23 Planilhas de Terapia, Interven√ß√Ķes e T√©cnicas para Aplicar Hoje

planilhas de terapiaExistem tantos tipos de psicoterapia que podem ser esmagadores quando se explora o que a terapia tem a oferecer.

Seja seguindo o conselho de um amigo sobre sua experi√™ncia ou pesquisando as extensas descri√ß√Ķes on-line, √© muito dif√≠cil absorver o que vem com a terapia.

Antes de entrar na terapia, uma boa compreens√£o do que esperar da terapia e de um terapeuta pode ser muito √ļtil.

Ajudar mais pessoas a entender a terapia pode ajudar a reduzir o estigma em torno da sa√ļde mental.

Quando estamos doentes, vemos um médico sem pensar duas vezes.

As pessoas sabem que ir a uma academia melhorará seu bem-estar físico.

O bem-estar mental é igualmente importante, mas muitas vezes ainda é misterioso, temido e muitas vezes evitado.

A terapia evoluiu e é hora de o entendimento cultural da terapia evoluir também.

Vamos dar uma olhada mais de perto na terapia.

Um olhar sobre as teorias comuns da terapia

A terapia n√£o √© uma abordagem √ļnica para a cura emocional.

Encontrar o tipo de terapia que resulta em melhoria para cada indivíduo começa com o conhecimento de quais tipos existem.

Mais de 400 tipos diferentes de psicoterapia estão disponíveis.

Os seguintes foram escolhidos porque s√£o as categorias mais amplas desses 400 tipos.

Teoria psicodin√Ęmica

Todo mundo est√° familiarizado com o nome Sigmund Freud.

Seu trabalho foi desenvolvido no campo em que os terapeutas se concentram no inconsciente e em como ele se manifesta no comportamento de uma pessoa.

A abordagem mudou desde a época de Freud e é uma das mais amplamente usadas na terapia.

A terapia psicodin√Ęmica tem sido usada principalmente para tratar a depress√£o maior e outros dist√ļrbios psicol√≥gicos graves.

Tamb√©m tem sido usado para tratar v√≠cios, dist√ļrbios de ansiedade e dist√ļrbios alimentares.

Sabendo que outras teorias s√£o usadas para esses mesmos dist√ļrbios, vamos dar uma olhada no que distingue essa abordagem.

O foco nas emo√ß√Ķes reprimidas e seu papel no comportamento, nos relacionamentos interpessoais e na tomada de decis√Ķes d√£o ao paciente uma nova maneira de entender a si mesmo.

Um terapeuta fala com cada paciente para ajudar a revelar essas emo√ß√Ķes reprimidas.

Ao permitir que um paciente fale livremente sobre o que vem à mente, novas idéias podem ser reveladas.

A abordagem ajuda as pessoas que estão cientes de seus problemas, mas não conseguem superá-las por conta própria.

Teoria do comportamento

Evoluindo das teorias de Pavlovs, B.F.

Skinners (Skinner, 1967) e John B.

Watson sobre condicionamento, terapia comportamental encontraram seu lugar nas 5 abordagens terapêuticas mais usadas.

Muitos psicólogos acrescentaram e influenciaram essa teoria, que é uma abordagem altamente eficaz para a terapia.

Outro nome para terapia comportamental é modificação de comportamento.

Ele trabalha com a cren√ßa de que o comportamento √© aprendido e pode ser modificado atrav√©s de interven√ß√Ķes com um terapeuta.

Muitas abordagens diferentes funcionam sob esse termo geral para lidar com muitos tipos de comportamento desadaptativo.

Terapia de exposição, análise de comportamento aplicada e teoria da aprendizagem social são abordagens importantes que se baseiam na teoria comportamental.

Essa abordagem √© particularmente pr√°tica com dist√ļrbios psicol√≥gicos, como transtorno obsessivo-compulsivo, fobias e ansiedade.

Por meio de mudanças sustentadas, o paciente recebe o que precisa para transformar comportamentos desadaptativos.

A terapia comportamental n√£o √© recomendada para disfun√ß√Ķes psicol√≥gicas graves, como depress√£o maior ou esquizofrenia.

