Os benefícios da terapia on-line e o melhor software para usar

Teleterapia Para a maioria das pessoas, entendemos os benefícios e, às vezes, a necessidade de procurar terapia.Pode ser uma experiência gratificante e valiosa, ajudando-nos a superar desafios e barreiras na vida que talvez não possamos enfrentar sozinhos.

Infelizmente, procurar terapia continua sendo algo que muitas pessoas acham dif√≠cil por v√°rias raz√Ķes. Seja o persistente estigma social de precisar de apoio com a nossa sa√ļde mental ou apenas encontrar tempo e capacidade para sentar com um terapeuta.

Em nosso mundo cada vez mais conectado digitalmente, estávamos descobrindo novas maneiras de se conectar. A terapia é outra área que percebeu o poder da conexão digital e já a está usando para ajudar mais pessoas a acessar o suporte de que precisam.

O que é teleterapia?

Goode e Shinkle (2019) criaram a seguinte definição de teleterapia:

A teleterapia √© a presta√ß√£o on-line de servi√ßos de sa√ļde mental, terapia ocupacional e terapia da fala por meio de videoconfer√™ncia ao vivo de alta resolu√ß√£o.

A teleterapia, também conhecida como terapia on-line, e-terapia ou videoterapia, é uma terapia que é administrada através de uma plataforma virtual através de um computador. Se você já usou o FaceTime ou o Skype, é essencialmente o mesmo, exceto que é mais seguro e com um terapeuta ou conselheiro qualificado do outro lado do que com um amigo ou parente distante.

Embora sua disponibilidade tenha aumentado nos √ļltimos anos, a teleterapia existe desde os anos 90 nos Estados Unidos e √© considerada um m√©todo altamente eficaz de administrar terapia.

Para quem é a teleterapia?

A teleterapia √© ben√©fica para uma variedade de pessoas, para um conjunto diversificado de circunst√Ęncias ou experi√™ncias, incluindo terapia da fala, terapia ocupacional e terapia de sa√ļde mental.

Ele tem sido usado em sess√Ķes de terapia individualizada regulares, mas tamb√©m em sess√Ķes de terapia de grupo para apoiar idosos diagnosticados com HIV (Heckman et al., 2014). Outra maneira pela qual a teleterapia tem sido utilizada tem sido o fornecimento de treinamento comportamental para cuidadores de jovens com transtorno de d√©ficit de aten√ß√£o e hiperatividade (Tse et al., 2015).

Vale a pena notar que a teleterapia n√£o ser√° ben√©fica para todas as pessoas em todas as circunst√Ęncias. Muitos terapeutas recomendam isso como o primeiro passo para a terapia, especialmente para quem procura pela primeira vez e incentiva os participantes a ter conversas abertas com o terapeuta sobre se esse √© o melhor caminho de apoio para eles (Novotney, 2017).

Como funcionam as sess√Ķes de terapia on-line?

As sess√Ķes de teleterapia funcionam da mesma maneira que as sess√Ķes de terapia tradicional, com apenas uma diferen√ßa significativa: o terapeuta e o cliente n√£o est√£o na mesma sala.

As sess√Ķes s√£o agendadas em um hor√°rio e dia apropriados para cada parte, que √© conectada por meio de uma plataforma de v√≠deo segura e acordada. O terapeuta e o cliente podem ver e ouvir um ao outro em tempo real durante a sess√£o usando c√Ęmeras da web e fones de ouvido. Por meio desse ambiente virtual, eles podem interagir entre si, e o terapeuta usa as mesmas t√©cnicas e atividades tradicionais que ele usaria em uma sess√£o de terapia presencial (Goode & Shinkle, 2019).

Assim como na terapia presencial, um cliente pode procurar o terapeuta apenas por uma sess√£o para lidar com uma situa√ß√£o atual da vida ou pode concordar com as sess√Ķes em andamento.

As sess√Ķes de teleterapia s√£o privadas?

Os terapeutas s√£o √©tica e legalmente obrigados pelas leis de privacidade a n√£o compartilhar detalhes sobre suas sess√Ķes de teleterapia com terceiros, assim como nas sess√Ķes presenciais. Os terapeutas devem garantir que estejam em uma sala privada e segura antes de participar de qualquer sess√£o de teleterapia. As sess√Ķes n√£o devem ser gravadas ou compartilhadas, a menos que haja um acordo expl√≠cito do paciente.

Do ponto de vista do paciente, também é sua responsabilidade garantir que eles conduzam o final da sessão em uma área igualmente privada para garantir sua confidencialidade.

Alguns terapeutas argumentaram que a teleterapia √© mais privada do que as sess√Ķes presenciais tradicionais, onde pacientes conhecidos t√™m o potencial de esbarrar nas instala√ß√Ķes onde a terapia ocorre.

