10 dicas para ensinar as crianças a quebrar o gelo

10 dicas para ensinar as crianças a quebrar o gelo

10 dicas para ensinar as crianças a quebrar o gelo

Nesta era da tecnologia, as crianças conversam regularmente com e-mails e textos. Na edição de abril de 2015 da Metro Parent, exploramos se a conversa verbal e cara a cara é uma habilidade que a próxima geração não terá devido às mudanças em nosso mundo. Ao ensinar boas maneiras às crianças, é importante ensiná-las a iniciar e manter conversas com outras pessoas. Aqui estão 10 maneiras de garantir que seus filhos saibam como conversar e quebrar o gelo com os outros.

1. D√™ √†s crian√ßas tarefas f√°ceis. Como pagar a conta do jantar em um restaurante. Se ficarem nervosos, arme-os com as palavras certas e apoie-as, se necess√°rio, diz a oradora p√ļblica Jill Washburn.

2. Insista em notas de agradecimento por presentes e outras ocasi√Ķes. Muitas crian√ßas enviam mensagens de texto ou e-mail para agradecer quando uma liga√ß√£o telef√īnica ou nota manuscrita √© realmente mais apropriada, diz Rebecca Schlussel, especialista em etiqueta e co-propriet√°ria da Joe Cornell Entertainment. Isso os faz pensar na outra pessoa, em vez de faz√™-lo rapidamente como uma reflex√£o tardia.

3. Arme seus filhos com frases que eles possam usar para responder a outras pessoas. Alguns exemplos incluem: “Fale mais sobre isso”, “Isso √© interessante” e “N√£o brinque!”

4. Fa√ßa contato visual. Parece t√£o simples, mas √© dif√≠cil para a maioria de n√≥s, especialmente se estamos acostumados a realizar v√°rias tarefas. As crian√ßas aprendem a confiar nos “brinquedos de inquieta√ß√£o” quando √© permitido, mas dificultam o foco das duas pessoas na conversa.

5. Seja um bom modelo. Você escreve na mesa de jantar? Verifique seu telefone na cama à noite? Andar pela casa com uma mão no seu dispositivo móvel? Abaixe, faça contato visual e dê um exemplo do tipo de conexão pessoa a pessoa que você deseja que seus filhos emulem.

6. Conecte-se com os vizinhos. Caminhe pela vizinhança com seus filhos e cumprimente as pessoas ao passar por elas. Discuta perguntas que você pode fazer às pessoas que você conhece enquanto caminham juntas.

7. Tente n√£o interromper os outros ou interromper a conversa. Uma grande parte da conversa hoje envolve deixar a outra pessoa terminar seu pensamento antes de tomar a sua vez.

8. Converse com seus filhos. As crian√ßas modelam os comportamentos que veem nos adultos ao seu redor. Pense em quanto tempo voc√™ gasta no carro. Em vez de retornar chamadas telef√īnicas com Bluetooth ou m√ļsica estridente, pergunte √†s crian√ßas sobre o dia delas, discuta o cen√°rio ao seu redor, fa√ßa planos juntos. O mesmo vale para a prepara√ß√£o do jantar ou para outras tarefas dom√©sticas, que s√£o feitas em conjunto e eles conversam enquanto voc√™ corta legumes ou coloca a mesa.

9. N√£o aceite ‘n√£o sei’ como resposta. Explique aos seus filhos que voc√™ espera que eles pensem, se perguntem em voz alta, especulem, adivinhem ou d√™em a melhor resposta poss√≠vel. “Eu n√£o sei” √© uma sa√≠da f√°cil.

10. Incentive seus filhos a fazer perguntas. E ensine isso fazendo perguntas também! Se algo não estiver claro, peça ao seu filho para esclarecer. Elogie perguntas que sejam atenciosas, sobre o tópico e que usem bem a linguagem. Use frases completas em suas respostas.

Foto de Lauren Jeziorski