Comportamento

16 maneiras de praticar aceitação radical

Você já se perguntou o que realmente significa aceitar algo? Essa atitude significa que desistimos da possibilidade de mudança para nós mesmos, outras pessoas ou nossas vidas? Isso é apenas uma desculpa para ser um capacho?

Absolutamente não. A aceitação e, em particular, o termo aceitação radical, um dos princípios da Terapia Comportamental Dialética (DBT), é tudo menos passivo. A aceitação radical é uma escolha consciente, e uma que pode realmente nos colocar na melhor posição para fazer as mudanças necessárias. Como disse o psicoterapeuta Carl Rogers, o curioso paradoxo é que, quando me aceito como sou, posso mudar.

O DBT √© uma forma de terapia cognitivo-comportamental originalmente desenvolvida pela psic√≥loga Marsha Linehan para ajudar pessoas com transtorno de personalidade lim√≠trofe, que t√™m rea√ß√Ķes emocionais intensas e agem de maneira impulsiva e disruptiva. O DBT tamb√©m demonstrou ser eficaz no tratamento da depress√£o, compuls√£o e TDAH. Al√©m disso, como muitas pessoas sem condi√ß√Ķes diagnostic√°veis ‚Äč‚Äčt√™m sentimentos fortes, os princ√≠pios da DBT, como a aceita√ß√£o radical, podem ajudar a todos.

A aceita√ß√£o radical envolve aceitar a si mesmo, a outras pessoas e √† vida nos termos da vida, com sua mente, alma e corpo, completamente. N√£o quero nenhuma desculpa. Sem condi√ß√Ķes. Sem julgamento.N√£o prenda a respira√ß√£o at√© voc√™, outra pessoa, ou esta situa√ß√£o estar resolvida. Absolutamente, totalmente, totalmente aceitando (e realmente abra√ßando) a realidade. A aceita√ß√£o radical pode n√£o apenas reduzir seu sofrimento, mas tamb√©m ajud√°-lo a viver uma vida mais feliz e plena.

Como é que isto funciona?

Considere o oposto da aceitação, que é a resistência. Quando estávamos em resistência, nosso diálogo interno pode ser algo assim:

"N√£o acredito que isso est√° acontecendo!"

"Isto não é justo".

"N√£o est√° bem.

Isso n√£o pode ser verdade ".

"Isso n√£o deveria ser."

Quando sentimos a dor que sentimos quando algo não funciona e adicionamos resistência, o resultado é sofrimento. Com uma aceitação radical, não podemos mudar a situação que causou a dor, mas podemos minimizar (ou até evitar) o sofrimento.

Com aceita√ß√£o radical, dizemos "sim e …" √† vida, em vez de "n√£o". Essa abordagem expande significativamente nossas op√ß√Ķes.

