20 mecanismos de defesa comuns que as pessoas usam para ansiedade
Sa√ļde

20 mecanismos de defesa comuns que as pessoas usam para ansiedade

20 mecanismos de defesa comuns que as pessoas usam para ansiedade

Todos temos pensamentos, sentimentos e memórias que podem ser difíceis de lidar. Em alguns casos, as pessoas gerenciam esses sentimentos usando o que é conhecido como mecanismo de defesa. Esses mecanismos de defesa são respostas psicológicas inconscientes que protegem as pessoas de ameaças e coisas que elas não querem pensar ou lidar.

O termo teve in√≠cio na terapia psicanal√≠tica, mas pouco a pouco chegou √† linguagem cotidiana. Pense na √ļltima vez em que voc√™ se referiu a algu√©m como “negado” ou acusou algu√©m de “racionalizar”. Ambos os exemplos se referem a um tipo de mecanismo de defesa.

Ilustração de JR Bee, Verywell

Então, o que exatamente é um mecanismo de defesa?

Principalmente usado por Sigmund Freud em sua teoria psicanalítica, um mecanismo de defesa é uma tática desenvolvida pelo ego para se proteger contra a ansiedade.

Pensa-se que os mecanismos de defesa protegem a mente contra sentimentos e pensamentos difíceis demais para a mente consciente.

Em alguns casos, acredita-se que os mecanismos de defesa impedem que pensamentos e impulsos inapropriados ou indesejados entrem na mente consciente.

Como funcionam os mecanismos de defesa?

No modelo de personalidade de Sigmund Freud, o ego é o aspecto da personalidade que lida com a realidade. Ao fazer isso, o ego também precisa lidar com as demandas conflitantes do id e do superego.

  • Identifica√ß√£o √© a parte da personalidade que busca satisfazer todos os desejos, necessidades e impulsos. √Č a parte mais b√°sica e primordial de nossas personalidades e n√£o considera coisas como aptid√£o social, moralidade ou mesmo a realidade de satisfazer nossos desejos e necessidades.
  • O superego tenta fazer o ego agir de maneira idealista e moral. Essa parte da personalidade √© composta por todos os valores internalizados e morais que adquirimos de nossos pais, outros membros da fam√≠lia, influ√™ncias religiosas e da sociedade.
  • Para lidar com a ansiedade, Freud acreditava que os mecanismos de defesa ajudavam a proteger o ego dos conflitos criados pelo id, superego e realidade.

Ent√£o, o que acontece quando o ego n√£o consegue lidar com as demandas de nossos desejos, as restri√ß√Ķes da realidade e nossos pr√≥prios padr√Ķes morais? Segundo Freud, a ansiedade √© um estado interno desagrad√°vel que as pessoas procuram evitar. A ansiedade age como um sinal para o ego de que as coisas n√£o est√£o indo como deveriam. Como resultado, o ego emprega alguma forma de mecanismo de defesa para ajudar a reduzir esses sentimentos de ansiedade.

Tipos de ansiedade

Nem todos os tipos de ansiedade são criados iguais. Nem essas ansiedades vêm das mesmas fontes. Freud identificou três tipos de ansiedade:

  1. Ansiedade neurótica é a preocupação inconsciente de perdermos o controle de nossos impulsos de identidade, o que resultará em punição por comportamento inapropriado.
  2. Ansiedade da realidade √Č o medo de eventos do mundo real. A causa dessa ansiedade √© geralmente facilmente identificada. Por exemplo, uma pessoa pode ter medo de receber uma mordida de cachorro quando est√° perto de um c√£o amea√ßador. A maneira mais comum de reduzir essa ansiedade √© evitar o objeto amea√ßador.
  3. Ansiedade moral Envolve medo de violar nossos próprios princípios morais.

Embora possamos usar conscientemente esses mecanismos, em muitos casos essas defesas funcionam inconscientemente para distorcer a realidade. Por exemplo, se voc√™ enfrentar uma tarefa particularmente desagrad√°vel, sua mente pode optar por esquecer sua responsabilidade de evitar a temida tarefa. Al√©m do esquecimento, outros mecanismos de defesa incluem racionaliza√ß√£o, nega√ß√£o, repress√£o, proje√ß√£o, rejei√ß√£o e forma√ß√£o de rea√ß√Ķes.

Embora todos os mecanismos de defesa possam ser prejudiciais, eles tamb√©m podem ser adapt√°veis ‚Äč‚Äče nos permitem funcionar normalmente.

Os maiores problemas surgem quando os mecanismos de defesa s√£o usados ‚Äč‚Äčem excesso para evitar o tratamento de problemas. Na terapia psicanal√≠tica, o objetivo pode ser ajudar o cliente a descobrir esses mecanismos de defesa inconsciente e encontrar maneiras melhores e mais saud√°veis ‚Äč‚Äčde lidar com a ansiedade e o sofrimento.

10 principais mecanismos de defesa

A filha de Sigmund Freud, Anna Freud, descreveu dez mecanismos de defesa diferentes usados ‚Äč‚Äčpelo ego. Outros pesquisadores tamb√©m descreveram uma ampla variedade de mecanismos de defesa adicionais.

