Lembre-se dos pais: você já tem ótimos filhos

Lembre-se dos pais: você já tem ótimos filhos

Lembre-se dos pais: você já tem ótimos filhos

Rachel Garlinghouse / Instagram

Eu passei as √ļltimas semanas apodrecendo em frustra√ß√£o. Meu filho com necessidades especiais estava lutando para controlar sua raiva e articular seus sentimentos usando palavras. Para ser franco, eu me senti como um fracasso completo e total. Nenhum dos meus truques e ferramentas t√≠picos estavam funcionando, e eu estava estressado ao m√°ximo.

V√°rias pessoas sugeriram aulas de artes marciais para mim. As artes marciais, dizem eles, ensinam disciplina, respeito e confian√ßa. No come√ßo, eu apaguei a sugest√£o. Ent√£o liguei para alguns est√ļdios locais. Cada um deles queria que eu levasse meu filho ao est√ļdio duas vezes por semana para praticar e me comprometer com torneios de fim de semana.

Parei de ouvir quando os donos falaram sobre as classifica√ß√Ķes das cores dos cintos e da medita√ß√£o em grupo. N√£o porque o que eles fazem pode n√£o funcionar para algumas crian√ßas, mas porque comecei a pensar, existe realmente algo errado com meu filho que precisa ser corrigido adicionando mais ao nosso calend√°rio – ou h√° algo errado com as expectativas atuais dos pais?

Uma semana depois, minha família está na fila de um café local. Um casal está atrás de nós, e o homem pergunta à minha filha de oito anos em que esporte ela pratica. Ela diz a ele que atualmente está tendo aulas de bateria, mas costumava jogar basquete. Mesmo? Sem esportes? ele disse. A mulher então fez a mesma pergunta a cada um dos meus outros três filhos.

Minhas respostas mais antigas de que ela não gosta de esportes. Meu filho não se importava com nada além de Paw Patrol. E o meu filho, que é o quarto filho típico, está em zero Рisso mesmo, zero Рginástica mamãe e eu ou aulas de dança. Porque sua atividade extracurricular é seguir seus irmãos mais velhos e irritá-los.

√Č uma daquelas conversas estranhas, mas amig√°veis, com crian√ßas estranhas, √†s quais estamos acostumados. Porque a cultura moderna dos pais tem tudo a ver com os extras. Quanto mais melhor.

Todos os pais que eu conhe√ßo estavam no parque, na fila da escola ou em uma festa de anivers√°rio, fazendo a mesma pergunta. Em quais atividades seus filhos est√£o?(AKA: Quem √© o mais ‚Äúacima e al√©m‚ÄĚ de seus filhos?)

Nosso trabalho como pais mudou de criar bons seres humanos que terminam o ensino médio e, esperançosamente, encontrar felicidade em suas vidas para crianças que são completas e talentosas. Eles devem saber, desde tenra idade, exatamente em que são bons. Então eles precisam se aprimorar e se destacar rapidamente.

Os pais sabem que essa pista de corrida de velocidade era assustadora e exaustiva. Mas nós apenas continuamos. Todos nós coletivamente.

Meus filhos n√£o s√£o fant√°sticos devido ao n√ļmero de atividades em que est√£o matriculados ou ao comportamento deles em um determinado dia. Eles sempre foram incr√≠veis.

Há muita pressão para que as crianças Рah, pais Рtenham um bom desempenho. Se a criança está fazendo algo individualmente ou como parte de uma equipe, ela está sempre ativa. Sempre indo. Sempre fazendo. Sempre alcançando.

E não para por aí. Criamos gráficos de tarefas elaborados para crianças Рou não os fazemos executar tarefas. Não há intermediação, moderação ou compromisso. Hoje é tudo ou nada. Ou pensamos que não queremos criar pirralhos desamparados, que não sabem como iniciar uma máquina de lavar ou que nossos anjos não levantem um dedo, porque, afinal, eles estão muito ocupados com todos os extracurriculares acima mencionados. Eles podem aprender a dobrar uma toalha quando estão na faculdade.

Al√©m disso, existem os temidos sistemas de gr√°ficos de clipes em sala de aula em que nossos filhos devem estar constantemente em seu melhor comportamento. Caso contr√°rio, o clipe ser√° movido para “pensar sobre isso” ou, pior, levar sua bunda para o escrit√≥rio do diretor. A humilha√ß√£o p√ļblica que as crian√ßas enfrentam por simplesmente serem humanas, por terem dias ou esta√ß√Ķes ruins, √© estressante.

