Alergias à comida para bebê: causas, sintomas e tratamento
Comportamento

Alergias à comida para bebê: causas, sintomas e tratamento

NESTE ARTIGO

Iniciar alimentos s√≥lidos para o seu beb√™ √© bastante emocionante. Alimentar pequenas bocas com alimentos s√≥lidos e saud√°veis ‚Äč‚Äčn√£o √© apenas ador√°vel, mas tamb√©m satisfat√≥rio. D√°-lhe prazer ver o pequeno engolir a comida e arrotar depois disso.

Mas antes de introduzir novos alimentos para o bebê, é bom saber sobre alergias alimentares em bebês. Neste post, MomJunction fala sobre alimentos com potencial para desencadear uma alergia alimentar em um bebê, maneiras de controlá-los e evitá-los. No entanto, lembre-se de que nem todos os bebês são propensos a alergias alimentares.

Por que ocorre uma alergia alimentar?

A alergia alimentar ocorre quando o sistema imunol√≥gico do corpo confunde o alimento com um pat√≥geno e causa um ataque (1). Isso resulta em sintomas semelhantes a uma doen√ßa, mas na verdade s√£o causados ‚Äč‚Äčpela resposta defeituosa do sistema imunol√≥gico.

A identidade errada √© o resultado de certas rea√ß√Ķes qu√≠micas no corpo. Vamos ver como isso acontece.

O que causa alergias alimentares em bebês?

As causas das alergias alimentares não são totalmente compreendidas, mas os pesquisadores acreditam que elas se desenvolvem a partir de uma combinação de fatores genéticos e ambientais.

A comida ingerida √© processada pelo est√īmago de onde se move para o intestino delgado. Aqui, o alimento encontra as c√©lulas do sistema imunol√≥gico presentes no revestimento intestinal.

A prote√≠na alimentar √© detectada incorretamente como uma subst√Ęncia estranha (ant√≠geno) e o sistema imunol√≥gico libera um contador qu√≠mico (anticorpo).

Uma reação complexa entre o antígeno e o anticorpo forma a histamina química, que reage com o tecido corporal e produz sintomas externos visíveis que conhecemos como alergia alimentar. Amendoim e ovos são dois dos alérgenos alimentares mais comuns.

Se o beb√™ for al√©rgico a um alimento, √© prov√°vel que ele tamb√©m seja al√©rgico a outros alimentos relacionados. Esse fen√īmeno √© chamado de reatividade cruzada (2). Por exemplo, se seu beb√™ √© al√©rgico a camomila, √© prov√°vel que ele tamb√©m seja al√©rgico a cardo de leite.

O que são alimentos com alta alergia para bebês?

Certos alimentos s√£o respons√°veis ‚Äč‚Äčpelas alergias mais comuns em beb√™s. Centro dos EUA para Controle e Preven√ß√£o de Doen√ßas (CDC). EUA Ele afirma que os seguintes grupos de alimentos s√£o respons√°veis ‚Äč‚Äčpor 90% das rea√ß√Ķes al√©rgicas leves a graves nos alimentos:

  • Leite (de qualquer fonte animal; o leite materno √© seguro)
  • Ovos
  • Peixe
  • Crust√°ceos (como camar√Ķes e caranguejos)
  • Trigo
  • Soja
  • Mis√©ria
  • Nozes (como nozes e avel√£s)

Estes s√£o os principais alimentos alerg√™nicos para beb√™s, enquanto sementes como gergelim e mostarda e at√© chocolate s√£o al√©rgenos em potencial. O beb√™ √© mais suscet√≠vel a alergias alimentares sob certas condi√ß√Ķes.

Quais são os fatores de risco para alergia alimentar em bebês?

As chances de alergia alimentar no beb√™ aumentam nas seguintes situa√ß√Ķes (3):

  1. História familiar de alergias alimentares: Os bebês, que têm o problema na família, têm maior probabilidade de ter alergias alimentares. O bebê tem 30 a 50% de probabilidade de contrair a alergia, se um dos pais a tiver, e 60 a 80% de probabilidade, se ambos os pais tiverem alergia (4).
  1. Idade do beb√™: As alergias alimentares afetam aproximadamente 8% dos beb√™s com menos de 36 meses, mas apenas 3% dos adultos (5). Os beb√™s s√£o mais vulner√°veis ‚Äč‚Äčque os adultos por causa de seu sistema imunol√≥gico subdesenvolvido.
  1. Asma: Geralmente aumenta o risco de alergia alimentar, mas a ligação entre os dois é desconhecida. Os especialistas acreditam que se a asma desencadeia asma (por exemplo, inalar acidentalmente partículas de farinha de trigo), a pessoa também pode ser alérgica ao consumo oral (alergia ao trigo) (6).
  1. Presen√ßa de outras alergias: Um beb√™ com outras condi√ß√Ķes al√©rgicas, como o eczema, tem uma suscetibilidade aumentada a uma alergia alimentar. Observe que as condi√ß√Ķes acima apenas aumentam as chances de alergia alimentar, mas n√£o necessariamente levam a alergias. O beb√™ pode ter os problemas acima, mas estar livre de alergias alimentares.

