contador gratuito Skip to content

5 maneiras poderosas de parar de se preocupar com o que os outros pensam

Escolhemos cuidadosamente o que usamos para ir ao gin√°sio para garantir que eles fiquem bem aos olhos de outros frequentadores do gin√°sio.

Depois das reuni√Ķes, nos surpreendemos e repassamos tudo o que dissemos (ou n√£o dissemos), preocupados com o fato de os colegas acharem que n√£o somos inteligentes ou talentosos o suficiente.

Publicamos apenas a melhor imagem das vinte e sete selfies que tiramos e adicionamos um filtro lisonjeiro para obter o máximo de curtidas para provar a nós mesmos que somos bonitos e gentis.

Vivemos na cabeça de outras pessoas.

E tudo o que faz √© nos fazer nos julgar com mais severidade. Incomoda-nos em nossos pr√≥prios corpos. Isso nos faz pedir desculpas por sermos n√≥s mesmos. Isso nos faz viver de acordo com nossa percep√ß√£o dos padr√Ķes de outras pessoas.

Isso nos faz sentir pouco autênticos. Ansioso. Julgamento Não é suficiente. Não é bom o suficiente Não é inteligente o suficiente. Não é bonito o suficiente.

Dê uma olhada no pequeno Buda

Merda * t.

A verdade √© que a opini√£o de outras pessoas sobre n√≥s n√£o √© nossa preocupa√ß√£o. Suas opini√Ķes t√™mnadaa ver conosco etudoO que fazer com eles, seu passado, seus julgamentos, suas expectativas, seus gostos e desgostos.

Eu poderia ficar na frente de vinte estranhos e falar sobre qualquer assunto. Alguns odeiam o que estou vestindo, outros v√£o adorar. Alguns pensam que sou um tolo e outros adoram o que tenho a dizer. Alguns v√£o me esquecer assim que partirem, outros v√£o se lembrar de mim por anos.

Alguns me odeiam porque eu os lembro de sua cunhada irritante. Outros se sentir√£o compassivos comigo, porque eu os lembro da filha deles. Alguns entender√£o completamente o que tenho a dizer e outros interpretar√£o mal minhas palavras.

Cada um deles ter√°exatamente o mesmo eu.Farei o meu melhor e serei o melhor que puder naquele momento. Mas suas opini√Ķes sobre mim variam. E isso temnadao que fazer comigo etudoO que fazer com eles

Não importa o que eu faça, algumas pessoas nunca vão gostar de mim. Não importa o que eu faça, algumas pessoas sempre vão gostar de mim. De qualquer forma, não tem nada a ver comigo. E não é da minha conta.

Ok, tudo bem e você pode estar pensando. MascomoParo de me importar com o que as outras pessoas pensam de mim?

1. Conheça seus valores.

Conhecer seus principais valores é como ter uma lanterna mais brilhante para atravessar a floresta. Uma luz mais fraca ainda pode levá-lo aonde você precisa, mas você tropeçará mais ou se afastará.

Sob uma luz mais forte, as decis√Ķes que voc√™ toma √† esquerda ou √† direita, para cima ou para baixo, sim ou n√£o, tornam-se mais claras e f√°ceis de tomar.

Durante anos, n√£o fazia ideia do que realmente valorizava e, como resultado, me senti perdida na vida. Nunca me senti confiante em minhas decis√Ķes e questionei tudo o que disse e fiz.

Fazer com que os valores centrais funcionem comigo mesmo teve um enorme impacto na minha vida. Percebi que a compaix√£o √© o meu principal valor central. Agora, quando me pego questionando minhas decis√Ķes de carreira porque estou preocupada em decepcionar meus pais (um grande gatilho para mim), lembro-me de que compaix√£o tamb√©m significa autopiedade e sou capaz de me reduzir um pouco.

Se você valoriza a coragem e a perseverança e aparece na academia, apesar de estar nervoso e com pouca roupa de ginástica, não precisa pensar no que os outros frequentadores da academia pensam sobre você.

Se você valoriza a paz interior e precisa dizer não a alguém que está pedindo seu tempo, e seu prato já está cheio ao máximo, você pode fazê-lo sem sentir que será julgado por ser uma pessoa egoísta.

Se você valoriza a autenticidade e compartilha sua opinião no meio da multidão, pode fazê-lo com confiança, sabendo que está vivendo seus valores e sendo você mesmo.

Conheça seus principais valores e quais você mais valoriza. Sua lanterna será mais brilhante por isso.

2. Saiba como permanecer no seu próprio negócio.

Outra maneira de parar de se preocupar com o que as outras pessoas pensam é entender que existem três tipos de negócios no mundo. Esta é uma lição que aprendi com Byron Katie e adoro.

