Por que pessoas com transtorno de estresse pós-traumático participam de comportamentos de risco
Sa√ļde

Por que pessoas com transtorno de estresse pós-traumático participam de comportamentos de risco

Por que pessoas com transtorno de estresse pós-traumático participam de comportamentos de risco

Qual é a definição de comportamento de risco? Em resumo, esse comportamento refere-se à tendência de participar de atividades com potencial de serem prejudiciais ou perigosas.

Por que as pessoas se envolvem em comportamentos de risco?

Como o comportamento de correr riscos √© potencialmente perigoso, algumas pessoas se perguntam por que algu√©m se envolveria em tal comportamento. Por um lado, esse comportamento p√Ķe em risco aqueles que o praticam, mas, por outro lado, oferece aos participantes a oportunidade de experimentar um resultado que consideram positivo.

Comportamentos arriscados, como dirigir r√°pido ou praticar uso de subst√Ęncias, por exemplo, podem levar a acidentes de carro ou overdose, respectivamente. No entanto, eles podem provocar sentimentos positivos no momento. Isso inclui a emo√ß√£o de uma viagem r√°pida ou o alto uso de drogas.

Exemplos de comportamento de risco

Além dos exemplos acima, o comportamento de risco inclui fazer sexo com estranhos, muitas vezes sem proteção contra doenças sexualmente transmissíveis ou gravidez não planejada. Os que tomam riscos também gostam do jogo, geralmente perdendo mais do que conseguem suportar. Essas pessoas também podem participar de esportes radicais ou atividades recreativas.

Mesmo quando os que assumem riscos se envolvem em comportamentos amplamente praticados, como beber ou fumar, suas vidas correm risco, pois as mortes associadas a esses comportamentos são maiores do que as relacionadas ao uso de drogas ilícitas. Mas aqueles que assumem riscos tendem a ignorar as consequências de seus comportamentos.

Quem est√° em risco de comportamento arriscado?

Algumas pesquisas indicam que os homens tendem a correr mais riscos do que as mulheres. No entanto, um estudo descobriu que os que tomam riscos, tanto homens quanto mulheres, compartilham os mesmos traços de personalidade, como busca por sensação impulsiva, hostilidade agressiva e sociabilidade.

A genética também desempenha um papel no comportamento de risco. Gêmeos idênticos separados ao nascimento, por exemplo, tendem a se envolver em comportamentos de risco a taxas elevadas. A testosterona também parece desempenhar um papel, por isso há um desequilíbrio de gênero em pessoas com maior probabilidade de se envolverem em comportamentos de risco.

Um estudo de 2012 de 395 veteranos militares com TEPT encontrou uma liga√ß√£o entre comportamento de risco e o dist√ļrbio. Al√©m das formas de risco acima, os veterin√°rios com transtorno de estresse p√≥s-traum√°tico tendem a brincar com armas de fogo, potencialmente colocando em risco suas vidas. Pessoas com transtorno de estresse p√≥s-traum√°tico j√° sobreviveram a situa√ß√Ķes perigosas, e comportamentos de risco podem dar a eles a sensa√ß√£o de que t√™m mais controle sobre suas circunst√Ęncias atuais do que aqueles que os levaram a desenvolver transtorno de estresse p√≥s-traum√°tico.

Conseguindo ajuda

Se voc√™ est√° lidando com um transtorno de estresse p√≥s-traum√°tico (PTSD) envolvido em comportamentos de risco, como abuso de drogas, sexo an√īnimo ou jogos de azar, √© hora de procurar ajuda. O comportamento arriscado pode causar danos corporais, levar a uma infec√ß√£o sexualmente transmiss√≠vel ou causar perdas financeiras das quais voc√™ n√£o pode se recuperar sem muito trabalho.

Não é aconselhável brincar com seu bem-estar dessa maneira. Um psicoterapeuta experiente no tratamento de pacientes com TEPT pode ajudar. Você também pode encontrar um grupo de apoio para pessoas com TEPT ou confiar em um amigo próximo ou membro da família que possa tentar responsabilizá-lo quando sentir necessidade de se envolver em comportamentos de risco.