A política do banheiro da escola faz com que as meninas sangrem pelas calças

A política do banheiro da escola faz com que as meninas sangrem pelas calças

A política do banheiro da escola faz com que as meninas sangrem pelas calças

Chegue perto. Vou lhe contar um pequeno segredo: uma semana em cada mês, metade da população sangra incontrolavelmente através de suas vaginas.

Est√° louco n√©? Aqueles que t√™m um √ļtero realmente t√™m per√≠odos. Eu sei eu sei. Isso √© “nojento” e n√£o devemos falar sobre isso, mas sou porque, como uma mulher que arruinou v√°rios pares de roupas √≠ntimas quando meu √ļtero decidiu abandonar seu revestimento, eu sinto as meninas da Rede Nobre de Escolas Charter.

Veja, os alunos dessa rede de escolas charter, que tem 18 campi na √°rea de Chicago, precisam esperar uma escolta de banheiro para usar as instala√ß√Ķes.

Normalmente, isso não seria um grande problema. Mas os alunos avisaram à NPR Illinois que as escoltas no banheiro não aparecem com muita frequência; portanto, quando Aunty Flo vem para uma visita particularmente pesada, eles são forçados a deixar a aula e ter problemas ou sangrar pelas calças.

Como solução para o problema, a rede criou uma isenção no código de vestimenta para permitir que aqueles que passavam pelas calças amarrassem um moletom em volta da cintura, porque isso resolve totalmente o problema.

A escola diz que essas alega√ß√Ķes s√£o exageradas ou claramente falsas, embora alguns funcion√°rios tenham se apresentado para dizer que as alega√ß√Ķes est√£o alinhadas com suas experi√™ncias.

E até chegou a dizer que há uma desconexão entre o comportamento exigido pelo sistema da Noble e os alunos que eles servem e eles não ouvem os alunos que eles servem.

“As escolas nobres querem todas as crian√ßas submissas e complacentes ou aquelas que s√£o muito impression√°veis”, a professora an√īnima mandou uma mensagem para a NPR Illinois. “Mas as crian√ßas do lado sul e oeste (de Chicago) n√£o s√£o assim. Voc√™ n√£o sobrevive nesses bairros dessa maneira. Ent√£o, o que as crian√ßas fazem? Eles combatem o sistema e agem exatamente o oposto do que a Noble quer. ‚ÄĚ

E esse professor provavelmente est√° certo porque, mesmo sem o aspecto do per√≠odo, ainda h√° uma enorme falta de conscientiza√ß√£o para as necessidades dos alunos e um completo desrespeito √†s reclama√ß√Ķes.

Ent√£o, vamos l√°, Noble, todo mundo precisa usar o banheiro, ponto final. De fato, n√£o permitir que seus filhos tenham intervalos adequados no banheiro pode ter um impacto negativo na sa√ļde deles. Se voc√™ deseja implementar um sistema de acompanhantes no banheiro, tudo est√° bem, mas √© melhor que as suas acompanhantes apare√ßam para que os alunos possam fazer seus neg√≥cios quando necess√°rio, especialmente quando seus alunos podem acabar sangrando, envergonhados ou pior: morto por s√≠ndrome do choque t√≥xico.

O √ļtero n√£o √© uma torneira que pode ser ligada e desligada, e um moletom n√£o √© uma solu√ß√£o vi√°vel para meninas que ainda est√£o aprendendo a amar seus corpos como um novo tamp√£o, almofada ou despejo de copo.

Ent√£o, junte-se, porque suas meninas merecem melhor.

O que voc√™ acha da pol√≠tica de banheiros desta escola? √Č injusto esperar que os alunos o mantenham ou sangre em si mesmos para aderi-lo e o que voc√™ faria se sua filha fosse for√ßada a passar o dia coberto de l√≠quidos menstruais? Deixe-nos saber nos coment√°rios.