√Č prov√°vel que seu pr√©-adolescente esteja experimentando adrenalina

√Č prov√°vel que seu pr√©-adolescente esteja experimentando adrenalina

√Č prov√°vel que seu pr√©-adolescente esteja experimentando adrenalina

Katie Cloyd / Instagram

Quando olhei pela primeira vez para meus sete anos de idade, nunca imaginei todas as maneiras pelas quais ele se transformaria nos primeiros anos. Sua transi√ß√£o de rec√©m-nascido min√ļsculo e indefeso para um beb√™ robusto e feliz me pareceu milagrosa. Todas as fases desde – desde crian√ßas curiosas at√© crian√ßas pr√©-escolares teimosas – at√© alunos aventureiros do ensino fundamental – s√£o igualmente incr√≠veis. Agora tenho tr√™s filhos e nunca envelhece. Assistindo meus filhos tornar-se √© um privil√©gio, e fico maravilhado com eles.

Mas algo inesperado aconteceu recentemente. Meu filho fez sete anos e BAM! Estou criando uma pessoa totalmente diferente.

Ele parece diferente. Cada indício de bebê desapareceu de seu rosto. Suas sardas bonitas enfeitam um nariz que começou a passar de um botão de bebê para algo mais forte, mais esculpido. Suas bochechas piegas e cheias de sensação ficam firmes quando eu as beijo agora. Ele é menos de um pé mais baixo do que eu. O pescoço dele é comprido. Quando eu o abraço, seu corpo se sente firme e forte. De alguma forma, entre seis e sete, ele se tornou alguém novo.

Como se vê, existem mudanças hormonais reais que começam durante esses anos e provavelmente explicam todas as mudanças físicas. A adrenalina é um precursor da puberdade que começa por volta dessa idade. Para ser sincero, ninguém me disse que a adrenarca existia, mas mesmo que eu soubesse, não acho que estaria realmente preparado.

Claro, eu esperava que meu filho crescesse, parecesse diferente e at√© agisse de maneira diferente ao longo do caminho. Eu n√£o estava pronto para esse salto qu√Ęntico de crian√ßa para crian√ßa. Foi t√£o repentino e t√£ogrande.

Ele ainda √© o garoto bagun√ßado, brilhante e bobo que sempre conhecemos. Mas hes Mais de repente. Mais maduro. Mais capaz. Muito mais √ļtil.

Também mais irritadiço, mais teimoso e mais argumentativo.

O céu me ajude.

Ele está começando a recuar de uma maneira que nunca fez antes. Às vezes, ele é apenas contrário e teimoso e um pouco malcriado.

Mas, √†s vezes, ele est√° discutindo suas verdadeiras convic√ß√Ķes. Se ele achar que estou errado ou sendo injusto, ele discutir√° sua posi√ß√£o at√© que eu reconhe√ßa e, √†s vezes, ele continuar√° pressionando at√© se sentir satisfeito com a minha resposta. Isso me deixa com bananas, mas tamb√©m me impressiona. Ele est√° desenvolvendo um senso de justi√ßa e ele n√£o suporta ser silenciado. Isso √© realmente incr√≠vel de assistir! Ajud√°-lo a aproveitar essa energia e aprender a us√°-la de forma produtiva nem sempre √© f√°cil, mas acho que estamos descobrindo isso √† medida que avan√ßamos.

Algumas partes dessa fase me lembram a inf√Ęncia novamente. Ele fica frustrado com coisas muito menores do que nos √ļltimos dois anos, como escolher acidentalmente o tom de azul errado para sua foto ou escrever incorretamente uma palavra que acha que deveria saber. Ele √†s vezes chora por coisas que nunca o incomodariam antes. Ele est√° realmente ciente de como os outros o percebem. Se eu rir quando ele n√£o sabia que estava sendo engra√ßado, ele imediatamente se pergunta se eu estou rindo. com ele ou √†s ele. Eu tenho que tranquiliz√°-lo muito mais do que eu j√° tive quando ele era apenas um palha√ßo despreocupado da pr√©-escola.

