Euforia e dependência de exercício
Sa√ļde

Euforia e dependência de exercício

Euforia e dependência de exercício

Todos sabemos que se sentir bem e manter-se saudável através do exercício pode ser bom, mas às vezes pode ser tão bom que as pessoas que se exercitam podem se perguntar: você pode ficar chapado após o exercício? E se você pode realmente se drogar com exercícios, como você pode fazer com drogas, isso é bom ou ruim para você?

A resposta curta é sim, você pode ficar chapado com o exercício. E embora a sensação de tomar drogas não seja prejudicial, como é o caso das drogas, você pode ser prejudicado sob a influência desse sentimento elevado, pois pode estar menos consciente do dano real e potencial ao seu corpo. Também existe o risco de se tornar viciado em quão alto você se exercita, o que também pode ser prejudicial.

Benefícios do exercício físico regular

Então, devemos nos preocupar que estamos exercitando demais? Para a maioria de nós, a resposta é não. A grande maioria das pessoas não precisa se preocupar em se viciar em exercícios e deve tentar se exercitar regularmente. As pessoas que não se exercitam muito geralmente encontram trabalho duro no início, e é somente depois que sua força, resistência e capacidade se desenvolvem que elas começam a se sentir bem durante e após o exercício.

Mesmo para aqueles que desenvolveram uma rotina regular de exerc√≠cios, esperam se exercitar e se sentir bem durante e ap√≥s o exerc√≠cio, a maioria nunca chega ao ponto em que o exerc√≠cio √© uma preocupa√ß√£o. Existe uma grande varia√ß√£o na quantidade de prazer que as pessoas obt√™m com exerc√≠cios, predisposi√ß√£o para depend√™ncia e composi√ß√£o neurol√≥gica individual das pessoas, e os neurocientistas observaram que uma das principais raz√Ķes pelas quais As pessoas que pretendem aumentar o exerc√≠cio finalmente desistem √© falta de prazer. De qualquer forma, a maioria de n√≥s se beneficiaria de se exercitar mais e aumentar o prazer de se exercitar para refor√ßar uma rotina regular de exerc√≠cios.

O exercício melhora o funcionamento do seu corpo de muitas maneiras diferentes. Aqui estão alguns dos benefícios do exercício regular:

  • O exerc√≠cio lhe d√° energia e aumenta sua resist√™ncia √† fadiga, o que significa que, embora seu corpo esteja trabalhando mais duro ao se exercitar, com o tempo voc√™ se sente menos cansado do que antes de come√ßar a treinar.
  • O exerc√≠cio ajuda voc√™ a ter uma boa noite de sono e pode ajud√°-lo com dist√ļrbios do sono.
  • O exerc√≠cio fortalece seus m√ļsculos, melhora sua capacidade de executar muitas tarefas ativas diferentes e aumenta sua independ√™ncia, pois √© menos prov√°vel que voc√™ precise de ajuda com tarefas f√≠sicas.
  • O exerc√≠cio o torna mais flex√≠vel, aumentando a variedade de atividades f√≠sicas que voc√™ pode realizar, estejam elas relacionadas ou n√£o diretamente ao exerc√≠cio.
  • O exerc√≠cio melhora sua resist√™ncia f√≠sica, o que significa que voc√™ pode continuar sendo fisicamente ativo por per√≠odos mais longos do que quando n√£o se exercita, sem se esfor√ßar ou se sentir desconfort√°vel.
  • O exerc√≠cio torna seu corpo mais eficiente em tarefas f√≠sicas, o que significa que voc√™ pode execut√°-las com menos esfor√ßo e se sentir menos cansado depois do que se n√£o se exercitar regularmente.
  • O exerc√≠cio reduz o risco de les√Ķes, como problemas nas costas.
  • O exerc√≠cio ajuda a controlar o seu peso e pode ajud√°-lo a perder peso, se voc√™ ganhou muito peso.
  • O exerc√≠cio diminui o risco de doen√ßas cardiovasculares.
  • O exerc√≠cio reduz o risco de diabetes mellitus tipo 2 (apar√™ncia em adultos).
  • O exerc√≠cio reduz o risco de depress√£o e pode ajudar a controlar os sintomas da depress√£o para quem sofre.
  • O exerc√≠cio pode diminuir os efeitos do envelhecimento, melhorando a fun√ß√£o durante as tarefas normais da vida di√°ria.
  • O exerc√≠cio pode ajudar as pessoas a superar outros v√≠cios.

