17 ferramentas, planilhas e atividades motivacionais para você e seus clientes
Comportamento

17 ferramentas, planilhas e atividades motivacionais para você e seus clientes

ferramentas motivacionaisUm tamanho não serve para todos no que diz respeito à motivação, portanto, muitas vezes descobrimos que precisamos experimentar novas técnicas, novas mentalidades e novas abordagens em nossa busca pela roupa perfeita.

Independentemente disso, é bom ter alguns truques na manga, seja para motivar a nós mesmos ou a alguém da nossa equipe, na sala de aula ou em casa.

O trabalho duro supera o talento quando o talento n√£o trabalha duro.

Tim Notke

Este artigo √© uma forma de caixa de ferramentas motivacional que cont√©m v√°rias atividades e planilhas motivacionais, al√©m de sugest√Ķes (novas e antigas) sobre como intervir em nossos estados motivacionais.

Planilhas de motivação

Em nossa busca pela receita certa para a motivação, precisamos primeiro entender o que nos motiva. Começamos com ferramentas de conscientização na forma de questionários.

A primeira planilha nos ajudará a avaliar a satisfação das necessidades psicológicas básicas. Em seguida, exploraremos nossos mecanismos que apóiam ou frustram a motivação. Vamos explorar nossa auto-estima e fazer um inventário de nossa curiosidade antes de mergulhar no que mais pode surgir em nosso caminho e nos fazer adiar.

Uma vez equipado com um bom mapa de nossas atuais necessidades motivacionais, passamos a interven√ß√Ķes que ajudam a alterar nossos estados emocionais para o positivo e geram uma sensa√ß√£o de bem-estar, que pode ser usada para aumentar nossa motiva√ß√£o para alcan√ßar metas.

Satisfação das necessidades psicológicas básicas em geral (Deci e Ryan, 2000; Gagn, 2003)

De acordo com a teoria da autodeterminação, as necessidades de competência, autonomia e relacionamento devem ser continuamente atendidas para que as pessoas se desenvolvam e funcionem de maneira saudável e ideal (Deci e Ryan, 2000).

Leia cada um dos itens a seguir com atenção, pense em como isso se relaciona com a sua vida e depois indique como isso é verdade para você. Use a seguinte escala para responder:

Declara√ß√Ķes nem tudo √© verdade

algo verdadeiro

muito certo

1. Sinto que sou livre para decidir como viver minha vida.1234 45 56 67 7
2. Gosto muito das pessoas com quem interajo.1234 45 56 67 7
3. Muitas vezes n√£o me sinto muito competente.1234 45 56 67 7
4. Sinto-me pressionado na minha vida.1234 45 56 67 7
5. As pessoas que eu conheço me dizem que sou bom no que faço.1234 45 56 67 7
6. Me dou bem com as pessoas com quem entro em contato.1234 45 56 67 7
7. Estou praticamente sozinho e n√£o tenho muitos contatos sociais.1234 45 56 67 7
8. Geralmente, sinto-me livre para expressar minhas id√©ias e opini√Ķes.1234 45 56 67 7
9. Considero as pessoas com quem interesso regularmente como meus amigos.1234 45 56 67 7
10. Pude aprender novas habilidades interessantes recentemente.1234 45 56 67 7
11. Na minha vida di√°ria, muitas vezes tenho que fazer o que me dizem.1234 45 56 67 7
12. As pessoas da minha vida se preocupam comigo.1234 45 56 67 7
13. Na maioria dos dias, sinto uma sensação de realização pelo que faço.1234 45 56 67 7
14. As pessoas com quem interajo diariamente tendem a levar meus sentimentos em consideração.1234 45 56 67 7
15. Na minha vida, n√£o tenho muitas oportunidades para demonstrar como sou capaz.1234 45 56 67 7
16. Não há muitas pessoas com quem eu sou próximo.1234 45 56 67 7
17. Sinto que posso ser eu mesma em minhas situa√ß√Ķes di√°rias.1234 45 56 67 7
18. As pessoas com quem interajo regularmente n√£o parecem gostar muito de mim.1234 45 56 67 7
19. Muitas vezes n√£o me sinto muito capaz.1234 45 56 67 7
20. N√£o tenho muitas oportunidades de decidir por mim mesmo como fazer as coisas na minha vida di√°ria.1234 45 56 67 7
21. As pessoas em geral s√£o bastante amig√°veis ‚Äč‚Äčcomigo.1234 45 56 67 7

Informa√ß√Ķes de pontua√ß√£o: forme tr√™s pontua√ß√Ķes de subescala, uma para o grau em que a pessoa experimenta a satisfa√ß√£o de cada uma das tr√™s necessidades. Para fazer isso, voc√™ deve primeiro reverter a pontua√ß√£o de todos os itens com palavras negativas, conforme mostrado abaixo com (R) ap√≥s os n√ļmeros dos itens.

Para reverter a classificação de um item, basta subtrair a resposta do item de 8. Portanto, por exemplo, dois se tornariam 6. Depois de reverter a classificação do item, calcule a média dos itens na subescala relevante:

Autonomia: 1, 4 (R), 8, 11 (R), 14, 17, 20 (R) Proficiência: 3 (R), 5, 10, 13, 15 (R), 19 (R) Proporção: 2, 6, 7 (R), 9, 12, 16 (R), 18 (R), 21

A Escala de Auto-Estima de Rosenberg (Rosenberg, 1965)

A escala é uma escala Likert de dez itens, com itens respondidos em uma escala de quatro pontos, de concordo totalmente a discordo totalmente.