Teoria cognitiva

Esse tipo de terapia √© baseado na cren√ßa de que pensamentos espont√Ęneos criam cren√ßas que resultam em resposta emocional, resposta psicol√≥gica e comportamentos.

A terapia cognitiva visa reduzir ou eliminar o sofrimento psicológico.

A terapia comportamental cognitiva tece a teoria cognitiva com a teoria comportamental para reduzir o sofrimento psicológico, bem como mudar o comportamento.

A teoria se concentra no pensamento atual e √© orientada para solu√ß√Ķes.

Este tipo de terapia tem sido utilizado e comprovadamente eficaz em uma ampla gama de problemas.

Os terapeutas trataram depress√£o, ansiedade, TOC, dist√ļrbios alimentares, disfun√ß√£o de relacionamento e muitos outros problemas usando essa teoria.

Teoria humanística da terapia

A teoria da terapia human√≠stica evoluiu da hierarquia de necessidades de Maslows e da abordagem centrada na pessoa de Rogers para combater o que eram vistos como limita√ß√Ķes √† psican√°lise na d√©cada de 1950.

Esses tipos de terapeutas acreditam que as pessoas são inerentemente motivados a resolver seus próprios problemas.

A motivação geral é que os pacientes alcancem a auto-realização através de uma abordagem pessoal nesse ponto.

Essa abordagem trabalha com o entendimento de que uma pessoa deve ser seu ser autêntico para encontrar satisfação e propósito em sua vida.

Os terapeutas nessa modalidade trabalham com aspectos positivos de um paciente em sua totalidade para melhor entender e melhorar o bem-estar das pessoas, como visto da perspectiva dos pacientes.

A terapia incorpora uma abordagem da Gestalt que permite ao terapeuta criar um ambiente empático, solidário e de confiança, onde um paciente possa compartilhar sem julgamento.

Teoria integral ou holística

Essa abordagem da terapia é centrada no cliente e utiliza ferramentas e técnicas de outras abordagens.

Qualquer terapeuta pode integrar técnicas de outra modalidade.

Os pacientes são indivíduos e podem responder ao tratamento individualmente, daí a necessidade de alterar técnicas para atender bem os clientes.

Terapia Psicofarmacológica

A terapia psicofarmacológica é o uso de medicamentos para tratar a disfunção psicológica.

√Č comumente usado para tratar depress√£o, ansiedade, dificuldades de aten√ß√£o e muitos outros problemas psicol√≥gicos.

Essa abordagem funciona melhor em combinação com outra forma de psicoterapia.

Exemplos de terapia em ação

Com o estresse, ansiedade e depressão em níveis epidêmicos em todo o mundo, a terapia se tornou mais comum.

A terapia está disponível em escolas, hospitais e até igrejas.

Muitas modalidades acham que a terapia preventiva √© √ļtil para prevenir comportamentos de alto risco (Singla, 2018).

Pesquisas mostraram que apenas 25% da população está florescendo (Niemic, 2017).

Uma chamada √† a√ß√£o ajudou a mudar os cuidados de sa√ļde mental, mas n√£o o suficiente.

√Č necess√°ria uma compreens√£o mais profunda e geral dos benef√≠cios da terapia nas escolas, locais de trabalho e instala√ß√Ķes m√©dicas.

Alguns exemplos de onde essa ação já está acontecendo são:

  • Inclus√£o de question√°rios relacionados ao estresse e depress√£o em cl√≠nicas de aten√ß√£o prim√°ria.
  • Conselheiro Escolar Expans√£o da Aten√ß√£o Plena e Educa√ß√£o em Bem-Estar Mental para Estudantes.
  • Benef√≠cios de bem-estar no local de escrit√≥rio.
  • Disponibilidade de aplicativos para aumentar o bem-estar mental.

12 habilidades essenciais na terapia

Os terapeutas passam muitas horas de treinamento para desenvolver habilidades especiais no tratamento de seus pacientes.

As seguintes habilidades devem ser consideradas uma lista de tarefas obrigatórias.

1.

Empatia

Os terapeutas devem possuir a capacidade de entender ou sentir o que o cliente est√° passando.

2.

