Sa√ļde

147 anos de mulheres cozinhando e comendo de maneiras que agradam aos homens

147 anos de mulheres cozinhando e comendo de maneiras que agradam aos homens

Voc√™ provavelmente j√° ouviu o ditado: o caminho para o cora√ß√£o de um homem √© atrav√©s do est√īmago. Essa maneira de pensar pode ser mais antiga e mais contempor√Ęnea do que voc√™ pensa.

Em The Conversation, Paul Freedman escreveu sobre a hist√≥ria das mulheres que tentam agradar aos homens com a comida que cozinham para eles e a maneira como se alimentam. Ele tamb√©m abordou essas quest√Ķes em seu novo livro, American Cuisine: And How It Got This Way. Freedman acredita que as mulheres tentam usar comida para agradar aos homens desde 1872. Ele acredita que ainda o fazem hoje, mesmo quando, aparentemente, parecem contr√°rias a estere√≥tipos e tradi√ß√Ķes.

Para entender o papel da comida nas tentativas das mulheres de atrair homens, Freeman examinou diferentes tipos de evid√™ncia, como an√ļncios e livros de receitas. Quase 150 anos atr√°s, em 1872, foi quando foi publicado Como manter um marido, ou t√°ticas culin√°rias. A virada do s√©culo, em 1903, trouxe O livro de receitas do estabelecimento: o caminho para o cora√ß√£o de um homem. Quatorze anos depois, Mil maneiras de agradar a um marido chegaram, o que representava apenas uma maneira, porque era uma cole√ß√£o de receitas.

Talvez as mulheres do início do século XX estivessem procurando maneiras de conquistar a afeição dos homens com a comida, mas nem sempre pensavam nisso de maneira enjoativa. Por exemplo, um livro de receitas de 1925 foi chamado Feed the Brute!

An√ļncios e livros de receitas mostraram as inseguran√ßas das mulheres. (Eu sei, grande surpresa.) Minha anedota favorita do artigo de Freedmans em The Conversation foi esta:

Na década de 1920, uma mulher escreveu à porta-voz fictícia do general Mills, Betty Crocker, expressando medo de que seu vizinho capturasse o marido com seu bolo de chocolate.

Na d√©cada de 1950, Freedman descobriu que as mulheres ainda tinham que cozinhar alimentos que agradavam aos maridos, mas tamb√©m era esperado que fossem atraentes e divertidas. Como exemplo, ela apontou para um an√ļncio de um novo forno que mostrava uma mulher em um vestido decotado e p√©rolas, mostrando ao seu querido marido o que estava no forno para o jantar.

Na d√©cada de 1970, com mais mulheres trabalhando fora de casa e sob a influ√™ncia do movimento feminino vintage, as mulheres preparavam refei√ß√Ķes caseiras com menos frequ√™ncia para seus homens. Mas ent√£o, como agora, a comida era de g√™nero. Certos tipos de alimentos, saladas e outras refei√ß√Ķes leves s√£o comercializados para as mulheres, enquanto outros alimentos, como uma saud√°vel tigela de piment√£o e grandes peda√ßos de carne vermelha, devem atrair os homens. Quando as mulheres cozinham (acho que ainda fazem mais do que o quinh√£o justo), elas podem estar adaptando seus menus para agradar aos homens.

As mulheres do século XXI nem sempre ficam em seus lugares designados no bar de saladas. Freedman apontou para um artigo de 2007 no New York Times sobre a tendência das mulheres nos primeiros encontros de pedir carne. Essa poderia ser uma maneira de declarar a independência de estereótipos e expectativas, mas o autor não interpretou o comportamento dessa maneira. Em vez disso, como Freedman apontou, pedir um bife era descrito como uma estratégia

Pretendia-se indicar que as mulheres n√£o eram obcecadas com sua sa√ļde e dieta, uma maneira de tranquilizar os homens de que, se um relacionamento prosperasse, suas namoradas n√£o come√ßariam a lhes dar li√ß√Ķes sobre o que comer.

(Sim, mesmo este artigo contempor√Ęneo parece se concentrar apenas nos relacionamentos menino-menina.)

Achei a discuss√£o de Freedmans infinitamente fascinante e posso at√© ler seu livro. Isso tamb√©m me fez perceber mais uma vez (n√£o que eu precise de lembretes) o quanto estou feliz por estar solteira e totalmente desinteressada em namorar. Eu e outras pessoas solteiras como eu podemos escolher os alimentos que gostamos. √Äs vezes, isso significa que fazemos escolhas mais saud√°veis ‚Äč‚Äčdo que far√≠amos se estiv√©ssemos com um parceiro rom√Ęntico. Talvez seja por isso que as pessoas que se casam tamb√©m acabam mais gordas e menos saud√°veis ‚Äč‚Äčdo que quando eram solteiras.

.

Back to top button

Bloco de an√ļncios detectado

Você deve remover seu AD BLOCKER para continuar usando nosso site OBRIGADO