Quais são os sintomas da alergia alimentar em bebês?

Um bebê com alergia alimentar provavelmente apresentará estes sinais:

  1. Urtic√°ria da pele: Erup√ß√Ķes vermelhas a rosa em todo o corpo. A erup√ß√£o cut√Ęnea pode ser como uma picada de mosquito chamada verg√Ķes ou uma mancha de pele rosada chamada verg√Ķes. As erup√ß√Ķes cut√Ęneas podem estar presentes em todo o corpo, especialmente no rosto, costas, pesco√ßo e pernas.

Os verg√Ķes frequentemente picam e causam desconforto ao pequeno. Eles podem durar horas, dependendo se o beb√™ recebe medica√ß√£o ou n√£o. Mesmo uma alergia alimentar leve pode levar √† urtic√°ria.

  1. Incha√ßo de partes do rosto: Os l√°bios, nariz, p√°lpebras e l√≠ngua podem ficar inflamados. Dedos e dedos dos p√©s tamb√©m podem inchar. √Āreas inflamadas do corpo podem causar coceira.
  1. Descarga nasal do nariz: Um líquido transparente pode sair do nariz do bebê.
  1. Desconforto abdominal: Inclui cólicas estomacais e fortes dores em toda a região abdominal.
  1. V√īmitos e diarr√©ia: Pode haver diarr√©ia e v√īmito, al√©m de n√°usea.
  1. Letargia e nervosismo: O bebê tem menos energia, parece letárgico e pode ficar inquieto.

Ao contrário da crença popular, constipação e febre não são sintomas de alergia alimentar (7). Uma alergia alimentar pode se manifestar em alguns segundos ou após alguns minutos. Em alguns casos raros, o bebê pode ter uma reação tardia após quatro a seis horas ou mais.

Uma dessas rea√ß√Ķes tardias √© s√≠ndrome de enterocolite induzida por prote√≠nas alimentares (FPIES). Essa rea√ß√£o gastrointestinal ocorre principalmente em beb√™s de duas a seis horas ap√≥s a ingest√£o de leite, soja, gr√£os e alguns outros alimentos s√≥lidos (8).

Alergias alimentares graves em bebês podem causar sintomas de alta intensidade. Esse estado é chamado de anafilaxia ou choque anafilático. A seguir estão os sintomas da anafilaxia:

  • Aperto e estreitamento do trato respirat√≥rio nasal.
  • M√ļsculos do pesco√ßo inchados que pressionam a traqu√©ia.
  • Aumento do batimento card√≠aco seguido por uma queda repentina da press√£o arterial.
  • Tontura e inconsci√™ncia parcial.
  • Colora√ß√£o azul da pele e unhas.
  • Fezes avermelhadas ou marrom-escuras devido √† presen√ßa de sangue (9)

O sangue pode aparecer nas fezes em casos graves de alergia alimentar e quando o beb√™ tem outras condi√ß√Ķes al√©rgicas, como o eczema. A anafilaxia ocorre em quatro em cada dez casos de alergias alimentares em lactentes (10). Leve seu beb√™ ao m√©dico quando detectar sinais de alergia alimentar.

Como é diagnosticada alergia alimentar em bebês?

O médico estudará os sintomas e aprenderá mais sobre o histórico médico do bebê. Os pais seriam questionados sobre a dieta do bebê. O médico pode realizar os seguintes testes de alergia no bebê (11):

  1. Teste de sangue: Um exame de sangue medir√° a quantidade de anticorpos no sangue. O m√©dico perguntar√° sobre a dieta do beb√™ nas √ļltimas horas e depois avaliar√° o laudo de sangue para determinar os anticorpos espec√≠ficos nos alimentos.
  1. Elimine um tipo de alimento: O médico pode solicitar que você remova um item alérgico suspeito da dieta do bebê por semana. Se uma recaída de alergia não for notada após a interrupção dos alimentos, o motivo por trás da alergia pode ser considerado.
  1. Teste de picada na pele: √Č o m√©todo mais r√°pido e preciso para determinar a causa da alergia. Uma pequena quantidade dilu√≠da de um al√©rgeno suspeito √© injetada na camada superior da pele. Se o beb√™ apresentar sintomas leves de alergia, pode ser entendido que ele √© al√©rgico a essa subst√Ęncia.

