Não sei como consegui superar isso, mas você também
Psicologia

Não sei como consegui superar isso, mas você também

Não sei como consegui superar isso, mas você também

kzenon / iStock

Ontem à noite, um bom amigo mandou uma mensagem, eu odeio tudo e todos.

N√£o estamos em contato regular, mas trocamos mensagens quando chegamos ao fim de nossas cordas. Ela tem 5 anos e 9 meses.

Ela continuou: Eu sou uma m√£e ruim se eu quero dar meus filhos? O mais antigo n√£o para de choramingar. Sempre. E o mais novo n√£o para de chorar. Eu posso ter que me comprometer.

Eu respondi sim. Voc√™ √© um pai ruim. E voc√™ est√° no √īnibus dos pais ruim comigo como motorista. E vamos enfrent√°-lo, voc√™ realmente quer estar em um √īnibus de pais bons com algu√©m que n√£o pode dizer algo ruim sobre os filhos deles?

O marido estava em casa assistindo TV com o filho mais velho; o bebê estava no berço (chorando). Eu disse a ela: Vá gritar em um travesseiro. Saia e deite na calçada e olhe para o céu. Vai. Você tem o direito. Tome uma bebida. Você ganhou.

Então, as mensagens de texto começaram a parecer ruins, então eu liguei para ela e disse: Vent. Desabafar.

Estou tão cansado disso, ela descarregou. E eu sei que só temos que passar por esse estágio e as coisas ficarão mais fáceis quando os bebês tiverem um ano de idade, e eu simplesmente esqueci o quão difícil pode ser, mas o mais velho é tão chorão o tempo todo e eu sinto que estou mudança curta ambos deles e

Ouvi e pensei: Uau. Lembro de tudo o que ela est√° falando e acho que estou do outro lado.

Nós rimos e conversamos sobre meus mecanismos de enfrentamento: blogs, autoflagelação e, admito, um cigarro ocasional parecia tão Boa fazer algo tão ruim por alguns minutos solitários depois que meus filhos foram para a cama (e depois de quatro tragadas, eu me senti enjoada de qualquer maneira.

Enquanto conversava com meu amigo, fiquei espantado que, pela primeira vez, eu era o ouvinte em vez do ventre (apesar do fato de que √†s vezes acordo de manh√£ calculando os minutos at√© a hora de dormir). At√© pensei no clich√™: era t√£o dif√≠cil, mas nem me lembro o porqu√™. √Č um borr√£o.

Ah, mas lembrei-me de algo específico, sem choro. Isso abrangeu 18 meses de inferno, para mim.

Ela continuou, eu sei que logo ficar√° mais f√°cil.

Tudo o que eu conseguia pensar era: se em breve você quer dizer 18 meses, então sim, tudo ficará melhor em breve.

Ela está prestes a entrar na era em que meu filho mais novo cresceu no inferno de “Querido Senhor, quando a agonia chorosa terminará? Eu chutei um filhote de cachorro em uma vida anterior para isso?

Eu conhecera dificuldade não acabou para mim. Mas a irracionalidade dos anos não comunicativos da criança acaba. E conversando com meu amigo, percebi que poderia estar do outro lado.

As coisas ficam (um pouco) mais fáceis, como as pessoas me disseram um ano atrás e, assim como eu disse ao meu amigo por telefone, é engraçado. De todos os nossos amigos, você é o mais próximo de mim no caminho, então eu entendo. Ligue e desabafe para mim a qualquer momento. Ainda está fresco em minha mente.

Eu sei. Obrigado. Eu vou. Eu sei que tudo vai melhorar em breve.

N√£o, n√£o vai. Hee-hee.

A paternidade é (um pouco) mais gerenciável agora. Mas, ainda está pastoreando gatos e me repetindo 17 vezes, e negociando com uma criança irracional (manipuladora, teimosa, irascível, adorável) de 2 anos.

Ainda está revirando os olhos e perdendo a paciência quando não resulta em histrionismo imediato da minha filha de 4 anos.

Ainda perdeu o sono e chora por causa de uma chupeta (lágrimas de bebês, não papais).

Mas agora é mais fácil.

Eu sonhei que esse dia chegaria, mas a realidade me atingiu quando eu era o ouvinte, não o ventre. Me atingiu quando ouvi alguém outro lamento o bebê babaca e eu respondi, eu sei. Entendi. Eu estive lá. Não sei como consegui superar, mas você também.

A vista é diferente deste lado.

E o futuro ainda parece assustador.

Acho que vou tomar uma bebida. Estou ganhando.