contadores Saltar al contenido

O que é Transtorno Obsessivo-Compulsivo Pós-Parto?

Não é incomum que as mães experimentem uma série de emoções após a chegada de um novo bebê. O período pós-parto é conhecido por ser um período de maior risco para a aparência, piora ou recorrência de transtornos de humor e ansiedade. Muitos estudos sugerem que o período pós-parto também pode representar um risco para o aparecimento ou agravamento do transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

Sintomas

É provável que os sintomas pós-parto do TOC ocorram seis semanas após o parto, mas podem começar durante a gravidez. Nas mulheres que têm TOC preexistente, há algumas evidências de que o aborto também pode atuar como um potente gatilho dos sintomas do TOC.

Os sintomas do TOC em mulheres com transtorno obsessivo-compulsivo pós-parto podem frequentemente ser distinguidos daqueles que já apresentavam transtorno obsessivo-compulsivo. Um estudo recente mostrou que a maior diferença entre os dois é que, com o TOC pós-parto, as obsessões estão principalmente relacionadas ao bebê de alguma forma. Especificamente, mulheres com transtorno obsessivo-compulsivo pós-parto geralmente relatam obsessões mais agressivas relacionadas ao dano ao seu novo bebê do que mulheres que já tinham TOC. Além disso, mulheres com transtorno obsessivo-compulsivo pós-parto experimentam mais frequentemente obsessões relacionadas à contaminação do bebê do que mulheres sem TOC no início do parto.

Causas

Nesta fase, não está claro por que o período pós-parto é um período de maior risco para o aparecimento de TOC em algumas mulheres. Do ponto de vista biológico, especula-se que mudanças profundas em hormônios como o estrogênio possam ser parcialmente responsáveis. Os hormônios podem interromper a atividade dos neurotransmissores no cérebro, incluindo a serotonina. As perturbações do sistema da serotonina têm sido fortemente implicadas no desenvolvimento do TOC.

De uma perspectiva psicossocial, a chegada de um novo bebê apresenta uma série de novos desafios, que podem ser esmagadores para algumas mulheres.

O estresse é um dos principais fatores desencadeantes do TOC, e o período pós-parto pode ser especialmente estressante para as mulheres que podem não ter estratégias ou apoio adequados.

Tratamento

Como a depressão pós-parto, é essencial tratar o transtorno obsessivo-compulsivo pós-parto, pois pode afetar a ligação normal entre a mãe e o bebê. Também pode causar sofrimento e dor substanciais por parte da mãe e dos membros da família. Se você deu à luz recentemente e está apresentando novos sintomas psicológicos, como pensamentos intrusivos e perturbadores ou comportamentos compulsivos, como lavar as mãos sem controle, mencione isso ao seu médico, obstetra, pediatra ou psiquiatra.

Se você estiver enfrentando esses ou outros sintomas, seu médico provavelmente fará uma avaliação completa que inclui uma história psiquiátrica completa, além de exames médicos para descartar causas biológicas para seus sintomas, como hipotireoidismo.

A terapia cognitivo-comportamental (TCC) pode ser uma boa opção para mulheres com transtorno obsessivo-compulsivo pós-parto, pois elimina a possibilidade de expor o recém-nascido a antidepressivos, como inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRSs). Embora antidepressivos como os ISRSs sejam transferidos pelo leite materno, não há dados sobre os efeitos a longo prazo da exposição aos ISRSs no leite materno, incluindo o sistema nervoso, de modo que o benefício de tomar a medicação precisa compensar o risco. Certifique-se de falar com seu médico para determinar qual opção de tratamento é adequada para você.