Autogest√£o

Os terapeutas sentam-se regularmente com emo√ß√Ķes desconfort√°veis.

Uma compreensão profunda de como a prestação de serviços terapêuticos pode influenciar o estado emocional é vital.

A capacidade de compartimentar as emo√ß√Ķes experimentadas em um ambiente terap√™utico a partir da experi√™ncia pessoal √© importante para o bem-estar dos terapeutas.

3.

Habilidades de escuta

As habilidades de escuta dos terapeutas são perfeitamente aperfeiçoadas.

O uso da escuta ativa e intuitiva é necessário para cuidar dos pacientes de maneira transformadora.

Através da observação e do atendimento completo ao paciente, o terapeuta cria um ambiente em que se sente seguro e ouvido.

4.

Capacidade de estabelecer limites

O fornecimento de par√Ęmetros apropriados dentro dos quais um terapeuta trabalha com um paciente √© fundamental para o sucesso terap√™utico.

Essa habilidade permite que o profissionalismo exista na relação terapeuta / cliente.

5.

Autenticidade

Uma vez que os limites s√£o estabelecidos, um terapeuta pode aparecer para seu cliente como seu melhor eu.

Com uma abordagem calorosa e acolhedora, o terapeuta pode usar humor e compreensão profunda para manter o espaço para o paciente criar mudanças.

6.

Consideração positiva incondicional

Um bom terapeuta cultiva a capacidade de participar de sess√Ķes com seus pacientes sem julg√°-los e cuidar deles.

7.

Comunicação concreta

√Č importante garantir que o cliente seja o foco da comunica√ß√£o sem muita divulga√ß√£o.

Ficar em uma abordagem de comunicação orientada a tarefas ajudará o cliente a avançar.

8.

Interpretação

Interpretação é uma habilidade que requer prática para se cultivar bem.

√Č usado para dar perspectiva aos clientes, mas deve ser usado com modera√ß√£o.

9.

Solução de colaboração

Considerando a teoria da autodetermina√ß√£o (Deci e Ryan, 2012), um bom terapeuta saber√° que as solu√ß√Ķes que v√™m de um cliente s√£o criadas com mais efic√°cia.

No entanto, uma vez que um cliente tenha esgotado seus recursos pessoais para encontrar uma solu√ß√£o, uma abordagem colaborativa √© √ļtil na cria√ß√£o de solu√ß√Ķes para mudan√ßa de comportamento.

10.

Gestão de negócios

A maioria dos terapeutas n√£o se envolve nesse tipo de trabalho para se tornar milion√°rios.

Eles iniciam sua pr√°tica para ajudar as pessoas.

No entanto, é imperativo entender o negócio da terapia.

Você não precisa se tornar um MBA, mas é necessário saber como administrar um negócio de sucesso para que um estágio sobreviva.

11.

Interesse cultivado nos outros.

Um terapeuta arrogante sabe que provavelmente ter√° uma sala de espera vazia.

O desenvolvimento de um interesse genuíno pelos outros ajudará a criar um ambiente seguro para os clientes.

5 técnicas de terapia que você pode aplicar hoje

Os terapeutas desenvolvem suas habilidades para melhor atender seus pacientes, usando uma variedade de técnicas para alcançar cada paciente como indivíduo.

No entanto, algumas dessas técnicas também podem ser usadas em sua própria vida.

Alguns clientes se sentem confort√°veis ‚Äč‚Äčao serem ouvidos pelo terapeuta.

Outros podem estar procurando um processo transformador usando ferramentas √ļnicas e provenientes de outras modalidades.

Terapeutas que têm mente aberta e melhoram constantemente sua abordagem, com uma variedade maior de técnicas, ajudarão mais clientes devido à sua individualidade e necessidades personalizadas.

Na terapia focada em solu√ß√£o, o Pergunta milagrosa √Č uma maneira poderosa de os terapeutas ajudarem seus clientes a entender o que eles precisam em um n√≠vel mais profundo.

A técnica pode ser usada em todos os tipos de terapia e também é usada no treinamento.

Todos nós queremos acreditar em milagres, e eles são maneiras incrivelmente subjetivas, mas poderosas para os clientes internalizarem como seria se o milagre deles acontecesse.

