5 recursos para conversar com crianças sobre raça

5 recursos para conversar com crianças sobre raça

5 recursos para conversar com crianças sobre raça

As crian√ßas que assistem √†s not√≠cias ou sentem o estresse e a incerteza nos pais podem n√£o entender por que os adultos est√£o ansiosos. Nunca √© cedo para conversar com as crian√ßas sobre ra√ßa, mas os pais nem sempre t√™m certeza do que dizer. Essas fontes ajudam os pais a come√ßar a conversar com crian√ßas de todas as idades sobre toler√Ęncia, ra√ßa e igualdade.

1. Tolerance.org

Um site dedicado ao ensino de professores ajuda com webinars, artigos e ferramentas para fornecer aos pais recursos para iniciar conversas com seus filhos.

  • Ensinar sobre viol√™ncia policial (bons recursos para as s√©ries 6 e mais velhas)
  • A s√©rie Lets Talk cont√©m semin√°rios on-line para orientar as conversas sobre quest√Ķes de vida negra, branqueamento e quest√Ķes de g√™nero
  • Discutindo o abuso de poder usando professores como exemplos de comportamento de bullying
  • Cinco dicas para ajudar os pr√©-escolares a entender a toler√Ęncia

2. Instituto de Desenvolvimento Infantil

O site re√ļne hist√≥rias de psic√≥logos e psiquiatras para ajudar os pais a aprender sobre a paternidade. A toler√Ęncia ao ensino lembra os pais:

  • As crian√ßas copiam nossas a√ß√Ķes e palavras
  • Para responder honestamente a perguntas usando palavras e descri√ß√Ķes apropriadas √† faixa et√°ria
  • Escolha m√≠dia que expresse adequadamente seus valores
  • Trate as crian√ßas com respeito e modele seu respeito pelos outros
  • Aprenda sobre outras culturas e tradi√ß√Ķes

3. O garoto consciente

Ver esta publicação no Instagram

Nunca √© cedo para falar sobre ra√ßa. ¬ęOs adultos geralmente pensam que devem evitar conversar com crian√ßas pequenas sobre ra√ßa ou racismo, porque isso faria com que percebessem a ra√ßa ou as tornassem racistas. De fato, quando os adultos silenciam sobre ra√ßa ou usam a ret√≥rica ¬ędalt√īnica¬Ľ, eles realmente refor√ßam o preconceito racial em crian√ßas. Come√ßando em uma idade muito jovem, as crian√ßas v√™em padr√Ķes que parecem morar onde; que tipos de casas eles v√™em enquanto andam ou andam por diferentes bairros; quem √© o personagem mais desej√°vel nos filmes que assiste; quem parece ter trabalhos ou fun√ß√Ķes espec√≠ficas no consult√≥rio m√©dico, na escola, na mercearia; e assim por diante e tente atribuir “regras” para explicar o que elas veem. O sil√™ncio dos adultos sobre esses padr√Ķes e o racismo estrutural que os causa, combinado com a narrativa falsa, mas onipresente do “Sonho Americano”, de que todos podem alcan√ßar o que desejam com trabalho duro, resulta em crian√ßas concluindo que os padr√Ķes que veem “devem ter sido causada por diferen√ßas inerentes significativas entre os grupos. ¬Ľ Em outras palavras, as crian√ßas inferem que as desigualdades raciais que v√™em s√£o naturais e justificadas. Portanto, apesar das boas inten√ß√Ķes, quando deixamos de conversar abertamente com nossos filhos sobre a desigualdade racial em nossa sociedade, estamos de fato contribuindo para o desenvolvimento de seus preconceitos raciais, que estudos mostram que j√° existem. (Dr. Erin Winkler, 2017) Imagens de @pretty_good_design, adaptadas do trabalho da Childrens Community School. #Parentalidade #RacialBias # ProfessoresOfInstagram #AntiRacist

Uma publicação compartilhada por The Conscious Kid (@theconsciouskid) em 28 de maio de 2020 às 12:43 PDT

Criado e administrado por pais de cor, o espaço é uma organização sem fins lucrativos para ajudar os pais a entender e navegar pelos dilemas de raça, equidade e educação. Há um custo de associação para ingressar na comunidade, ou siga The Conscious Kid no Instagram.

4. Livros Escol√°sticos

O Scholastic ajuda os pais a ensinar e entender a toler√Ęncia com as crian√ßas mais novas (pr√©-escola e jardim de inf√Ęncia) contando hist√≥rias e ajudando as crian√ßas a brincar. A editora tamb√©m recomenda o uso de coisas que seus filhos j√° adoram livros, m√ļsicas, bonecas e blocos para introduzir outras culturas e experi√™ncias.

5. Oh, feliz Dani

A artista Danielle Coke rabisca a arte da aceitação que ajuda a liderar conversas. Encontre e compre sua arte aqui ou siga-a no Instagram.

Artigo anteriorEventos gratuitos para crianças em Metro Detroit e Ann Arbor

Artigo seguinteUltimate Dad Joke Contest