Em rela√ß√£o √† seguran√ßa do software utilizado, os terapeutas que utilizam teleterapia devem usar software especializado totalmente criptografado, oferecendo um alto n√≠vel de seguran√ßa e privacidade. Qualquer software que os terapeutas usem para telepsicologia deve ser aprovado pela Lei de Portabilidade e Responsabilidade do Seguro de Sa√ļde de 1996 (HIPAA). Essa √© a legisla√ß√£o que garante a privacidade e a seguran√ßa dos dados para proteger as informa√ß√Ķes m√©dicas, incluindo a terapia.

A teleterapia é tão eficaz quanto a terapia presencial?

A efic√°cia da teleterapia realmente depende do indiv√≠duo e de suas raz√Ķes para procurar terapia. Desde que come√ßou a ser usado como m√©todo de tratamento h√° mais de 20 anos, a pesquisa psicol√≥gica explorou as diferentes maneiras pelas quais a teleterapia tem sido usada e sua efic√°cia.

No geral, a pesquisa ap√≥ia que a teleterapia √© t√£o eficaz quanto a terapia presencial tradicional para uma variedade de circunst√Ęncias.

Alguns estudos importantes incluem:

  • Wagner, Horn e Maercker (2013) exploraram os benef√≠cios da teleterapia para ajudar os pacientes diagnosticados com depress√£o. Sessenta e dois pacientes foram divididos aleatoriamente em dois grupos: um recebeu teleterapia e o outro recebeu terapia presencial mais tradicional. Os pacientes receberam oito sess√Ķes cada e, no final de suas sess√Ķes, o grupo que recebeu teleterapia mostrou uma porcentagem ligeiramente maior de relatar menos pensamentos e sentimentos depressivos. Ap√≥s tr√™s meses, o grupo de teleterapia continuou a relatar uma diminui√ß√£o de pensamentos e sentimentos depressivos, em compara√ß√£o com pacientes tratados tradicionalmente que relataram uma diminui√ß√£o m√≠nima.
  • Acierno et al. (2014) estudaram os benef√≠cios da teleterapia para seu uso em terapia com veteranos que sofrem de TEPT. Eles trabalharam com 132 veteranos, pedindo que eles completassem uma escala para medir o TEPT e, ent√£o, os randomizaram para um dos dois grupos para receber 10 a 12 sess√Ķes de terapia presencial ou teleterapia. Ap√≥s tr√™s meses e seis meses, respectivamente, foi solicitado aos participantes que completassem as escalas de TEPT novamente. Em ambos os pontos, os pesquisadores descobriram que aqueles tratados com teleterapia apresentaram melhora semelhante √†queles tratados face a face.
  • Mitchel et al. (2008) trabalharam com terapeutas treinados para verificar se a teleterapia poderia ser eficaz no tratamento de pacientes com bulimia nervosa. Cento e vinte e oito adultos diagnosticados com bulimia nervosa participaram do estudo e foram aleatoriamente designados para receber terapia pessoalmente ou por teleterapia. Os participantes foram solicitados a relatar se continuaram a se envolver em comportamentos de compuls√£o e elimina√ß√£o ap√≥s o t√©rmino das sess√Ķes iniciais, tr√™s meses depois e doze meses depois. Os pesquisadores descobriram diferen√ßas extremamente m√≠nimas na recupera√ß√£o entre os dois grupos.

At√© o momento, as pesquisas mostram uma efic√°cia muito promissora para a teleterapia; entretanto, muitos terapeutas enfatizam que um dos componentes cr√≠ticos para uma terapia bem-sucedida √© a rela√ß√£o entre o paciente e o terapeuta, e as conex√Ķes pessoais podem ser vitais para uma tratamento bem sucedido. Para as pessoas que enfrentam dificuldades para construir relacionamentos ou que lutam com a intera√ß√£o social, a terapia presencial tradicional pode ser mais ben√©fica para superar esses desafios.

4 benefícios da teleterapia para pacientes

Al√©m de sua efic√°cia igual como tratamento terap√™utico, a teleterapia oferece muitos outros benef√≠cios aos pacientes que a procuram. Alguns not√°veis ‚Äč‚Äčincluem:

1. Acessível a mais pessoas

Para pessoas que vivem em comunidades rurais, vivendo com uma deficiência que dificulta a viagem ou para quem não tem certeza sobre a tentativa de terapia pela primeira vez, a teleterapia é uma opção altamente benéfica. A teleterapia remove muitas das barreiras, físicas, emocionais ou mentais, para procurar terapia e a torna acessível a mais pessoas.

Pesquisas descobriram que aqueles que participam da teleterapia também têm maior probabilidade de procurar terapia presencial como resultado de uma experiência positiva (Jones et al., 2014).