  1. Outra palavra para aceita√ß√£o √© reconhecimento. Com a aceita√ß√£o, voc√™ n√£o est√° tolerando ou aceitando a situa√ß√£o, mas est√° reconhecendo que ela existe. No entanto, voc√™ n√£o suporta comportamento abusivo ou manipulador. Este √© um exemplo da dial√©tica de aceita√ß√£o e mudan√ßa: depois de reconhecer o que est√° acontecendo, em vez de permanecer em nega√ß√£o, voc√™ estar√° mais apto a agir para mudar a situa√ß√£o. Em caso de abuso, voc√™ pode deixar o relacionamento, por exemplo. Em vez de gastar tempo e energia dizendo para si mesmo que esse pode n√£o ser o caso ou n√£o, aceite que esse √© o caso, se voc√™ n√£o gosta, e siga em frente. A aceita√ß√£o libera voc√™, permitindo que voc√™ veja mais op√ß√Ķes.
  2. Aceitação também significa que paramos de julgar e, em vez disso, praticamos a percepção das coisas como elas realmente são. O julgamento negativo de nós mesmos e dos outros é uma grande perda e nos impede de ter consciência e estar no presente. Imagine como seria um alívio não vomitar veneno verbal ou mental em nós mesmos, em outras pessoas ou em uma situação. O julgamento geralmente leva a mais desconforto emocional. Toda essa energia pode ser direcionada melhor para outro lugar, como o que está sob nosso controle e adivinhe? O passado não se enquadra nessa categoria, nem o comportamento ou as atitudes de outras pessoas.
  3. Esteja ciente de quando voc√™ est√° julgando ou criticando algo negativamente. Acompanhe (em um bloco de notas ou no telefone) seus pensamentos cr√≠ticos. √Č melhor registrar seu julgamento o mais r√°pido poss√≠vel ap√≥s a ocorr√™ncia, para que esteja fresco em sua mente. Veja onde foi o julgamento e quando aconteceu, pois voc√™ pode come√ßar a perceber alguns padr√Ķes. Por exemplo, voc√™ pode perceber que julga com mais frequ√™ncia no trabalho do que em casa ou vice-versa. O rem√©dio √© usar o que √© chamado de "mente de iniciante", o que significa que voc√™ olha as coisas como se fosse a primeira vez e mais como observador do que como juiz.
  4. Observe quando voc√™ resiste √† realidade. Isso pode parecer ressentimento cr√īnico, irritabilidade, condena√ß√£o, usar muito a palavra "deveria", tentar controlar o comportamento de outras pessoas ou pensar que elas ficariam felizes apenas se "X" ocorresse.
  5. Considere ser acomodando praticar aceitação A passagem da resistência à aceitação geralmente não acontece de uma só vez. Estar disposto significa fazer o que é preciso para ser eficaz em qualquer situação (nem mais nem menos) e fazê-lo sem hesitar. A vontade pode parecer (levante suas mãos em desespero, recuse-se a fazer o que é eficaz, recuse-se a fazer as mudanças necessárias, fique emburrado, aja impulsivamente, tente consertar o que não está sob seu controle, recuse-se a aceitar a realidade ou concentre-se apenas em suas necessidades (em vez de considerar outras pessoas e outros fatores).
  6. Relaxe seu corpo. Isso facilitar√° uma atitude de aceita√ß√£o, enquanto o tensionamento dos m√ļsculos est√° frequentemente associado √† resist√™ncia. Pratique as m√£os prontas, colocando as m√£os abertas com as palmas para cima no colo. Voc√™ tamb√©m pode tentar um meio sorriso suave. Estudos mostraram que o simples ato de sorrir pode aliviar nosso humor e diminuir nossa ansiedade.
  7. Ele age como se. Finja que voc√™ est√° aceitando a realidade. Uma mudan√ßa em nossas a√ß√Ķes geralmente pode preceder uma mudan√ßa em nossas atitudes. Em outras palavras, pratique o que √© conhecido no DBT como "a√ß√£o oposta". Anote como voc√™ agiria se n√£o resistisse mais aos fatos. Ent√£o pratique esses comportamentos.
  8. Considere todas as decis√Ķes e eventos que ocorreram at√© agora. Dada essa cadeia de eventos, √© inevit√°vel que a situa√ß√£o seja como √©. Alguns desses eventos foram influenciados por voc√™ e outros n√£o. Em outras palavras, voc√™ n√£o estava no comando, mas tinha um papel a desempenhar. N√£o adianta atribuir culpa, de qualquer maneira. A quest√£o √©: o que acontece agora?
  9. Saiba o que você pode e não pode controlar. Uma razão pela qual combatemos a realidade é o desejo humano comum de estar no controle. Aceitar nossa situação é reconhecer que nem sempre estamos no controle. E isso pode ser doloroso. Você pode ter que aceitar que o objeto de sua afeição nunca retornará seus sentimentos. Ou que você nunca realizará um sonho seu. No entanto, é uma verdade que tentamos ignorar por nosso próprio risco.
  10. Examine suas expectativas. Eles foram (ou são) realistas? Ou eles o prepararam para a decepção ou levaram a um medo irracional?
  11. Pratique olhando sua respira√ß√£o. Isso o ajudar√° a fundamentar voc√™ no momento presente e a trein√°-lo para se separar dos pensamentos que inevitavelmente surgir√£o. O objetivo n√£o √© superar os pensamentos com um palpite proverbial, mas simplesmente not√°-los, pois voc√™ pode notar um carro que passava e depois deix√°-lo ir (em vez de segurar a porta do carro e ser arrastado pela rua) Aceita√ß√£o radical significa escolher concentre sua aten√ß√£o na tomada de decis√Ķes que melhorem seu bem-estar, em vez de culpar voc√™. Quanto mais voc√™ for capaz de concentrar seus pensamentos sem se distrair (algo que a medita√ß√£o pode lhe ensinar), melhor poder√° praticar a aceita√ß√£o radical.
  12. Se você é tentado a se envolver em comportamentos destrutivos, aceite que se sente de uma certa maneira, mas não ceda ao desejo. Certamente, sucumbir à vontade de tomar sorvete de chocolate quente, beber uma garrafa de vinho ou repreender seu chefe pode lhe dar uma satisfação temporária, mas, a longo prazo, isso provavelmente causará mais problemas a você.
  13. Lembre-se de que a aceita√ß√£o geralmente √© uma escolha que fazemos repetidamente ao longo do tempo. Esta n√£o √© uma decis√£o de todos. A aceita√ß√£o √© uma postura consciente que adotamos in√ļmeras vezes ao longo do dia, quando enfrentamos uma variedade de circunst√Ęncias e op√ß√Ķes. √Äs vezes √© prov√°vel que voc√™ se encontre novamente em resist√™ncia, e tudo bem. Apenas observe o que est√° acontecendo e veja se voc√™ pode escolher conscientemente (ou considerar escolher) a aceita√ß√£o agora. √Č uma √≥tima maneira de praticar a aten√ß√£o plena.
  14. Viva o momento presente. Gastamos tanta energia desnecess√°ria quando nos angustiamos com o passado, nos preocupamos com o futuro ou nos retiramos para a terra da fantasia.
  15. Lembre-se de que a a√ß√£o apropriada tem a ver com nossas pr√≥prias atitudes e a√ß√Ķes, n√£o com as de outras pessoas. Por exemplo, se um colega de trabalho exerce constantemente parte de seu trabalho conosco, podemos nos recusar a arcar com mais parte de nossa parcela da carga de trabalho. O que o nosso colega de trabalho escolhe fazer √© com eles. Eles podem deixar o trabalho desfeito, podem tentar impor a outra pessoa ou podem fazer o trabalho eles mesmos. Tudo o que podemos controlar √© o grau em que estabelecemos e mantemos limites e nossa atitude. Podemos optar por n√£o olhar para o nosso colega de trabalho ou ter pensamentos desagrad√°veis ‚Äč‚Äčsobre ele. Podemos fazer nosso pr√≥prio trabalho diligentemente e agir de maneira am√°vel e respeitosa.
  16. Tenha algumas instru√ß√Ķes de enfrentamento √† m√£o, onde voc√™ poder√° v√™-las em tempos dif√≠ceis:

