contador gratuito Saltar al contenido

Estudo mostra desigualdades na saúde bucal entre crianças

Por que a saúde bucal é importante - Como a saúde bucal afeta a saúde geral - como a falta de higiene bucal afeta a saúde geral - prevalência de cáries

Um estudo recente destaca a desigualdade de saúde bucal entre crianças indígenas e não indígenas em todo o país. Leia também – Dia Mundial da Saúde Oral: Como escolher a melhor pasta de dente para si mesmo?

O estudo foi publicado na revista ‘Journal of Dental Research’ em 22 de junho no Vancouver Convention Center West Building, Vancouver, BC, Canadá. Leia também – A saúde bucal desempenha um papel importante na saúde geral: Estudo

Este estudo comparou as desigualdades relativas de saúde bucal entre crianças e adolescentes indígenas e não indígenas de 5 a 15 anos de idade do Brasil, Nova Zelândia, Austrália e muito mais. Leia também – Escove os dentes todos os dias para manter o dentista e o câncer de fígado afastados

Os dados foram coletados pelos pesquisadores das pesquisas de saúde bucal mais recentes em todo o país, representativas do país, e a inflamação gengival, a experiência de cárie dentária, os dentes cariados não tratados e os dentes ausentes e cheios foram avaliados nas dentições decíduos e permanentes. A saúde bucal infantil relatada pelos pais também foi avaliada.

Os autores do estudo descobriram que, independentemente do país, as crianças indígenas tinham pior saúde bucal do que suas contrapartes não indígenas em todos os indicadores. A magnitude dessas diferenças foi maior na Austrália para a proporção com experiência de cárie dentária, cárie não tratada ou inflamação gengival.

Para dentes perdidos, dentes cheios e problemas de saúde bucal infantil relatados pelos pais, a magnitude da desigualdade foi maior entre as crianças brasileiras. Esses achados sugerem que as desigualdades na saúde bucal indígena e não indígena começam na infância. Isso reforça a necessidade de equidade nas políticas sociais e econômicas, juntamente com intervenções de saúde bucal precoces e culturalmente apropriadas.

24 de junho de 2019 às 12:03