Instru√ß√Ķes: Abaixo est√° uma lista de declara√ß√Ķes que lidam com seus sentimentos gerais sobre si mesmo. Se voc√™ concorda totalmente, circule SA. Se voc√™ concorda com a afirma√ß√£o, circule A. Se voc√™ n√£o concorda, circule D. Se voc√™ n√£o concorda, circule SD.

Declara√ß√Ķes Concordo plenamente Concordo Discordo Discordo totalmente
Em geral, estou satisfeito comigo mesmo.SAUMAréDakota do Sul
* Às vezes acho que não sou bom.SAUMAréDakota do Sul
Eu posso fazer as coisas tão bem quanto a maioria das pessoas.SAUMAréDakota do Sul
Sinto que tenho várias boas qualidades.SAUMAréDakota do Sul
* Eu certamente me sinto in√ļtil √†s vezes.SAUMAr√©Dakota do Sul
* Sinto que não tenho muito do que me orgulhar.SAUMAréDakota do Sul
Sinto que sou uma pessoa valiosa, pelo menos no mesmo plano que os outros.SAUMAréDakota do Sul
* Gostaria de ter mais respeito por mim mesmo.SAUMAréDakota do Sul
* Em geral, estou inclinado a sentir que sou um fracasso.SAUMAréDakota do Sul
Eu tomo uma atitude positiva em relação a mim mesmo.SAUMAréDakota do Sul

Pontua√ß√£o: SA = 3, A = 2, D = 1, DP = 0. Os itens com um asterisco t√™m uma pontua√ß√£o inversa, ou seja, SA = 0, A = 1, D = 2, DP = 3. Adicione as pontua√ß√Ķes de os dez elementos. Quanto maior a pontua√ß√£o, maior a auto-estima.

Invent√°rio de curiosidades

A curiosidade tem sido positivamente relacionada √† motiva√ß√£o intr√≠nseca e √© considerada por alguns como um mecanismo psicol√≥gico vital para alcan√ßar mais. Confira o Invent√°rio de Curiosidade e Explora√ß√£o do Kashdan para medir nossa propens√£o a atividades inerentemente gratificantes. A curiosidade tem sido associada a muitos benef√≠cios sociais e de sa√ļde (2009).

Avalie as seguintes declara√ß√Ķes sobre como elas descrevem como voc√™ se sente em geral:

Declara√ß√Ķes Extremamente Caracter√≠stica Moderadamente Caracter√≠stica Neutra Moderadamente N√£o Caracter√≠stica Extremamente Incomum
1. Estou buscando ativamente o m√°ximo de informa√ß√Ķes poss√≠vel em uma nova situa√ß√£o.1234 45 5
2. Eu sou o tipo de pessoa que realmente gosta da incerteza da vida cotidiana.1234 45 5
3. Estou no meu melhor quando faço algo desafiador e complexo.1234 45 5
4. Onde quer que eu vá, procuro coisas e experiências novas.1234 45 5
5. Vejo situa√ß√Ķes desafiadoras como uma oportunidade de crescer e aprender.1234 45 5
6. Gosto de fazer coisas um pouco assustadoras.1234 45 5
7. Estou sempre procurando experiências que desafiam a maneira como penso sobre mim e o mundo.1234 45 5
8. Prefiro trabalhos que são incrivelmente imprevisíveis.1234 45 5
9. Costumo procurar oportunidades para me desafiar e crescer como pessoa.1234 45 5
10. Eu sou o tipo de pessoa que aceita pessoas, eventos e lugares desconhecidos.1234 45 5

Escala de procrastinação (Lay, 1986)

Os alunos podem usar as seguintes afirma√ß√Ķes para se descreverem. Para cada afirma√ß√£o, decida se a afirma√ß√£o n√£o √© caracter√≠stica sua ou caracter√≠stica usando a seguinte escala de 5 pontos.

Observe que todos os tr√™s da balan√ßa s√£o neutros; a afirma√ß√£o n√£o √© caracter√≠stica nem incomum para voc√™. √Ä direita de cada afirma√ß√£o, escreva o n√ļmero na escala de 5 pontos que melhor descreve voc√™.

Declara√ß√Ķes Extremamente Caracter√≠stica Moderadamente Caracter√≠stica Neutra Moderadamente N√£o Caracter√≠stica Extremamente Incomum
1. Muitas vezes me vejo fazendo tarefas que pretendia realizar dias antes.1234 45 5
2. Eu não faço lição de casa até pouco antes do vencimento.1234 45 5
3. Quando termino um livro da biblioteca, eu o devolvo imediatamente, independentemente da data de validade.1234 45 5
4. Quando é hora de acordar de manhã, quase sempre saio da cama.1234 45 5
5. Uma carta pode permanecer por dias após você a escrever antes de enviá-la.1234 45 5
6. Em geral, eu retorno as liga√ß√Ķes prontamente.1234 45 5
7. Mesmo com trabalhos que exigem pouco mais do que sentar e realiz√°-los, acho que raramente s√£o realizados por dias.1234 45 5
8. Normalmente, tomo decis√Ķes o mais r√°pido poss√≠vel.1234 45 5
9. Normalmente, demoro muito tempo antes de iniciar o trabalho que tenho que fazer.1234 45 5
10. Normalmente, tenho que me apressar para concluir uma tarefa a tempo.1234 45 5
11. Quando estou pronto para sair, raramente sou pego tendo que fazer alguma coisa no √ļltimo minuto.1234 45 5
12. Ao me preparar para um prazo, muitas vezes perco tempo fazendo outras coisas.1234 45 5
13. Prefiro sair mais cedo para um compromisso.1234 45 5
14. Normalmente, inicio uma tarefa logo após ser designada a ela.1234 45 5
15. Costumo fazer uma lição de casa mais cedo do que o necessário.1234 45 5
16. Parece que eu sempre acabo comprando presentes de anivers√°rio ou de Natal no √ļltimo minuto.1234 45 5
17. Normalmente, compro at√© um item essencial no √ļltimo minuto.1234 45 5
18. Eu costumo realizar todas as coisas que pretendo fazer em um dia.1234 45 5
19. eu digo continuamente Eu farei isso amanh√£1234 45 5
20. Costumo cuidar de todas as tarefas que tenho que fazer antes de relaxar e relaxar à noite.1234 45 5