√Č o que √©.

N√£o posso mudar o que aconteceu.

Eu posso aceitar as coisas como elas s√£o.

Eu posso superar isso.

Isso parece doloroso, mas vou sobreviver a isso e o sentimento vai passar.

Lutar com o passado √© in√ļtil.

Isso é difícil, mas é temporário.

Eu posso me sentir ansioso e ainda lidar com essa situação efetivamente.

Resistir √† realidade apenas me impede de ver minhas op√ß√Ķes.

Eu posso aceitar esta situação e ainda ser feliz.

Eu posso me sentir mal e ainda optar por tomar uma direção nova e saudável.

Só posso controlar minhas respostas atuais.

Havia uma causa (ou causas) para isso. N√£o preciso saber quais s√£o as causas, mas posso aceitar que elas existem.

Quando fico no momento presente, consigo resolver problemas.

Em vez de me culpar e me julgar, preciso tomar as medidas apropriadas.

Mantenha o foco no momento. O que preciso fazer agora?

Ele acredita que vale a pena viver, mesmo em momentos dolorosos. Fazer isso é o epítome da aceitação radical.

. (tagsToTranslate) aceita (t) aceitação (t) ansiedade (t) respiração (t) controle (t) enfrentamento (t) dbt (t) terapia comportamental dialética (t) expectativas difíceis (t) (t) julgamento feliz (t) (t) meditação (t) atenção plena (t) aceitação radical (t) realidade (t) relaxamento (t) resistência (t) disposição

Back to top button

Bloco de an√ļncios detectado

Você deve remover seu AD BLOCKER para continuar usando nosso site OBRIGADO