Como o uso da pergunta do milagre, perguntas abertas s√£o cruciais na terapia.

Esses tipos de perguntas permitem que os clientes explorem suas mentes sem as suposi√ß√Ķes do terapeuta.

Juntamente com as perguntas abertas, são apresentadas a seguir técnicas de comunicação que deve estar na caixa de ferramentas de cada terapeuta:

  • uso adequado do sil√™ncio
  • reformula√ß√£o ou parafraseando
  • reflex√£o
  • resumindo
  • reconhecimento

Uma técnica intrigante desenvolvida a partir da teoria dos psicólogos Hal e Sidra Stone é chamada Diálogo por voz.

De sua teoria da psicologia dos seres, todos nós operamos a partir de uma multidão de seres que trabalham a favor ou contra nós o tempo todo.

Você já ouviu falar do crítico interno, do auto-sabotador e da criança interior.

Essa técnica permite que esses seres interiores tenham voz.

Ao perceber a presença desses seres alternativos e permitir que sejam ouvidos, um cliente pode encontrar um equilíbrio mais gerenciável para encontrar uma nova maneira de ser no mundo.

Permitir um di√°logo com um eu interno que tem sido continuamente problem√°tico pode permitir que outro eu se levante e seja ouvido.

√Č uma t√©cnica criativa e poderosamente introspectiva que pode ajudar os clientes a superar cren√ßas e comportamentos autolimitados.

A ilus√£o da fome √Č uma t√©cnica interessante que pode ser usada em muitas formas de psicoterapia positiva.

√Č uma t√©cnica que qualquer pessoa pode usar em casa tamb√©m.

Ajuda os clientes a superar o comportamento habitual.

Isso ajuda os clientes a se conscientizarem das motiva√ß√Ķes inconscientes dos comportamentos, sintonizando seus pensamentos.

A técnica funciona assim:

  1. Observe o momento em que ele tende a agir automaticamente.
  2. N√£o aja automaticamente
  3. Acompanhe os pensamentos e sentimentos que surgem nesses comportamentos N√£o

Na terapia Gestalt, o Cadeira vazia √Č uma maneira interessante de permitir que os clientes comuniquem seu pensamento abstrato de maneira eficaz.

A Gestalt Therapy concentra-se em todo o cliente, incluindo seu ambiente, as pessoas que fazem parte dele e os pensamentos que o rodeiam.

Essa técnica abre a capacidade de falar sobre um problema de maneira segura e compatível.

√Č especialmente √ļtil para clientes que n√£o verbalizam seu pensamento abstrato em rela√ß√£o √†s pessoas em seu ambiente.

N√£o √© t√£o √ļtil para um cliente que j√° √© adepto de apresentar dramaticamente suas emo√ß√Ķes.

A idéia é criar um sinal para que um cliente libere seus pensamentos internos sobre uma pessoa imaginária sentada em uma cadeira vazia.

A técnica leva o cliente a uma experiência de momento presente.

Oferece aos clientes uma nova maneira de interagir com conflitos pessoais.

5 estratégias de intervenção terapêutica

As estratégias variam de acordo com o tipo, gravidade e duração das necessidades terapêuticas.

Ser versado em estratégias de intervenção oferece aos terapeutas uma paleta completa para pintar sua abordagem para ajudar os clientes a se curarem.

Aqui est√£o alguns dos mais conhecidos.

1.

Para o vício

Uma abordagem comumente usada para ajudar um indivíduo que no passado se recusava a participar de mudanças de comportamento habituais e perturbadoras é a intervenção em grupo.

Uma reunião mediada, solidária e gentil é frequentemente organizada para apoiar esse indivíduo.

Os membros de uma fam√≠lia de clientes, amigos e outras pessoas √† sua volta expressar√£o suas preocupa√ß√Ķes diretamente ao cliente.

2.

Interven√ß√Ķes comportamentais individuais

Estratégias comumente usadas ao trabalhar com jovens.

Eles incluem, mas não estão limitados a, reforço positivo, atividades com tempo limitado e reforço imediato de comportamento.