Nota: Artigos com chave invertida: 3,4,6,8,11,13,14,15,18,20

Mudan√ßas nas emo√ß√Ķes e percep√ß√Ķes de bem-estar podem ser usadas como feedback no esfor√ßo de motivar os outros de maneira produtiva. V√°rias experi√™ncias subjetivas de bem-estar podem ser alcan√ßadas praticando a gratid√£o, cultivando a esperan√ßa atrav√©s da visualiza√ß√£o ou aprendendo a exercitar for√ßas. Estes, por sua vez, podem ser usados ‚Äč‚Äčpara apoiar o aumento da motiva√ß√£o e produzir uma mudan√ßa gradual no comportamento.

Aqui est√£o alguns exemplos de planilhas usadas por Robert Biswas-Diener como ferramentas para aumentar emo√ß√Ķes e cogni√ß√Ķes positivas em seu manual para treinar psicologia positiva. Esses s√£o exemplos principais de interven√ß√£o que transferem estados emocionais para positivos ou reformulam nosso pensamento em dire√ß√£o ao fim mais otimista do espectro.

A felicidade é líquida

A felicidade √© l√≠quida, da mesma forma que instrumentos monet√°rios, como a√ß√Ķes, s√£o l√≠quidos. Os seres humanos s√£o constru√≠dos com sistemas emocionais que incluem a capacidade de felicidade. √Č um tipo de moeda emocional que pode ser gasta, como dinheiro, em resultados da vida que realmente valorizamos, como nossa sa√ļde, nossos relacionamentos e sucesso no trabalho.

Uma maneira de apreciar a riqueza existente que todos possuímos é perceber e ampliar os momentos em que recebemos ou damos bondade aos outros.

Reflita sobre as seguintes perguntas:

  • Quem te reconheceu hoje?
  • Como voc√™ se sentiu quando foi reconhecido? Tente visualizar esse momento.
  • Por que mais voc√™ gostaria de ser reconhecido?
  • Quem teve uma m√£o nos dias de maior sucesso?
  • Quem se levantou para a ocasi√£o?
  • Quem tomou a iniciativa?
  • Quem ofereceu apoio?
  • Como essas pessoas foram reconhecidas?
  • Como voc√™ se sente quando pensa nessas coisas?
  • O que faz voc√™ sentir vontade de fazer?

Perguntas de treinamento para o eu ideal

Reflita sobre sua auto-imagem ideal, respondendo às seguintes perguntas. Isso pode ser feito na forma de perguntas abertas e poderosas durante uma sessão de treinamento ou pode ser atribuído como um exercício de escrita.

  • Qu√£o bem articulado √© o eu ideal?
  • Qu√£o importante √© para voc√™ alcan√ßar o ser ideal?
  • Quando voc√™ planeja fazer as altera√ß√Ķes associadas √† obten√ß√£o do eu ideal?
  • Que recursos e oportunidades voc√™ tem para ajud√°-lo a trabalhar em dire√ß√£o ao seu eu ideal?
  • Que obst√°culos voc√™ antecipa? Como eles podem fazer parte do processo de crescimento?
  • Que fatores informam sua vis√£o do seu eu ideal?
  • Qu√£o internos (e n√£o externos) s√£o os valores que informam o seu eu ideal?
  • Qual pessoa, viva ou morta, √© semelhante ao seu eu ideal?
  • Cite um comportamento pequeno e √ļnico que voc√™ pode mudar como o primeiro passo em dire√ß√£o ao seu eu ideal.
  • Como voc√™ pode tra√ßar seu progresso em dire√ß√£o ao seu eu ideal?

Crie uma auto-imagem ideal no futuro

Pode ser o futuro próximo ou daqui a vários anos. Imagine que este é um futuro em que você obteve muitas das coisas que deseja da vida e alcançou muitas das coisas pelas quais aspira.

Dedique alguns minutos para imaginar como voc√™ √© e como √© sua vida. Imagine onde voc√™ estaria morando, onde estaria trabalhando. Imagine como √© sua viagem, como √© sua sa√ļde, como s√£o seus amigos. Imagine as habilidades que voc√™ tem e as oportunidades que voc√™ tem para crescer.

Imagine os tipos de decis√Ķes que voc√™ tomou e os objetivos que alcan√ßou.

Isso pode ser feito na forma de perguntas abertas e poderosas durante uma sessão de treinamento ou pode ser atribuído como um exercício de escrita.

  • Descreva onde voc√™ estaria morando.
  • Que valor voc√™ tem nos arranjos de vida e nas circunst√Ęncias que gostaria de alcan√ßar?
  • At√© que ponto essa vis√£o de seus futuros arranjos habitacionais √© interna versus o produto de algum fator externo ou outros valores?
  • Descreva sua vida profissional: sua viagem, seu escrit√≥rio, sua posi√ß√£o, o tipo de trabalho que voc√™ faria.
  • Qual √© o valor do trabalho que voc√™ gostaria de realizar neste futuro ideal?
  • At√© que ponto essa vis√£o do seu futuro trabalho √© o produto de um fator interno versus o produto de algum fator externo ou outros valores?

Agora que o cliente tem uma visão do futuro desejado, podemos ajudá-lo a avançar para o estabelecimento de metas.

