Minha cesariana roubou minha capacidade de confiar em mim mesmo

Minha cesariana roubou minha capacidade de confiar em mim mesmo

Minha cesariana roubou minha capacidade de confiar em mim mesmo

Randy Faris / Getty

A cadeira azul desbotada no consultório do meu terapeuta não é confortável. E não é só porque falar da minha intensa ansiedade pós-parto é desconfortável. A cadeira de verdade é uma droga, me engole toda vez que me sento. Eu afundo tanto no assento que é difícil voltar a levantar quando terminamos. E agora, eu quero terminar.

Estavam conversando sobre as imagens vívidas que assaltam minha mente sempre que tiro minhas duas crianças sozinha.

Esse cara vai nos seq√ľestrar.

Esta senhora parece que ela deve estar em alguma coisa. Por que ela está andando tão perto de nós?

Qual é a maneira mais rápida de sair do shopping se houver um atirador ativo?

O que acontece se sofrermos um acidente e eu só posso salvar uma criança?

Como vou fugir e carregar os dois de uma vez?

Estou lutando contra as lágrimas. Porque, enquanto estou sentado lá e catastrofizado, minha imaginação chega a um lugar tão real que sou tomado de tristeza e mal consigo respirar.

Enquanto o médico gentilmente tira mais detalhes de mim, ela me pergunta se eu sinto esse nível de medo e ansiedade quando meu marido ou minha mãe tiram as crianças, ou é apenas quando as tiro que me sinto assim?

“S√≥ comigo”, eu digo.

“E por que voc√™ acha que √© isso?” ela pergunta.

“Porque n√£o confio na minha capacidade de proteg√™-los em caso de emerg√™ncia.”

“E por que isso, Amy?”

Sem pensar, respondo com algo que tenho vergonha de admitir. N√£o era um pensamento que eu j√° tinha (conscientemente) antes – e ainda assim existe, saindo correndo da minha boca e ao ar livre. Como se estivesse no fundo da minha mente e na ponta da minha l√≠ngua todos esses anos. “Bem, porque eu n√£o posso confiar em dar √† luz sem ajuda, ent√£o”

Eu começo a engasgar. Eu não posso dizer outra palavra. Estou chocado, traído por meus próprios pensamentos subconscientes.

E então, o colapso acontece. Estavam falando soluços feios, incontroláveis, carrancudos, implacáveis. Eu não poderia me mexer para conseguir um lenço de papel se eu tentasse, maldita cadeira.

Stanislaw Pytel / Getty

Felizmente, meu terapeuta me passa a caixa de lenços de papel. E então me deixa em paz, pois permito que o peso do que acabei de dizer realmente afunde.

“Ent√£o √© disso que se trata?” Pe√ßo em voz alta, mais para mim do que para o meu m√©dico.

Eu não confio em mim porque, há 3,5 anos, meu filho perfeito nasceu através de cesariana de emergência em vez de naturalmente?

Essa ansiedade avassaladora e o medo constante de falhar com meus filhos em uma crise devem-se ao fato de minha história de nascimento não estar alinhada com as expectativas dignas do Instagram que eu tinha de como deveria ser minha primeira experiência de parto?

Esse ódio intenso que sinto pelo meu corpo é porque sinto que me decepcionou?

Se eu n√£o conseguia nem dar √† luz naturalmente, a √ļnica coisa que o corpo de uma mulher deveria fazer √© como eu poderia canalizar minha Gal Gadot interior e lutar contra poss√≠veis agressores a la Mulher Maravilha?

De repente, tudo fez sentido. E embora eu ainda esteja trabalhando para curar os sentimentos que eu nutria, pelo menos agora eu sei de onde vem toda a minha ansiedade. O que significa, agora eu posso lidar com isso. E eu sou. Bem aqui. Agora mesmo. Ent√£o, perdoe-me quando pulo na minha caixa de sab√£o virtual e grito:

Senhoras, chega desse B.S. Рtodos os nascimentos são naturais. Portanto, pare com essa palavra já. Os nascimentos são medicados ou não medicados. Eles são vaginais ou cesáreos. E adivinha? Cada um deles é AF natural.

O Oxford Learners Dictionary afirma que a palavra “natural”, quando usada como adjetivo, significa esperado, normal ou como seria de esperar.

Ent√£o, para esse fim … o que voc√™ espera que uma m√£e fa√ßa se seu corpo estiver sob ataque por horas e ela estiver prestes a desistir, e uma epidural √© o √ļnico caminho a seguir? Colocar as pr√≥prias necessidades em primeiro lugar n√£o √© natural?

E se um m√©dico que trabalha com m√£es est√° preocupado com o batimento card√≠aco de seu beb√™ e o quer sair? Agora. Espera-se que a m√£e desconfie das pessoas respons√°veis ‚Äč‚Äčpelo parto seguro do beb√™ e recuse a cesariana que eles recomendam inflexivelmente?

M√£es em trabalho de parto precisam tomar decis√Ķes dif√≠ceis, √†s vezes em meros minutos, √†s vezes sem a presen√ßa do parceiro. E em todos os casos, em todas as situa√ß√Ķes, o que √© mais natural que uma m√£e, em sua gra√ßa e seu melhor julgamento, fazendo o que ela acredita ser o melhor para a sa√ļde e seguran√ßa de si mesma e de seu beb√™?

Isso é maternidade. Isso é esperado. Não importa como o bebê chega aqui. Nascimento é nascimento. E não há nada de antinatural nisso.

As palavras que usamos importam. Eles penetram em nossas mentes subconscientes e formam nossos pensamentos e preconceitos sobre o mundo.

Eles criam expectativas, que muitas vezes nem percebemos, sobre como deveria ser a maternidade e o parto. E, consequentemente, eles abrem a porta para vergonha, julgamento e (no meu caso) ansiedade quando as coisas n√£o acontecem conforme o planejado.

Expectativas, vergonha e julgamento s√£o prejudiciais √† nossa sa√ļde mental. Ent√£o, precisamos parar de infligir um ao outro.

Mães não medicadas, vocês são guerreiras; mães medicadas, são ferozes. Mães de cesárea, você é corajosa. Mães pandêmicas, você é heróico.

Para aqueles de voc√™s que ainda se apegam √† no√ß√£o de que existe apenas uma maneira certa ou natural de dar √† luz, considere o seguinte: O que voc√™ dir√° a sua filha ou nora, quando o nascimento dela n√£o for conforme o planejado ? Voc√™ vai envergonhar ela e seu beb√™ ‚Äúartificial‚ÄĚ nascido via cesariana?

Não, provavelmente não. Por quê? Porque você sabe, no fundo, que as palavras que você usa são importantes.

Ent√£o comece a usar palavras melhores. Agora.

Todos os nascimentos s√£o naturais e todos os nascimentos s√£o lindos. A cada nascimento, uma m√£e nasce. E n√£o h√° nada mais natural que isso.