Ao tentar ajudar um jovem que enfrentou comportamentos reacionários inadequados no passado, essas estratégias são vitais para a segurança e o crescimento.

3.

Intervenção em crise

Quando alguém sofreu um trauma, um terapeuta ou profissional qualificado pode apoiar o processamento mais saudável de uma situação extrema.

Ajudar alguém após uma crise os ajuda a obter uma perspectiva clara e apoio quando é mais necessário.

Esse tipo de intervenção requer treinamento e habilidades especiais.

4.

Interven√ß√Ķes psicofarmacol√≥gicas

Eles geralmente s√£o usados ‚Äč‚Äčem pacientes com sintomas mais graves, embora pare√ßam ser amplamente utilizados.

Quando combinadas com psicoterapia eficaz, podem ser feitas melhorias em um n√ļmero significativo de dist√ļrbios psicol√≥gicos presentes.

Requer a participação de um médico autorizado.

5.

Interven√ß√Ķes psicol√≥gicas positivas

Uma grande quantidade de pesquisa foi feita para apoiar um paciente na aplica√ß√£o de interven√ß√Ķes psicol√≥gicas positivas em sua vida.

Terapeutas com uma compreens√£o mais profunda dos benef√≠cios de tais interven√ß√Ķes podem n√£o apenas ajudar os pacientes a recuperar a sa√ļde.

Eles também podem ajudar os pacientes a levar uma vida mais plena.

Aqui est√£o as melhores interven√ß√Ķes psicol√≥gicas positivas.

5 planilhas e atividades para usar na sess√£o (incl.

Pdf)

O fornecimento de terapia para crianças pode ser um processo muito criativo.

Existem centenas de id√©ias para ajudar as crian√ßas a expressar suas emo√ß√Ķes de maneira eficaz.

Através da arte, da escrita e da brincadeira interativa, as crianças podem encontrar uma nova perspectiva para gerenciar a mudança de comportamento.

Aqui √© usado um e-book bem-formado de estrat√©gias e interven√ß√Ķes em contextos de terapia familiar e infantil.

Um recurso abrangente e fácil de usar para encontrar planilhas e outros auxílios terapêuticos é o Terapeuta.

Existem muitos formul√°rios gratuitos que voc√™ pode baixar para usar em muitas configura√ß√Ķes diferentes.

Existem até planilhas de auto-estima que qualquer pessoa pode acessar e usar no desenvolvimento pessoal.

Um recurso adicional é Psych Point.

Aqui está um artigo fantástico sobre exercícios de psicoterapia positiva, completos com planilhas para aplicar hoje.

Outro artigo √ļtil e robusto, contendo atividades e planilhas √ļteis para uso em terapia de grupo.

4 testes, avalia√ß√Ķes e question√°rios √ļteis

Abaixo est√£o algumas das avalia√ß√Ķes iniciais que uma pessoa que procura terapia pode ser solicitada a concluir.

Eles s√£o √ļteis para ajudar um terapeuta a entender por que um paciente procura ajuda.

Existem v√°rias avalia√ß√Ķes para v√°rios sintomas.

Os testes de autorrelato podem ser √ļteis na decis√£o de entrar na terapia.

Psychology Today tem muito desse tipo de evidência.

No entanto, esteja ciente de que, como o WebMD, o autodiagnóstico pode aumentar a ansiedade desnecessária.

A maioria dos testes deve ser administrada por um profissional treinado.

Aqui est√° um teste de vida saud√°vel.

Esse é outro teste de autorrelato que pode revelar se as dificuldades emocionais estão atrapalhando a vida cotidiana.

Aqui está um exemplo de questionário usado na atenção primária para ajudar no processo de referência para pacientes com estresse.

A ferramenta global de avalia√ß√£o da sa√ļde mental ajuda os m√©dicos no processo de refer√™ncia.

Profissionais treinados administram.

5 idéias interessantes de terapia

Alguns dos avan√ßos mais significativos no tratamento de sa√ļde mental surgiram de abordagens n√£o convencionais.

Aqui estão algumas dessas idéias não convencionais e seus resumos.

A terapia de conversação parece estar mudando de todos os tipos.