Objetivos INTELIGENTES

A seguir, uma vers√£o diferente das metas SMART que d√° mais import√Ęncia aos indicadores de progresso e mede o progresso em rela√ß√£o a metas espec√≠ficas. Esses exemplos espec√≠ficos s√£o orientados para o professor, pois planejam melhorias nos n√≠veis de desempenho dos alunos em compara√ß√£o aos padr√Ķes.

Diagrama de metas inteligentes

Outra maneira de acompanhar o progresso seria usar a tecnologia. As tecnologias de rastreamento de coment√°rios foram projetadas para ajudar a lidar com coment√°rios sobre o progresso.

A busca de metas mensur√°veis ‚Äč‚Äčgeralmente guia nossas vidas. Quando algo atrapalha a manuten√ß√£o da motiva√ß√£o necess√°ria para atingir esses objetivos, podemos usar tecnologias de rastreamento autom√°tico para motivar a n√≥s mesmos e aos outros.

O feedback sobre o progresso do objetivo com val√™ncias e fun√ß√Ķes de visualiza√ß√£o pode influenciar o envolvimento e a persist√™ncia em uma ampla gama de dom√≠nios, incluindo tarefas f√≠sicas e comportamentos de compra, de acordo com dados recentes de pesquisas em psicologia social e de consumidores.

Aqui está uma lista rápida do que está por aí:

Intenção de implementação + recompensa

Inten√ß√£o de implementa√ß√£o, tamb√©m conhecida como ‚ÄėSe ent√£o‚ÄėOs planos podem ser muito √ļteis no planejamento de todas as eventualidades quando algo atrapalhar o alcance de nossas metas. Normalmente, ter√≠amos uma ideia antecipada para ter um plano de backup para quando detratores conhecidos atrapalharem a execu√ß√£o das tarefas.

Sugerimos que, ocasionalmente, introduzamos uma recompensa neste plano de ação para motivar ainda mais a persistência no objetivo.

Implemento

Atividades motivacionais

O estabelecimento de metas geralmente √© melhor suportado por meio de treinamento. Um modelo de conversa para defini√ß√£o de objetivos √© o modelo de treinamento Auerbach GOOD (2015). Ele pode ser usado para estruturar as sess√Ķes de treinamento de uma maneira que progrida da defini√ß√£o de metas e da explora√ß√£o de op√ß√Ķes para o planejamento de a√ß√Ķes e presta√ß√£o de contas.

BOM modelo de treinamento Auerbach:

Metas definir os objetivos mais importantes para os quais um cliente deseja trabalhar

Op√ß√Ķes op√ß√£o de explora√ß√£o dispon√≠vel para ajud√°-los a avan√ßar

Os obst√°culos citar os obst√°culos que podem impedir o progresso

Faz especifique o que o cliente far√° especificamente e quando

Para expandir essas etapas do modelo BOM, aqui estão perguntas que você pode fazer em cada estágio, enquanto pratica empatia, escuta ativa e fornece suporte.

Fase alvo:

  • Em que objetivo voc√™ quer se concentrar?
  • Quando voc√™ tiver sucesso com esse objetivo, como ser√°?
  • O que torna esse objetivo importante para voc√™?
  • Como esse objetivo se encaixa na sua vis√£o?
  • Quando voc√™ alcan√ßa o resultado desejado, como gostaria de se sentir?
  • Que tipo de mudan√ßa melhoraria sua vida?

Fase de op√ß√Ķes:

  • Como seu objetivo poderia ser alcan√ßado?
  • Conte-me uma vez que voc√™ realizou algo semelhante?
  • De que maneiras voc√™ j√° viu outros enfrentarem essa tarefa?
  • Que medidas voc√™ pode tomar para alcan√ßar seu objetivo?
  • Se voc√™ optar por n√£o realizar algumas das a√ß√Ķes, qual ser√° o impacto?

Fase do obst√°culo:

  • O que poderia estar no caminho de alcan√ßar seu objetivo?
  • Quais desafios externos podem interferir?
  • Quais desafios internos podem atrapalhar?
  • De quem voc√™ pode obter suporte?

Faça a fase:

  • Quais estrat√©gias voc√™ est√° disposto a usar para alcan√ßar seu objetivo?
  • O que voc√™ especificamente far√° e quando?
  • Como voc√™ saber√° que est√° progredindo?
  • Qual √© a a√ß√£o mais imediata que voc√™ pode tomar e quando?
  • Quanto tempo levar√° e quando ser√° conclu√≠do?

Question√°rio de Escala de Estilo de Trabalho

Projetado para distinguir quatro tipos diferentes de abordagens motivacionais para o trabalho: procrastinação, incubadoras, planejadores e tolos (Biswas-Diener, 2010).

4 = me descreve perfeitamente 3 = me descreve um pouco 2 = n√£o me descreve 1 = n√£o me descreve de maneira alguma

A = Eu sempre termino meu trabalho dentro do prazo B = A qualidade do meu trabalho √© superior C = √Č necess√°rio um prazo iminente para me motivar D = Eu fa√ßo o meu melhor trabalho sob press√£o E = Eu gosto de iniciar o projeto imediatamente

Use a descri√ß√£o a seguir para classificar o question√°rio de estilo de trabalho, procurando as seguintes constela√ß√Ķes de alta pontua√ß√£o:

Planejadores: Eles s√£o motivados, estruturam seu trabalho e tendem a come√ßar imediatamente, mesmo no projeto de longo prazo. Os planejadores geralmente obt√™m pontua√ß√Ķes altas nos itens A, B e E.

Incubadoras: prosperar a tempo, adiar o trabalho at√© o √ļltimo minuto, mas sempre concluir o trabalho a tempo e produzir alta qualidade. As incubadoras geralmente t√™m alta pontua√ß√£o nos itens A, B, C e D.

