Como obter o Spark de volta em um relacionamento

Como obter o Spark de volta em um relacionamento

Como obter o Spark de volta em um relacionamento

Mesma programa√ß√£o, semana diferente. Concedido: Para dois adultos que administram uma fam√≠lia, muitos prosperam nos padr√Ķes esperados e lidam com os desafios em equipe. Mas, cara: quando a maior empolga√ß√£o que voc√™ est√° recebendo com seu parceiro √© se esfor√ßar para encontrar uma bab√° quando a neve fecha a escola, √© um sinal prov√°vel de que seu casamento / relacionamento poderia se beneficiar de um ou dois ajustes.

Digite o Dr. Terri Orbuch, um terapeuta de relacionamento mais conhecido como The Love Doctor. Esses tipos de calmaria s√£o uma especialidade para esse especialista no sudeste de Michigan. “Cubro todos os lados, fins e tipos” de relacionamentos, diz ela. De verdade: al√©m de ensinar sociologia na Oakland University em Rochester Hills h√° anos, Orbuch tamb√©m acompanha os mesmos 373 casais h√° quase tr√™s d√©cadas, como parte de um estudo inovador financiado pelo National Institutes of Health. Ela tamb√©m escreveu seis livros sobre relacionamentos.

√Č totalmente normal

A primeira pergunta que ela recebe dos pais que est√£o em p√Ęnico: “Isso √© normal?” A resposta √© √≥bvia: sim. “Todos os relacionamentos passam por esses fluxos e refluxos”. O problema √© quando voc√™ fica estacionado em uma “rotina de relacionamento”, como ela chama, por muito tempo. “√Č a√≠ que come√ßa a corroer o relacionamento”.

E a segunda preocupa√ß√£o: estresse. Voc√™ conhece empregos, PTO, refei√ß√Ķes, voluntariado, dire√ß√£o, exerc√≠cio, compras, alimenta√ß√£o saud√°vel, lavanderia, esportes, dan√ßa. Porque os pais devem, naturalmente, fazer tudo.

Deseja mudar do piloto autom√°tico para a excita√ß√£o? Orbuch compartilhou cinco etapas simples que os pais podem adotar para reacender o fator de emo√ß√£o com seu c√īnjuge ou parceiro.

1. Novas atividades: tente algo diferente

“O amor ou a emo√ß√£o apaixonada √© alimentada ou mantida ao fazer coisas novas e inovadoras com seu parceiro”, diz Orchbuh. Isso come√ßa a desaparecer quando voc√™ entra na rotina. De fato, para o casal m√©dio, isso acontece dentro de 12 a 18 meses.

Ent√£o tente algo novo! “O que eu quero dizer √© que tudo o que n√£o faz parte da sua rotina normal”, explica Orbuch. Pode ser um restaurante, atividade, local de f√©rias diferente, at√© algo que voc√™s nunca experimentaram antes, como dan√ßar, uma aula de culin√°ria ou paintball. Que tal um mini-golfe que brilha no escuro? Snowboard? Se voc√™ sempre vai aos mesmos lugares, tente Milford. Ou Ann Arbor. Mude isso. Qualquer coisa √ļnica e inesperada “espelhar√° o in√≠cio do seu relacionamento”.

No come√ßo, “√© um pouco assustador e um pouco assustador”, diz ela, mas tamb√©m √© “muito legal, interessante e emocionante”. Ah, e quando se trata de coisas como o Dia dos Namorados, n√£o desligue as datas. Por que n√£o mudar isso, se funcionar melhor para sua programa√ß√£o? Tamb√©m saia da sua cabe√ßa, acrescenta Orbuch, e pergunte a si mesmo: “O que meu parceiro gostaria de fazer?” A resposta √© o presente significativo que voc√™ pode dar.

2. Afaste-se de tudo

Tente tirar umas mini f√©rias, s√≥ voc√™s dois. Quer se trate de um alojamento e pequeno-almo√ßo em Traverse City ou apenas de um hotel local na estrada. Basicamente, em qualquer lugar onde “voc√™ criar√° mem√≥rias”. Al√©m disso, deixar o poleiro gera reconex√£o e conversa e n√£o estamos falando sobre quem est√° levando as crian√ßas ou o lixo para fora.

“Especialmente para mulheres”, diz Orbuch. “Quando eles est√£o em casa ou em um ambiente familiar, tendemos a ter listas em nossas cabe√ßas”. A id√©ia √© compartimentar isso e relaxar. Para garantir que o zumbido da mente n√£o invada sua fuga, ela acrescenta: “Isso exigir√° um planejamento pr√©vio”. Coordene quem vai assistir as crian√ßas, dos av√≥s ou familiares que moram perto de uma bab√° de confian√ßa; talvez at√© pratique uma “troca de crian√ßas” com amigos pr√≥ximos, onde eles assistir√£o seus filhos dessa vez e voc√™ retribuir√° o favor (festa do pijama!). D√™ a si mesmo um tempo de viagem amplo. “Dois dias e uma noite” √© a f√≥rmula ideal, diz Orbuch.

N√£o se preocupe em fazer uma agenda, no entanto. O objetivo √© prestar aten√ß√£o. Tomar um parceiro como garantido √© uma armadilha um tanto natural; esta √© sua chance de “conhec√™-los novamente”, diz Orbuch. Pergunte. O que est√° estressando voc√™? Voc√™ est√° gostando do seu trabalho? O que voc√™ seria se quisesse fazer outra coisa? “Tirar um tempo longe de tudo isso permite que voc√™ se reconecte.”

