Cuidado com os romances de férias! Mensagem do hóspede de Lea Lane
Comportamento

Cuidado com os romances de férias! Mensagem do hóspede de Lea Lane

(Introdu√ß√£o ao Fine: Recentemente, dei uma olhada no livro de viagens rec√©m-publicado de Lea Lanes, Lugares que me lembro: contos, verdades, del√≠cias de 100 pa√≠ses. Adorei as belas fotos e ilustra√ß√Ķes e, claro, as hist√≥rias, muitas das quais sobre viagens a solo. Apreciei especialmente a primeira das 100 hist√≥rias. Perguntei a Lea se ela poderia compartilh√°-lo aqui como postagem de convidado, e estou feliz que ela concorde. Os leitores deste blog de longa data podem se lembrar de Lea Lane de um post anterior, no qual ela admitiu que, em suas viagens, quase todas as melhores hist√≥rias aconteceram enquanto ela estava solteira.)

Andorra: assalto, relacionamento, realidade

Por Lea Lane

O pequeno pa√≠s de Andorra fica ao norte de Barcelona, ‚Äč‚Äč√© conhecido pela arquitetura de fantasia de Gaud√≠ e tamb√©m pelos assaltos. No meu primeiro dia na cidade espanhola, mesmo antes de chegar ao hotel, ao meio-dia na rua em frente ao Museu Picasso, um jovem rasgou minha bolsa do ombro e me jogou no ch√£o.

Normalmente eu o deixaria ir, uma resposta certa que aprendi nas ruas da cidade de Nova York, mas a bolsa estava cheia do meu passaporte, óculos, pílulas, chaves e dinheiro. E boas jóias. Eu sei saber, Mas ela estava viajando pela primeira vez com um homem elegante com quem estava namorando seriamente e queria causar uma boa impressão.

Peguei a al√ßa da minha bolsa, arrastei a cal√ßada por um ladr√£o muito mais jovem e forte. Meu parceiro conseguiu derrubar o homem e segur√°-lo, mas antes que pud√©ssemos resgat√°-lo, a sacola foi jogada em um c√ļmplice em uma Vespa, e eu o vi desaparecer alto no tr√Ęnsito.

A polícia veio e pegou o cara algemado e eu os segui até a delegacia para denunciar o roubo e identificá-lo em uma fila. Quando questionado, ouvi seus gritos na sala ao lado. Brutalidade policial? Uma fita que parece que eles estão fazendo algo para me fazer sentir melhor? Disseram-me que fazia parte de um círculo palestino.

No final do dia, esperamos horas no consulado americano, junto com dezenas de outros turistas atordoados sem passaporte, que também haviam sido assaltados. Pelo menos eu tinha uma cópia do meu passaporte na minha bagagem. Nós nos sentimos tolos e perdemos um dia de férias porque éramos descuidados.

Como queria me afastar de Barcelona, ‚Äč‚Äčno dia seguinte, meu parceiro me levou gentilmente a Andorra, nos Pirineus, entre Espanha e Fran√ßa. Montanhas emolduravam campos de flores silvestres e seguimos uma estrada sinuosa sem saber exatamente para onde ela nos levaria.

Paramos em um ponto de vista particularmente dram√°tico em um pomar inclinado e espalhamos nossos casacos na grama, sob os galhos brotando e o c√©u azul. Meu amigo trouxe uma garrafa de vinho espanhol, queijo local, presunto e uvas. N√≥s nos alimentamos e parecemos estar em um an√ļncio em c√Ęmera lenta do Viagra.

A memória dos assaltos foi atenuada pelo piquenique idílico em Andorra. Nos dois casos, o homem deixou uma impressão maravilhosa em mim, e pouco tempo depois que me mudei para Washington, DC, para viver e trabalhar para ele, confiando fortemente nesses momentos de heroísmo e romance.

Naquela √©poca, eu era editor-chefe de uma publica√ß√£o chamada Travel Smart, e a ironia da minha estupidez em transportar todas essas mercadorias na rua n√£o foi perdida pelos meus leitores. O Travel Channel at√© descobriu meu infort√ļnio e me destacou no programa de not√≠cias de viagens, em um segmento chamado Smart Traveler Travels Dumb. Esse concerto levou a uma apresenta√ß√£o semanal de dicas de viagem por cerca de um ano.

A rela√ß√£o com o homem durou alguns anos, muitas vezes dura e triste, e nunca t√£o bem quanto naquele perfeito piquenique em Andorra. Percebi tarde demais que, especialmente quando voc√™ est√° ausente, em um ambiente encantador, no√ß√Ķes rom√Ęnticas e gestos dram√°ticos podem produzir consequ√™ncias a longo prazo, √†s vezes ainda mais infelizes e certamente mais duradouras que um assalto.

Sobre o autor

Lea Lane, autora deLugares que me lembro: contos, verdades, delícias de 100 países,Ele é o autor premiado de oito livros, contribuiu para dezenas de guias e escreveu centenas de artigos, inclusive paraO jornal New York Times.Atualmente, ela é colaboradora do atforbes.com.

. viagem (tagsToTranslate)