Como se tornar uma mãe de aluguel? Conheça o processo e os aspectos legais

O que é uma mãe de aluguel

Imagem: Shutterstock

NESTE ARTIGO

Hoje, existem muitos casais que querem ser pais, mas não podem conceber ou ter um filho naturalmente. No entanto, ao contrário do passado, casais e indivíduos hoje em dia têm algumas opções viáveis ​​que lhes dão a oportunidade de ter um filho que desejam e merecem tanto. Uma dessas opções é uma mãe de aluguel.

O que é uma mãe de aluguel?

Uma mãe de aluguel significa uma mulher que está dando à luz e dando à luz um bebê para outra mulher ou um casal que não pode conceber e querer um filho. Barriga de aluguel é uma ótima opção, especialmente para quem tem uma condição médica que torna a gravidez ou o parto perigoso ou impossível. Os tipos de condições que podem tornar necessário ter uma mãe de aluguel incluem:

  • Malformação ou ausência do útero.
  • Perda recorrente de gravidez
  • Falhas repetidas de implantes de fertilização in vitro

Tipos de barriga de aluguel

Existem dois tipos de barriga de aluguel gestacional e tradicional. Cada um funciona de maneira diferente.

  1. A barriga de aluguel gestacional, também conhecida como completa ou hospedeira, envolve a implantação de um embrião criado usando os óvulos e espermatozóides do parceiro pretendido, um óvulo doado que é fertilizado com o esperma do pai ou um embrião criado com o uso de óvulos. e doou esperma. Isso também é conhecido como fertilização in vitro ou fertilização in vitro.
  1. Barriga de aluguel tradicional, também conhecida como parcial ou reta, envolve o óvulo da mãe de aluguel e o esperma do pai desejado. Nesse tipo de barriga de aluguel, a fertilização geralmente é feita por inseminação intra-uterina (IUI) ou inseminação artificial.

(Leia: barriga de aluguel gestacional)

Como se tornar uma mãe de aluguel?

A sub-rogação pode ser feita através de uma agência ou pode ser organizada em particular. Não importa como isso seja feito, é importante lembrar que a barriga de aluguel envolve muitos problemas físicos, emocionais e legais.

Trabalhar através de uma agência é benéfico, pois assistência e apoio são fornecidos à mãe de aluguel e aos pais ou indivíduos pretendidos. Uma boa agência sempre garantirá que todas as partes obtenham toda a ajuda e apoio de que precisam em todos os assuntos relacionados à barriga de aluguel e protegerá os interesses de todos.

O primeiro passo para se tornar uma mãe de aluguel é encontrar uma agência e entrar em contato. Você fornecerá um pedido ao substituto em potencial e, em seguida, encontrará casais ou indivíduos que desejam ter um filho.