Os testes acima s√£o geralmente feitos em conjunto para identificar os alimentos alerg√™nicos. Os testes cut√Ęneos s√£o seguros e n√£o s√£o motivo de preocupa√ß√£o. No entanto, se o beb√™ tiver anafilaxia repetida ou condi√ß√Ķes al√©rgicas como eczema e asma, o m√©dico poder√° realizar apenas o exame de sangue e a remo√ß√£o de um teste alimentar.

Como é tratada uma alergia alimentar em bebês?

Não existe tratamento definitivo para alergia a alimentos para bebês, pois não há cura para alergias a alimentos (12). O tratamento dos sintomas ajuda a fornecer alívio, e há duas maneiras de fazer isso:

  1. Medicação anti-histamínica: Os sintomas de alergia são tratados com o uso de medicamentos anti-histamínicos orais que podem ser administrados em casa após uma consulta médica. O bebê também receberia um autoinjetor de epinefrina. Uma injeção de epinefrina é usada no caso de anafilaxia e pode ser administrada pelos pais.
  1. Mudan√ßas na dieta: Evitar a subst√Ęncia alimentar que causa a alergia ajuda a atenuar o problema. Leia atentamente os r√≥tulos dos alimentos embalados e processados, inclu√≠dos na dieta do seu beb√™.

Como gerenciar alergias alimentares em bebês?

Controlar a alergia alimentar do bebê é simples e geralmente envolve algumas etapas:

  • Escolha alimentos hipoalerg√™nicos para beb√™s: O pediatra recomenda uma f√≥rmula hipoalerg√™nica quando o beb√™ √© al√©rgico ao leite de vaca e depende exclusivamente da f√≥rmula alimentar. Os beb√™s com alergia ao leite de vaca tamb√©m s√£o geralmente al√©rgicos √† soja e, portanto, n√£o podem receber f√≥rmula de soja. A f√≥rmula hipoalerg√™nica pode ser uma op√ß√£o, pois √© composta por prote√≠nas hidrolisadas, amino√°cidos mais simples que n√£o desencadeiam rea√ß√Ķes al√©rgicas (13).
  • Evite alimentos com derivados de al√©rgenos: Um cookie pode conter farinha de soja, enquanto um pudim pode conter um ovo. Al√©rgenos podem estar escondidos em qualquer alimento e os pais devem verificar os ingredientes antes de entreg√°-los ao beb√™. Essa cautela √© necess√°ria para beb√™s mais velhos que podem comer uma variedade de alimentos s√≥lidos.
  • Verifique as vacinas antes da vacina√ß√£o: A maioria das vacinas √© segura para o beb√™, mas algumas, como a vacina contra a gripe e febre amarela, s√£o derivadas de prote√≠nas do ovo, um al√©rgeno comum (14). A febre amarela n√£o faz parte do programa regular de vacina√ß√£o do beb√™, mas a gripe √© altamente recomendada. Os pais devem conversar com o m√©dico sobre a vacina contra a gripe antes de prosseguir. Uma vers√£o da vacina sem prote√≠na do ovo pode ser usada. Pode ser caro, mas completamente seguro para o beb√™ com alergia ao ovo.

Quando tratadas adequadamente, as alergias n√£o representam um obst√°culo ao crescimento e desenvolvimento saud√°veis ‚Äč‚Äčdo beb√™. Pode reduzir as chances de alergia alimentar em beb√™s.

Como prevenir alergias alimentares em bebês?

Não há maneira definitiva de prevenir alergias alimentares, pois ocorrem espontaneamente. No entanto, você pode tentar o seguinte:

  1. Tenha um aumento gradual na quantidade. Quando for a hora de deixar o beb√™ comer esses alimentos, n√£o v√° direto para por√ß√Ķes completas. Em vez disso, comece com pequenas quantidades. Por exemplo, ao introduzir ovos, comece dando ao seu beb√™ alguns ovos mexidos todos os dias. Aumente gradualmente a quantidade em alguns dias. Uma introdu√ß√£o controlada ajuda a dessensibilizar gradualmente o sistema imunol√≥gico do beb√™ a um alimento alerg√™nico.
  1. Digite qualquer alimentos para beb√™s de ingrediente √ļnico por quatro a seis meses. Isso normalmente inclui frutas (ma√ß√£s, peras e bananas), vegetais (vegetais verdes, batata doce, ab√≥bora e cenoura) e gr√£os de cereais (arroz ou aveia), um de cada vez. Os alimentos podem ser introduzidos dessa maneira a cada tr√™s a cinco dias. Esse processo lento oferece aos pais ou respons√°veis ‚Äč‚Äča oportunidade de identificar e remover qualquer alimento que cause uma rea√ß√£o al√©rgica.