Ninharias: comece a trabalhar cedo, mas se distraia e perca o interesse facilmente. Triflers geralmente pontuam alto no item E e baixo nos itens A e B.

Dilata√ß√Ķes: adiando o trabalho at√© o √ļltimo minuto e muitas vezes entregando trabalho med√≠ocre. Os procrastinadores geralmente pontuam alto nos itens C e D e baixo nos itens A e B.

Question√°rio FLOW

Atividades intrinsecamente motivadoras podem ser identificadas através do método de amostragem de experiência originalmente usado por Csikszentmihalyi para identificar estados de fluxo (1990). O questionário a seguir pode ajudar os clientes a entender como eles alocam os cuidados ao longo do dia e se gastam muito tempo investindo sua energia de maneira eficaz.

Isso deve ser feito por pelo menos uma semana, mas de preferência duas. Peça ao cliente para configurar o telefone para alertá-lo durante o dia em horários aleatórios para perceber o que está fazendo e anote as respostas para as seguintes perguntas:

  • No momento, o que voc√™ est√° fazendo e com quem est√°?
  • Qual √© o seu grau de satisfa√ß√£o de 1 a 10?
  • Quanta habilidade √© necess√°ria para esta atividade? Escolhe um:
    • Nenhuma habilidade necess√°ria
    • Algumas habilidades necess√°rias
    • Uma quantidade moderada de habilidades usadas
    • Eu tive que me esticar para fazer essa atividade
  • Descreva seu n√≠vel de motiva√ß√£o.
    • Fazendo isso porque voc√™ n√£o tem mais nada a fazer
    • Fazendo isso porque eles me dizem que
    • Fazendo isso porque eu tenho que
    • Fazendo isso porque eu quero
  • Voc√™ √© desafiado pela atividade em uma escala de 1 a 10?
  • Quanto voc√™ est√° concentrado em uma escala de 1 a 10?

Um estudo recente em que os indivíduos foram solicitados a não se envolverem deliberadamente em atividades intrinsecamente motivadoras mostrou uma diminuição nos sentimentos de bem-estar em apenas dois dias (Pink, 2009).

Caminho certo para mim

O uso de forças, de acordo com Govinji e Linley, leva ao bem-estar e à vitalidade e promove a auto-eficácia e acredita que você pode alcançar seus objetivos (2007). Aqui está um questionário no qual o estudo foi baseado, seguido de perguntas reflexivas sobre o uso de forças de uma nova maneira que geralmente leva a um melhor progresso em direção às metas:

  • Posso fazer regularmente o que fa√ßo de melhor
  • Eu sempre brinco com meus pontos fortes
  • Eu sempre tento usar meus pontos fortes
  • Consigo o que quero usando meus pontos fortes
  • Eu uso meus pontos fortes todos os dias
  • Eu uso meus pontos fortes para conseguir o que quero todos os dias
  • Meu trabalho me d√° muitas oportunidades de usar meus pontos fortes
  • Minha vida me apresenta muitas maneiras de usar meus pontos fortes
  • Usar meus pontos fortes vem naturalmente para mim
  • Acho f√°cil usar meus pontos fortes nas coisas que fa√ßo.
  • Eu posso usar meus pontos fortes em muitas situa√ß√Ķes diferentes
  • Passo a maior parte do tempo fazendo coisas que fa√ßo bem
  • Usar meus pontos fortes √© algo que estou familiarizado
  • Eu posso usar minha for√ßa de muitas maneiras diferentes

Aqui estão perguntas que podem ser usadas para refletir sobre como alavancar pontos fortes para alcançar a meta:

  • Quais s√£o algumas das novas maneiras pelas quais voc√™ pode usar pontos fortes?
  • Quais pontos fortes voc√™ est√° usando hoje?
  • Como voc√™ pode passar mais tempo esta semana fazendo coisas em que √© bom?
  • Como voc√™ pode usar seus pontos fortes esta semana para alcan√ßar seu objetivo?

Programação neurolinguística (PNL)

Embora os m√©todos em si n√£o tenham sido cientificamente comprovados, algumas das t√©cnicas utilizadas pela Programa√ß√£o Neurolingu√≠stica (PNL) demonstraram ser eficazes no aumento de estados emocionais positivos e podem estar ligadas a fen√īmenos psicol√≥gicos conhecidos.

A PNL tem sido usada para aumentar a autoconsci√™ncia e ajudar a detectar padr√Ķes negativos, pensamentos e suposi√ß√Ķes que valem a pena substituir. Discutimos dois m√©todos de PNL comumente usados ‚Äč‚Äčabaixo; primeiro para alterar os estados emocionais para o positivo no momento, e segundo para combater pensamentos que desencadeiam a ansiedade visualizando respostas alternativas.

T√©cnica de ancoragem baseia-se nos conceitos psicol√≥gicos do condicionamento operante, onde um est√≠mulo desencadeia respostas espec√≠ficas que foram condicionadas pela repeti√ß√£o. O objetivo da pr√°tica √© aprender a obter respostas emocionais positivas √† vontade, para que voc√™ possa us√°-las conforme necess√°rio. A ancoragem visa aumentar nossa capacidade de controlar emo√ß√Ķes e nos permite assumir um papel ativo na auto-regula√ß√£o.

