contador gratuito Skip to content

A armadilha da bomba do amor do narcisismo

Katrina n√£o podia acreditar como sua amiga tratava o marido no jantar. Ela era exigente, controladora, dominadora, menosprezada, implac√°vel, sarc√°stica e desnecessariamente rude. Por algum tempo, Katrina suspeitou que sua amiga fosse narcisista e, depois da noite em que passaram juntos, ficou ainda mais convencida.

Sentindo-se mal pelo marido de sua amiga, ela gentilmente o confrontou e o deixou saber que não concordava com o tratamento que seus amigos lhe deram. Para sua surpresa, o marido subestimou o evento e disse que seus comentários não eram tão humilhantes. Houve momentos em que sua esposa estava muito pior e isso foi leve em comparação.

Sua resposta confundiu Katrina, então ela assistiu e esperou para ver como as coisas poderiam ficar ruins. Depois de outra reunião, sua amiga até jogou um objeto no marido, mudou a verdade para fazer com que o marido parecesse mal e o chamou pelo nome. Depois de ver a expressão chocada no rosto do marido, Katrina o encarou novamente. E novamente ele defendeu sua esposa.

Atordoado, Katrina virou-se para a Internet para explicar sua resposta. O que ele encontrou foi o termo vínculo de trauma, que é lealdade e compromisso contínuo com uma pessoa abusiva, apesar do tratamento intolerável. No caso de um vínculo traumático com um narcisista, tende a haver uma negação persistente do problema, mesmo quando outros trazem as evidências à tona. Então, como isso acontece com as pessoas?

