Eu disse ao meu marido que ele deveria dormir com outras mulheres

Eu disse ao meu marido que ele deveria dormir com outras mulheres

Alex Iby / Unsplash

Ao longo dos anos, quando minha energia juvenil desapareceu e deu lugar a noites sem dormir e crianças doentes, roupas lavadas com o caminhão, gravidez e o desagrado que isso pode trazer, percebi que a paixão sexual que antes queimava em mim é sentindo-se esgotado.

Meu parceiro e pai de meus filhos parece ter encontrado o apetite sexual que perdi, e seus desejos e avanços pela intimidade costumam ser ignorados. Antes das crianças, éramos dois jovens amantes com um apetite feroz pelas mentes, corpos e tudo mais. Raramente houve um momento em nosso relacionamento em que você poderia nos encontrar sem as mãos, com amigos e familiares brincando frequentemente para conseguirmos um quarto.

Ador√°vamos tudo o que o outro tinha a oferecer, satisfazendo nosso apetite um pelo outro com meio-dia, beijos sorrateiros, car√≠cias doces de passagem e conversas que duravam at√© o amanhecer. √Čramos o casal que inspirou outros amantes, como costumava dizer. n√≥s por estranhos de passagem. N√≥s amamos ferozmente e n√£o t√≠nhamos medo de compartilhar isso com o mundo.

Depois de alguns meses de namoro, ainda com muita lux√ļria, recebemos a not√≠cia de que um beb√™ estava no nosso futuro. Felizmente, meu parceiro e eu ficamos felizes em saber que ser√≠amos pais e t√≠nhamos conversado sobre essa possibilidade de antem√£o. A empolga√ß√£o pelo beb√™ aumentou e o peso de nossa nova realidade e responsabilidades come√ßou a surgir.

As coisas come√ßaram a mudar para mim com o estresse. Eu tive que parar de trabalhar no campo em que estivera na √ļltima d√©cada, pois n√£o seria mais capaz de trabalhar longe de casa por longos per√≠odos, uma vez que o beb√™ estivesse nascermos. Pela primeira vez em muito tempo, eu ficaria dependente de outra pessoa, al√©m de ter um beb√™ novinho em folha completamente dependente de mim. Foi um momento aterrador para mim, pois havia passado grande parte da minha vida me libertando de qualquer tipo de depend√™ncia e compromisso.

Lembro-me de ter quebrado o telefone com minha irm√£, chorando por me sentir perdida e sem saber mais quem eu era ou quem estava prestes a me tornar. Sentimentos de inseguran√ßa se instalaram no meu relacionamento enquanto meu corpo mudava e minhas emo√ß√Ķes se enfureciam. Meu parceiro tamb√©m n√£o estava ajudando muito a reduzir a ansiedade, pois n√£o havia como ele realmente entender o que eu queria dizer, sinto que um alien√≠gena tomou conta de meu corpo e mente nos dias dif√≠ceis.

Nós éramos (são?) As duas almas ciganas no coração e desfrutamos a vida transitória solo por muitos anos antes de nos encontrarmos. Estava ficando muito difícil para nós dois compreender a gravidade de nos tornarmos pais, já que éramos tão impulsivos. Acho que estava grávida de oito meses na época e sabíamos que tínhamos que sair de onde estávamos e não poderíamos decidir se iríamos para o leste para ficar mais perto da família dele ou do oeste para perseguir o trabalho.

Estava tudo no ar quando tínhamos duas semanas restantes em nosso apartamento antes que nosso aviso terminasse, e eu tinha consultas médicas agendadas em ambos os lados do país porque não tínhamos sido capazes de tomar uma decisão sobre para onde estávamos indo estar vivendo. Finalmente, um dia eu tive o suficiente e tomei a decisão de ir para o leste, pois estava menos viajando (20 horas versus 7 dias na estrada), e teríamos a ajuda adicional de ter uma família próxima (ha!).

Durante esse período de incerteza, lembro-me de passar por períodos secos, nos quais não tivemos grande intimidade. Muitas vezes, eu estava exausta, emocional, estressada, doente ou todas as anteriores e não tinha energia dentro de mim para sequer pensar em fazer sexo. Ele tentava de noite, aconchegava-se na cama, pronto para dormir, e eu ouvia as palavras que queriam brincar? Mas eu não tinha nada para dar, sexualmente.

Com o tempo, ele finalmente entendeu que eu n√£o seria uma daquelas mulheres gr√°vidas super excitadas que √†s vezes ouvimos, e acho que ele desistiu da no√ß√£o de termos a vida sexual que j√° tivemos. des√Ęnimo dele sempre que seus avan√ßos eram inaceit√°veis. Me matou que eu n√£o queria e n√£o sentia vontade de fazer sexo com meu parceiro, que estava causando muita tens√£o em nosso relacionamento, retendo dele a intimidade f√≠sica.

Foi nessa √©poca que pensei pela primeira vez em permitir (e n√£o gosto desse termo, porque, verdadeiramente, quem sou eu para permitir ou proibir algu√©m de alguma coisa?) Que ele durma com outras mulheres. Eu sabia que, por qualquer motivo, n√£o estava disposto a dar o que ele estava precisando e isso estava come√ßando a causar rachaduras em nossa funda√ß√£o. Eu tinha pensado muito sobre as implica√ß√Ķes de tais a√ß√Ķes, sem saber como me sentiria se ou quando chegasse a hora, mas sabia que era pelo menos uma conversa que eu tinha que incentivar entre n√≥s.

N√£o h√° uma maneira f√°cil de convidar outro amante para sua vida, especialmente quando isso n√£o √© para sua pr√≥pria satisfa√ß√£o, mas para o bem do seu relacionamento. Meu parceiro ficou bastante chocado e aparentemente desconfort√°vel com a conversa quando eu a iniciei, e achei que era mais prejudicial do que √ļtil. Expliquei que essa era minha maneira de proteger o que t√≠nhamos, em vez de ignorar o elefante √≥bvio na sala, porque , para mim, o que temos √© muito mais do que apenas f√≠sico, por isso n√£o tenho medo de que outra mulher entre na santidade de nosso relacionamento, se entrarmos por aquela porta eventualmente.

Não foi uma decisão fácil e, muitas vezes após a conversa inicial, me perguntei se havia dito e feito a coisa certa. Acho que nunca saberemos o que realmente está certo ou errado, ao contrário, só conseguiremos identificar o que está certo no momento ou no momento. E no momento do nosso relacionamento em que não sou capaz de satisfazer todos os desejos sexuais de meus parceiros, parecia certo convidar alguém que pudesse.

Amo meu homem de todo o cora√ß√£o e, para ter longevidade nesse amor, √†s vezes precisamos ser criativos com nossas solu√ß√Ķes. Esta √© uma express√£o da minha criatividade.

Relacionado: Como pedir ou reagir para abrir uma conversa sobre casamento, de acordo com especialistas