Como usar a técnica de ancoragem:

  • Lembre-se de um momento em que voc√™ se sentiu muito bem em que experimentou intensos sentimentos positivos que deseja desencadear em outras situa√ß√Ķes (por exemplo, sentindo realiza√ß√Ķes no momento em que foi promovido).
  • Tente se lembrar de detalhes do que viu, sentiu, cheirou e ouviu para fornecer pistas sensoriais associadas a essa mem√≥ria e intensifique-a para que seja o mais v√≠vido poss√≠vel.
  • Nesse ponto, associe seus sentimentos a uma √Ęncora, que pode ser um gesto de qualquer tipo, como torcer um anel no dedo ou beliscar o l√≥bulo da orelha, por exemplo.
  • Fa√ßa uma pequena pausa e repita as etapas acima.
  • Teste a √Ęncora executando a a√ß√£o e veja se ela causa sentimentos positivos.
  • Ent√£o voc√™ pode usar esse m√©todo sempre que precisar de est√≠mulo emocional.

O método swish tente identificar os gatilhos mentais e emocionais da negatividade e substituí-los por uma resposta típica.

Nesta t√©cnica, voc√™ n√£o precisa executar nenhuma a√ß√£o, mas conhecer as alternativas dispon√≠veis em termos de como responde a pensamentos e emo√ß√Ķes negativas.

Impulsionado pelo princípio de acreditar, o Método Swish é uma técnica de visualização baseada na suposição de que nossas mentes geralmente não diferenciam eventos reais e visualizados, pois ambos ativam as mesmas partes do cérebro.

Como implementar o método Swish:

  • Identifique um pensamento e sentimentos associados que geralmente causam ansiedade. Voc√™ est√° prestes a fazer um discurso e se sente nervoso e inquieto.
  • Veja como sua mente e seu corpo reagem. Pode ser uma sensa√ß√£o de borboletas no est√īmago ou no c√©rebro.
  • Lembre-se de uma imagem visual do contexto em que isso acontece. Pode ser quando voc√™ entra na sala ou sobe ao p√≥dio.
  • Pense em como voc√™ gostaria de responder idealmente ao entrar fisicamente no contexto em que pensamentos negativos ocorrem. Voc√™ pode optar por ser calmo, confiante, bem preparado, otimista etc.
  • Este ser√° o seu pensamento substituto. Em sua mente, visualize o estado negativo e, figurativamente, coloque o pensamento de substitui√ß√£o em cima dele, verifique se ele parece maior, mais forte e mais vibrante, enquanto faz com que a emo√ß√£o negativa pare√ßa preta e branca ou emba√ßada.
  • Voc√™ precisar√° praticar o M√©todo Swish v√°rias vezes para garantir que o pensamento de substitui√ß√£o se torne a resposta padr√£o. Fa√ßa isso pelo menos cinco vezes e acelere a visualiza√ß√£o a cada rodada. Para verificar a efic√°cia, evoque o pensamento / sentimento desencadeador e seu contexto e veja como voc√™ se sente sobre isso.

Estratégias oblíquas

Estrat√©gias obl√≠quasPor √ļltimo, mas n√£o menos importante, a maneira completamente cient√≠fica, divertida e art√≠stica de se libertar e apresentar um pouco de criatividade inesperada s√£o declara√ß√Ķes instigantes que adicionam um elemento de surpresa.

Oblique Strategies (legendado em mais de cem dilemas que valem a pena) √© um m√©todo de promo√ß√£o da criatividade baseado em cart√Ķes, criado por Brian Eno e Peter Schmidt, publicado pela primeira vez em 1975.

Aqui est√£o exemplos dessas instru√ß√Ķes:

  • N√£o tenha medo das coisas porque elas s√£o f√°ceis de fazer.
  • Honre seu erro como uma inten√ß√£o oculta.
  • Vire de cabe√ßa para baixo.
  • V√° devagar por todo o lado de fora.
  • Tome uma a√ß√£o repentina, destrutiva e imprevis√≠vel; incorporar.
  • Qual √© a realidade da situa√ß√£o?
  • D√™ uma olhada nos detalhes mais embara√ßosos e amplifique-os.
  • Voc√™ pode fazer apenas um ponto de cada vez.
  • Existem se√ß√Ķes? Considere as transi√ß√Ķes.
  • Grada√ß√Ķes infinitesimais.
  • Pergunte ao seu corpo.
  • Veja a ordem em que voc√™ faz as coisas.
  • No que voc√™ est√° realmente pensando agora? Incorporar.
  • Use pessoas n√£o qualificadas.
  • Desconecte-se do desejo.
  • No imposs√≠vel.
  • Funciona a uma velocidade diferente.
  • Descubra as receitas que voc√™ est√° usando e as abandone.
  • Fa√ßa uma lista exaustiva de tudo o que voc√™ pode fazer e fa√ßa com que seja o √ļltimo da lista.
  • N√£o fa√ßa nada pelo maior tempo poss√≠vel.
  • Acre√ß√£o.
  • Humanize algo livre de erros.
  • Defina uma √°rea como segura e use-a como uma √Ęncora.
  • Enfatize repeti√ß√Ķes.
  • Remova os itens em ordem aparente sem import√Ęncia.
  • Pe√ßa √†s pessoas que trabalhem contra seu melhor julgamento.
  • Escute a voz calma.
  • Confie em voc√™ agora.
  • Abandone instrumentos normais.
  • Repeti√ß√£o √© uma forma de mudan√ßa.
  • Fa√ßa um alvo valioso colocando-o em uma moldura requintada.
  • O princ√≠pio da inconsist√™ncia.
  • N√£o construa um muro, mas fa√ßa um tijolo.
  • Quando confrontado com uma escolha, fa√ßa as duas coisas.
  • Seja menos cr√≠tico com mais frequ√™ncia.

Quadro de Motivação

Quadro de Motiva√ß√£oCriar um gr√°fico de motiva√ß√£o que inclua todos os seus objetivos, aspira√ß√Ķes e sonhos tamb√©m pode ser uma forma eficaz de motiva√ß√£o.