  • Ignor√Ęncia de t√°ticas abusivas. A maioria das pessoas √© condicionada a acreditar que o abuso requer algum tipo de marca f√≠sica e s√≥ acontece com pessoas sem educa√ß√£o. Mas existem sete categorias de abuso: f√≠sico, emocional, verbal, mental, sexual, financeiro e espiritual. E a maioria dos estudos mostra que o abuso prevalece em todos os grupos socioecon√īmicos, culturas, n√≠veis de intelig√™ncia e idades. Pensar que isso n√£o pode acontecer comigo √© a maneira mais f√°cil de se tornar v√≠tima de uma pessoa abusiva.
  • Abusador atraente. Os narcisistas s√£o famosos por ficarem bem na frente dos outros, com sua personalidade encantadora e apar√™ncia atraente. Durante o envolvimento inicial com um narcisista, eles tendem a se tornar tudo o que a outra pessoa procura em um parceiro. Eles gostam de bombardear a pessoa com generosas quantidades de carinho, aten√ß√£o e presentes. O parceiro em potencial acredita que essa √© a pessoa real. Mas n√£o √©, e esse jogo de shell s√≥ pode durar tanto tempo, ent√£o eles movem o relacionamento muito rapidamente para algo mais permanente.
  • Explos√Ķes iniciais de raiva. A princ√≠pio, quando o narcisista explode, ele parece t√£o deslocado. Portanto, o casal aceita prontamente a explica√ß√£o narc√≠sica da mudan√ßa de culpa como desculpa para seu comportamento. Lentamente, o narcisista come√ßa a criticar seu parceiro dizendo: Voc√™ me deixou com tanta raiva. O parceiro, que deseja desesperadamente que as coisas voltem aos encontros iniciais, torna-se o que o narcisista diz que precisa. Infelizmente, uma transforma√ß√£o n√£o √© suficiente e o narcisista come√ßa a exigir cada vez mais.
  • Torna-se viciante. Quanto mais dif√≠cil √© agradar o narcisista, mais o parceiro luta. Conseguir um pequeno sinal de gratifica√ß√£o se torna um tipo de droga. O casal est√° animado para receber pequenas quantidades da blitz de amor de antes. N√£o √© diferente de um v√≠cio em drogas. A primeira viagem √© a melhor e cada uma delas falha em compara√ß√£o; no entanto, a pessoa √© fisgada, ent√£o continua tentando de novo e de novo. O parceiro se torna incapaz de ver sua pr√≥pria queda nessa espiral descendente.
  • V√≠cios t√™m recompensas e consequ√™ncias. A recompensa do v√≠cio (neste caso, agradar o narcisista) √© a libera√ß√£o do feliz horm√īnio dopamina. Esse sentimento de euforia pode fazer uma pessoa sentir que pode fazer qualquer coisa. Por outro lado, a consequ√™ncia de um v√≠cio (quando o narcisista se torna abusivo) √© uma inunda√ß√£o do horm√īnio do estresse cortisol. Isso coloca uma pessoa no modo de luta, fuga, congelamento ou desmaio e diminui a capacidade de pensar com clareza. Demora cerca de 36 a 72 horas para uma pessoa se recuperar totalmente desse horm√īnio.
  • O v√≠cio est√° escondido do viciado. Como o casal n√£o est√° tomando um medicamento, √© muito dif√≠cil identificar que eles s√£o apanhados em um ciclo viciante. √Č por isso que a n√©voa de abuso se torna t√£o densa e a pessoa n√£o pode ver o que est√° acontecendo. Mesmo quando confrontados com outras pessoas fora do relacionamento, eles ainda lutam para ver o que est√° acontecendo. Al√©m disso, o narcisista tende a isolar o parceiro de qualquer pessoa que possa ser uma amea√ßa para ele. Isso torna a partida ainda mais dif√≠cil.
  • Incapacidade de separar. Mesmo quando o casal acorda e tenta sair, o narcisista os retira com a promessa de retornar as coisas √† sua exist√™ncia anterior. Como o narcisista tem um intenso medo de abandono, ele n√£o pode permitir que uma pessoa pr√≥xima a ele saia. E eles far√£o, digamos, e fingir√£o tudo o que precisam para manter o parceiro no relacionamento. A m√°scara do velho eu narc√≠sico volta √† tona, mas mais uma vez dura pouco. Assim que o parceiro retornar, a m√°scara ser√° quebrada conforme o parceiro for preso novamente.
  • Viciado na m√°scara. Mesmo quando os tempos pioram, o v√≠cio pela m√°scara narc√≠sica √© t√£o forte agora, depois de todo o refor√ßo. O medo de que a vida nunca seja t√£o boa sem a m√°scara do narcisista leva o casal a ficar. O pr√≥prio pensamento de partir novamente causa ataques de p√Ęnico, depress√£o e at√© pensamentos suicidas. Quanto mais escura uma pessoa se torna, mais dif√≠cil √© dar passos para sair, que √© exatamente o que as une ao narcisista.

Depois que Katrina entendeu o que estava acontecendo com o marido de sua amiga, ela usou uma estratégia diferente. Em vez de tentar acordá-lo, ela se juntou a ele e ofereceu sua amizade em vez de sua esposa. Isso permitiu que ele se sentisse mais confortável com ela e ele finalmente confessou sua frustração. Quando Katrina revelou sua descoberta do vínculo traumático com ela, ela finalmente tomou uma atitude e começou a procurar um conselheiro.

Christine Hammond, MS, LMHC

Christine √© uma conselheira de sa√ļde mental licenciada pelo Estado da Fl√≥rida com mais de quinze anos de experi√™ncia em aconselhamento, ensino e minist√©rio.

Ela trabalha principalmente com mulheres exauridas e suas fam√≠lias em situa√ß√Ķes de conflito para garantir resolu√ß√Ķes pac√≠ficas em casa e no local de trabalho. Ela tem blogs, artigos e boletins projetados para ajud√°-lo a atender √†s necessidades dela.

Como autor do livro premiado, O manual da mulher exaustaChristine √© oradora convidada em igrejas, organiza√ß√Ķes de mulheres e corpora√ß√Ķes.

Você pode se conectar com ela no site da Grow with Christine em www.growwithchristine.com.

Referência da APA Hammond, C. (2020). A armadilha da bomba do amor do narcisismo. Psych Central. Recuperado em 25 de abril de 2020, em https://pro.psychcentral.com/exhausted-woman/2020/04/the-love-bomb-entrapment-of-narcissism/