contadores Saltar al contenido

Adolescentes com alto estresse são duas vezes mais propensos a beber ou usar drogas

Por que alguns adolescentes se envolvem em abuso de substâncias, enquanto outros não? Quais fatores ou influências aumentam os riscos de os adolescentes fumarem, beberem álcool, ficarem bêbados e usarem drogas ilícitas e prescritas, enquanto outros passam pelo ensino médio abstinentes?

Para responder a essas perguntas, o Centro Nacional de Dependência e Abuso de Substâncias (CASA), na Columbia University, conduz um estudo de "volta às aulas", também conhecido como "A Pesquisa Nacional de Atitudes Americanas em Abuso de Substâncias".

Desde 1995, essa pesquisa tenta identificar características, situações e circunstâncias que aumentam ou diminuem a probabilidade de abuso de substâncias entre os adolescentes.

Dos resultados de vários dos 17 estudos publicados da CASA, surgiram os seguintes fatores de risco para maior probabilidade de os adolescentes fumarem, beberem ou usarem drogas.

Fatores Chave

Em um dos primeiros estudos da CASA (2003), a pesquisa descobriu que adolescentes estressados, em comparação com adolescentes estressados, têm muito mais probabilidade de se envolver no abuso de substâncias:

  • Os adolescentes estressados ​​têm duas vezes mais chances de fumar, beber, embebedar-se e usar drogas ilegais.
  • Adolescentes que relatam estar freqüentemente entediados têm 50% mais chances de fumar, beber, embebedar-se e usar drogas ilegais.
  • Adolescentes com US $ 25 ou mais por semana gastando dinheiro têm duas vezes mais chances de fumar, beber e usar drogas ilegais e duas vezes mais chances de ficarem bêbados.
  • Adolescentes com dois ou três desses fatores têm mais de três vezes chances de se tornarem viciados em drogas.
  • Esses fatores afetam mais da metade das crianças de 12 a 17 anos nos EUA.

Os adolescentes começam a usar mais cedo do que os pais pensam

Os adolescentes influenciados a fumar, beber e usar drogas começam muito mais cedo do que os pais gostariam de pensar, de acordo com os resultados da pesquisa da CASA.

A pesquisa constatou que entre 12 e 17 anos de idade, a probabilidade de um adolescente fumar, beber ou usar drogas ilegais aumenta sete vezes. Durante o mesmo período, dos 12 aos 17 anos, a porcentagem de adolescentes que relatam ter amigos que fumam maconha aumenta 14 vezes.

A espiritualidade é uma influência positiva

A pesquisa da CASA constatou repetidamente que adolescentes que frequentam serviços religiosos pelo menos uma vez por semana têm um risco significativamente menor de se envolverem em abuso de substâncias.

Pressão Digital de Pares

Adolescentes que viram fotos no Facebook ou em outros sites de redes sociais de outras crianças embebedando-se, desmaiando ou usando drogas têm maior probabilidade de se envolverem em abuso de substâncias, em comparação com crianças que não viram essas fotos. Eles são:

  • Quatro vezes mais probabilidade de ter usado maconha
  • Mais de três vezes mais chances de ter usado álcool
  • Quase três vezes mais propenso a usar tabaco
  • Mais do dobro da probabilidade de pensar que eles tentarão drogas no futuro.

Além disso, os adolescentes que passam um tempo significativo nas redes sociais são:

  • Quatro vezes mais chances de conseguir maconha
  • Três vezes mais chances de conseguir medicamentos prescritos
  • O dobro da probabilidade de conseguir álcool dentro de um dia ou menos

Adolescentes envolvidos em redes sociais têm muito mais chances de ter amigos e colegas de classe que usam drogas ilegais e abusam de medicamentos controlados.