2

Negação

A nega√ß√£o √© provavelmente um dos mecanismos de defesa mais conhecidos, frequentemente usado para descrever situa√ß√Ķes em que as pessoas parecem incapazes de encarar a realidade ou admitir uma verdade √≥bvia (ou seja, “Ele est√° em nega√ß√£o”). Negar √© uma total recusa em admitir ou reconhecer que algo aconteceu ou est√° acontecendo atualmente. Viciados em drogas ou alco√≥latras costumam negar que t√™m um problema, enquanto v√≠timas de eventos traum√°ticos podem negar que o evento ocorreu.

A negação trabalha para proteger o ego de coisas que o indivíduo não pode lidar.

Embora isso possa nos salvar da ansiedade ou da dor, a nega√ß√£o tamb√©m exige um investimento substancial de energia. Por isso, outras defesas tamb√©m s√£o usadas para manter esses sentimentos inaceit√°veis ‚Äč‚Äčde percep√ß√£o consciente.

Em muitos casos, pode haver uma evidência esmagadora de que algo é verdade; no entanto, a pessoa continuará negando sua existência ou verdade, porque é muito desconfortável de enfrentar.

A nega√ß√£o pode implicar uma total rejei√ß√£o da exist√™ncia de um fato ou realidade. Em outros casos, pode envolver admitir que algo √© verdadeiro, mas minimizar sua import√Ęncia. √Äs vezes, as pessoas aceitam a realidade e a gravidade do fato, mas negam sua pr√≥pria responsabilidade e culpam outras pessoas ou outras for√ßas externas.

O v√≠cio √© um dos exemplos mais conhecidos de nega√ß√£o. As pessoas que sofrem de um problema de abuso de subst√Ęncias freq√ľentemente negam fortemente que seu comportamento √© problem√°tico. Em outros casos, eles podem admitir usar drogas ou √°lcool, mas afirmam que esse abuso de subst√Ęncias n√£o √© um problema.

10

Outros mecanismos de defesa

Desde que Freud descreveu pela primeira vez os mecanismos de defesa originais, outros pesquisadores continuaram a descrever outros métodos para reduzir a ansiedade. Alguns desses mecanismos de defesa incluem:

Encenando: Nesse tipo de defesa, o indiv√≠duo lida com o estresse participando de a√ß√Ķes, em vez de refletir sobre sentimentos internos.

Filiação: Isso envolve pedir ajuda a outras pessoas.

Inibição do alvo: Nesse tipo de defesa, o indivíduo aceita uma forma modificada de seu objetivo original (ou seja, se tornar um treinador de basquete do ensino médio em vez de um atleta profissional).

Altruísmo: Atender às necessidades internas ajudando os outros.

Preven√ß√£o: Recusando-se a tentar encontrar objetos ou situa√ß√Ķes desagrad√°veis.

Compensação: Excel em uma área para compensar falhas em outra.

Humor: Apontando os aspectos engra√ßados ou ir√īnicos de uma situa√ß√£o.

Agress√£o passiva: Expressando indiretamente raiva.

Fantasia: Evite a realidade, recuando para um lugar seguro dentro da mente.

Ruína: Isso envolve tentar compensar o que você considera pensamentos, sentimentos ou comportamentos inadequados. Se você magoa os sentimentos de alguém, pode oferecer algo de bom para aliviar sua ansiedade.

Embora os mecanismos de defesa sejam frequentemente vistos como rea√ß√Ķes negativas, todos precisamos deles para aliviar temporariamente o estresse e proteger a auto-estima durante momentos cr√≠ticos, permitindo que os Estados Unidos se concentrem no que √© necess√°rio no momento. Algumas dessas defesas podem ser mais √ļteis que outras. Por exemplo, usar o humor para superar uma situa√ß√£o estressante e provocadora de ansiedade pode ser um mecanismo de defesa adaptativo.

Uma palavra de Verywell

Alguns dos mecanismos de defesa mais conhecidos tornaram-se parte comum da linguagem cotidiana. Poder√≠amos descrever algu√©m como “negar” um problema que eles enfrentam. Quando algu√©m recorre a maneiras antigas de fazer as coisas, podemos cham√°-las de “voltar” a um ponto anterior do desenvolvimento.

√Č importante lembrar que os mecanismos de defesa podem ser bons e ruins.

Eles podem desempenhar um papel √ļtil para proteger seu ego do estresse e proporcionar uma sa√≠da saud√°vel. Em outros casos, esses mecanismos de defesa podem impedir voc√™ de encarar a realidade e agir como uma forma de auto-engano.

Se voc√™ perceber que o uso excessivo de certos mecanismos de defesa est√° causando um impacto negativo em sua vida, considere consultar um m√©dico, psic√≥logo ou outro profissional de sa√ļde mental para obter mais conselhos e assist√™ncia. Considere responder ao question√°rio de mecanismos de defesa para ver como √© poss√≠vel identificar diferentes tipos de defesas em a√ß√£o.