contador gratuito Skip to content

Materialismo e vícios de compras.

Materialismo e vícios de compras.

Qual é a definição de materialismo? Compreender esse conceito é importante quando se trata de examinar vícios de compras. Em sociedades capitalistas como os Estados Unidos, onde o consumismo não é apenas desenfreado, mas incentivado a impulsionar a economia, o materialismo é um problema sério.

As nozes e os burros do materialismo

Em poucas palavras, o materialismo √© a import√Ęncia que se atribui aos bens materiais. Esses bens podem ser qualquer coisa como roupas, sapatos, bolsas, carros, equipamentos eletr√īnicos e acess√≥rios. A casa de algu√©m tamb√©m conta como possess√£o material, embora todos precisem de um lugar para morar. As pessoas materialistas n√£o v√™em uma casa simplesmente como um lugar onde vivem para se refugiar, mas como um lugar que reflete seu status social de alguma forma.

Algu√©m com um alto n√≠vel de materialismo, descrito como “materialista”, considera os bens materiais fundamentais para sua vida e identidade. Eles concentram grande parte de sua energia na aquisi√ß√£o de bens. Algu√©m com um baixo n√≠vel de materialismo descrito como “n√£o materialista” ou “n√£o materialista” n√£o considera particularmente importante a aquisi√ß√£o de bens, embora variem na medida em que adquirem bens materiais para atingir outros objetivos. como aceita√ß√£o social.

Por que o materialismo é um problema?

Nos Estados Unidos, o materialismo √© t√£o americano quanto a torta de ma√ß√£ e o futebol. √Č de muitas maneiras um passatempo nacional. O feriado de A√ß√£o de Gra√ßas foi em grande parte ofuscado pelas vendas da Black Friday, e muitas lojas de departamento at√© fazem vendas no pr√≥prio Dia de A√ß√£o de Gra√ßas, provocando a frase Brown na quinta-feira. Em suma, um dia que deveria ter se concentrado na gratid√£o, na fam√≠lia e, sim, no futebol, at√© certo ponto, agora est√° amplamente focado nas vendas de lojas de departamento.

O materialismo gerou outros termos como “viciado em compras”, “acompanhar os Jones” e “consumo consp√≠cuo”. √Č dif√≠cil n√£o ser materialista em uma cultura em que as compras s√£o virtualmente um esporte competitivo e em que as crian√ßas s√£o rejeitadas se n√£o usarem os sapatos de gin√°stica ou as roupas de marca.

A ascens√£o das compras on-line, que tem seu pr√≥prio feriado logo ap√≥s o Dia de A√ß√£o de Gra√ßas, “Cyber ‚Äč‚ÄčMonday”, tornou muito mais conveniente fazer compras e mais f√°cil se tornar um viciado em compras. N√£o √© preciso sair de casa para consumir, basta clicar em um bot√£o.

Consequências

O materialismo tem v√°rias conseq√ľ√™ncias, a saber, d√≠vida. Milh√Ķes de americanos terminam com milhares de d√≥lares em d√≠vidas ap√≥s compras excessivas nas festas, casamentos extravagantes e compras em excesso ao longo do ano.

O materialismo tamb√©m pode afetar a auto-estima. Em vez de derivar sua auto-estima de suas realiza√ß√Ķes ou caracter√≠sticas √ļnicas, os viciados em compras podem se sentir valiosos com base no que possuem: um carro estiloso, uma casa de luxo ou uma bolsa cara.

O materialismo tamb√©m pode levar √† acumula√ß√£o, embora nesse dist√ļrbio as pessoas possam coletar itens que n√£o valem nada, como pilhas de jornais, bot√Ķes ou outros itens vistos como lixo. Ainda assim, quando as pessoas acumulam, estabelecem um v√≠nculo emocional com os elementos materiais, em vez de se voltar para dentro para atender √†s suas necessidades.

Se você tem algum problema com o materialismo, pode ser necessário consultar um psicoterapeuta sobre como você pode superar sua tendência a comprar demais.