humanos j√° fazem bem. Fazer esse tipo de pesquisa ajuda outras pessoas a aumentar suas chances de prosperar.

Se você procurar a ajuda de um terapeuta ou conselheiro, é importante conhecer a base de sua abordagem. Você não quer ver um psicólogo comportamental para desenvolver como encontrar significado em sua vida. Eles são mais adequados para ajudá-lo a mudar, desenvolver ou extinguir um hábito.

O estudo cont√≠nuo da sa√ļde mental, incluindo os aspectos mais positivos, √© essencial para o bem-estar de cada pessoa.

O que você está fazendo hoje para florescer em sua vida?

  • √Ālcool e sa√ļde: combatendo um fardo multifacetado. Consultado em 29 de julho de 2019, em https://www.inserm.fr/en/health-information/health-and-research-from-z/alcohol-%26-health#
  • American Psychological Association (n.d.). O que √© terapia de exposi√ß√£o? (Publica√ß√£o de registro na web). Retirado em 1 de agosto de 2019 de https://www.apa.org/ptsd-guideline/patients-and-families/exposure-therapy
  • American Psychological Association (n.d.). Diferentes abordagens √† psicoterapia (publica√ß√£o no registro da web). Consultado em 1 de agosto de 2019 em https://www.apa.org/topics/therapy/psychotherapy-approaches
  • Borsboom, D. (fevereiro de 2017). Uma teoria das redes de transtornos mentais. Psiquiatria Mundial, 16(1), 5-13. doi: 10.1002 / wps.20375
  • Dasgupta, S. (14 de fevereiro de 2013). Modelos de sa√ļde mental e doen√ßa. Recuperado em 29 de julho de 2019, em https://www.slideshare.net/SudarshanaDasgupta/models-of-mental-health-illness
  • David, D., Cristea, I e Hofmann, S. G. (29 de janeiro de 2018). Por que a terapia comportamental cognitiva √© o atual padr√£o ouro para a psicoterapia. Psiquiatria frontal, 9(4) doi: 10.3389 / fpsyt.2018.00004.
  • Grace College (15 de novembro de 2016). 4 teorias populares de aconselhamento em sa√ļde mental (publica√ß√£o no web log). Recuperado em 26 de julho de 2019 de https://online.grace.edu/news/human-services/counseling-theories/
  • Cl√≠nica Mayo (sem data). Terapia familiar: vis√£o geral. Retirado em 28 de julho de 2019 de https://www.mayoclinic.org/tests-procedures/family-therapy/about/pac-20385237
  • Cl√≠nica Mayo (sem data). Doen√ßa mental. Retirado em 26 de julho de 2019, de https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/mental-illness/diagnosis-treatment/drc-20374974
  • McLeod, S. (2016). Teoria de Aprendizagem Social Bandura (publica√ß√£o na web). Recuperado em 28 de julho de 2019 em https://www.simplypsychology.org/bandura.html
  • McLeod, S. (2018). O modelo m√©dico (publica√ß√£o no registro da web). Recuperado em 1 de agosto de 2019 em https://www.simplypsychology.org/medical-model.html
  • Centro de Psicologia Positiva (n.d.). PERMA Teoria das oficinas de bem-estar. Recuperado em 2 de agosto de 2019 de https://ppc.sas.upenn.edu/learn-more/perma-theory-well-being-and-perma-workshops
  • Teoria cient√≠fica (n.d.) Recuperado em 29 de julho de 2019 em https://www.dictionary.com/browse/scientific-theory
  • Teoria da autodetermina√ß√£o: descri√ß√£o geral. (Dakota do Norte.). Recuperado em 2 de agosto de 2019 em https://selfdeterminationtheory.org/theory/
  • Seligman, M. (2011). Florescer: uma nova vis√£o vision√°ria de felicidade e bem-estar. Nova York: Free Press.
  • Stringer, D.M. (2013). Efeito negativo. Recuperado em 2 de agosto de 2019 em https://link.springer.com/referenceworkentry/10.1007%2F978-1-4419-1005-9_606. doi: 10.1007 / 978-1-4419-1005-9_606