Qualquer indício de paternalista o faz sentir raiva ou tristeza. Longe vão os dias de ser capaz de convencê-lo de que tudo o que ele faz é incrível. Ele quer um feedback honesto agora. Por mais que tentemos, não podemos convencê-lo de que estamos impressionados com cada movimento que ele faz mais. Ele pode ver quando ele precisa praticar.

Mas ele não é maduro o suficiente para aceitar as críticas. Ainda precisamos envolver nossos conselhos em várias camadas de elogios para que ele possa recebê-los. Tão grande quanto ele se sente, de muitas maneiras ele ainda é apenas um pouco.

Meu humor de sete anos de idade √© imprevis√≠vel e as opini√Ķes dele s√£o fortes, ent√£o essa fase nos desafiou de uma maneira que n√£o prev√≠amos. Navegar nessas mudan√ßas enquanto em isolamento volunt√°rio para uma pandemia global tem sido um n√≠vel extra de WTF √†s vezes.

Mas, junto com as partes complicadas, algumas partes dessa época são tão incríveis.

Meu filho de sete anos est√° desenvolvendo interesses que s√£o todos dele. Ele ainda ama dinossauros, mas ele foi al√©m do t-rex e do tricer√°topo, capturando vorazmente o m√°ximo de informa√ß√Ķes poss√≠vel sobre esp√©cies menos conhecidas, per√≠odos pr√©-hist√≥ricos e at√© extin√ß√£o em massa. Ele sempre amou elefantes, mas agora ele quer saber sobre os esfor√ßos de conserva√ß√£o, os direitos dos animais e o que ele pode fazer para ajudar. Conforme seu c√©rebro cresce, sua mente se expande para lugares que eu nem sabia que ele queria ir. Estou aprendendo tanto quanto ele.

Ele acaba fingindo gostar das coisas só porque outras crianças gostam. Esse garoto não quer praticar esportes ou videogame, e está confortável com isso. Ele está aprendendo quem ele é.

Para minha sorte, ele ainda é meu bebê de vez em quando. Se ele ficar triste, magoado ou muito cansado, ainda posso convencê-lo a subir na minha cama e deitar no meu travesseiro comigo e conversar. Eu o deixei fingir que sou eu quem precisa do aconchego, para que ele não tenha que admitir que só quer sua mãe. Se tiver muita sorte, seus olhos começarão a se fechar e não precisaremos dizer muito. Ele vai me deixar esfregar a cabeça (às vezes um pouco fedida) e segurá-lo perto enquanto ele adormece.

Naqueles momentos, quase consigo ver o bebê que ele costumava ser. Por um minuto, lembro-me de cuidar dele quando ele era pequeno, esperando seus cílios longos e bonitos esvoaçarem sobre seus olhos verdes e descansarem em suas bochechas grossas. Lembro-me de como ele parecia quando finalmente adormeceu, a menor gota de leite escorrendo pelo canto da boca. Ele suspirava rapidamente e depois ficava totalmente disquete, caindo no sono mais profundo, seguro em meus braços.

Aquele beb√™ n√£o se foi. Ele ainda est√° aqui no meu garoto. E todas aquelas horas que passei amando aquele bebezinho eram importantes. Meu garot√£o ainda se sente t√£o seguro em meu amor que sabe que pode se enfurecer, chorar e me questionar, e nada mudar√° como eu me sinto. Tudo o que fiz para esse beb√™ min√ļsculo foi criar os la√ßos que est√£o nos sustentando agora. Serei um lugar seguro para ele enquanto ele precisar de mim.

Essa era é difícil. Mas também é tão bonito. Nada do que eu poderia ter feito teria me preparado para esta fase entre bebê e menino, mas acidentalmente preparei meu filho para isso apenas por amá-lo bem. De vez em quando, apesar de todos os erros, a paternidade funciona assim.

Agora, só espero que o que estou fazendo agora me ajude a sobreviver aos pré-adolescentes e adolescentes!