Gratid√£o: “Veja bem, George, voc√™ realmente teve uma vida maravilhosa”.
Sa√ļde

Gratid√£o: “Veja bem, George, voc√™ realmente teve uma vida maravilhosa”.

Gratidão: "Veja bem, George, você realmente teve uma vida maravilhosa".

Com o Dia de A√ß√£o de Gra√ßas em apenas vinte (e contando!) Dias, estou com vontade de come√ßar com gratid√£o. Infelizmente, o t√≥pico foi abreviado neste blog nos √ļltimos anos. Originalmente, eu pretendia fazer um ano 5 raz√Ķes pelas quais sou grato pelos narcisistas Artigo do dia de a√ß√£o de gra√ßas, mas, de alguma forma, isso s√≥ aconteceu em 2017.

Assim como pode ser f√°cil “esquecer” todos os pequenos abusos que se combinam para formar o monstro do Abuso Narcisista, tamb√©m pode ser f√°cil esquecer nossas b√™n√ß√£os.

Agora, como você já sabe, sou um grande fã das planilhas do Excel (ou Open Office). Nove meses depois NmN foi lançado, escrevi sobre planilhas no Um exercício de luto e auto-empatia:

Quando a nega√ß√£o amea√ßa me afogar e eu esqueci mais abusos do que me lembro, minha planilha da linha do tempo dos abusos salva o dia. H√° uma coluna para o ano em que o abuso ocorreu. H√° uma coluna com um breve resumo e uma coluna com a explica√ß√£o completa.Depois, h√° uma coluna intitulada Categoria. At√© fiz algumas tabelas din√Ęmicas para me dar um instant√Ęneo da perspectiva de 10.000 p√©s quando a nega√ß√£o me sufoca e preciso de um lembrete r√°pido de que N√ÉO estava tudo bem no Reino.

Mas tamb√©m corta ao contr√°rio. Como Donald Pleasance refletiu As Cr√īnicas de Barchester, “Ah, sim, esquecemos a dor”, mas tamb√©m esquecemos o prazer. √Č por isso que estou em uma miss√£o de lembrar tantos eventos felizes esquecidos da minha pr√≥pria vida. Ao faz√™-lo, minha gratid√£o est√° crescendo e, apesar dos muitos desafios e tristezas causados ‚Äč‚Äčpelo narcisismo, descobri recentemente que, nas palavras de Clarence, Conectado √† Terra Angel: “Veja bem, George, voc√™ realmente teve uma vida maravilhosa.

Eu tamb√©m tive uma vida maravilhosa, e aposto que voc√™ tamb√©m o faz se “contar suas b√™n√ß√£os”, al√©m dos abusos narcisistas, √© claro.

Assim como ter uma planilha “Cronologia do abuso” foi muito ben√©fica para mim, tamb√©m descobri que minha planilha “Nostalgia” √© um exerc√≠cio maravilhoso de gratid√£o. Ah sim, aqui vamos n√≥s novamente com a Idade M√©dia. Mas, falando s√©rio, se queremos seguir o conselho de Thoreau e “extrair toda a medula da vida”, temos que apreciar o passado, tanto quanto buscamos prazer agora e fazemos lembran√ßas no futuro.

Esse foi o erro que eu estava cometendo. Na minha raiva com os narcisistas por tirar minha liberdade, eu havia ro√ßado o que Eu fui permitido fazer debaixo do tapete. Eu tinha esquecido, perdi a gratid√£o com o esquecimento. Oh, n√£o me interpretem mal! Havia bastante limonada … mas espa√ßava tanto que os momentos especiais eram facilmente esquecidos. Lim√Ķes assumiu a lideran√ßa na minha mem√≥ria e a limonada foi um pouco esquecida. Sim, eu poderia ter gostado da vida. muito mais Se eu estivesse livre nos meus vinte anos, mas nessa fase de recupera√ß√£o, estou procurando tudo de bom, revirando todas as lembran√ßas agrad√°veis ‚Äč‚Äče aproveitando-as novamente em retrospecto.

H√° algo em ter quase quarenta anos (a√≠ est√° outra vez!) Isso faz com que os anos se integrem. Eu lembro … eu lembro.

Lembro-me de ver Peter Ostroushko em concerto … mas estou em perigo se consigo me lembrar de onde ou quando. Tamb√©m James Galway. Itzhak Perlman. Bobby McFerrin. Eu estive na mesma sala com dois violinos Stradivarius. Correspondia com Franz Mohr, da Steinway and Sons, que viajava com todos dos melhores pianistas do s√©culo XX. E minha √ļltima professora de violino, Margarita Lekhter, era esposa do assistente do mestre de concertos da Orquestra de Minnesota e prima do terceiro violinista russo David Oistrakh. Foi ela quem me mostrou como colocar toda a minha paix√£o no violino e, em seguida, e s√≥ ent√£oEle vai cantar?