Ent√£o voc√™ pode estar se perguntando, com tantos benef√≠cios, qual poderia ser o problema do exerc√≠cio? Parece que quanto mais, melhor, e voc√™ n√£o pode dar errado. Para a maioria de n√≥s, isso √© verdade, mas para pessoas com hist√≥rico pessoal ou familiar de v√≠cios, pessoas com trauma emocional n√£o resolvido ou pessoas que s√£o particularmente sens√≠veis a opi√≥ides end√≥genos (as subst√Ęncias semelhantes a drogas produzidas pelo corpo) Pode haver um risco em se exercitar demais.

O que √© Runner’s High?

Os bons sentimentos que as pessoas t√™m com o exerc√≠cio, tamb√©m conhecido como euforia, s√£o um fen√īmeno bem conhecido, geralmente chamado de “a m√°xima do corredor”. A euforia que voc√™ experimenta durante e ap√≥s o exerc√≠cio n√£o √© prejudicial e, como afirmado acima, o exerc√≠cio em si √© geralmente saud√°vel, desde que n√£o seja excessivo.

De fato, os sentimentos positivos que as pessoas sentem com o exerc√≠cio podem ser uma √≥tima maneira natural de motiv√°-los a se exercitar com mais frequ√™ncia, podem combater a depress√£o e podem ser √ļteis para pessoas que tentam se recuperar de v√≠cios em √°lcool e drogas. O problema decorre do processo psicol√≥gico do v√≠cio, que pode ocorrer em pessoas que experimentam um n√≠vel alto de corredores e que podem potencialmente levar ao exerc√≠cio do v√≠cio.

A altura do corredor ocorre naturalmente quando as pessoas praticam exerc√≠cios vigorosos, como corrida, nata√ß√£o ou exerc√≠cio aer√≥bico. √Č causada por altera√ß√Ķes no corpo e no c√©rebro que ocorrem durante o exerc√≠cio, que se acredita serem semelhantes aos processos que ocorrem quando as pessoas tomam medicamentos opi√≥ides, como a hero√≠na. Embora isso possa parecer implaus√≠vel, os processos f√≠sicos do transtorno do uso de opi√≥ides e da depend√™ncia de exerc√≠cios est√£o mais pr√≥ximos do que voc√™ imagina, pois as endorfinas no corpo s√£o importantes para iniciar os dois tipos de depend√™ncia.

Assim como as pessoas ficam altas ao tomar medicamentos opi√≥ides, a emo√ß√£o do corredor √© divertida, f√°cil e confort√°vel. Se voc√™ parar no corredor, poder√° parar de sentir a dor ou ficar “entorpecido”. Voc√™ pode experimentar uma sensa√ß√£o avassaladora de bem-estar, mesmo que isso n√£o reflita a realidade. Por exemplo, voc√™ pode n√£o se importar em sentir muito calor ou muito frio, e at√© sentir que essas coisas n√£o importam, sentindo uma esp√©cie de invencibilidade, que voc√™ tem for√ßa e resist√™ncia sobre-humanas, que pode fazer qualquer coisa e vir. no topo.

Naturalmente, essas coisas f√≠sicas s√£o importantes: as pessoas que usam hero√≠na e as que se exercitam s√£o t√£o vulner√°veis ‚Äč‚Äčquanto qualquer outra pessoa a ficar doente por superaquecimento ou superaquecimento, ou pelos ferimentos que a dor geralmente causa. cuidar de pessoas As pessoas que experimentam a emo√ß√£o de um corredor s√£o conhecidas por continuarem a se exercitar ou praticar esportes, mesmo com ferimentos graves, como ossos quebrados. Na √©poca, eles n√£o perceberam que estavam feridos ou isso n√£o parecia importar.

