CannaMoms luta para legalizar maconha medicinal para crianças

CannaMoms luta para legalizar maconha medicinal para crianças

CannaMoms luta para legalizar maconha medicinal para crianças

UMA Um trio de m√£es da Fl√≥rida com filhos muito doentes est√° de olho. Quando perceberam que as op√ß√Ķes para o tratamento de seus filhos com maconha – especificamente, uma vers√£o em √≥leo de baixo teor de THC e de grau m√©dico – eram limitadas, elas se uniram para formar o CannaMoms, um grupo dedicado √† difus√£o do conhecimento sobre a maconha. Eles querem criar mais op√ß√Ķes para pais como eles quando se trata de tratar doen√ßas com a droga, ou pelo menos aliviar alguns efeitos colaterais graves.

Mas se a lei estadual sobre esse assunto controverso vai acabar do seu lado, sem mencionar a opini√£o p√ļblica, ainda est√° em quest√£o.

Doenças críticas

As mães РJacel Delgadillo, Moriah Barnhart e Renee Petro Рtiveram suas lutas enquanto observam seus filhos lidando com doenças diferentes e tentando encontrar o regimento certo para ajudá-los.

O filho de Delgadillo, 3 anos, tem epilepsia grave que o leva a ter convuls√Ķes at√© 300 vezes por dia, informou recentemente a WLRN, uma esta√ß√£o p√ļblica de r√°dio / TV na regi√£o de Miami. O filho de Petro, que tem 12 anos, tamb√©m sofre de um dist√ļrbio convulsivo chamado F.I.R.E.S. E Barnhart, cuja filha tamb√©m tem 3 anos, tem “c√Ęncer cerebral agressivo”.

Desde que Barnhart colocou sua filha em um tratamento com óleo de cannabis Рque ela teria que se mudar para o Colorado para iniciar legalmente РDahlia não precisa mais de um tubo de alimentação e recuperou o apetite, disse a mãe ao WLRN, apesar de também ter se submetido a quimioterapia. Além disso, seu tumor está encolhendo, o que Barnart também credita à cannabis.

As outras duas mulheres tentaram drogas diferentes para ajudar seus filhos, observa WLRN. Petro usou “√≥leo de c√Ęnhamo legal”, entre outras coisas, relata o Tampa Tribune. E para seu filho, Delgadillo chegou ao ponto de experimentar o brometo de pot√°ssio – um medicamento veterin√°rio.

“Honestamente, n√£o tenho muita certeza dos efeitos colaterais, porque, quando o procuro, tenho que ler sobre o ponto de vista de um animal”, disse Delgadillo ao WLRN.

A condi√ß√£o do filho de Petro foi controlada com um regime de drogas, continua o relat√≥rio, mas isso faz com que ele tenha alucina√ß√Ķes e depress√£o t√£o graves que a interpola√ß√£o pergunta √† m√£e se ele pode cometer suic√≠dio.

Um olhar sobre a lei

Por experiência ou esperança futura, as três mães acreditam que a maconha é a solução mais viável para seus filhos. O problema deles é a lei.

No momento, o uso de maconha medicinal é limitado na Flórida. Em 1991, um tribunal estadual de apelação decidiu que a maconha medicinal pode ser usada para tratar doenças debilitantes nos casos em que não há tratamento mais seguro.

Isso pode mudar. A legislatura da Fl√≥rida est√° ponderando um projeto de lei que legalizaria uma maconha n√£o fumante chamada “Charlotte’s Web” para fins m√©dicos, observa a WLRN, que limita a quantidade de THC – um produto qu√≠mico que alguns pesquisadores dizem ser importante para diferentes n√≠veis de terapia. Os eleitores tamb√©m decidir√£o sobre a maior altera√ß√£o 2, que legaliza a maconha, em novembro.

Embora dê passos na direção certa, os CannaMoms argumentam que ainda é muito pouco.

“Esperamos que compartilhar nossas hist√≥rias ajude outros pais a utilizar a escolha mais compassiva como primeiro recurso”, disse Barnhart ao WTSP 10 News, na √°rea de Tampa Bay.

Perguntas e preocupação

As mães atraíram apoio, mas os opositores à legalização da maconha argumentam que a droga é perigosa e deve permanecer proibida, mesmo para fins médicos.

E, embora as evidências anedóticas sobre a maconha medicinal para crianças possam ser convincentes, outros apontam que ainda não há muita pesquisa sobre ela.

¬ęAs evid√™ncias cient√≠ficas para o uso rotineiro da maconha est√£o em falta¬Ľ, observa uma declara√ß√£o do Hospital e Cl√≠nica Infantil em St. Paul, conforme relatado em TwinCities.com/Pioneer Press. Isso n√£o significa que n√£o funcione, acrescenta, mas “como n√£o existem ensaios cl√≠nicos em que confiar, n√£o sabemos se √© um tratamento seguro e eficaz”.

Em uma escala maior, alguns grupos se preocupam com a maconha, per√≠odo – independentemente da sua forma ou idade do consumidor. Um grupo anti-legaliza√ß√£o da Fl√≥rida, “No On 2”, chegou ao ponto de afirmar que a aprova√ß√£o da emenda causaria estupro por biscoitos e brownies, informa a WPTV de West Palm Beach, na Fl√≥rida.

Essa acusa√ß√£o foi recebida com pelo menos uma palma da m√£o. “Se voc√™ vai fazer declara√ß√Ķes como essa, pelo menos seja inteligente o suficiente para acertar os fatos”, comentou Stacey Hartwell-Fields no artigo. ¬ęEducem-se; esta √© uma planta incr√≠vel que cura doen√ßas como c√Ęncer, hep-c e muitas outras, sem mencionar o al√≠vio da dor e as convuls√Ķes que est√° controlando! ¬Ľ

No entanto, essas mães parecem continuar lutando pelo tratamento que acham que seus bebês merecem.