  • Primeiro, uma mãe substituta em potencial deve primeiro verificar se está qualificada. As leis que regem a barriga de aluguel variam de estado para estado, e existem regras estaduais e federais que decidem quem se qualifica e quem não se qualifica como substituto. Em alguns estados, existem disposições mais rígidas para proteger mães de aluguel e pais em potencial. A agência explicará as regras e qualificações que incluem faixa etária, saúde geral e experiência pré-gravidez. No entanto, é importante observar que também pode haver qualificações adicionais que podem tornar todo o processo de se tornar uma mãe de aluguel mais desafiadora.
  • Em seguida, a mãe substituta em potencial deve preencher um requerimento detalhado. Todas as perguntas devem ser respondidas com honestidade e, se não o fizer, provavelmente terá consequências legais. Os aplicativos requerem informações básicas, como a idade dos substitutos e também seu estado de saúde. A maioria dos aplicativos também inclui uma seção que exige que a requerente verifique se ela entende as condições a serem mantidas durante a gravidez.
  • Antes de ser aprovada para se tornar uma mãe de aluguel, é necessário que a mulher se submeta a exames médicos e psicológicos. Isso é para garantir que sua saúde física e mental seja estável. Isso geralmente envolve uma avaliação minuciosa por parte do pessoal das instituições da casa de belling. Os testes garantirão que não haja risco de transferência de hepatite e HIV.
  • O requerente deve garantir que conhece bem os seus direitos de compensação. A maioria das mães de aluguel que trabalham através de uma agência respeitável geralmente recebe um pagamento, mas a compensação ou compensação varia de agência para agência. No entanto, é prudente observar que a maior parte do pagamento é feita para que a mãe de aluguel possa usar o dinheiro para despesas relacionadas apenas à gravidez.
  • Depois que a solicitação é concluída e todos os testes são concluídos, o candidato é aprovado e deve aguardar o contrato por escrito. No entanto, outra vantagem de trabalhar com uma agência é que você entrará em contato com especialistas jurídicos para garantir que o contrato redigido proteja os direitos de todas as pessoas envolvidas no processo de substituição. Devido à experiência da agência, você saberá exatamente o que deve ser coberto no contrato. A única desvantagem é que ninguém tem muito a dizer sobre o que está escrito no contrato e o solicitante precisará garantir que todos os seus direitos sejam discutidos e tratados adequadamente antes da assinatura.
  • A agência substituta trabalhará com a mãe substituta para organizar e agendar consultas médicas e outros testes prescritos. Isso poupa o trabalho de marcar consultas e pagar pelos vários exames solicitados durante a gravidez. No entanto, é importante lembrar que o cronograma da agência deve ser seguido.
  • Após a aprovação e a mulher ser aceita no programa de barriga de aluguel da instituição, a agência começará a encaminhar seus serviços a possíveis parceiros ou indivíduos com os quais possa se encaixar.
  • Quando se considera que uma partida é compatível, será organizada uma reunião entre a mãe de aluguel e os pais ou pais biológicos. Isso ajudará o processo a avançar, para que seja possível determinar um nível adequado de conforto.

(Leia: Passos a seguir para o bebê de aluguel)

Sub-rogação privada

Uma barriga de aluguel particular pode ser arranjada quando uma pessoa conhece alguém que está procurando uma mãe de aluguel. Isso também pode ser feito através de anúncios classificados que respondem ou colocam um. Uma sub-rogação privada oferece mais liberdade do que a realizada por uma agência, mas também pode significar menos proteção.

