contador gratuito Skip to content

Como a terapia de conversação ajuda no transtorno de estresse pós-traumático

Como a terapia de conversação ajuda no transtorno de estresse pós-traumático

Com um n√ļmero crescente de veteranos afetados pelos horrores da guerra e pela triste realidade dos traumas da vida cotidiana, o transtorno de estresse p√≥s-traum√°tico (TEPT) √© um problema comum. Embora a preval√™ncia de TEPT possa variar, estimou-se que aproximadamente 7,8% das pessoas em um determinado momento de suas vidas experimentam TEPT. A psicoterapia, tamb√©m conhecida como “terapia de conversa√ß√£o”, √© uma forma popular de tratamento para esse dist√ļrbio. Evid√™ncias de um estudo mostram que a terapia da fala pode realmente produzir altera√ß√Ķes biol√≥gicas em pacientes com transtorno de estresse p√≥s-traum√°tico.

O que é transtorno de estresse pós-traumático?

O transtorno de estresse p√≥s-traum√°tico √© um dist√ļrbio psiqui√°trico que pode ocorrer ap√≥s a exposi√ß√£o a um estressor ou trauma com risco de vida. Exemplos comuns desses estressores incluem guerra, estupro e acidentes graves. Nem todo mundo exposto a trauma desenvolve TEPT. As pessoas afetadas pelo TEPT costumam ter pesadelos, flashbacks do evento traum√°tico, dificuldade para dormir e uma sensa√ß√£o geral de dorm√™ncia e hipervigil√Ęncia, entre outros sintomas.

Um estudo sobre terapia de conversação e transtorno de estresse pós-traumático

Um artigo de dezembro de 2013 publicado em Psiquiatria biológica discute pesquisas que examinaram os efeitos da terapia cognitivo-comportamental (TCC) em pacientes com transtorno de estresse pós-traumático. Pesquisadores do Instituto Nacional de Psiquiatria e Dependência e da Universidade de Szeged, na Hungria, estudaram um grupo de 39 pacientes que preenchiam os critérios para o transtorno de estresse pós-traumático e os compararam a 31 pessoas que haviam sido expostas a traumas, mas que não apresentavam o transtorno. de estresse pós-traumático. Pacientes com TEPT receberam 12 semanas de TCC, enquanto o grupo de comparação sem TEPT não recebeu terapia.

Os pesquisadores mediram os volumes de certas regi√Ķes do c√©rebro usando imagens de resson√Ęncia magn√©tica e coletaram amostras de sangue para medir altera√ß√Ķes na express√£o de um gene. FKBP5, Que foi encontrado relacionado ao desenvolvimento do transtorno de estresse p√≥s-traum√°tico e est√° impl√≠cito na regula√ß√£o dos horm√īnios do estresse. Essas medidas foram realizadas em todos os participantes antes e ap√≥s o per√≠odo de 12 semanas.

Resultados do estudo.

De acordo com pesquisas anteriores, no in√≠cio do estudo, os pacientes com TEPT apresentaram um FKBP5 Express√£o g√™nica e regi√Ķes menores do c√©rebro envolvidas com regula√ß√£o emocional, aprendizado e mem√≥ria, como o hipocampo, em compara√ß√£o com o grupo controle. Ap√≥s 12 semanas de TCC, no entanto, os pacientes FKBP5 a express√£o g√™nica foi maior e o volume do hipocampo aumentou. De fato, na medida em que seus FKBP5 a express√£o g√™nica foi maior e o volume do hipocampo aumentou, prevendo sua melhora na redu√ß√£o geral dos sintomas de TEPT.

Implica√ß√Ķes do estudo

As implica√ß√Ķes deste estudo demonstram o poder de interven√ß√Ķes psicol√≥gicas, como a psicoterapia, e especificamente a TCC, no transtorno debilitante do transtorno de estresse p√≥s-traum√°tico. A psicoterapia n√£o apenas ajuda as pessoas a se sentirem melhor, mas essa evid√™ncia sugere que ela pode modular processos biol√≥gicos cr√≠ticos subjacentes naqueles que sofrem de transtorno de estresse p√≥s-traum√°tico. Esta pesquisa contribui para um crescente corpo de literatura que demonstra cada vez mais a exist√™ncia de neuroplasticidade, que √© a capacidade do c√©rebro de mudar com a experi√™ncia. Esses resultados demonstram que o dano ao c√©rebro associado ao transtorno de estresse p√≥s-traum√°tico pode ser revers√≠vel.

Esta pesquisa oferece muitas esperan√ßas e orienta√ß√Ķes futuras no estudo e tratamento do transtorno de estresse p√≥s-traum√°tico.