M√£e afasta menino do All-Girls Playground Play Date

M√£e afasta menino do All-Girls Playground Play Date

M√£e afasta menino do All-Girls Playground Play Date

Eu sempre lembro, quando menina, de ter uma placa na porta do meu quarto que dizia: “N√£o s√£o permitidos meninos”.

Assim isso impediria meu pai de invadir meu quarto. Embora eu realmente pensasse que sim.

Mas mais do que tudo, foi uma jogada de poder. Eu usei para reivindicar meu espaço e minha feminilidade. Aquele sinal de US $ 10 tinha tanto poder para mim e para as meninas que vinham à minha casa para dormir no pijama.

Mas há um equívoco quando se trata de poder feminino e até que ponto ele realmente deve ir, especialmente se você se considera uma feminista.

O feminismo é a crença de que mulheres e homens devem ser tratados igualmente e devem ter as mesmas oportunidades. Misandria, ou ódio contra os homens, é outra história. E a mãe que estou prestes a apresentar parece mergulhar mais neste território.

Ou ela só tem uma noção do que realmente é o feminismo, como mostra a pergunta que fez a Carolyn Hax para o Washington Post.

A m√£e an√īnima, que interpreta “Drama no Playground”, come√ßa a pergunta dizendo: “Eu tenho uma filha e algumas outras m√£es de filhas e eu come√ßamos a nos reunir em um playground local em um hor√°rio definido a cada semana”.

Então, isso é como um acordo de reunião de mãe e filha? OK, não há problema aí. Mas aqui é quando chega a ser um pouco extremo:

‚ÄúRecentemente, a m√£e de um menino levou o filho ao parquinho ao mesmo tempo em que est√°vamos l√°. Perguntei-lhe (muito bem, pensei) se ela se importaria em sair porque quer√≠amos que fosse apenas um tempo para meninas. ‚ÄĚ

Espere o que? Voc√™ pediu a uma m√£e e um filho que deixassem uma vizinhan√ßa p√ļblica durante o seu “tempo apenas para meninas”, o que, lembre-se, nem estava em um espa√ßo privado.

A m√£e ent√£o pergunta como deve abordar a m√£e e o filho, se eles voltarem, e acrescenta:

‚ÄúEste foi um momento muito agrad√°vel para m√£es e filha, e ter um menino l√° naturalmente mudar√° as coisas. Vivemos em um mundo em que os meninos recebem tudo e as meninas ficam com as migalhas, e eu acho que essa m√£e perceberia isso, mas ela parece pensar que seu filho tem o direito de travar o tempo apenas para meninas. ‚ÄĚ

Isso é escrito por uma mãe ou uma garotinha com medo de cooties?

Hax sabe disso quando ela responde que o menino √© um ser humano e n√£o com “sentimentos privilegiados de homenzinho”, mas com sentimentos reais, reais e pequenos de crian√ßa.

“E se voc√™ vai acusar algu√©m de ter” direito “, pergunte a si mesmo quem acabou de pedir ao mundo que se incline a quem”, acrescenta Hax.

Vamos ver se entendi: a vergonha de menino é real e não é menos prejudicial do que a vergonha de menina.

Como voc√™ se sente com as opini√Ķes dessa m√£e? Voc√™ concorda ou n√£o? Deixe-nos saber nos coment√°rios.