Ataques de pânico e transtorno de ansiedade social

Ataques de pânico e transtorno de ansiedade social

O transtorno de ansiedade social é uma condição de saúde mental na qual uma pessoa é consumida com medo de ser julgada e avaliada negativamente por outras pessoas. A pessoa pode ter tanto medo de se sentir envergonhada ou humilhada na frente de outras pessoas que evita a maioria das situações sociais. Como o transtorno do pânico, o transtorno de ansiedade social pode afetar negativamente a qualidade de vida de uma pessoa.

O transtorno do pânico e o transtorno da ansiedade social são marcados com qualidades semelhantes, como medo persistente, nervosismo e sensações físicas, incluindo tremores e tremores. No entanto, cada um desses distúrbios possui um conjunto específico de critérios de diagnóstico que os tornam condições únicas e distintas. Para entender cada diagnóstico mais claramente, esses distúrbios são comparados por vários fatores.

1

Medo e evasão

Imagens de PeopleImages.com/Getty

O transtorno do pânico pode ocorrer com ou sem agorafobia, ou o medo de experimentar sintomas de ataque de pânico em uma situação que parece fisicamente difícil ou emocionalmente embaraçosa para escapar. Uma pessoa com transtorno do pânico geralmente teme os sintomas físicos dos ataques de pânico, acreditando que eles podem ter um problema médico que os incomoda. Com o tempo, a pessoa pode se sentir mais segura contra esses ataques, permanecendo em determinadas áreas ou em uma área segura auto-determinada, geralmente perto de casa. A agorafobia se desenvolve quando a pessoa não pode mais sair dessa área segura sem sentir medo intenso

O transtorno de ansiedade social envolve o medo de ser o centro das atenções, ser criticado ou de alguma forma se comportar de uma maneira que possa causar constrangimento na frente dos outros. Esse medo de humilhação pública e desconforto geral em ambientes sociais pode se tornar tão grande que a pessoa pode evitar a maioria das interações públicas e sociais. Essa prevenção difere da agorafobia, pois a pessoa se preocupa com o escrutínio de outras pessoas e não com um ataque de pânico.

2

Os sintomas

O transtorno do pânico é caracterizado por ataques de pânico recorrentes que geralmente ocorrem sem aviso. Muitos dos sintomas físicos do transtorno do pânico, como tremores, falta de ar e palpitações cardíacas, podem fazer com que a pessoa se sinta em risco. A pessoa também pode acreditar que corre o risco de perder o controle ou enlouquecer.

O transtorno de ansiedade social geralmente envolve alguns dos sintomas físicos semelhantes aos ataques de pânico, que incluem transpiração excessiva e tremores. No entanto, esses sintomas só podem ocorrer quando confrontados ou quando você pensa em interações públicas e sociais. Outros sintomas comuns do transtorno de ansiedade social incluem rubor, tensão muscular, baixa auto-estima e evitar o contato social.

4

Tratamento

Pessoas com transtorno do pânico geralmente procuram atendimento médico por seus sintomas físicos, que podem incluir sentimentos aterrorizantes, como respiração restrita e coração acelerado. Não é incomum uma pessoa com transtorno do pânico ir à sala de emergência devido à intensidade de suas sensações físicas. Um médico pode determinar se os sintomas são devidos a um distúrbio de pânico ou a uma condição médica geral.

Dado que seus sintomas geralmente não são tão extremos quanto o transtorno do pânico, as pessoas com transtorno de ansiedade social geralmente não procuram ajuda médica para sua condição. Muitas pessoas com transtorno de ansiedade social não percebem que têm uma condição de saúde mental. Em vez disso, eles podem acreditar que são muito tímidos ou têm um defeito de personalidade. Devido ao isolamento social e à falta de conhecimento sobre o distúrbio, muitas pessoas com transtorno de ansiedade social permanecem sem diagnóstico.

O transtorno do pânico e o transtorno da ansiedade social podem ser efetivamente tratados com medicamentos, como os ISRS. Os medicamentos podem ajudar a controlar os sintomas e melhorar significativamente a função diária. A psicoterapia também pode ser um tratamento extremamente útil para esses dois distúrbios.

Uma forma de psicoterapia chamada terapia cognitivo-comportamental pode ajudar a mudar os padrões de pensamento e comportamentos negativos associados à sua condição. Por exemplo, pessoas com transtorno do pânico podem aprender a pensar em seus sintomas físicos como sentimentos de ansiedade, e não como uma condição médica com risco de vida. Com o tempo e com a prática, esses novos pensamentos podem ajudar uma pessoa a se sentir mais no controle quando ocorrem ataques de pânico. Pessoas com transtorno de ansiedade social podem desenvolver novas formas de pensar sobre si mesmas e outras pessoas que lhes permitirão se sentir mais seguras em situações sociais.

Embora não seja típico, pode ser diagnosticado com esses dois distúrbios. O transtorno do pânico e o transtorno de ansiedade social são frequentemente acompanhados por outro transtorno de humor ou ansiedade, como comportamento obsessivo-compulsivo, depressão ou transtorno de estresse pós-traumático. Pessoas com transtorno do pânico ou ansiedade social também são propensas a desenvolver um problema de abuso de substâncias.

Para garantir que você receba o diagnóstico correto, é importante procurar ajuda de profissionais que possam tratar o transtorno do pânico ou outros transtornos de ansiedade. Converse com seu médico sobre as opções de diagnóstico e tratamento. Procure ajuda profissional em tempo hábil, pois o tratamento pode reduzir bastante os sintomas de transtornos de ansiedade.