O primeiro é uma questão de Deus. Se a palavra Deus não é do seu agrado, você pode usar outra palavra aqui que funcione para você, como o Universo ou a natureza. Acho que gosto mais da natureza, então vou usá-la.

O clima √© uma quest√£o de natureza. Quem morre e quem nasce √© uma quest√£o de natureza. O corpo e os genes que eles lhe deram s√£o quest√Ķes da natureza. Voc√™ n√£o tem lugar nos neg√≥cios da natureza. Voc√™ n√£o pode controlar isso.

O segundo tipo de negócio é o de outras pessoas. O que eles fazem é o negócio deles. O que seu vizinho pensa de você é problema dele. A que horas seu colega de trabalho chega ao trabalho é da sua conta. Se o motorista do outro carro não sair quando a luz ficar verde, é com você.

O terceiro tipo de negócio é o seu negócio.

Se você fica bravo com o outro motorista, porque agora precisa aguardar outro sinal vermelho, esse é o seu problema.

Se você se irritar porque seu colega está atrasado novamente, esse é o seu problema.

Se você está preocupado com o que seu vizinho pensa de você, é da sua conta.

O que eles acham que é da conta deles. O que você pensa (e, por sua vez, sente) é o seu negócio.

Qual é o seu negócio quando está preocupado com o que está vestindo? Em que questão você trabalha quando pensa em como sua piada foi recebida na festa?

Voc√™ s√≥ tem um neg√≥cio para se preocupar. O que voc√™ pensa e faz √© a √ļnica coisa que pode controlar na vida. Isso √©.

3. Saiba que você tem total controle sobre seus sentimentos.

Quando baseamos nossos sentimentos nas opini√Ķes de outras pessoas, permitimos que elas controlem nossas vidas. Basicamente, permitimos que eles sejam nosso mestre de marionetes e, quando puxam as cordas corretamente, nos sentimos bem ou mal.

Se alguém te ignora, você se sente mal. Você pode pensar que ela me fez sentir desse jeito por me ignorar. Mas a verdade é que ela não tem controle sobre como você se sente.

Ela o ignorou e atribuiu significado a essa ação. Para você, isso significava que você não merece o tempo deles ou que não é legal o suficiente, inteligente o bastante ou legal o bastante.

Então você se sentiu triste ou zangado com o significado que aplicou. Você teve uma reação emocional ao seu próprio pensamento.

Quando abandonamos a propriedade de nossos sentimentos para com os outros, abandonamos o controle sobre nossas emo√ß√Ķes. O fato √© que a √ļnica pessoa que pode ferir seus sentimentos √© voc√™.

Para mudar a forma como as a√ß√Ķes de outras pessoas fazem voc√™ se sentir, basta mudar um pensamento. √Äs vezes, essa etapa exige um pouco de trabalho, porque nossos pensamentos geralmente s√£o autom√°ticos ou at√© inconscientes; portanto, pode demorar um pouco para descobrir qual pensamento est√° causando sua emo√ß√£o.

Mas uma vez que voc√™ o desafie, questione ou aceite. Suas emo√ß√Ķes v√£o segui-lo.

4. Saiba que você está fazendo o melhor que pode.

Uma das coisas irritantes que minha m√£e diria quando crescesse (e ainda diz) √© que voc√™ fez o melhor que p√īde com o que tinha na √©poca.

Eu odiava esse ditado.

Eu tinha altos padr√Ķes para mim e sempre pensei que poderia ter feito melhor. Ent√£o, quando eu n√£o atendia a essas expectativas, meu perseguidor interno sa√≠a e me batia.

Quanto de sua vida você passou se chutando porque pensou ter dito algo bobo? Ou porque você estava atrasado? Ou você parecia estranho?

Cada vez, voc√™ fez o melhor que p√īde. Cada. Solteiro. Hora.

Isso porque tudo o que fazemos tem uma intenção positiva. Pode não ser óbvio, mas está lá.

Literalmente, enquanto escrevia este post em uma loja de chá em Portland, Maine, outro cliente foi ao balcão e perguntou que tipos de chá ele poderia misturar com o chá defumado Lapsang Souchong (um dos meus favoritos também).

Ele n√£o me perguntou, mas eu disse que talvez o cogumelo chaga fosse bom por seu sabor terroso. Ele pareceu impressionado com o conselho n√£o solicitado e voltou-se para o balc√£o.

O velho eu levaria essa resposta a sério e se sentiria terrível o resto da tarde se perguntando como esse garoto deve pensar que eu sou um tolo e irritado por pular para a conversa sem ser convidado.