E, neste ponto, estou apenas soltando o nome. Meu argumento é que eu tinha esquecido a maior parte disso até me sentar e me forçar a lembrar.

Eu tinha focado em tudo n√£o era permitido fazer. Todos os lugares n√£o era permitido dirigir. Todos os restaurantes que eu n√£o tentei. Todos os museus de arte que minha fam√≠lia evitou devido √† nudez na arte, tsk, tsk. Todos os filmes n√£o ver e todos os lugares nas cidades g√™meas que evitamos por raz√Ķes religiosas ou que nunca conseguimos explorar. Voc√™ acha que eu tenho Nunca Voc√™ j√° esteve no Mall of America?

Na minha raiva com narcisistas, eu tinha esquecido. Eu esqueci de ser grato a eles. Eles se sacrificaram para comprar ingressos na se√ß√£o de sangramento nasal do Orchestra Hall, para que o filho de seis anos fosse exposto √† m√ļsica cl√°ssica ou quando minha av√≥ narcisista zombou, “aquela m√ļsica de cabelos compridos”. Fui eu quem me criou, o Projeto, para ser. Foram seus esfor√ßos para me expor a √≥timos livros. (n√£o h√° televis√£o em nossa casa!) que me ensinaram a escrever hoje e os pr√≥prios livros que inspiram as cita√ß√Ķes que eu escrevo t√£o generosamente em meus artigos. Eles me expuseram a grandes concertos, monumentos hist√≥ricos, museus, eventos culturais que me fizeram quem eu sou hoje. Escrito NmN, Estou apenas seguindo o conselho de minha m√£e: “Nunca retenha os abusos. Sempre conte a algu√©m”.

Mas n√£o percebi nada disso at√© come√ßar a trabalhar na minha planilha do Nostalgia. Foi ent√£o que percebi: “Veja, George, voc√™ realmente teve uma vida maravilhosa”. Foi ent√£o que a gratid√£o come√ßou a crescer.

Meu desafio para voc√™ neste Dia de A√ß√£o de Gra√ßas √© dizer: “Oh, maldito abuso narcisista”, e buscar suas b√™n√ß√£os. E eu quero dizer, pegue detalhado! Pesquise sua mem√≥ria. Confira as caixas de fotos desorganizadas e sem r√≥tulo. Desenterrar seus anu√°rios do ensino m√©dio. Inicie um grupo de ex-alunos no Facebook. Google “19 brinquedos antigos **”. Lembre-se, lembre-se, lembre-se. Fa√ßa uma lista e verifique-a duas vezes.

Lembre-se de suas refei√ß√Ķes mais memor√°veis. A revela√ß√£o de que existem outros queijos no mundo al√©m de Colby e Velveeta. Lembre-se da primeira vez em que voc√™ experimentou comida asi√°tica verdadeira e adequada, comida italiana ou comida francesa. Sua primeira garrafa de Boa Aconteceu que ele “acendeu a chama” de ser um aspirante a sommelier. Lembre-se de todos os concertos, todas as pe√ßas, todas as f√©rias, todos os jogos de futebol, todas as fogueiras, todos os peixes capturados. (Eu sou De verdade tentar aqui esportes n√£o √© coisa minha).

A vez em que voc√™ fez um beb√™ rir em um carrinho de compras fazendo careta quando sua m√£e n√£o estava olhando. (Sim, eu aceito.) Um filhote de cachorro perdido que voc√™ devolveu ao seu dono chorando. (Uma amiga amig√°vel pegou Delly e Cleo para n√≥s em 2013, quando foram lan√ßadas!) Um ato aleat√≥rio de bondade de um estranho. Sorrisos compartilhados. GoFundMes de risadas m√ļtuas que tamb√©m deram ou se beneficiaram (obrigado!). As moedas ca√≠ram nos baldes do Ex√©rcito de Salva√ß√£o no Natal. Um presente que voc√™ recebeu √≥dio Isso foi t√£o perfeito que voc√™ nunca esqueceu. Qualquer coisa, Tudo.

Jogue tudo na tremonha e acho que voc√™ se ver√° sorrindo no espelho diante do seu reflexo e sussurrando: “Veja, George, voc√™ realmente teve uma vida maravilhosa!”

Feliz (cedo) Ação de Graças para você e os seus de Michael e eu…! Sempre sou grato por você ter tempo para ler NmN!


… e, √© claro, n√£o devemos esquecer Adele, Cleo, Snuggles e Cuddles. Obrigado pela leitura! Se voc√™ quiser ver o que mais tenho escrito ultimamente, visite meu recentemente atualizado site: www.lenorathompsonwriter.com

.