A ci√™ncia por tr√°s da Runner’s High

Os cientistas estudaram o n√≠vel do corredor superior para entender os mecanismos opioid√©rgicos do corpo do corredor superior no c√©rebro humano e para identificar a rela√ß√£o desses produtos qu√≠micos semelhantes aos medicamentos, que ocorrem naturalmente no corpo, com euforia ou qu√£o alto as pessoas experimentam. Quando eles se envolvem em exerc√≠cios intensos. Eles realizaram PET em dez atletas, em duas ocasi√Ķes separadas, em ordem aleat√≥ria, em repouso e ap√≥s 2 horas de corrida por cerca de 20 km.

Eles descobriram uma rela√ß√£o entre o n√ļmero de opioides no c√©rebro e a experi√™ncia euf√≥rica dos atletas. O n√≠vel de euforia aumentou significativamente ap√≥s a corrida. Os resultados desta pesquisa ap√≥iam a “teoria dos opi√≥ides” no topo do corredor e sugerem efeitos espec√≠ficos da regi√£o nas √°reas do c√©rebro frontol√≠mbico envolvidas no processamento de estados emocionais e humor.

Esta pesquisa indica que os cérebros de pessoas que se exercitam excessivamente estão expostos a quantidades excessivas de opioides semelhantes a drogas, criando alta intensidade e, portanto, aumentando a probabilidade de que eles desejem experimentar novamente.

Como saber se você está desenvolvendo um vício para se exercitar

Não há problema em fazer exercícios. De fato, é encorajado. Na maioria das vezes, isso não será prejudicial e fará muito bem a você. Também não há problema em você pensar em como pode melhorar sua técnica ou se destacar em qualquer forma de exercício ou esporte em que esteja envolvido.

Obter prazer no exerc√≠cio se torna problem√°tico quando se torna seu principal objetivo na vida. Se voc√™ gosta de se exercitar, tamb√©m deve aproveitar outros aspectos da vida. Se o exerc√≠cio √© a √ļnica atividade de que voc√™ gosta, com exce√ß√£o de outras atividades viciantes, como sexo, comida, trabalho, televis√£o e, claro, √°lcool e outras drogas, voc√™ pode se concentrar muito na atividade. que fornece exerc√≠cios em detrimento de outras √°reas da vida.

Você está desfrutando de uma vida social e / ou familiar completa? Se todas as pessoas com quem você gosta de passar tempo são parceiras de exercícios, você pode estar levando isso longe demais. Esse é particularmente o caso se você sabe que tem problemas em seus relacionamentos primários, por exemplo, com seus pais, parceiro ou filhos, mas não está enfrentando esses problemas porque está se concentrando demais em se exercitar.

Um dos indicadores mais importantes de um vício é o sentimento de que você não pode lidar com exercícios sem exercício físico e que é uma das coisas mais importantes da sua vida. Se você precisar parar de se exercitar, seja por estar ocupado com outras prioridades ou por doença ou lesão física, sente-se deprimido, ansioso ou incapaz de lidar com isso? Nesse caso, o vício em exercícios é uma possibilidade.

Pode ser importante observar que existem outras condi√ß√Ķes que podem levar a muito exerc√≠cio. O exerc√≠cio excessivo tamb√©m pode ser visto com frequ√™ncia em pessoas com dist√ļrbios alimentares como anorexia ou bulimia e pode coexistir com depend√™ncia alimentar.

O que fazer se você é viciado em exercício

Se você acha que pode ter um vício em exercícios, acompanhe quanto exercício e quando faz, bem como seu humor antes e depois do exercício e quando não pode.

Se, ap√≥s cerca de uma semana, voc√™ perceber um padr√£o de uso de exerc√≠cios para a altura de um corredor com o qual voc√™ acha que n√£o consegue lidar, converse com seu m√©dico e relate suas preocupa√ß√Ķes descritas no Di√°rio de Exerc√≠cios e Humor.

O seu m√©dico pode encaminh√°-lo a um profissional de sa√ļde mental, que pode ajud√°-lo a controlar seu exerc√≠cio e a encontrar alegria em outros aspectos da vida.