2. Oferece mais flexibilidade

√Č f√°cil adiar a participa√ß√£o na terapia quando as sess√Ķes s√£o oferecidas em hor√°rio limitado. Para muitas pessoas que j√° t√™m muitos compromissos de malabarismo, a busca dessa forma de suporte pode ser facilmente inclu√≠da na lista de prioridades. Quando um terapeuta pode estar dispon√≠vel no momento adequado ao paciente, ele oferece maior flexibilidade e pode at√© incentivar mais pessoas a procurar o apoio certo quando mais precisam.

3. Tempo de espera reduzido

Pode parecer um pequeno benef√≠cio, mas o aumento da flexibilidade tamb√©m significa tempos de espera reduzidos para pacientes que desejam falar com um terapeuta urgentemente ou pela primeira vez. √Č preciso muita coragem para marcar uma consulta para terapia e, quanto menos algu√©m esperar, maior a probabilidade de continuar e obter a ajuda de que precisa.

Tirar uma folga do trabalho para combater o tr√Ęnsito enquanto se dirige ao terapeuta, passar ainda mais tempo na sala de espera, fazer a sess√£o e depois combater o tr√Ęnsito para voltar ao trabalho tamb√©m √© uma grande desvantagem para muitos. Ser capaz de tomar um caf√© r√°pido, entrar em uma sala privada para a sess√£o de terapia agendada e estar pronto para retornar ao "modo de trabalho" em breve √© ‚Äč‚Äčuma solu√ß√£o muito mais vi√°vel para muitos funcion√°rios de escrit√≥rio.

4. Crie um ambiente mais seguro

Esse sentimento de ansiedade que muitas pessoas experimentam quando est√£o sentadas na sala de espera do dentista ou m√©dico? √Č a mesma ansiedade que ocorre quando se espera uma sess√£o de terapia. O processo de ir a um novo cen√°rio para se encontrar com um terapeuta pode ser estressante. A teleterapia alivia esse estresse, permitindo que os pacientes se familiarizem com o processo no conforto de sua pr√≥pria casa.

4 benefícios da teleterapia para terapeutas

Assim como a teleterapia traz benefícios para os pacientes que a utilizam, também traz benefícios para os terapeutas que a administram. Alguns destes incluem:

1. Oferece maior flexibilidade e equilíbrio entre vida profissional e pessoal

Assim como nos pacientes, a capacidade de trabalhar com a seguran√ßa de um escrit√≥rio em casa ou de uma sala de terapia particular oferece aos terapeutas maior flexibilidade e disponibilidade para seus pacientes. Para terapeutas com m√ļltiplos compromissos de vida, essa flexibilidade pode fazer uma grande diferen√ßa na busca de um equil√≠brio positivo entre trabalho e vida pessoal.

2. Reduza as despesas gerais para administrar terapia

Com a teleterapia, o terapeuta pode entregar de qualquer lugar que funcione para eles, fazendo com que um escritório particular em casa funcione bem. Ao eliminar a necessidade de um local externo, os terapeutas podem reduzir significativamente seus custos financeiros gerais, o que significa que podem se concentrar mais no desenvolvimento profissional e no suporte ao paciente.

3. Oferece uma maior sensação de segurança

Os terapeutas costumam correr riscos ao receber novos pacientes. As pessoas podem reagir e se comportar de maneiras inesperadas ao trabalhar no processo terap√™utico, e √†s vezes isso pode ser apresentado de forma negativa ou at√© agressiva. Para os terapeutas que trabalham com novos clientes ou com doen√ßas mentais graves previamente diagnosticadas, a teleterapia pode permitir-lhes uma dist√Ęncia segura para encontrar o paciente antes de passar para a terapia presencial, se necess√°rio.

4. Abrir novas oportunidades e áreas de especialização.

A teleterapia também tem o benefício de oferecer aos terapeutas a capacidade de trabalhar com novos pacientes, em qualquer lugar do mundo. Isso pode ajudá-los a encontrar não apenas novos pacientes, mas também pacientes que não teriam a oportunidade de apoiar e se envolver. Isso pode incluir pacientes no serviço prisional, escolas ou comunidades remotas ou pacientes restritos a hospitais.

3 plataformas de software de terapia on-line para usar

Qualquer software usado para teleterapia deve atender aos requisitos da legisla√ß√£o HIPAA, portanto coisas como Facetime e Skype n√£o s√£o adequadas. Felizmente, devido aos benef√≠cios e efic√°cia da teleterapia, existem v√°rias solu√ß√Ķes dispon√≠veis para os terapeutas. Embora muitas dessas plataformas cobram taxas de uso, elas podem ser bastante m√≠nimas e vale a pena investir para garantir que a terapia se enquadre na legisla√ß√£o de privacidade esperada.