Mas vamos dar uma olhada no que eu tinha na época:

  • Eu queria tentar ser √ļtil e um valor essencial de bondade e compaix√£o
  • Eu estava interessado na conversa
  • Fiquei com a impress√£o de que meus coment√°rios podem ser bem-vindos
  • Eu desejava me conectar com uma nova pessoa por interesse comum

Fiz o melhor que pude com o que tinha.

Porque eu sei, n√£o me arrependo. Eu tamb√©m sei que sua opini√£o sobre mim n√£o √© da minha conta e eu estava vivendo em sintonia com meus valores tentando ser √ļtil!

No entanto, também pude ver como, de outra perspectiva, forçando meu caminho para uma conversa e forçando minhas idéias sobre alguém que não perguntou, podem ter sido vistas como rudes. E a grosseria vai contra o meu principal valor de compaixão.

Isso me leva à próxima lição.

5. Saiba que todo mundo comete erros.

Vivemos em uma cultura em que frequentemente n√£o falamos sobre como nos sentimos. Acontece que todos experimentamos os mesmos sentimentos e todos cometemos erros. Vai saber!

Mesmo se você viver em sintonia com seus valores, mesmo se permanecer no seu próprio negócio, mesmo se estiver fazendo o seu melhor, cometerá erros. Definitivamente.

E que? Todos fazemos isso. Todos temos. Ter compaixão por si mesmo é mais fácil quando você entende que todos se sentiram assim. Todo mundo já passou.

A √ļnica coisa produtiva que voc√™ pode fazer com seus erros √© aprender com eles. Depois de descobrir a li√ß√£o que voc√™ pode tirar da experi√™ncia, a rumina√ß√£o n√£o √© necess√°ria e √© hora de seguir em frente.

No caso do desastre do padrão do chá, você poderia ter feito um trabalho melhor ao ler sua linguagem corporal e notar que queria se conectar ao teasommelier e não a um estranho aleatório.

Lição aprendida. Não é necessário auto-intimidação.

Na minha √ļltima empresa, acidentalmente causei um desconforto em toda a empresa. Um amigo e colega de trabalho meu, que estava na empresa h√° alguns anos, pedia um lugar melhor para estacionar. Um estava dispon√≠vel quando algu√©m deixou a empresa, mas ainda foi ignorado.

Ele é um cara muito legal e, como meu apartamento estava cheio de sarcásticos, pensei que seria divertido criar uma solicitação cheia de trocadilhos para ele conseguir o melhor lugar.

Eu n√£o tinha ideia de que algumas pessoas aceitariam tanto. Ele subiu a cadeia de comando e parecia que nosso apartamento estava cheio de choramingos carentes e n√£o apreciados.

E nosso chefe pensou que parecia que ele estava usando minha posição para forçar as pessoas a assinar. Ele reuniu todo o departamento e dolorosamente e desconfortavelmente chamou toda a situação terrível e exigiu que isso nunca acontecesse novamente.

Eu era.MORTIFIED

Ele n√£o tinha me nomeado, mas a maioria das pessoas sabia que ele havia criado. Eu estava t√£o envergonhado e envergonhado.

Mas aqui est√° o que eu fiz:

  1. Lembrei-me dos meus valores. Eu valorizo ‚Äč‚Äča compaix√£o e o humor. Eu pensei que estava fazendo um ato gentil, mas divertido, para um amigo.
  2. Quando me vi preocupada com o que as outras pessoas deveriam pensar de mim, disse a mim mesma quesimeles pensavam mal de mim (do qual eu n√£o tinha provas), tudo o que eu podia fazer era continuar sendo o meu melhor.
  3. Quando as lembranças daquela reunião horrível voltaram à minha mente, corando meu rosto com calor e vergonha, lembrei-me de tomar posse de como me sentia e não deixar a memória do evento ou o que as outras pessoas pensam ditar como me sinto agora.
  4. Lembrei-me de que fiz o melhor que pude com o que tinha na época. Eu tinha vontade de ajudar um amigo e uma ideia que achei divertida e achei que daria certo.
  5. Percebi que cometi um erro. A li√ß√£o que aprendi foi ter mais considera√ß√£o com o modo como os outros podem receber meu senso de humor. Nem todo mundo me acha t√£o engra√ßado quanto meu marido. Agora eu posso tomar melhores decis√Ķes por isso.

E depois de pouco tempo, todo o incidente foi esquecido.

Pare de se preocupar com o que as outras pessoas pensam. Isso ir√° mudar sua vida.

Este post é cortesia de Tiny Buddha.

Posts Relacionados

. (tagsToTranslate) ansiedade social (t) preocupação