O namoro no ensino médio é bom (e uma batalha que você não vencerá)

O namoro no ensino médio é bom (e uma batalha que você não vencerá)

O namoro no ensino médio é bom (e uma batalha que você não vencerá)

“Se uma garota lhe d√° um scrunchie, ent√£o voc√™ est√° namorando.” “Se voc√™ n√£o namora algu√©m na sexta s√©rie, n√£o ser√° popular.”

Quando meu filho come√ßou o ensino m√©dio, fiquei chocado ao saber que muitas crian√ßas est√£o “namorando” e seus relacionamentos por mais imaturos que possam ser, como visto nas cita√ß√Ķes que ouvi de seus amigos acima, significam muito para eles.

Eu n√£o deveria ter ficado surpreso. Uma amiga me disse uma vez que a professora da quarta s√©rie do filho tinha que proibir o namoro na classe porque “todas as crian√ßas estavam se juntando” e isso estava se tornando uma distra√ß√£o. Na sexta s√©rie, aparentemente √© um dado.

O namoro entre adolescentes e adolescentes n√£o √© o monstro da dan√ßa que pensamos que seja. Os primeiros encontros geralmente s√£o totalmente inocentes, as crian√ßas nem se veem fora da escola e alguns estudos mostram que esses jovens relacionamentos podem trazer grandes benef√≠cios. Ent√£o, a id√©ia de escolher uma idade m√°gica “certa” para deixar as crian√ßas come√ßarem a namorar? Parece tolice, ignora o fato de as crian√ßas se desenvolverem a taxas muito diferentes e cria um precedente que n√£o ser√° recompensado a longo prazo.

Nessa idade, os pais n√£o falam muito, de qualquer maneira. Meus filhos e amigos podem listar intermin√°veis ‚Äč‚Äč‚Äúcasais‚ÄĚ do ensino m√©dio, e duvido que esses relacionamentos sejam sancionados pelos pais. Em vez disso, a maioria acontece apenas em textos, snaps e chats por v√≠deo e, mesmo com aplicativos de monitoramento, as crian√ßas est√£o sempre um passo √† nossa frente na busca de novas maneiras de ser discretas.

Embora crian√ßas de 11 ou 12 anos possam estar interessadas no “status” de ter um namorado / namorada mais do que qualquer coisa f√≠sica, sempre h√° exce√ß√Ķes. Mas a pesquisa sobre a atividade sexual de adolescentes n√£o me convence de que as regras dos pais contra o namoro ter√£o algum impacto significativo sobre ela.

Em vez disso, especialistas consistentemente divulgam o poder da comunica√ß√£o aberta e dos pais que fornecem informa√ß√Ķes factuais, oferecem orienta√ß√£o moral e est√£o dispon√≠veis para discuss√£o sem entrar em uma caixa de sab√£o.

Ainda assim, o argumento “n√£o podemos parar de qualquer maneira” n√£o √© o √ļnico motivo para aceitar o namoro de adolescentes. Um estudo de alunos do ensino m√©dio descobriu que os relacionamentos rom√Ęnticos iniciais t√™m uma influ√™ncia ‚Äú√ļnica e significativa‚ÄĚ na vida das crian√ßas, relatou o Wall Street Journal, com jovens que tiveram problemas como sintomas depressivos ou brigas, tornando-se mentalmente mais saud√°veis ‚Äč‚Äčdepois de namorar algu√©m emocionalmente. saud√°vel. Outro estudo descobriu que os adolescentes cujos pais estavam dispon√≠veis para aconselhamento e conversas sobre namoro tinham “relacionamentos rom√Ęnticos mais quentes, mais pr√≥ximos e mais positivos”, relatou o WSJ.

Mas os pais que encerram a conversa ao fazer encontros fora dos limites perdem essa oportunidade. Eles tamb√©m perdem a chance de dar aos adolescentes as ferramentas necess√°rias para estarem seguros, informados e tomarem decis√Ķes saud√°veis. Pesquisas mostram que o namoro entre adolescentes pode ajudar a moldar a identidade das crian√ßas e prepar√°-las para relacionamentos adultos mais positivos, observa o Departamento de Sa√ļde e Servi√ßos Humanos dos EUA.

A autonomia que os adolescentes desenvolvem sobre suas decis√Ķes emocionais e f√≠sicas tamb√©m √© importante, afinal, quando tiverem idade suficiente para relacionamentos mais maduros, ser√£o eles que estabelecer√£o os limites.

E se sua interpolação enfrentar um rompimento ou algo pior, mas não puder conversar com a mãe ou o pai sobre isso, já que ela não tinha permissão para namorar? Um garoto emocionalmente imaturo fica sem um sistema de apoio para apoiar, o que pode ser uma receita para o desastre.

Como em qualquer novo est√°gio do desenvolvimento de nossos filhos, teremos que mitigar os riscos da melhor maneira poss√≠vel com regras b√°sicas e monitoramento. Mas eu prefiro ser o pai que senta na pra√ßa de alimenta√ß√£o enquanto meu filho ou filha tem um “encontro” no shopping, ou que leva o casal ao cinema e paga os ingressos, se isso significa que eu chego l√° para as m√°goas tamb√©m.

O que você acha do namoro no ensino médio? Você permitiria que seus filhos namorassem no ensino médio? Conte-nos sua opinião nos comentários e leia o ponto de vista oposto de outra mãe aqui.