Três dos mais populares incluem:

1. Wecounsel.com

Wecounsel.com √© uma plataforma que suporta terapia comportamental de sa√ļde. A plataforma √© totalmente compat√≠vel com HIPAA e apresenta destaque por sua classifica√ß√£o de criptografia que tamb√©m excede os padr√Ķes esperados. Oferece planos de pre√ßos vari√°veis, dependendo do n√ļmero de usu√°rios e da funcionalidade desejada.

2. Thera-link.com

O Thera-link.com √© uma plataforma frequente e foi desenvolvido especificamente para uso no campo da sa√ļde mental por dois terapeutas, com o apoio de um especialista em tecnologia. O Thera-link.com procura ser a plataforma abrangente de que os terapeutas precisam ao coordenar a teleterapia e inclui recursos como convites para sess√Ķes, gerenciamento de calend√°rios, cobran√ßa e pagamento. Tamb√©m √© totalmente compat√≠vel com HIPAA.

3. Doxy.me

O Doxy.me provou ser outra plataforma popular e amplamente usada para teleterapia, devido ao seu ponto de venda exclusivo, que n√£o requer downloads para os pacientes. Os terapeutas reservam suas sess√Ķes e enviam um link totalmente criptografado para o e-mail dos pacientes nos quais clicam. Depois que eles clicam no link, eles est√£o na reuni√£o. Al√©m de √°udio e v√≠deo, a plataforma tamb√©m oferece um recurso de bate-papo ao vivo, agregando mais valor √† intera√ß√£o terapeuta-paciente. Eles tamb√©m s√£o totalmente compat√≠veis com HIPAA.

Uma mensagem para levar para casa

Espero que, depois de ler este artigo, você tenha uma idéia mais clara da teleterapia; seus benefícios e quão eficaz pode ser para muitas pessoas. Parece haver uma opinião falsa de que a teleterapia não é tão boa quanto a terapia tradicional presencial, mas, no mundo digital, parece que pode ser uma solução muito positiva para muitas pessoas.

Se h√° uma coisa que eu gostaria que voc√™ deixasse de ler, √© que, embora a pesquisa seja predominantemente a favor da teleterapia, n√£o √© um m√©todo √ļnico. A terapia √© um processo profundamente pessoal e individualizado, e o que funciona para um nem sempre funciona para outro.

Você já teve alguma experiência com teleterapia? Se você gosta de compartilhar, adoraria ouvir sobre isso na seção de comentários abaixo.

  • Acierno, R., Knapp, R., Tuerk, P., Gilmore, A. K., Lejuez, C., Ruggiero, K., et al. (2017) Um ensaio de n√£o exposi√ß√£o inferior a longa exposi√ß√£o para transtorno de estresse p√≥s-traum√°tico: presencial versus telessa√ļde em casa. Pesquisa e terapia comportamental, 89.
  • Goode, H. e Shinkle, E. (2019). O que √© teleterapia? Um guia √ļtil e definitivo. Recuperado de: https://globalteletherapy.com/what-is-teletherapy/
  • Heckman, B. D., Lovejoy, T. I., Heckman, T. G., Anderson, T., Grimes, T., Sutton, M., et al. (2014) O papel moderador da identidade sexual na teleterapia de grupo para adultos com HIV. Behav Med, 40(3)
  • Jones, M., Kass, A.E., Trockel, M., Glass, A.I., Wilfley, D.E. e Taylor, C.B. (2014). Uma plataforma de avalia√ß√£o e interven√ß√£o populacional sob medida para dist√ļrbios alimentares nos campi das faculdades: o programa Imagem Corporal Saud√°vel. Recuperado de: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/07448481.2014.901330
  • Mitchel, J. E., Crosby, R. D., Wonderlich, S. A., Crow, S., Lancaster, K., Simonich, H., Swan-Kremeier, L. Lynse, C. e Myers, T. C. (2008). Um estudo randomizado comparando a efic√°cia da terapia cognitivo-comportamental para bulimia nervosa administrada por telemedicina versus face a face. Recuperado de: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0005796708000326
  • Novotney, A. (2017). Uma onda crescente de terapia online. Recuperado em: https://www.apa.org/monitor/2017/02/online-therapy
  • Tse, Y. J., McCarty, C. A., Stoep, A. V. e Myers, K. M. (2015). A teleterapia oferece treinamento comportamental do cuidador para crian√ßas com transtorno de d√©ficit de aten√ß√£o e hiperatividade. Recuperado de: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4458734/
  • Wagner, B., Horn, A. B. e Maercker, A. (2013). Interven√ß√£o cognitivo-comportamental baseada na Internet versus face a face para depress√£o: um estudo randomizado controlado de n√£o inferioridade. Journal of Affective Disorders, 2013; DOI: 10.1016 / j.jad.2013.06.032