Alguns o chamam de quadro de vis√£o, e √© basicamente um incentivo visual que pode ajud√°-lo a encontrar emo√ß√£o atrav√©s de imagens do que voc√™ deseja, dificultando a ignor√Ęncia do que as palavras. Ele deve ser colocado em algum lugar onde voc√™ possa v√™-lo todos os dias porque est√° fora de vista.

Outros recursos visuais, como desenhar, gravar vídeos, visualizar imagens de outras pessoas que alcançam o que você deseja alcançar, são ferramentas poderosas para alinhar sua mente subconsciente com seu desejo consciente.

Motivação e Meditação

A pr√°tica da medita√ß√£o pode ajudar a aumentar e manter a motiva√ß√£o para alcan√ßar as metas. A medita√ß√£o ajuda na concentra√ß√£o e nos permite manter o foco por mais tempo. A medita√ß√£o tamb√©m reduz o estresse, pois promove o relaxamento. A medita√ß√£o melhora a cogni√ß√£o e aumenta a capacidade de executar tarefas que requerem concentra√ß√£o. A medita√ß√£o nos permite ter mais consci√™ncia de nossas emo√ß√Ķes.

A medita√ß√£o, quando praticada por apenas 10 minutos por dia, pode ajudar a limpar a desordem mental que nos distrai de nosso objetivo, sem mencionar a diminui√ß√£o da ansiedade e a melhoria da sa√ļde cardiovascular.

Existem muitas medita√ß√Ķes guiadas que visam resultados espec√≠ficos: aprender a relaxar, praticar o foco e a concentra√ß√£o, reduzir o estresse, a rumina√ß√£o, a ansiedade e a dor cr√īnica, cultivar a autoconsci√™ncia e a consci√™ncia corporal, al√©m de meditar perspicaz. praticar aceita√ß√£o.

Muitos podem ser baixados como um aplicativo ou encontrados em sites, listas de reprodu√ß√£o de m√ļsicas meditativas, podcasts, v√≠deos, blogs e, para quem √© t√£o inclinado, a natureza √© sempre uma √≥tima op√ß√£o. Existem cursos e aulas de medita√ß√£o, on-line e pessoalmente, oferecidos por provedores locais e at√© empregadores.

Ironicamente, muitos reclamam que n√£o conseguem encontrar motiva√ß√£o para meditar, pois existem algumas no√ß√Ķes preconcebidas sobre a quantidade de esfor√ßo necess√°ria. Geralmente, √© melhor come√ßar pequeno com algo prontamente dispon√≠vel, talvez como um substituto para algo que pode n√£o ser o melhor uso de nosso tempo, como navegar nas m√≠dias sociais enquanto aguardamos o pr√≥ximo compromisso.

Quest√Ķes motivacionais

As quest√Ķes de empoderamento s√£o basicamente quest√Ķes motivadoras. Eles est√£o sempre abertos e muitas vezes instigantes. Son una herramienta bien conocida para cualquier entrenador y, cuando se usan de manera experta, pueden ser bastante efectivas como t√©cnica de motivaci√≥n en cualquier momento y en la mayor√≠a de las situaciones.

Es una habilidad que requiere algo de práctica; sin embargo, las preguntas de capacitación rara vez son algo que aprendemos en casa o en la escuela.

  • ¬ŅQu√© valor representa este objetivo para ti?
  • ¬ŅC√≥mo celebrar√°s tu victoria?
  • ¬ŅC√≥mo contribuir√≠a eso al mundo?
  • ¬ŅQu√© pasa con este objetivo que demuestra lo que representa?
  • ¬ŅQu√© te mantiene en marcha?
  • ¬ŅQu√© es lo que realmente te emociona de eso?
  • ¬ŅQu√© pasa con este objetivo que se ajusta a su prop√≥sito?
  • ¬ŅQu√© parte de esto se relaciona con tus sue√Īos?
  • Si tuviera todo el tiempo, energ√≠a y dinero para lograr sus objetivos, ¬Ņqu√© har√≠a?
  • ¬ŅPor qu√© es eso importante para ti?
  • ¬ŅQu√© quieres experimentar?
  • ¬ŅQu√© funciona bien?
  • ¬ŅCu√°l es otra forma de ver eso?
  • ¬ŅC√≥mo puedes reformular eso para ayudarte a seguir adelante?
  • ¬ŅC√≥mo demostrar√°s motivaci√≥n y perseverancia?

Cursos de Motivación

Muchos programas de entrenamiento ofrecen cursos de dominio, y a menudo es parte del plan de estudios ense√Īar auto dominio a los entrenadores que imparten sus conocimientos a sus clientes. Los cursos sobre motivaci√≥n tambi√©n se ofrecen como cursos en l√≠nea a trav√©s de:

Y si está abrumado con las opciones ofrecidas a través de estas plataformas, puede ir al sitio web de Class Central para ver una lista completa de los cursos MOOC.

También puede inscribirse en un programa de dominio personal, y algunas de las instituciones conocidas que ofrecen esos son:

  • Suena cierto
  • Mindvalley
  • El instituto de Rao

También hay varios programas de maestría para adolescentes. Esos son más efectivos como programas en persona después de la escuela o en campamentos de verano que les permiten a los adolescentes desarrollar el autocontrol a través de actividades que:

  • Dar tareas responsables
  • Trabajo en grupos
  • Competencia positiva
  • Programas de evaluacion
  • Cambiar roles
  • Viajes al campo

Finalmente, hay muchas maneras de realizar actividades de Team building para los empleados. Desde proveedores locales hasta RR.HH. o eventos organizados por los empleados, en la oficina o fuera del sitio, el trabajo en equipo se ha utilizado para establecer vínculos, promover la colaboración y difundir la diversión en la oficina.