Desde quando as crianças têm que se controlar, sendo tão educadas e preparadas, ainda assim, nós, como adultos, não nos mantemos no mesmo nível? Quem decidiu que as crianças Рcujos cérebros nem mesmo serão totalmente formados até os vinte e poucos anos Рnunca podem estragar tudo? Por que eles não conseguem mais cinco por serem medianos, se a média é o seu melhor?

Estamos drenando nossos cérebros e contas bancárias para garantir que nossos filhos sejam os melhores e os mais Рos mais comportados, os mais talentosos e os mais inteligentes. À medida que nos esforçamos para atingir nossas metas para nossos filhos, sentimos falta da pessoa que está na nossa frente Рa criança que eles são agora.

Eu sinto como se todos estivessem presos. Sabíamos que estávamos fora de controle, mas como paramos?

À medida que nos esforçamos para atingir nossas metas para nossos filhos, sentimos falta da pessoa que está na nossa frente Рa criança que eles são agora.

Eu admito, j√° fui pego nessa teia de ‚Äúmais‚ÄĚ antes, e n√£o √© divertido. Eu tenho quatro filhos, variando de uma crian√ßa a uma interpola√ß√£o. N√£o estou imune √† tenta√ß√£o de levar a educa√ß√£o dos meus filhos al√©m da escola e mergulh√°-los em tudo e qualquer coisa que os torne melhores seres humanos. Sim, fiz para meus filhos um gr√°fico de tarefas com c√≥digo de cores – ao qual n√£o aderimos mais. E tenho absolutamente momentos de vergonha da mam√£e quando meu filho traz para casa um bilhete do professor sobre a menor infra√ß√£o comportamental.

Agora, n√£o h√° nada errado em criar um garoto bem-educado. Tamb√©m n√£o h√° nada de errado em deixar seu filho se concentrar na atividade que realmente gosta. Hoje, as crian√ßas t√™m mais op√ß√Ķes extracurriculares do que jamais fizemos quando crescemos, e as op√ß√Ķes s√£o diversas, o que √© uma coisa boa. Definitivamente, n√£o devemos criar crian√ßas mimadas que crescem para acreditar que o mundo deve todos os favores.

Quando nosso quarto filho chegou, eu tive que estabelecer alguns limites para o bem de nossa família. Primeiro, decidi não fazer uma montanha fora de uma montanha. Meus filhos vão estragar tudo Рtodos os dias Рe tudo bem. Nós resolvemos e seguimos em frente. Cometer erros faz parte da vida. Eu também fiz uma regra de uma atividade de cada vez por criança, porque, embora meu filho mais velho adorasse ser uma bailarina-ginasta-romancista-padeiro mundialmente famosa, não há espaço em nossa agenda ou conta bancária para todas essas atividades.

Eu sei o que estávamos fazendo é contracultural. Meus filhos não estão programados desde o amanhecer até o anoitecer, sete dias por semana. Na verdade, eles têm muito tempo não programado, onde brincam fora da orgasmo com os brinquedos que possuímos. Dormimos nas manhãs de sábado e depois tomamos panquecas. Nós vamos à igreja aos domingos, temos amigos para jantar, vamos à biblioteca.

Eu questiono nosso ritmo mais lento? As vezes. Olho ao nosso redor e penso: estamos fazendo a coisa certa por ter uma vida discreta? Meus filhos vão ficar bem? E se eles crescerem para não serem empreendedores?Então tive um vislumbre dessa lembrança e ela proporcionou o alívio que eu precisava.

Lembrei-me de que meus filhos já são ótimos. O mais velho é organizado, criativo e intuitivo. Ela sempre sabe exatamente o que sua irmãzinha precisa. Minha filha do meio é atlética, engraçada e atenciosa. Meu filho é enérgico e empático. E o bebê? Bem, ela sempre está pronta para nos fazer rir ou oferecer um abraço. Sim, eles têm seus momentos. Quero dizer, com quatro filhos, sempre há alguém tendo um momento. Essa é a vida real, certo?

Meus filhos n√£o s√£o fant√°sticos devido ao n√ļmero de atividades em que est√£o matriculados ou ao comportamento deles em um determinado dia. Eles sempre foram incr√≠veis. Muito tempo antes e longas aulas de m√ļsica, ataques de raiva, jogos de basquete e tarefas de casa perdidas.

Como muitas mães, estou implacavelmente tentando criar bons humanos. Mas não pára por aí. Parte de criar ótimos filhos é apreciar quem eles são agora.