  • Uma mãe de aluguel deve certificar-se de assinar um contrato de aluguel com pessoas de confiança. Com agências, existem processos de seleção, mas eles não existem com uma sub-rogação privada. O substituto precisa verificar a confiabilidade dos pais em potencial registrados. É importante pedir referências de personagens se os pais, amigos ou parentes não forem conhecidos.
  • Estar ciente de possíveis problemas genéticos é importante. Na forma tradicional de barriga de aluguel, o esperma do pai pretendido é injetado clinicamente no óvulo da mãe de aluguel. Não se deve passar por esse tipo de acordo com a família imediata, pois pode levar a genes consanguíneos. Um arranjo substituto tradicional deve ser apenas quando se usa o esperma do pai e o óvulo da mãe.
  • Uma mãe de aluguel precisa estar pronta para lidar com todos os aspectos legais do acordo e resolver sozinha todas as legalidades. Você precisará descobrir todas as leis que regem a sub-rogação no estado em que vive e também escrever um contrato detalhado para se proteger. A desvantagem é que você precisará contratar um advogado e isso significará despesas adicionais. No entanto, o bom é que você terá uma maior participação em todo o processo, bem como muito mais retenção e opinião sobre as condições estabelecidas ou escritas no contrato.
  • Os pais em potencial costumam procurar uma barriga de aluguel particular, pois isso economiza muito dinheiro, mas para as mães de aluguel, isso significa que elas não recebem tanto salário quanto receberiam uma agência.
  • Mães de aluguel podem definir sua própria taxa de remuneração, mas na maioria dos casos, os pais devem pagar as despesas médicas que a gravidez requer, ou parte delas, e não muito mais.
  • Em uma barriga de aluguel particular, uma mãe de aluguel pode escolher os testes, conforme julgar necessário. Você deve verificar se sua saúde é capaz de engravidar e dar à luz. Testes de DST e psicológicos podem ser omitidos, a menos que os futuros pais os exijam.
  • É importante conhecer a saúde médica dos futuros pais e garantir que nenhum deles tenha uma doença infecciosa ou transmissível que possa ser transmitida à mãe de aluguel durante o processo de implantação.
  • Uma sub-rogação privada pode ser menos estruturada do que a realizada por uma agência respeitável. Dá ao substituto a liberdade de agendar reuniões ou sessões com os futuros pais, uma consulta com o médico, etc. no seu próprio ritmo. No entanto, isso significa que é necessária muito mais autodisciplina.
  • Além dos pontos mencionados acima, as mães de aluguel devem:
  • Certifique-se de que o endométrio esteja preparado para que não haja problemas ao implantar o embrião. Isso significa tomar pílulas anticoncepcionais no início do ciclo menstrual para regular o sistema reprodutivo.
  • Visite o médico para injeções hormonais necessárias para estimular a glândula pituitária e regular os ovários para prepará-la para a gravidez.
  • Certifique-se de receber injeções de estrogênio. Isso é importante, pois essas injeções garantem que o revestimento endometrial se engrossa.
  • Realize um ultra-som vaginal necessário para medir a espessura do revestimento endometrial e verifique se está pronto para implantação.
  • Interrompa as injeções de hormônios na hipófise quando os óvulos são doados.
  • Continue recebendo injeções de estrogênio e inicie injeções de progesterona.
  • Encontre um médico qualificado treinado e com experiência em implantação. Para substitutos que trabalham com uma agência, eles se referem a uma ou, na maioria dos casos, têm a sua. Barrigas de aluguel particulares precisam trabalhar com os pais expectantes para encontrar um bom médico.
  • Agendar exames regulares. Um horário de atendimento pré-natal substituto será o mesmo que o horário seguido durante uma gravidez padrão.
  • Mães de aluguel devem estar em contato constante com os pais. É importante que todas as partes estejam igualmente envolvidas na gravidez. Os pais devem ser incluídos em consultas médicas e atualizados sobre tudo relacionado à gravidez. É importante que todos se comuniquem abertamente, expressando preocupações ou aliviando-as. A prestação de assistência, apoio e respeito mútuos garantirá um processo tranquilo de barriga de aluguel.
  • Obtenha apoio emocional. A gravidez pode ser estressante e todo o procedimento de barriga de aluguel em si pode ser ainda mais estressante, emocional e mental. Portanto, uma base forte de apoio é importante. Mães de aluguel devem procurar apoio emocional de cônjuges ou familiares. Eles também podem conhecer outras mulheres que estão passando pela mesma experiência ou participar de um grupo de apoio.
  • Dê prioridade máxima à saúde do bebê. As mães de aluguel devem garantir que cuidem de sua saúde e da criança que carregam como se fosse sua própria gravidez.
  • Saiba o que fazer em caso de aborto espontâneo. Este será um momento de dor para as mães de aluguel e para os futuros pais. A terapia profissional ou um grupo de apoio pode ser útil nesses momentos. Também é importante que as mães de aluguel compreendam as proteções legais. Eles não devem ser considerados culpados se seu corpo rejeitar a gravidez ou se o aborto for um acidente.

Barriga de aluguel gestacional: o processo geral

Na maioria dos casos, casais ou indivíduos sem filhos escolhem barriga de aluguel gestacional. Nesse tipo de barriga de aluguel, a mãe de aluguel não tem conexão genética com o bebê que está carregando. Seu ovo não é usado e o bebê será biologicamente relacionado ao doador ou ao pai e mãe pretendidos. Do ponto de vista psicológico, é importante que a mãe de aluguel pense em como está confortável com sua conexão com a criança e com os futuros pais. Se você se tornar uma mãe de aluguel para um parente ou amigo, o relacionamento delicado pode ser difícil de gerenciar no presente e no futuro.