Algunas compa√Ī√≠as como Atlassian llevan el trabajo en equipo al siguiente nivel. Utilizan ferias de innovaci√≥n donde los equipos salen del sitio y me dan toda la cerveza y el pastel de chocolate que pueden manejar, siempre que originen, desarrollen y entreguen nuevos productos, nuevos servicios o mejoras en los procesos comerciales de la noche a la ma√Īana.

Frases motivacionales

Los mejores éxitos para hombres vienen después de sus decepciones.

Henry Ward Beecher

No esperes para golpear hasta que el hierro esté caliente; pero caliéntalo golpeando.

William B. Sprague

La motivación es un fuego desde dentro. Si alguien más intenta encender ese fuego debajo de ti, es probable que se queme muy brevemente.

Stephen R. Covey

El éxito no es la clave de la felicidad. La felicidad es la clave del éxito. Si amas lo que estás haciendo, serás exitoso.

Albert Schweitzer

El deseo es el punto de partida de todo logro, no una esperanza, no un deseo, sino un deseo pulsante que trasciende todo.

Cerro Napoleón

Puedes tener lo que quieras si est√°s dispuesto a renunciar a la creencia de que no puedes tenerlo.

Robert Anthony

Los grandes espíritus siempre han encontrado una oposición violenta de mentes mediocres.

Albert Einstein

When you want to succeed as bad as you want to breathe, then youll be successful.

Eric Thomas

A man can be as great as he wants to be. If you believe in yourself and have the courage, the determination, the dedication, the competitive drive and if you are willing to sacrifice the little things in life and pay the price for the things that are worthwhile, it can be done.

Vince Lombardi

The question isnt who is going to let me; its who is going to stop me.

Ayn Rand

Motivation Resources

Our suggestion for creating a toolbox of motivational resources would be to take the time to try out a few motivational strategies and choose a few that can be used in the moment as well as some that are more appropriate for long term goal setting, as well as cultivating motivational muscle and investing in the future ability to find motivation at will.

In the moment strategies could include:

  • M√ļsica
  • Affirmations
  • Anchoring

Long term motivation

  • Ideal future-self visualization
  • Explore strengths and use them in novel ways
  • Find moments of flow through ESM method to get straight to intrinsic motivation

Investment in the future of growing the motivational muscle:

  • Assess the satisfaction of psychological needs
  • Hire a coach
  • Take a motivational course or mastery modeling program

While the suggestions for how to get motivated abound, the actual value of motivational tools comes from learning to use them and use them well.

I suppose it is tempting, if the only tool you have is a hammer, to treat everything as if it were a nail.

Abraham Maslow

The law of the instrument, otherwise known as Maslow’s hammer, remind us that we have a cognitive bias to over-rely on a familiar tool.

A Take-Home Message

The irony in writing this article was trying to find the motivation to do it. Because having learned a lot about it was a small part of the process. We all know how to live our lives well, yet few of us can bring ourselves to do it. Although it is important to understand what motivation is, ultimately, it is much more important to experience what motivation does.

Do you have a favorite motivational strategy or technique? Please share it with us here.

  • Auerbach, J. E. (2015). Positive Psychology in Coaching. Pismo Beach, CA; Executive College Press.
  • Biswas-Diener, R. (2016, September). Role of emotions in coaching. Paper presented at the ICF Advance: Science of Coaching conference, Phoenix, AZ.
  • Carver, C. S., & Scheier, M. F. (1990). Origins and functions of positive and negative affect: a control-process view. Psychological Review, 97(1), 19-35
  • Crandal, R. (1973). The measurement of self-esteem and related constructs, Pp. 80-82 in J.P. Robinson & P.R. Shaver (Eds), Measures of social psychological attitudes. Revised edition. Ann Arbor: ISR. Rosenberg, M. (1965). Society and the adolescent self-image. Princeton, NJ: Princeton University Press. Wylie, R. C. (1974). The self-concept. Revised edition. Lincoln, Nebraska: University of Nebraska Press.
  • Deci, E. L., & Ryan, R. M. (2000). The what and why of goal pursuits: Human needs and the self-determination of behavior. Psychological Inquiry, 11, 227-268.
  • Deci, E. L., Ryan, R. M., Gagn, M., Leone, D. R., Usunov, J., & Kornazheva, B. P. (2001). Need satisfaction, motivation, and well-being in the work organizations of a former Eastern Bloc country. Personality and Social Psychology Bulletin, in press.
  • Gagn, M. (2003). The role of autonomy support and autonomy orientation in prosocial behavior engagement. Motivation and Emotion, 27, 199-223.
  • Ilardi, B. C., Leone, D., Kasser, R., & Ryan, R. M. (1993). Employee and supervisor ratings of motivation: Main effects and discrepancies associated with job satisfaction and adjustment in a factory setting. Journal of Applied Social Psychology, 23, 1789-1805.
  • Kasser, T., Davey, J., & Ryan, R. M. (1992). Motivation, dependability, and employee supervisor discrepancies in psychiatric vocational rehabilitation settings. Rehabilitation Psychology, 37, 175-187.
  • Lay, C. (1986). At last, my research article on procrastination. Journal of Research in Personality, 20, 474-495.
  • Locke, E., & Latham, G. (2002). Building a practically useful theory of goal setting and task motivation: A 35-year odyssey. American Psychologist, 57(9), 705-717.
  • Thogersen-Ntoumani, C., Ntoumanis, N., Cumming, J., & Chatzisarantis, N. L. D. (2011). When feeling attractive matters too much to women: A process underpinning the relation between psychological need satisfaction and unhealthy weight control behaviors. Motivation and Emotion, 35, 413422.