8 maneiras pela qual a morte de meu marido afetou meus 'Kiddows'

8 maneiras pela qual a morte de meu marido afetou meus ‘Kiddows’

8 maneiras pela qual a morte de meu marido afetou meus 'Kiddows'

Mam√£e Assustadora e Jens / StockSnap

Meu senso de humor fica um pouco escuro. Eu sempre gargalhe um pouco alto demais em programas como o Netflix Morto para mim. √Äs vezes eu silenciosamente adiciono as palavras, a menos que ele morra de um meme sobre amor e para sempre. Frequentemente, tenho que checar com algu√©m que n√£o √© vi√ļvo se uma foto ou frase que eu quero escrever √© apropriada ou se est√° inclinado na esfera mais macabra do que n√£o.

Mas eu n√£o sou m√≥rbido ou quebrado. Eu sou simplesmente uma vi√ļva.

Meu humor, sensibilidades e percep√ß√Ķes s√£o moldadas pelos dias em que observo meu marido desaparecer lentamente para uma doen√ßa que roubou sua mente, seu sorriso e sua respira√ß√£o, pelos dias em que vivemos uma vida baseada no fato de que algu√©m que eu amo morreu.

A placa do lado de fora do forte que meus filhos criaram com cobertores e travesseiros na sala de estar tem as palavras Cuidado: Morte rabiscada em marcador preto. Meus filhos não hesitam em me lembrar, sem tropeçar em suas palavras, que sabem que um dia eu morrerei, porque um dia todos nós morreremos. Algumas vezes por ano, passam uma tarde em um cemitério e brincam de esconde-esconde, procuram e riem no campo vazio ao lado das pedras do memorial.

Mas eles não são mórbidos. Eles não estão quebrados. Eles são crianças.

Seu humor, sensibilidade e percepção são moldados pelos dias em que observam o pai desaparecer lentamente para uma doença que roubou sua risada, sua alegria e seu charme, por uma tragédia que eles nunca deveriam ter conhecido.

√Äs vezes, quando outros adultos ouvem o modo como meus filhos se aproximam da morte com uma franqueza que pode at√© tirar o f√īlego, eles olham para mim, sem saber como responder. O olhar que eles enviam para mim √© uma mistura de que eles est√£o bem? e voc√™ deveria estar preocupado? Tudo o que posso fazer √© balan√ßar a cabe√ßa, prometer sem palavras que a verdade franca n√£o √© um problema, que as palavras gritantes n√£o precisam ser consertadas. S√£o pontos fortes por raz√Ķes que estou come√ßando a entender.

1. Eles não têm medo da verdade de que a morte é uma parte inevitável da vida.

Para a maioria de nós, inclusive a morte, especialmente a morte que sai da ordem natural é algo que acontece com outras pessoas, em outras histórias. Finjo que sou imune e que as pessoas que amo são imunes. Mas as crianças não. Eles sabem que a morte é inevitável. Eles sabem e escolhem viver plenamente, de qualquer maneira.

2. Eles entendem que o luto n√£o pode ser curado ou corrigido.

Por conhecerem a perda, porque viveram com pesar e viram doenças e ficaram no pódio enquanto o pai estava imóvel em um caixão fechado atrás deles, eles sabem que tudo o que precisam fazer quando um amigo está sofrendo é aparecer e não desaparece quando fica muito difícil.

3. Eles sabem que o mundo est√° fora de controle.

Eles ficaram na beira de um furacão e desejaram que o vento parasse de soprar e a chuva parasse de bater e descobriram que simplesmente não basta desejar. Eles escolheram, dia após dia, continuar avançando em um mundo que não podem controlar, e às vezes essa coragem parece incomparável.

4. Eles aprenderam a identificar (nem perfeitamente, nem mesmo com total precis√£o) que √†s vezes suas a√ß√Ķes e escolhas s√£o influenciadas por suas emo√ß√Ķes.

Eles aprenderam √†s vezes que sentem tristeza no est√īmago e raiva nos punhos, e com essa consci√™ncia, come√ßaram a aprender a deixar seus sentimentos existirem sem dominar suas vidas; eles aprenderam a encontrar gra√ßa para a tristeza e tamb√©m para a esperan√ßa. Como todo mundo, a jornada em que est√£o para entender seus pr√≥prios cora√ß√Ķes durar√° a vida inteira, mas eles t√™m uma vantagem.

5. Eles n√£o t√™m medo de pedir ajuda quando as emo√ß√Ķes s√£o grandes demais para entenderem e se sentarem sozinhas.

Eles não têm medo de dizer, eu não sei como desvendar toda a minha dor no coração e preciso de um lugar e espaço que sejam só meus. Eles não têm medo da terapia.

6. Eles s√£o destemidos em sua curiosidade.

Eles farão as perguntas difíceis de todos os adultos em suas vidas e esperarão pacientemente pela resposta. Professores, tias, tios ficaram todos imaginando como responder a perguntas difíceis, perguntas que às vezes só podem ser respondidas, sinceramente, com um que eu não sei.

7. Eles sabem apreciar pequenas coisas.

Costumo chamar-me de uma pia cheia de lou√ßa suja ou de um cesto cheio de roupa para olhar um p√°ssaro colorido sentado em uma √°rvore, um tom de c√©u durante o p√īr do sol ou uma borboleta em uma p√©tala.

8. Eles sabem que a morte é permanente, mas o amor também.

Eles entendem que o amor √© o maior presente que voc√™ pode dar a algu√©m na vida e o √ļnico presente que n√£o pode ser danificado, manchado ou perdido ap√≥s a morte.

Sou vi√ļva e meus filhos s√£o crian√ßas. Eles s√£o informados por sua perda, pela escurid√£o pela qual caminharam em tenra idade. Eles t√™m uma empatia, compreens√£o e maturidade em rela√ß√£o √† morte que podem sempre deixar os outros desconfort√°veis, mas n√£o s√£o m√≥rbidos ou quebrados. Eles s√£o simplesmente moldados para sempre pela trag√©dia, pela sua dor; para sempre ser refor√ßado por suas verdades.

Porque eles são crianças.