1.

Terapia de Dança / Movimento

Essa abordagem é usada desde a década de 1940.

O uso do movimento aumenta o acesso criativo √†s emo√ß√Ķes.

O movimento busca melhorar a sa√ļde psicol√≥gica, f√≠sica e social.

2.

Terapia do Riso

Essa abordagem melhora o bem-estar, aumentando o humor positivo e maximizando os benefícios do riso.

Alguns dos benefícios estão listados abaixo.

  • toler√Ęncia reduzida √† dor
  • aumenta a confian√ßa, por sua vez, melhorando as rela√ß√Ķes sociais
  • estimula a libera√ß√£o de endorfinas
  • reduz a depress√£o e a ansiedade
  • aumenta a capacidade de resolver problemas e a criatividade
  • melhora o sono
  • melhora a mem√≥ria
  • ampliar mentes

3.

Terapia dram√°tica

Terapia dram√°tica √© o uso de t√©cnicas teatrais para promover a sa√ļde mental positiva e promover o desenvolvimento pessoal.

Aqui est√° outro excelente artigo que descreve a terapia dram√°tica e as atividades que a acompanham.

4.

Hipnoterapia

Isso é hipnose guiada realizada por um profissional licenciado.

Isso pode ser usado em conjunto com outras formas de terapia para tratar muitas formas de disfunção comportamental habitual.

Ansiedade, abuso de subst√Ęncias, fobias e disfun√ß√£o sexual s√£o alguns exemplos de comportamentos espont√Ęneos que podem ser tratados com hipnoterapia.

5.

Musicoterapia

A musicoterapia h√° muito √© vista como uma ferramenta para controlar emo√ß√Ķes, e o gerenciamento de instrumentos pode ter implica√ß√Ķes positivas nas habilidades dos pacientes.

Benéfico para o gerenciamento do estresse e para melhorar as habilidades cognitivas de crianças com diferentes habilidades, a musicoterapia está se tornando uma nova abordagem popular.

Uma mensagem para levar para casa

Quanto mais as pessoas entendem as teorias e a pr√°tica da terapia, maior a probabilidade de procurar ajuda.

Reduzir a incerteza no processo pode ajudar a criar uma redu√ß√£o no estigma em torno dos cuidados de sa√ļde mental.

Só porque uma pessoa não está doente, não significa que ela está prosperando e que a terapia pode ajudar a levar as pessoas a um bem-estar próspero.

Quanto mais informa√ß√Ķes as pessoas tiverem sobre terapia, maior ser√° sua capacidade de autodefesa.

A ajuda pode vir de v√°rias formas.

Ter uma mente aberta sobre a terapia é um ótimo lugar para começar.

Obrigado pela leitura!

  • Skinner, B.F.

    (1967).

    B.

    F.

    Skinner.

    Em E.

    G.

    Boring e G.

    Lindzey (Eds.), The Century psicology series.

    Uma história da psicologia em autobiografia, vol.

    5, pp.

    385-413.

    East Norwalk, CT, EUA EUA: Appleton-Century-Crofts.

  • https://www.britannica.com/biography/Ivan-Pavlov
  • Watson JB.

    Psicologia como o behaviorista vê.

    In: Green CD, ed.

    Clássicos da história da psicologia.

    Revisão psicológica.

    1913; 20: 158-177.

  • Singla, D.R., Raviola, G.

    e Patel, V.

    (2018).

    Expandir tratamentos psicológicos para transtornos mentais comuns: uma chamada à ação.

    Psiquiatria mundial, 17(2), 226227.

    doi: 10.1002 / wps.20532

  • Niemic, 2017.

    Interven√ß√Ķes de for√ßa de car√°ter: um guia de campo para profissionais, Boston: Hogrefe Publishing

  • Deci, E.L.

    e Ryan, R.M.

    (2012).

    Teoria da auto-determinação.

    Em P.

    A.

    M.

    Van Lange, A.

    W.

    Kruglanski e E.

    T.

    Higgins (Eds.), Manual de teorias da psicologia social (pp.

    416-436).

    Thousand Oaks, CA, Sage Publications Ltd.

Table of Contents