3. Faça exercícios juntos ou tente outra atividade produtora de excitação

N√£o estamos falando de sexo (bem, ainda n√£o). Ent√£o, aqui, o conceito √© fazer algo que libere adrenalina / excita√ß√£o. Isso, novamente, √© algo que ocorre sem esfor√ßo no in√≠cio do relacionamento. Orbuch explica: ‚ÄúOs estudos cient√≠ficos descobrem desde que voc√™ fa√ßa isso com seu parceiro! a excita√ß√£o produzida por essa atividade pode ser transferida para o seu relacionamento. “

Algumas id√©ias? Ir para a academia juntos, se voc√™ joga t√™nis ou bate o el√≠ptico (ou mesmo apenas tentar um DVD de treino em casa). Caminhe ao ar livre ou caminhe rapidamente pelo shopping. Tente um clube de com√©dia, uma ‚Äúgargalhada forte e forte‚ÄĚ pode desencadear isso. Assista a um filme de terror juntos, situa√ß√Ķes ‚Äúassustadoras‚ÄĚ tamb√©m podem faz√™-lo. Quando estiver mais quente, suba em uma montanha-russa em Cedar Point ou talvez at√© de para-quedas em um avi√£o. Voc√™ naturalmente transferir√° / conectar√° a pressa ao seu parceiro.

4. Familiarize-se durante um jantar íntimo ou jogo de tabuleiro

Mais uma vez, retroceda ao in√≠cio do seu relacionamento. Naquela √©poca, voc√™ estava aprendendo incessantemente coisas novas sobre seu parceiro. “√Ä medida que o tempo passa, isso p√°ra”, diz Orbuch. “Voc√™ acha que sabe tudo sobre seu parceiro.” Mas voc√™? Ela ainda gosta de romances? Sua cor favorita ainda est√° vermelha?

Pode parecer banal, mas, na realidade, fazer esse tipo de pergunta “espelha e zomba do come√ßo do relacionamento”, diz Orbuch. Voc√™ quer entrar em uma situa√ß√£o mais tranquila e aconchegante, como um jantar discreto. Certos jogos tamb√©m podem promover novos tipos de id√©ias, como Scruples ou Trivial Pursuit ou at√© cart√Ķes pr√©-impressos com perguntas projetadas para conhecer algu√©m.

De fato, nas oficinas para casais que ela realiza, Orbuch ainda oferece aos casais uma lista de duas p√°ginas de coisas para perguntar um ao outro. Nada complicado. “Perguntas que voc√™ pode fazer aos seus filhos”, diz ela. Gostar:

  • O que voc√™ tem orgulho de fazer hoje? N√£o √© t√£o orgulhoso? Que tal no √ļltimo ano?
  • O que voc√™ quer fazer daqui a cinco anos? Dez? (N√£o √© pr√°tico, ela observa em sua vida.) Por que?
  • Existe algo que voc√™ se arrepende de fazer? Existe um caminho diferente que voc√™ deseja seguir? (Por exemplo, cursou a faculdade? Disse ao seu chefe que queria um aumento? Recebeu uma oferta de emprego diferente? Morava em uma cidade diferente? Tinha outro filho? Trabalhou fora de casa?)
  • Se voc√™ ganhasse na loteria e pudesse viajar para qualquer lugar, o dinheiro n√£o seria um objeto para onde iria e por qu√™?

Basicamente, est√° fazendo o que voc√™ fez naturalmente quando se conheceram, quando “n√≥s fornecemos o porto seguro e confiamos um no outro”. Isso faz voc√™ parar e lembra por que voc√™ √© compat√≠vel e atra√≠do um pelo outro.

5. Solte as press√Ķes em torno do sexo

“Acho que as pessoas ficam surpresas que a quantidade de sexo que outras pessoas estejam variando muito”, diz Orbuch. “Eu acho que a m√≠dia acha que as pessoas est√£o tendo muito, mesmo que sejam pais e que haja algum n√ļmero”.

Tenha certeza, The Love Doctor diz: N√£o h√° um objetivo-alvo (tr√™s vezes por semana, etc.). “Voc√™ deve tirar o ‘deveria’ de l√°. √Č a qualidade dessa experi√™ncia sexual, n√£o a quantidade, que leva √† felicidade. “

E n√£o √© apenas uma atividade. Uma massagem nas costas pode ser sexual. Mesmo de m√£os dadas. E quando se trata de realmente fazer sexo, tamb√©m h√° fluxo e refluxo. Inevitavelmente, um de voc√™s n√£o estar√° de bom humor. “N√£o leve para o lado pessoal. Existem muitos fatores “, diz Orbuch, como voc√™ se sente em rela√ß√£o ao seu corpo, ao sono e ao rem√©dio, ao n√≠vel de estresse, ao clima.

Se os motores ainda n√£o est√£o funcionando? Rebobinar. ‚ÄúPasse algum tempo conversando sobre sexo quando era o come√ßo do relacionamento. O que est√°vamos fazendo? Como foi? Mesmo que seja algo que tenha te deixado maluco. Mant√©m o foco em uma abordagem positiva do sexo, versus ‚Äúos deveres‚ÄĚ e ‚Äú’somos n√≥s, podemos, n√£o podemos, onde, tempo, estou estressado, voc√™ n√£o o quis da √ļltima vez, agora Eu n√£o quero isso, apenas todo esse barulho.

Fa√ßa essas conversas antes de ir para a cama. Ou por email ou texto. “N√£o h√° objetivo”, diz Orbuch. “Basta fazer essas pequenas coisas que se concentram em adicionar positividade.”

Esta postagem foi publicada originalmente em 2014 e é atualizada regularmente.