Os candidatos substitutos devem garantir que estão fazendo a escolha certa, assim como eles e sua família. O primeiro passo é educar todas as partes envolvidas através de um processo de seleção exaustivo. Esse processo inclui um aplicativo para o programa de barriga de aluguel, uma entrevista educacional, testes e avaliações psicológicas, verificações de antecedentes, exames médicos e consultoria jurídica independente para elaborar e negociar acordos que são legalmente vinculativos.

Depois que o embrião é transferido dos pais pretendidos e uma gravidez viável é alcançada, um terceiro deve ser contratado para ajudar a gerenciar o relacionamento. Isso também ajuda a garantir que as necessidades de todos sejam atendidas e que todas as partes se sintam apoiadas e respeitadas.

Como mencionado acima, agências conceituadas fornecem assistência substituta durante todo o processo. Depois que o processo de admissão começa, eles recebem um especialista e, assim que uma partida é concluída, uma equipe de especialistas é designada para os substitutos e fornece apoio até a gravidez terminar. O objetivo final deste suporte e assistência é fornecer a experiência que os pais substitutos e futuros procuram e também especialistas para ajudá-los a alcançar seu objetivo.

Sub-rogação e aspectos legais

Além das questões emocionais e médicas envolvidas na barriga de aluguel, também há várias considerações legais que devem ser abordadas. Isso pode exigir a redação de todos os requisitos legais que fazem parte do contrato de sub-rogação. É aconselhável obter aconselhamento jurídico antes do início do processo de barriga de aluguel, pois ajudará a mãe de aluguel a responder a perguntas e esclarecer quaisquer preocupações que possa ter.

Os problemas podem incluir os requisitos da mãe de aluguel e dos pais ou pais biológicos. Também pode envolver a redação de um contrato relacionado a finanças que descreva como a mãe de aluguel será reembolsada por todas as despesas médicas e outras despesas relacionadas. O processo de impregnar a mãe de aluguel pode começar assim que todas essas questões forem abordadas e escritas.

As questões legais envolvidas na barriga de aluguel são complicadas, por isso é aconselhável que as mães de aluguel precisem procurar aconselhamento jurídico antes de tomar qualquer decisão. É importante observar que os contratos de sub-rogação não podem ser executados legalmente, mesmo que um contrato tenha sido assinado e todas as despesas tenham sido pagas.

Como mencionado acima, as leis que regem a barriga de aluguel são diferentes em cada estado. É por isso que é importante contratar um advogado que conheça os meandros das leis de barriga de aluguel no estado em que o processo ocorrerá. Isso garantirá que o contrato estabelecido seja justo e atenda às preocupações e proteja os direitos de todas as partes envolvidas. Deve cobrir todos os aspectos principais do processo de sub-rogação, como:

  • Identificação clara da pessoa ou pessoas que manterão a guarda legal da criança após o nascimento.
  • Especificação clara sobre se o processo de sub-rogação será gestacional ou tradicional.
  • Indicação do número de embriões a serem transferidos se for uma barriga de aluguel gestacional.
  • Indique claramente o que acontecerá com os direitos e obrigações se vários bebês nascerem.
  • Esboço claro do número de vezes que o bebê será avaliado durante a gravidez e um cronograma aproximado de quando esses testes serão realizados.
  • Indique claramente o que acontecerá se os resultados do teste forem ruins.
  • Inclua uma cláusula de aborto espontâneo para proteção em caso de aborto acidental ou caso o corpo substituto rejeite a gravidez.
  • Lista de obrigações financeiras, começando por quem fará os pagamentos do check-up e as questões de compensação.