Nota: Atrasar a introdução de alimentos pode aumentar o risco de o bebê desenvolver alergias.

  1. As nutrizes não precisam ficar longe de alimentos alergênicos comuns. para evitar alergias Se o bebê tiver uma alergia alimentar confirmada, a mãe poderá evitar comer alimentos alergênicos. No entanto, raramente tem efeito e, na maioria dos casos, as mães podem consumir o alérgeno sem causar impacto no bebê alérgico (15).

Perguntas frequentes

1. Os bebês podem ser alérgicos ao leite materno?

O leite materno √© feito sob medida para se adaptar ao sistema imunol√≥gico dos beb√™s e, portanto, √© improv√°vel que provoque uma rea√ß√£o al√©rgica (16). Se voc√™ notar sinais de alergia alimentar no beb√™ amamentado, que ainda n√£o est√° ingerindo alimentos s√≥lidos, pode ser um caso de intoler√Ęncia cong√™nita √† lactose ou galactosemia. Ambas as condi√ß√Ķes causam intoler√Ęncia aos a√ß√ļcares no leite materno e causam desconforto abdominal (17) (18). No entanto, essas n√£o s√£o alergias, mas intoler√Ęncias, ou seja, a incapacidade do organismo de produzir as enzimas digestivas necess√°rias para quebrar as mol√©culas de a√ß√ļcar no leite.

2. Os bebês podem superar alergias alimentares?

Um estudo nos EUA EUA Constatou-se que aproximadamente 26,6% dos bebês com alergia alimentar finalmente superaram a doença após os cinco anos e meio (19). No entanto, as alergias podem ser limitadas a alguns alimentos à medida que o bebê cresce. Por exemplo, alergias ao leite, ovos, soja e trigo podem resolver após cinco anos. Mas alergias a peixes, mariscos, amendoins e nozes podem ficar.

3. Qual √© a diferen√ßa entre intoler√Ęncia alimentar e alergia alimentar?

Intoler√Ęncia alimentar √© a incapacidade do trato gastrointestinal de quebrar as mol√©culas de uma subst√Ęncia alimentar (20). Geralmente causa desconforto abdominal com sintomas como dor de est√īmago e diarr√©ia. A diferen√ßa entre alergia e intoler√Ęncia alimentar √©:

ALERGIA ALIMENTAR INTOLER√āNCIA ALIMENTAR
Resposta do sistema imunol√≥gico √† subst√Ęncia alimentarIncapacidade do trato gastrointestinal de digerir uma subst√Ęncia alimentar
Início rápido dos sintomasInício mais lento dos sintomas em comparação com alergia alimentar.
Causado por um sistema imunológico defeituosoCausada pela ausência de certas enzimas digestivas
Os sintomas de alergia incluem desconforto abdominalMostra apenas desconforto abdominal
A reação alérgica anafilática é fatal.Pode causar desconforto grave, mas nunca ameaça a vida.

Ao contr√°rio de uma alergia alimentar, a intoler√Ęncia alimentar n√£o afeta o sistema imunol√≥gico e tamb√©m √© chamada de sensibilidade alimentar e hipersensibilidade n√£o al√©rgica (21). Um exemplo de intoler√Ęncia alimentar √© a intoler√Ęncia √† lactose, que √© diferente de uma alergia ao leite. A intoler√Ęncia alimentar √© mais comum, mas menos grave que as alergias alimentares.

4. A ordem de introdução de alimentos sólidos influencia as chances de alergia?

Quando o bebê completar seis meses, não introduza todos os alimentos sólidos de uma só vez. Em vez disso, comece gradualmente à medida que o bebê cresce. Isso permite identificar alimentos que causam alergias. Além disso, não há necessidade de atrasar os sólidos, pois eles podem causar alergias.

Alergias alimentares podem ser controladas. Você pode até manter um diário de bordo para registrar quando e como os sintomas apareceram. O leite materno é o alimento mais seguro para bebês de até seis meses e, em seguida, você pode gradualmente introduzir alimentos sólidos.

Você tem alguma dica para controlar alergias alimentares em bebês? Compartilhe-os conosco na seção de comentários abaixo.

Referências

Os comentários são moderados pela equipe editorial da MomJunction para remover qualquer comentário pessoal, abusivo, promocional, provocador ou irrelevante. Também podemos remover hiperlinks nos comentários.

As pr√≥ximas duas guias alteram o conte√ļdo abaixo. Momjunction Momjunction FaceBook Pinterest Twitter Incnut foto principal