Auto-lesão e causas e tratamentos judiciais

Auto-lesão e causas e tratamentos judiciais

Auto-dano consiste em dano corporal auto-infligido que é grave o suficiente para causar danos aos tecidos ou deixar marcas que duram várias horas. Cortar é a forma mais comum de SI, mas queimar, bater na cabeça e arranhar também são comuns. Outras maneiras incluem morder, remover a pele, puxar os cabelos, bater no corpo com objetos ou bater no corpo com objetos.

Por que as pessoas se machucam?

Embora sentimentos suicidas possam acompanhar o SI, isso não indica necessariamente uma tentativa de suicídio. Mais frequentemente, é simplesmente um mecanismo para lidar com o sofrimento emocional. As pessoas que selecionam essa saída emocional podem usá-la para expressar sentimentos, lidar com sentimentos de irrealidade ou entorpecimento, impedir flashbacks, punir-se ou aliviar a tensão.

Quem se machuca?

Embora o SI seja reconhecido como um problema comum entre a população adolescente, ele não se limita aos adolescentes. Pessoas de todos os sexos, nacionalidades, grupos socioeconômicos e idades podem se machucar.

Sinais de aviso

Pessoas que se machucam tornam-se hábeis em esconder ou explicar cicatrizes. Procure sinais como preferência em usar roupas escondidas o tempo todo (por exemplo, mangas compridas em clima quente), evite situações em que roupas mais reveladoras possam ser esperadas (por exemplo, uma recusa inexplicável de ir a uma festa) ou reclamações lesões acidentais invulgarmente frequentes (por exemplo, o proprietário de um gato que frequentemente arranha os braços).

Ofertas

Medicamentos como antidepressivos, estabilizadores de humor e ansiolíticos podem aliviar os sentimentos subjacentes com os quais o paciente está tentando lidar com o EI. O paciente também deve ser ensinado mecanismos de enfrentamento para substituir o SI. Uma vez que o paciente esteja estável, o trabalho terapêutico deve ser feito para ajudar a lidar com os problemas subjacentes que estão causando seu sofrimento. Alguns especialistas dizem que a hospitalização ou interrupção forçada do SI não é um tratamento útil. Isso pode fazer com que o médico, os amigos e a família envolvidos se sintam mais confortáveis, mas não ajuda em nada os problemas subjacentes. Além disso, o paciente geralmente não é psicótico nem se suicida ativamente e se beneficiará mais ao trabalhar com um médico compassivo com os motivos pelos quais eles estão se machucando. O desejo de cooperar e recuperar é um fator importante na recuperação.