(Leia: Os melhores centros de fertilização in vitro na Índia)

Obrigações legais

As obrigações legais de uma mãe de aluguel dependem do contrato e incluem:

  • Ela será legal e moralmente obrigada a demonstrar que pode manter toda a gravidez. Você será solicitado a participar de todos os exames pré-natais e, se ocorrer um problema, procure assistência médica imediata. Você também deve evitar qualquer tipo de hábitos ou comportamentos imprudentes que possam colocar em risco a vida do bebê.
  • Você precisará entregar o bebê ao nascer. Houve mais de um caso documentado em que a mãe de aluguel se recusou a liberar o filho após o nascimento; no entanto, com um contrato bem escrito, isso pode ser evitado. Não importa o quão apegada uma barriga de aluguel se torne à criança durante a gravidez, ela deve se preparar para dar aos pais logo após o parto.
  • Ela não pode interromper ou optar por terminar a gravidez precocemente sem o consentimento de ambos os pais, especialmente se o contrato por escrito a proibir claramente. No entanto, existe uma cláusula que permite que isso seja possível, ou seja, quando a vida de mães de aluguel está em perigo devido à gravidez e requer a interrupção imediata.

Como as obrigações legais de uma mãe de aluguel, suas proteções também estão no contrato. É importante para ela entender como ela permanece segura nos termos da lei.

  • Medidas irracionais não podem ser implementadas, a menos que estejam claramente incluídas e descritas no contrato. Por exemplo, se os pais biológicos decidirem durante a noite que o nascimento da criança deve ocorrer sem medicação, eles não têm autoridade para aplicá-la à mãe de aluguel, a menos que ela tenha concordado no contrato.
  • O término da gravidez não pode ser forçado, a menos que o contrato lhes conceda esse direito. No entanto, a lei permite que os pais se recusem a tomar a custódia do bebê logo após o parto, em alguns casos.
  • Se a vida de uma mãe de aluguel estiver em perigo devido a uma ameaça médica, ela não é obrigada a passar por todo o período da gravidez e do parto.
  • A privacidade de um substituto geralmente é protegida até certo ponto, dependendo de como a mãe a preferir. Em alguns casos, a comunicação regular pode fazer parte do contrato, mas uma mãe de aluguel pode, se desejar, manter um certo nível de privacidade. Ninguém pode ditar a vida diária de um substituto, mas se as obrigações legais forem ignoradas, os pais têm o direito de pedir ou exigir uma ação imediata.

Independentemente do tipo de barriga de aluguel escolhido, não há dúvida de que é um processo complexo que afeta todos fisicamente, mentalmente e emocionalmente. Os aspectos legais também são complicados; portanto, é necessário muito cuidado ao escrever um contrato. Também é importante garantir que o advogado contratado esteja atento aos interesses de todas as partes envolvidas o tempo todo. Com um contrato justo e bem coberto, é garantido que a mãe de aluguel e os futuros pais ficarão satisfeitos durante todo o processo.

Ser mãe de aluguel não é fácil, então você deve pensar muito antes de considerar. No entanto, apesar de tudo, não há nada mais satisfatório do que optar por ser uma mãe de aluguel e, portanto, dar aos futuros pais ou pais o sonho de formar uma família. Não se trata de ganhos financeiros; O papel das mães de aluguel na construção de uma família não tem preço. É a oportunidade de realizar um desejo para as pessoas e dar-lhes a criança que sempre desejaram.

Se você decidiu ser uma mãe de aluguel, prepare-se para as muitas obrigações legais e também para desistir da criança. Ser um substituto não é tão divertido! As muitas dificuldades pelas quais você passa carregando um bebê nem sempre são iguais à compensação que você recebe. No entanto, é um ato muito nobre e lhe dará a satisfação de ter ajudado uma família a ter um filho!

Artigos recomendados:

Os comentários são moderados pela equipe editorial da MomJunction para remover qualquer comentário pessoal, abusivo, promocional, provocador ou irrelevante. Também podemos remover hiperlinks nos comentários.

As próximas duas guias alteram o conteúdo abaixo. Momjunction Momjunction FaceBook Pinterest Twitter Porca <img style = "display: none;" expr: src = "https://dinerados.com/wp-content/uploads/2019/10/1572158524_729_Como-convertirse-en-una-madre-sustituta-Conozca-el-proceso-y.jpg” alt=”foto principal”/>