Crescer com uma mãe solteira me fez um Bada **

Crescer com uma mãe solteira me fez um Bada **

Matthew Henry / Explosão

Minha mãe estava na nossa casa no outro dia e estávamos conversando sobre tarefas. Meu marido e eu recentemente tínhamos tentado convencer nossos filhos a fazer mais tarefas, e estávamos conversando sobre como as coisas estavam indo. Em essência, fazer esses garotos fazerem tarefas é como tentar colocar um rinoceronte em um armário de remédios. A luta é real.

Minha mãe riu de nós e contou a história de como, quando eu tinha nove anos, ela começou a me fazer lavar minha própria roupa.

Eu era uma mãe solteira exausta e decidi um dia terminar de lavar a roupa. Eu lhe disse: se você quiser roupas limpas, precisará lavá-las. E foi isso.

Sim, certamente era isso. Sei que protestei no dia em que tive que começar a lavar minha própria roupa. O mesmo aconteceu no dia em que me disseram que eu precisava lavar a louça todas as noites após o jantar (quando não tínhamos lava-louças). Ou nas manhãs que eu tinha que preparar meu próprio almoço. Ou nas tardes que eu tinha que preparar para o jantar.

Mas também sei que não havia escolha no assunto. Minha mãe era mãe solteira e nossa única cuidadora por grande parte da minha infância. Ela também trabalhou em período integral como professora. Simplesmente não havia horas suficientes durante o dia ou adultos em nossa casa para dar a mim ou à minha irmã qualquer tipo de passe livre quando se tratava de tarefas domésticas.

Eu não acho que apreciei completamente o estresse que minha mãe deveria estar passando até que eu me tornei mãe. Quando meus filhos eram pequenos, até mesmo ter um cônjuge dedicado e disponível por perto não parecia suficiente para gerenciar tudo. Meus filhos estão mais velhos agora, e ainda há apenas um momento para respirar.

Cortesia de Wendy Wisner

Não tenho idéia de como minha mãe conseguiu fazer tudo e ainda nos fornece apoio e amor inabaláveis. Mas ela fez. Porque ela era uma durona. E adivinha? Aquela maldade passou para mim. Grande momento.

Costumo pensar em como era quando saí de casa para a faculdade. Ficou claro para mim imediatamente que, diferentemente de meus colegas, não tive problemas em assumir responsabilidades adultas. Enquanto alguns de meus amigos nunca haviam lavado roupas, eu era um profissional. Eu podia cozinhar, limpar, organizar minha vida e responsabilidades, tudo por conta própria, sem a orientação constante de meus pais.

Eu era AF independente desde o início, conseguindo meu primeiro emprego aos 18 anos, me sustentando e gerenciando meus pedidos de faculdade e empréstimos para estudantes por conta própria. Eu não era perfeito em nada disso, e cometi muitos erros ao longo do caminho, mas não tive problemas para tomar as rédeas da minha vida quando precisava.

Estava nos meus ossos, com muito crédito para minha mãe solteira resistente e resistente.

Eles simplesmente não fazem isso porque não têm outra escolha. Eles fazem isso porque amam seus filhos mais do que tudo. Eles fazem isso porque passaram pelo inferno e voltaram e ficaram ferozmente fodidos.

Sei que, às vezes (muitas vezes), minha mãe se preocupa e se preocupa com a vida que nos proporcionou como mãe solteira. Ela desejou que tivéssemos mais dinheiro, mais tempo, mais ajuda. Ela desejou que as coisas tivessem sido mais fáceis para ela e para nós. A culpa era forte e eu vejo e ouço isso entre muitos dos meus amigos que também são mães solteiras.

Embora eu sentisse alguma dor crescendo com o divórcio de meus pais, as batalhas de custódia e outras coisas bagunçadas criadas por uma mãe solteira não eram o problema. De fato, a vida que minha mãe nos forneceu foi o aspecto mais estável e amoroso da minha vida.

Era caótico às vezes, com certeza, e eu definitivamente relutava nessas tarefas, mas minha mãe era minha pedra. E meu modelo.

Sério, mães solteiras são super-heróis. Na maioria das vezes, a situação em que eles se encontram criando seus filhos por conta própria não é o que eles escolheriam. Mas eles não deixam que isso os impeça de ser um pai incrível, de acordar todos os dias e fazê-lo, apesar do cansaço, apesar das dúvidas, apesar dos momentos particulares em que pensam que não podem continuar.

Eles simplesmente não fazem isso porque não têm outra escolha. Eles fazem isso porque amam seus filhos mais do que tudo. Eles fazem isso porque passaram pelo inferno e voltaram e ficaram ferozmente fodidos.

Eu vejo o forte espírito de minha mãe na maneira como me recupero, mesmo depois dos meus momentos mais difíceis. Pensei em minha mãe nos anos seguintes à recessão, quando nossa jovem família vivia de desemprego e vale-refeição. Penso na minha mãe enquanto luto para trabalhar, criar meus filhos e manter minha casa organizada, e me pergunto como diabos vou fazer tudo isso.

E então eu faço. Todos os dias. Porque foi assim que minha mãe me criou.