contadores Saltar al contenido

Entrevista motivacional como tratamento para o vício

A Entrevista Motivacional é uma técnica terapêutica para ajudar as pessoas a fazer mudanças em suas vidas, que foi aplicada efetivamente no tratamento de vícios.

O espírito da entrevista motivacional é baseado em três conceitos principais: colaboração entre o terapeuta e a pessoa com o vício, em vez de confronto pelo terapeuta; desenhando as idéias do indivíduo, e não o terapeuta que impõe suas idéias; e autonomia da pessoa com o vício, em vez de o terapeuta ter autoridade sobre eles.

Colaboração x confronto

Colaboração é a parceria formada entre o terapeuta e a pessoa com o vício. Esta parceria é baseada no ponto de vista e nas experiências da pessoa com o vício.

Isso contrasta com algumas outras abordagens para o tratamento de dependentes, que são baseadas no terapeuta que confronta a pessoa com a dependência e impõem seu ponto de vista sobre o comportamento viciante da pessoa.

A colaboração tem o efeito de criar um relacionamento entre o terapeuta e a pessoa com o vício e permite que a pessoa com o vício desenvolva confiança em relação ao terapeuta, o que pode ser difícil em um ambiente de confronto.

Isso não significa que o terapeuta concorda automaticamente com a pessoa com o vício. Embora a pessoa com o vício e seu terapeuta possam ver as coisas de maneira diferente, o processo terapêutico é focado na compreensão mútua, não com o terapeuta certo e a pessoa com o vício errado.

Desenhando ao invés de impor idéias

A abordagem do terapeuta de extrair as próprias idéias do indivíduo, em vez de o terapeuta impor suas opiniões, baseia-se na crença de que a motivação, ou desejo, de mudar vem da pessoa com dependência e não do terapeuta. Não importa o quanto o terapeuta queira que a pessoa mude seu comportamento, isso só acontecerá se esse indivíduo também quiser mudar seu comportamento. Portanto, o trabalho do terapeuta é "extrair" as verdadeiras motivações e habilidades da pessoa para mudar, não dizer à pessoa com o vício o que fazer.

Autonomia vs. Autoridade

Diferentemente de outros modelos de tratamento que enfatizam o médico ou o terapeuta como uma figura de autoridade, a Entrevista Motivacional reconhece que o verdadeiro poder de fazer mudanças repousa na pessoa com o vício, não no terapeuta. Por fim, cabe ao indivíduo acompanhar as mudanças. Isso é empoderador para o indivíduo, mas também lhes dá responsabilidade por suas ações.

Como a mudança acontece nas entrevistas motivacionais

Quatro princípios orientadores formam a base da abordagem da Entrevista Motivacional. Embora o processo de cada pessoa para superar um vício seja diferente, o terapeuta se manterá fiel a esses princípios ao longo do processo de cada indivíduo. Esses princípios são vitais para estabelecer confiança dentro do relacionamento terapêutico.

Empatia e aceitação

Pessoas com vícios costumam relutar em fazer tratamento porque não acreditam que o terapeuta, que, afinal, está trabalhando para acabar com os vícios das pessoas, entenda por que o comportamento viciante significa tanto para elas. Muitos, especialmente aqueles que toleram outras pessoas que criticam seu comportamento, acreditam que serão julgados, alguns até se sentindo culpados por seu comportamento e sentindo que o julgamento seria válido. Mas o julgamento simplesmente não é o objetivo da entrevista motivacional.

Em vez de julgar a pessoa com dependência, o terapeuta se concentra em compreender a situação do ponto de vista da pessoa viciada. Isso é conhecido como "empatia". Empatia não significa que o terapeuta concorda com a pessoa, mas que ela entende e que o comportamento do indivíduo faz sentido para ela (ou fez no momento em que o comportamento foi realizado). Isso cria uma atmosfera de aceitação.

Ajudando as Pessoas a Decidirem

A entrevista motivacional reconhece que as pessoas com vícios geralmente são ambivalentes e incertas sobre se querem ou não mudar. O vício deles provavelmente já teve consequências para eles, que os levaram a tratamento. No entanto, eles desenvolveram seu vício como uma maneira de lidar com a vida e não necessariamente gostam da ideia de desistir disso.

A entrevista motivacional ajuda as pessoas a se decidirem sobre como avançar nas etapas da mudança, ajudando o indivíduo a observar as vantagens e desvantagens de diferentes escolhas e ações. Portanto, sem pressionar a pessoa, objetivos e ações podem ser desenvolvidos nesse ambiente confiante e colaborativo, baseado nas necessidades, desejos, metas, valores e pontos fortes do indivíduo.

Desenvolvendo um novo entendimento

A entrevista motivacional como uma abordagem reconhece que a mudança nem sempre acontece facilmente ou apenas porque o indivíduo deseja. É natural que a pessoa mude de idéia muitas vezes sobre se deseja abandonar seu vício e como será esse processo e seu novo estilo de vida.

Em vez de desafiar, opor-se ou criticar a pessoa com o vício, o terapeuta ajudará o indivíduo a alcançar um novo entendimento de si mesmo e o que seu vício significa para eles. Eles fazem isso reestruturando e oferecendo diferentes interpretações das situações que surgem no processo de mudança, geralmente que aumentam a motivação da pessoa para mudar. Tudo isso é baseado nos próprios objetivos e valores do indivíduo, que já foram explorados.

Ser solidário

O terapeuta sempre apoiará a crença da pessoa em seu próprio poder para fazer as mudanças que deseja. No começo, o terapeuta pode ter mais confiança no indivíduo do que ele próprio, mas isso muda com o apoio contínuo.