Famílias americanas merecem melhor depois de ter um bebê

Famílias americanas merecem melhor depois de ter um bebê

Alexie Flook

√Č preciso uma vila para criar um filho.

Todos já ouvimos esse provérbio, mas depois de ter um bebê na Inglaterra e ter um bebê aqui, posso dizer em primeira mão que a maioria das mulheres americanas não está recebendo o apoio pós-parto que elas merecer,e isso me deixa com raiva.

Quando eu tinha Hudson, uma parteira veio para minha casa cada. solteiro. dia. por duas semanas para me verificar. Ela verificou se minha placenta estava encolhendo, verificou se Hudson tinha uma boa trava, pesou para garantir que ele estava saud√°vel, me incentivou e atendeu minhas liga√ß√Ķes a qualquer hora do dia. Ela me apoiou.

Em vez de visitas de “filhos bons”, onde eles tra√ßam seu filho em uma linha e ligam para o pr√≥ximo beb√™, voc√™ faz uma pesagem semanal com todas as outras m√£es da vila. A mesma parteira que veio e cuidou de voc√™ e seu beb√™ em sua casa espera na igreja local ou no consult√≥rio m√©dico toda semana para ver como voc√™ est√° e como est√° seu beb√™. Eles realmente ouvem. Eles se importam genuinamente e, se houver um problema, eles ter√£o tempo para ajud√°-lo a resolv√™-lo, mesmo que isso signifique ir √† sua casa repetidamente.

Na Inglaterra, quando seu bebê completa três meses, você recebe uma carta pelo correio convidando você para uma aula local de massagem no consultório médico de graça. Uma vez por semana, você vai a essa aula e aprende técnicas que ajudarão a acalmar o bebê, ajudar a barriga e apoiar o corpo em crescimento. Você também conhece outras mães com bebês da sua idade. Você lembrou que não está sozinho nesta jornada.

Foi durante essa aula de massagem com bebês que a professora me puxou para o lado e recomendou que eu visse um médico sobre o refluxo de Hudson. Eu não tinha idéia que ele tinha refluxo. Ele foi meu primeiro bebê. Eu pensei que ele era apenas um bebê agitado. Eu pensei que o bebê cuspir era normal. Se não fosse esse grupo, eu nunca saberia o contrário.

Na América, você tem seu bebê, sai do hospital e, se tiver problemas, é melhor saber a resposta, porque ninguém parece realmente se importar com você depois que você sai do hospital. Não há suporte pós-parto. Um check-up de seis semanas? Mesmo? E o que acontece nessas seis semanas? Quem estará lá para nos dizer se o que estamos experimentando é saudável e normal ou talvez algo com o que devemos nos preocupar?

Muitas m√£es deixam o hospital com medo porque n√£o se sentem apoiadas e n√£o sabem o que fazer. Eles expressam suas preocupa√ß√Ķes aos pediatras que t√™m cotas para atingir e outros pacientes para atender. Enquanto seu beb√™ estiver crescendo nessa linha, eles pedem para voc√™ n√£o se preocupar. Eles n√£o parecem ou√ßo. A intui√ß√£o de uma m√£e parece ser ignorada aqui.

Nós merecer Melhor.

E na sala de parto? Com Hudson, tudo o que ouvi foi um grupo de parteiras e m√©dicos me dizendo: ‚ÄúVoc√™ pode fazer isso. Como posso apoiar voc√™? Na Am√©rica, meu m√©dico verificou meu colo do √ļtero e eu disse “ai” e sua resposta foi: “Se voc√™ n√£o puder segurar minha m√£o, nunca poder√° empurrar esse beb√™. Devo lhe dar uma epidural? Que. √©. errado.

Na Inglaterra, as mulheres podem obter até 39 semanas de férias pagas depois de terem um bebê.SIM.Trinta e nove semanas. Na América, não existe licença remunerada. Quero dizer, por que uma mulher precisaria de folga depois de empurrar um bebê para fora de sua vagina, sem dormir, aprendendo a ser mãe e se relacionando com seu novo bebê que ela carregou por nove meses.

Nós merecer Melhor.

Tenho orgulho de ser americana, mas tenho vergonha da maneira como tratamos nossas m√£es. Tenho vergonha do caminho alguns m√©dicos e pediatras nos tratam como n√ļmeros em vez de pessoas com real quest√Ķes. Eu odeio n√£o poder ter uma conversa com o m√©dico dos meus filhos sem sentir que, de alguma forma, estou dando nos nervos.

Pais, nós merecer Melhor.

América, nós merecer Melhor.