Efeitos do estresse elevado

Em comparação com os adolescentes que relataram estar sob baixo estresse (5 ou menos em uma escala de 1 a 10), os adolescentes sob alto estresse (6 ou mais em uma escala de 1 a 10) têm uma probabilidade significativamente maior de abusar de substâncias:

  • Três vezes mais probabilidade de ter usado maconha
  • Duas vezes mais probabilidade de ter usado álcool
  • O dobro da probabilidade de ter usado tabaco

Estar sozinho em casa à noite

Adolescentes que às vezes são deixados em casa sozinhos durante a noite sem a supervisão de adultos têm maior probabilidade de abusar de substâncias, em comparação com os adolescentes que nunca saem de casa sozinhos à noite.

  • Duas vezes mais probabilidade de ter usado maconha
  • Quase duas vezes mais probabilidade de ter usado álcool
  • Quase três vezes mais probabilidade de ter usado tabaco

Vítimas de cyberbullying em maior risco

As pesquisas da CASA revelam que os adolescentes que sofrem cyberbullying têm duas vezes mais chances de fumar, beber e usar maconha em comparação com os adolescentes que não sofrem bullying.

Atitudes de adolescentes mostram maiores riscos de abuso de substâncias

Em todos os casos, se os adolescentes que participaram da pesquisa disseram concordar com as afirmações abaixo, tinham três vezes mais chances de usar maconha, duas vezes mais chances de beber álcool e muitas vezes mais chances de fumar:

  • "Se um amigo meu usa drogas ilegais, não é da minha conta."
  • "Eu deveria poder fazer o que eu quero com meu próprio corpo."
  • "Não é grande coisa fazer sexo com alguém com quem você não se importa tanto."

A reprovação dos pais é um fator importante

Ao longo dos anos, a pesquisa da CASA constatou que a forte reprovação dos pais pelo abuso de substâncias é um fator nas atitudes e no comportamento dos adolescentes. Os adolescentes que dizem que seus pais ficariam "extremamente chateados" ao descobrir que fumavam, bebiam ou usavam maconha eram menos propensos a usar substâncias por conta própria ou a achar que é bom para seus colegas usá-las.

Quando as crianças relataram que seus pais não ficariam extremamente chateados, no entanto, a pesquisa constatou que os pais:

  • Oito vezes e meia mais propensas a dizer que não há problema em adolescentes de sua idade usarem maconha.
  • Dez vezes mais chances de dizer que não há problema em adolescentes de sua idade ficarem bêbados.
  • Nove vezes mais propensos a dizer que não há problema em adolescentes de sua idade fumarem cigarros.

Os pais precisam estar na mesma página

As pesquisas constatam que é importante que os pais enviem uma mensagem consistente e unificada aos adolescentes sobre drogas e álcool. Comparados aos adolescentes cujos pais concordam completamente um com o outro sobre abuso de substâncias, os adolescentes cujos pais não concordam completamente são:

  • 3 vezes mais probabilidade de usar maconha
  • 3,5 vezes mais chances de experimentar drogas no futuro
  • Duas vezes mais probabilidade de usar álcool

Vez após vez, a pesquisa da CASA descobriu que o envolvimento dos pais na vida dos adolescentes pode desempenhar um papel importante no fato de não se envolverem no abuso de substâncias, especialmente se os pais são sensíveis ao estresse na vida dos filhos, entendem quando e por que eles estão entediados, limitam e monitoram seu dinheiro gasto.

Maneiras que os pais podem reduzir o risco de adolescentes

De acordo com o Centro Nacional de Dependência e Abuso de Substâncias, estas são cinco maneiras pelas quais os pais podem reduzir a possibilidade de seus filhos fumarem, beberem, embebedarem ou usarem bêbados ilegais antes dos 18 anos:

  • Seja sensível ao estresse na vida dos adolescentes e ajude-os a lidar.
  • Entenda quando e por que os adolescentes estão entediados e ajude a aliviar o tédio.
  • Limite a quantidade de dinheiro que seus filhos gastam e monitore como esse dinheiro é gasto.
  • Saiba quem são os amigos do seu filho.
  • Envolva-se na vida de seus filhos

A CASA sugere que os pais possam se envolver mais com a adolescência, ajudando-os na lição de casa, participando de eventos extracurriculares, planejando atividades que podem ser realizadas em conjunto e conversando com eles sobre drogas, álcool e tabaco.